Por que a manteiga é a melhor opção?

by Pat Feldman on 08/03/2009 · 66 comments

in Alimentação, ARTIGOS

manteigaO texto a seguir é uma tradução minha do excelente trabalho da Sally Fallon, atual presidente da Fundação Weston A. Price e da Dra. Mary Enig, uma das maiores estudiosas e entendidas no tema gorduras. Não serão necessárias mais apresentações, apenas leiam o texto e reflitam (ah, e corram para o supermercado comprar manteiga!!!)

Da minha parte, além de ter tantas propriedades do bem, acho manteiga uma delícia!!! Aqui em casa nunca falta!

Para ler o texto original, em inglês, CLIQUE AQUI.         

Texto de Sally Fallon e Mary G. Enig, PhD

Quado a indústria alimentícia se deu conta de que não poderiam parar o crescente interesse americano em dietas e nutrição,  um movimento que poria fim ao  principal monopólio indutrial americano, eles infiltraram-se neste movimento e espalharam ao grande público algumas informações dúbias e assustadoras. O primeiro item na campanha da desinformação é fazer o púbico acreditar que as gorduras naturalmente saturadas de fontes animais são as raízes da atual eidemia de problemas coronários e câncer. A manteiga encabeçava a “lista de culpados” e foi acusada de terríveis “crimes”. Os Ditocratas da Dietas nos disseram que era muito melhor optar pelas margarinas poliinsaturadas e foi o que a maioria dos americanos fez.  A manteiga simplesmente desapareceu das nossas mesas, e foi classificada como um alimento desgraçado, cafajeste.

Isso surpreendeu muitas pessoas em todo o mundo, já que a manteiga sempre foi tida como um alimento extremamente nutritivo por milênios. Quando o Dr. Weston Price studou as dietas nativas nos anos de 1930, que concluiu que a manteiga era a base da dieta de grupos de pessoas extremamente saudáveis e fortes. Moradores de vilarejos isolados na Suíssa colocavam um pote de manteiga nos altares de suas igrejas, colocavam ali um pavio que queimav durante todo o ano como um sinal da divindade da manteiga. Grupos árabes também valorizavam enormemente a manteiga, especialmente a manteiga de coloração amarelo profundo, quase laranja, proveniente do leite de vacas que pastavam o capim fresco da primavera e do outono. A tradição americana reconhece que crianças alimentadas com manteiga cresceram sempre mais fortes e robustas, mas aquelas crianças alimentadas com leite desnatado eram sempre pálidas, magras e abatidas.

A manteiga causa doenças? Ao contrário, a manteiga nos proteje de diversas doenças!

Manteiga e Doenças do Coração

Doenças coronárias eram raras na América na virada do século passado. Entre os anos de 1920 e 1960 a incidência de doenças do coração cresceu repentinamente para se tornar a principal causa de morte  entre os americanos.  Durante o mesmo período o consumo de manteiga caiu de cerca de 8kg por pessoa por ano para apenas 4kg de manteiga por pessoa por ano.  Não é necessário ser nenhum especialista em estatística para concluir que a manteiga não é a causa das doenças coronárias.  Na verdade a manteiga contém inúmero nutrientes que nos protegem das doenças docoração. A primeira delas a ser citada é a vintamina A, que é necessária para a saúde das grândulas tiróide e adrenal,ambas importantes para manter um funcionamento adequado do coração e do sistema cardiovascular. Anormalidades no coração e veias mais largas ocorrem em bebês nascidos de mães com deficiência em vitamina A. A manteiga é a melhor e mais facilmente absorvível fonte de vitamina A.

A manteiga contém lecitina, uma substância que confere uma assimilação e metablização adequada do colesterol e outros constiuintes das gorduras.

A manteiga também contém uma série de antioxidantes que protegem contra o tipo de radical livre que prejudica e enfraquece as artérias. A vitamina A e a vitamina E encontradas na manteiga agem fortemente como um antioxidante no organismo.  A manteiga é também uma fonte rica em selênio, um antioxidante vital – contém mais selênio por grama do que o peixe hering ou o gérmem de trigo.

A manteiga é também uma boa fonte de colesterol. O que?? Colesterol e antioxidante?? Sim, claro, o colesterol é um poderoso antioxidante que é lançado no sangue quando somos invadidos por muitos radicais livres perigosos – normalmente de gorduras danificadas e rançosas contidas em margarinas e óleos vegetais super processados.3 Uma análise do Conselho Médico de Pesquisa mostrou que homens que consumiam manteiga regularmente apresentavam metade do risco de desenvolver doenças coronárias em relação àqueles que consumiam margarina. 4

Manteiga e Câncer

Nos anos de 1940 pesquisas indicaram que o crescente consumo de gorduras causava câncer.5 O abandono do uso da manteiga acelerou; a margarina – anteriormente considerada uma “comida fraca”, foi aceita como o melhor a fazer. Mas havia um pequeno problema na forma que esta pesquisa foi apresentada ao público. A imprensa popular negligenciou o fato de que as gorduras “saturadas”usadas nestes testes não eram naturalmente saturadas, mas parcialmente hidrogenadas ou endurecidas – Do tipo mais comumente encontrado em margarinas, mas jamais na manteiga. Os pesquisadores declararam – e eles deviam realmente acreditar nisso – que não havia diferença entre as gorduras da manteiga, saturadas naturalmente , e as gorduras endurecidas artificialmente, como nas margarinas. Então a manteiga ganhou a mesma tarja preta das gorduras artificialmente endurecidas e hidrogenadas, de tal forma que os verdadeiros vilões simplesmente tornaram-se os “mocinhos” nessa história.

Na verdade muito das gorduras saturadas da manteiga contém fortíssimas propriedades anti-câncer. A manteiga é rica em ácidos graxos de cadeia curta e média, que possuem fortes efeitos anti-tumor.6 A manteiga também contém ácido linoleico conjugado, que dá excelente proteção contra o câncer.7

Vitamina A e os antioxidantes na manteiga – vitamina E, selênio e colesterol – protegem contra o câncer tanto quanto contra doenças coronárias.

Manteiga e o Sistema Imunológico

A vitamina A encontrada na manteiga é essencial para um sistema imunológico saudável; os ácidos graxos de cadeia curta e média também têm propriedades que fortalecem o sistema imunológico. Mas gorduras hidrogenadas e o excesso de ácidos graxos de cadeia longa encontrados em óleos poliinsaturados e margarinas ou outros substitutos da manteiga têm todos um efeito deletério no sistema imunológico.8

Manteiga e Artrite

O Fator Wulzen ou fator “anti-rigidez” é um nutriente único da manteiga. O pesquisador holandês Wulzen notou que ele protege contra a calcificação das juntas – artrite degenerativa – assim como do endurecimento das artérias, cataratas e calcificação da glândula pineal.9 Infelizmente esta importantíssima substância é destruída durante a pasteurização. Unfortunately this vital substance is destroyed during pasteurization. Bezerros alimentado de leite pasteurizado ou leite desnatado desenvolveram rigidez nas juntas e não se desenvolveram com sucesso. Os sintomas foram revertidos quando gordura e manteiga feita a partir de leite cru foi adicionada à dieta.

Manteiga e Osteoporose

As vitaminas A e D na manteiga são essenciais para uma absorção adequada do cálcio, consequentemente então é necessária para dentes e ossos fortes. A epidemia de osteoporose em nações ocidentais consumidoras de leite  provavelmente se devem ao fato das pessoas optarem por leites desnatados ao invés de integral, pensando estar optando pelo melhor. A manteiga também possui efeitos anti-cariogênicos, iso é, protege contra as cáries.10

Manteiga e Glândula Tireóide

A manteiga é uma boa fonte de iodo, em uma forma facilmente absorvível. O consumo de manteiga previne o bócio em áreas montanhosas, áreas onde frutos do mar e peixes não estão disponíveis. Em adição, a vitamina A da manteiga é essencial para um funcionamento adequado da tireóide.11

Manteiga e Saúde Gastrointestinal

A gordura da manteiga contém glicoesfingolipídeos, uma categoria especial de ácidos graxos que protege contra infecção gastrointestinal, especialmente em ciranças muito novas e em idosos. Por esta razão, crinaças que bebem leite desnatado têm diarréias numa taxa de 3 a 5 vezes maior do que crianças que bebem leite integral.12 O colesterol na gordura da manteiga promove a saúde das paredes intestinais e protege contra câncer de cólon.13 Os ácidos graxos de cadeia curta e média protegem contra patógenos e possuem poderosos efeitos anti-fúngicos.14 Dessa forma, é fácil concluir que a manteiga tem uma importante funcão no tratamento de candidas.

Manteiga e Ganho de Peso

A noção de que a manteiga leva ao ganho de peso é um triste engano. Os ácidos graxos de cadeia curta e média na manteiga não são armazenados no tecido adiposo, mas sim usados para energia rápida. O tecido gorduroso humano é composto principalmente por ácidos graxos de cadeia longa.15 Ácidos graxos de cadeia longa estão presentes no azeite de oliva e em óleos poliinsaturados, assim como em carboidratos refinados. Justamente porque a manteiga é tão rica em nutientes, ela nos confere uma sensação de saciedade quando consumida.  Será qeu o consumo de margarinas e outros sustitutos da manteiga nos faz sempre com fome e gula simplesmente porque são processadas demais e não nos oferecem os nutrientes de que nosso corpo precisa?

Manteiga para o Crescimento e Desenvolvimento

Muitos fatores na manteiga asseguram um ótimo crescimento das crianças. O principal deles é a presença da vitamina A. Indivíduos privados de uma dose adequada de vitamina A durante a gestação tendem a ter faces e estrutura óssea mais estreitas, mandíbulas pequenas e dentes encavalados.16 Privação extrema de vitamina A resulta em cegueira, problemas estruturais ósseos e outros defeitos de nascença.17 Indivíduos com ótima ingestão de vitamina A desde o momento da concepção possuem rostos redondos e bonitos, estrutura robusta, dentes fortes e bem alinhados e uma estrutura óssea excelente. A vitamina A também possui uma função importante no desenvolvimento das características sexuais. Bezerros alimentados com substitutos de manteiga adoeciam e morriam antes de atingir a maturidade.18

O “Fator X”, descoberto pelo Dr. Weston Price (que agora acredita-se ser a vintamina K2), também é essencial para um ótimo crescimento. Ele só está presente na gordura da manteiga proveniente do leite de vacas que pastam livres.19 O colesterol encontrado na manteiga possui uma importante função no desenvolvimento do cérebro e do sistema nervoso.20 O leite materno é rico em colesterol e contém mais de 50% de suas calorias em forma de gorduras. Dietas baixas em gorduras têm sido relacionadas à dificuldade de engravidar e levar uma gravidez adiante21 – e agora as dietas baixas em gorduras têm sido recomendadas para crianças cada vez mais novas! As crianças precisam dos diversos nutrientes presentes na manteiga e em outras gorduras animais para que tenham um bom desenvolvimento.

O outro lado da margarina…

Já não é segredo para ninguém que a margarina que a população tem usado para passar em suas torradas e as gorduras hidrogenadas que se consome em salgadinhos industrializados, biscoitos e bolachas são os principais culpados pela atual epidemia de câncer e doenças do coração.22 Porém os principais escritores da área de nutrição continuam a denegrir as recomendações para o consumo de manteiga – recomendando novas fraudes em forma de pastas para passar no pão.23 Elas podem não conter gorduras hidrogenadas, mas são compostas de óleos vegetais altamente processados e rançosos, proteína de soja isolada, e um mar de outros aditivos. Um brilhante livro de culinária chamado “Butter Busters” promove produtos à base de substitutos da manteiga, feitos com maltodextrina, um carboidrato derivado do milho, junto com dúzias de outros ingredientes super processados, chamados “low-fat”, ou baixo em gordura, ou “light”.

Quem se beneficia com toda essa propaganda contra a manteiga? A lista é longa e inclui a medicina ortodoxa, hospitais, a indústria farmacêutica e a indústria alimentícia. Mas com certeza o campeão em benefícios são as enormes corporações agrícolas e as empresas que compram delas seu produto – principalmente algodão, milho e soja – as 3 principais produções  agrícolas americanas, que são em geral monoculturas, em fazendas imensas, que requerem uso extensivo de fertilizantes artificiais e pesticidas. Todos os três, soja, algodão e milho – podem ser utilizados para fazer margarina e as outras “manteigas de mentirinha” atuais. Para que esses produtos sejam aceitos pelo grande público, a indústria alimentícia em toda a sua cadeia quer nos fazer acreditar que o que eles vendem é saudável. E nós somos bobos em acreditar neles…

Manteiga e Produção Agro-Pecuária Familiar

Uma nação que consome manteiga por outro lado, é uma nação que apóia a agro-pecuária familiar.A nation that consumes butterfat, on the other hand, is a nation that sustains the family farm. Se os americanos estiverem dispostos a pagar um bom preço pela escelente qualidade d manteiga e do creme de leite fresco, de vacas criadas soltas em pasto – todo dono de fazendas peqeunas ou médias poderia obter benefícios financeiros por criar algumas cabeças de gado Jersey ou Guernsey. Para que pudesse oferecer ao seu gado uma pastagem, ele precisaria naturalmente de um rodízio de plantações, reservando diferentes áreas da sua fazenda para sua vaca pastar, e ao mesmo tempo dando à terra o benefício de um período de descanso – para não mencionar o benefício deste rodízio. Os campos desta forma produzem alimentos de muito mais qualidade em todos os sentidos, cada um na sua época do ano, sem a necessidade de adição de fertilizantes nitrogenados e com o mínimo (ou talvez nenhum) pesticida. Galinhas andando peo terreiro e se alimentando de formigas que se instalam sob as patas das vacas também irão produzir ovos com qualidades nutricionais muito melhores – absolutamente lotados de vitamina A e excelentes ácidos graxos.

Se você acha que tudo isso é importante, que isso pode ajudar a sua saúde e a de seus amigos e familiares, estimule a produção artesanal orgânica, compre manteiga orgânica, creme de leite orgânico, leite integral orgânico, iogurte natural integral orgânico e ovos caipiras. Essa opção trará vantagens a você, à sua família e amigos, aos fazendeiros e ao nosso planeta.

Grupos étnicos que não fazem uso da manteiga, obtém os mesmos nutrientes consumindo insetos, carnes de órgãos, ovas de peixe e a gordura de animais marinhos, alimentos que a maioria de nós acha repulsivo. Para quem não pretende comer formigas, manteiga não só é o melhor, como é essencial!

Se você gostou deste texto, pode se interessar em ler um pouco mais sobre OS MITOS A RESPEITO DO COLESTEROL

Notas

  1. Price, Weston, DDS Nutrition and Physical Degeneration, 1945, Price Pottenger Nutrition Foundation, Inc., La Mesa, California
  2. Representative of American folk traditions about butterfat is this passage from “Neighbor Rosicky”, by American author Willa Cather: [The Rosickys] had been at one accord not to hurry through life, not to be always skimping and saving. They saw their neighbours buy more land and feed more stock than they did, without discontent. Once when the creamery agent came to the Rosickys to persuade them to sell him their cream, he told them how much the Fasslers, their nearest neighbours, had made on their cream last year. “Yes,” said Mary, “and look at them Fassler children! Pale, pinched little things, they look like skimmed milk. I’d rather put some colour into my children’s faces than put money into the bank.”
  3. Cranton, EM, MD and JP Frackelton, MD, Journal of Holistic Medicine, Spring/Summer 1984
  4. Nutrition Week Mar 22, 1991 21:12:2-3
  5. Enig, Mary G, PhD, Nutrition Quarterly, 1993 Vol 17, No 4
  6. Cohen, L A et al, J Natl Cancer Inst 1986 77:43
  7. Belury, MA Nutrition Reviews, April 1995 53:(4) 83-89
  8. Cohen, op cit
  9. American Journal of Physical Medicine, 1941, 133; Physiological Zoology, 1935 8:457
  10. Kabara, J J, The Pharmacological Effects of Lipids, J J Kabara, ed, The American Oil Chemists Society, Champaign, IL 1978 pp 1-14
  11. Jennings, IW Vitamins in Endocrine Metabolism, Charles C. Thomas Publisher, Springfield, Ill, pp 41-57
  12. Koopman, JS, et al American Journal of Public Health 1984 74(12):1371-1373
  13. Addis, Paul, Food and Nutrition News, March/April 1990 62:2:7-10
  14. Prasad, KN, Life Science, 1980, 27:1351-8; Gershon, Herman and Larry Shanks, Symposium on the Pharmacological Effect of Lipids, Jon J Kabara Ed, American Oil Chemists Society, Champaign, Illinois 1978 51-62
  15. Levels of linoleic acid in adipose tissues reflect the amount of linoleic acid in the diet. Valero, et al Annals of Nutritional Metabolism, Nov/Dec 1990 34:6:323-327; Felton, CV et al, Lancet 1994 344:1195-96
  16. Price, op cit
  17. Jennings, op cit
  18. DeCava, Judith Journal of the National Academy of Research Biochemists, September 1988 1053-1059
  19. Price, op cit
  20. Alfin-Slater, R B and L Aftergood, “Lipids”, Modern Nutrition in Health and Disease, Chapter 5, 6th ed, R S Goodhart and M E Shils, eds, Lea and Febiger, Philadelphia 1980, p 131
  21. Smith, MM, MNS RD and F Lifshitz, MD Pediatrics, Mar 1994 93:3:438-443
  22. Enig, op cit
  23. “Diet Roulette”, The New York Times, May 20, 1994.

Sobre as autoras do texto:

Sally FallonSally Fallon é a autora do excelente livro Nourishing Traditions: The Cookbook that Challenges Politically Correct Nutrition and the Diet Dictocrats (com Mary G. Enig, PhD) (ainda sem tradução para o português), um bem pesquisado e provocante guia para os alimentos tradicionais com uma mensagem clara: gorduras animais e colesterol não são vilões, mas sim vitais à nossa dieta, necessários para um crescimento normal, funcionamento adequado do cérebro e sistema nervoso, proteção de doenças e ótimos níveis de energia. Ela juntou forças com Mary Enig novamente para escrever   Eat Fat, Lose Fat (ainda sem tradução para o português), e é autora de inúmeros artigos falando de dieta e saude.  A presidente da Fundação Weston A. Price é também a fundadora da “Campanha por um Leite de Verdade” (A Campaign for Real Milk), Sally é também jrnalista, chef, pesquisadora em nutrição, dona de casa e uma ativista em sua comunidade. Seus 4 filhos, super saudáveis, foram criados numa dieta de alimentos verdadeiros, integrias e não processados, que incluem manteiga, creme de leite, ovos e carne.

Mary G. Enig, PhDMary G. Enig, PhD é uma especialista de renome internacional na área de bioquímica das gorduras.  Ela coordenou inúmeors estudos sobre os efeitos das gorduras trans nos Estados Unidos e em Israel, e alterou com sucesso algumas declarações do governo de que uma dieta contendo gorduras animais cause câncer e doenças coronárias. A recente atenção da comunidade científica e da mídia na possibilidade de efeitos adversos provenientes do consumo de gorduras trans aumentou o inteesse em seu trabalho. Ela é nutricionista, certificada pelo Certification Board for Nutrition Specialists, umatestemunha com conhecimento de base dos fatos, consultora em nutrição para pessoas, inústrias e os governos estaduais e federal dos Estados Unidos. Membro da American College of Nutrition e Presidente da Maryland Nutritionists Association. Ela é a autora de mais de 60 artigos e apresentações técnicas, assim como leituras populares. Dra. Enig está atualmente trabalhando no desenvolvimento de uma terapia auxiliar para AIDS usando ácidos graxos de cadeia média de alimentos integrais. Ela é a vice-presidente da Fundação Weston A. Price e a editora científica do Wise Traditions, assim como autora do livro  Know Your Fats: The Complete Primer for Understanding the Nutrition of Fats, Oils, and Cholesterol, Bethesda Press, May 2000 (ainda sem tradução para o português). Ela é mãe de três filhos saudáveis, criados em uma dieta tradicional à ase de alimentos integrais como manteiga, creme de leite, ovos e carne.


Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 46 comments… read them below or add one }

Alex Carlos March 9, 2009 at 0:21

PIPOCA:
Aproveitando o tópico, que eu adorei demais, descobri uma coisa um tanto perturbadora…
Sou cinéfilo, adoro ir a cinema para assistir filmes bons, e normalmente pelo menos uma vez por semana estou lá com minha esposa.
Mas ir ao cinema já está “embutido” a pipoca e o (arg) refri, que apesar de ter cortado 90% dele na minha vida, me permito tomar um pouco, que eles a cada dia aumentam o tamanho…. mas isso é uma outra história…
Voltando à questão da pipoca, eu sempre quis saber porque a pipoca do cinema é mais gostosa do que a feita em casa… já tentei com óleo, manteiga, etc… mas não fica igual…
Outro dia eu descobri o segredo (pelo menos nos do Severiano Ribeiro): Gordura Vegetal Hidrogenada !!! :O
Quase caí para trás… vi a moça colocando uma boa quantidade retirada de um pote já pronto dela líquida. Essa pipoca já não é mais tão gostosa para mim …
A do Cinemark ainda não descobri… eles tem um sal que uma vez eu vi me pareceu meio amarelado, mas foi muito rápido… essa é deliciosa… alguém sabe se o segredo é como a outra ? Será que é outra decepção ???

Portanto, fiquem de olho ! É gostosa mas é assim que fazem…

Reply

Pat Feldman March 9, 2009 at 6:46

Alex, o segredo é a gordura vegetal “sabor manteiga” e o glutamato monossódico, que deixa tudo irresistível… Aqui em casa eu já testei algumas marcas de manteiga e descobri que a Aviação com sal deixa um gostinho bem bom, principalmente se você colocar um pouco a mais de sal já na panela, na hora de estourar o milho.

Quanto à pipoca no cinema, eu demorei a desistir dela, mas comecei a notar que cada vez mais, a cada filme, saía enjoada da sala… O refrigerante nunca fez parte do programa, eu nunca gostei mesmo, vou de água. Motivo do mal-estar? A pipoca!! Hoje em dia peguei quase nojo do cheiro!! Prefiro passar no mercado antes, comprar um daqueles pães de nozes do Olivier Anquier (que aparentemente não contém aditivos) e um bom queijo cortado em cubinhos. Até a água eu compro no mercado, porque a mesma água vendida na porta do cinema parece ser feita de ouro, é o triplo do preço!!!

Reply

Liana March 9, 2009 at 7:13

Obrigada pelo artigo Pat! Eu já tinha abandonado a margarina e abraçado a manteiga a algum tempo, porém mais por intuição…Pro meu filho só dou manteiga, se bem que tento regular pois ele tende a usar nacos que mais parecem fatias de queijo! Moderação pra mim ainda é a chave para tantos alimentos tidos como vilão (manteiga, sal, ovos, ….)
Em tempo, você já disponibilizou algum artigo sobre o glutamato monossódico? Teria muito interesse em ler…

Reply

Pat Feldman March 9, 2009 at 7:43

Liana, no site Enxaqueca, do meu marido, existe um bom artigo sobre o glutamato: http://www.enxaqueca.com.br/enxaqueca/enx_glutamato.htm

No meu livro, A DOR DE CABEÇA MORRE PELA BOCA, dedicamos um bom espaço para explicar os malefícios deste ingrediente.

Reply

Liana March 9, 2009 at 8:05

Oi Pat . Eu sou outra Liana. Aqui em casa, devido aos seus artigos, substituí a margarina por manteiga. Só relembrando que devemos ter cuidado com excessos. Minha família tem tendência a problemas de vesícula. Teve uma época que minha mãe quando mais nova, comia nacos de manteiga e acabou com uma crise de vesícula séria e acabou tendo que tirá-la. Tudo é o equilíbrio

Reply

Carla Falcão March 9, 2009 at 11:01

Ei Pat!Por acaso vc tem alguma receita de manteiga caseira???

Reply

Pat Feldman March 9, 2009 at 12:35

Carla, é só bater um bom creme de leite fresco – com ou sem sal – até atingir o ponto de manteiga. Simples assim! Se você quiser uma manteiga “turbinada” de probióticos, pode acrescentar uma colherinha de chá de iogurte a 500mL de creme de leite. Não altera em nada o sabor!

Reply

Diva Moraes Falcão March 9, 2009 at 11:33

Fantástico este texto sôbre os benefícios alimentícios da manteiga. Nunca gostei de margarinas. Uso manteiga nos bolos e tortas que faço, e a manteiga se faz sempre presente no meu “café da manhã”. Continuo afirmando que este site “Crianças na Cozinha”, é de interesse público. Grata. Diva falcão.

Reply

Silvana March 9, 2009 at 22:18

Pat, amei o artigo sobre manteiga, já a algum tempo não deixo faltar manteiga em casa, mas ainda estava trazendo também margarina…(nunca mais trarei)..rsrs…Tenho uma dúvida…desculpe minha ignorância, mas o creme de leite que vc cita para fazer a manteiga é esse que se compra no mercado que vem latinhas e caixinhas?

Reply

Pat Feldman March 10, 2009 at 7:06

De jeito nenhum, Silvana!!! O creme de leite a que me refiro é o fresco, que vem em garrafinhas e fica numa das prateleiras refrigeradas do supermercado. Há algum tempo ele era “menos fácil” de achar, mas hoje em dia quase todos os supermercados oferecem – é esse tipo de creme de leite inclusive que serve para a minha receita de chantilly (http://pat.feldman.com.br/?p=1958).

Aqui em casa eu tenho conseguido comprar a melhor de todas as opções: creme de leite orgânico, fresquíssimo. Todos os sábados na feira do Parque Água Branca, aqui em São Paulo.

Reply

Silvana March 10, 2009 at 11:37

Muio obrigada Pat. Nossa que desinformada eu…rsrs…! Será que consigo encontrá-lo aqui em Miami e com que nome? Você por acaso saberia me informar? De qualquer maneira, irei vasculhar as prateleiras refrigeradas na próxima ida ao Super. Valeu msm!!!

Reply

Pat Feldman March 10, 2009 at 11:55

Silvana, procure como “heavy cream” ou “double cream” – se você for ao Whole Foods Market há uma boa chance de encontrar orgânico.

Reply

Silvana March 10, 2009 at 12:02

Pat, muito obrigada mesmo!!! Vou procurar!

Reply

MARY March 10, 2009 at 15:54

Até q enfim, encontro o q procuro sobre a margarina. Vou recomendar este site a toda minha caixa.

Reply

Milene March 11, 2009 at 9:32

Acabei de conhecer o site, pois estava procurando imformações sobre colesterol alto em crianças. Gostei bastante e já me cadastrei. Bem interessante a comparação manteiga e margarina. Ainda estava receosa de consumir manteiga em casa, e alternava ambas. Hoje estou convencida de termos apenas manteiga. Mas minha filha de 5 anos está com o LDL em níveis limítrofes (ano passado estava elevado e conseguimos reduzi-lo) e adora pão com manteiga! Mesmo assim, manteiga para ela??

Reply

Pat Feldman March 11, 2009 at 12:20

Manteiga sim, com certeza, mas de preferência cortar o pão!! Já leu o artigo sobre colesterol?? É este aqui: http://pat.feldman.com.br/?p=41

Reply

Milene March 12, 2009 at 17:35

Já li, claro, toda a matéria. E me lembrou muito algumas colocações do livro que estou lendo. Você deve conhecer: “Em defesa da Comida”, de Michael Pollan. Ele fala bastante sobre a indústria alimentícia e de alimentos de verdade. Para minha filha, não cortei todo o pão porque ela ama, mas aos poucos estou conseguindo trocar o pão branco pelo integral. E já vi sua receita de pão de hamburguer caseiro. Vou tentar!

Reply

Pat Feldman March 13, 2009 at 0:19

Eu conheço, mas ainda não li o livro do Michel Pollan, mas já sei de cara que temos a mesma idéia em diversos assuntos. Discordamos em outros, mas de maneira geral aprecio muito o trabalho dele!

Reply

Fausto March 13, 2009 at 14:00

O texto é ótimo. O problema é que hoje em dia você não encontra mais manteiga pra vender. Eu me lembro ainda na época que existia a propaganda da famosa manteiga Claybom, e hoje até essa virou margarina. Quando eu era criança ainda se comia manteiga, depois houve uma espécie de transição de uma pra outra, e depois a margarina reinou. As manteigas que você encontra no supermercado são ruins, se ficam na geladeira por muito tempo endurecem, te obrigando a mantê-las fora dela. Acontece que pra não estragar elas têm que estar na geladeira, então fica algo meio sem sentido.

Agora, eu não sabia que supermercados vendiam creme de leite fresco. Mas mesmo assim, eu não acredito que o leite do qual são feitos seja direto da vaca. Até porque é contra lei, apesar de ser mais benéfico.

Reply

Pat Feldman March 13, 2009 at 14:29

Pois é, Fausto… Você pegou o espírito da coisa: os supermercados vendem creme de leite fresco, mas de uma vaca “mecânica”, criada de um jeito que eu nem gosto de pensar. As manteigas são feitas deste mesmo leite, que infelizmente não emos como controlar a procedência. A alimentação saudável de verdade é cheia de sutilezas e exige certa dedicação e perseverança.

Aqui em São Paulo, na feira de orgânicos, ainda se encontra manteiga e creme de leite de verdade. Aqui em São Paulo também encontro a manteiga Aviação, que segundo o rótulo é composta só de creme de leite batido e sal, ao contrário de muitas outras marcas, que têm um pouco de manteiga e muito de um monte de porcarias “aromatizadas” com manteiga.

Mesmo as tais manteigas de supermercado ainda me parecem melhores do que esses óleos totalmente refinados e oxidados…

Reply

Cris July 19, 2009 at 16:50

Olá Pat, adorei o post…aliás adorei o site todo! Gostaria de saber de qual produto você adquire a manteiga lá na feira, pois percebi que há vários comercializando. Se quiser responda no meu e-mail por favor! Super obrigada!

Reply

Pat Feldman July 19, 2009 at 20:13

Cris, eu pego a manteiga no sítio Bahia ou no Sítio São José.

Reply

Flávia Gontijo November 10, 2009 at 0:01

Pat,
como sempre excelente matéria!!!
Você sabe dizer sobre a conservação da manteiga? Ela precisa ficar na geladeira? Eu sempre deixe uma parte na geladeira e outra fora. Recentemente fiquei sabendo de uma matéria relacionando ambiente propício à proliferação de bactérias nocivas e a falta de conservação em geladeira.
Gostaria de saber se é verdade ou nada a se preocupar.

Beijos

Flá Gontijo

Reply

Isabel Resende June 14, 2010 at 18:19

Olá Pat, adquiri uma manteiga com os seguintes ingredientes: creme de leite pasteurizado, sal e fermento lácteo. O que você acha?

Ah, qual a sua opinião sobre o PÓLEN APÍCOLA (reportagem globo repórter)?

Obrigada

Reply

Pat Feldman June 14, 2010 at 18:30

Isabel, bom mesmo se fosse creme de leite cru, mas infelizmente é ilegal no Brasil… Fora isso, me parece ok!

Reply

Sillmelo Akita October 1, 2010 at 16:05

Pat, mais uma vez muito obrigada por toda informaçao, Li tudo o que vc recomendou e fiquei boba de como sou desinformada. Queria saber dessas informaços a mais tempo. Minha saude estaria bem melhor hoje em dia.

Reply

Fernando Albuquerque August 20, 2011 at 19:30

Pat, eu costumo comprar a manteiga de minha casa nos Supermercados. O que você me recomenda observar no rótulo dessas manteigas (os ingredientes prejudiciais e comuns desses produtos e que devem ser evitados) de forma que eu consiga, dentro do possível, fazer uma escolha saudável?
Obrigado, fique com Deus!

Reply

Pat Feldman August 21, 2011 at 6:29

fernando, manteiga deveria ser somente creme de leite batido, no máximo sal, porque deixa mais gostosa, e pelo que vi a maioria das marcas do mercado sao assim – eu gosto do sabor da aviaçao, e é essa que compro quando preciso. o ideal nesse caso é, além de saber o que a compoe, saber a forma que a vaquinha foi criada, mas aí já estamos pedindo demais para uma manteiga comercial, né… compre a que tenha apenas creme de leite e sal que já estará fazendo o melhor.

Reply

Adriana Bandeira November 5, 2011 at 18:42

Olá Pat, aqui em casa também adoramos manteiga (só usamos manteiga e óleo de coco para cozinhar), principalmente porque, às vezes, tenho a sorte de receber uma fresquinha feita pela minha mãe lá na fazenda do interior. Mas gostaria mesmo era compartilhar com você uma receita de “manteiga azeda” tipicamente francesa feita a partir de creme de leite fresco e iogurte. Eu confesso que conheço essa manteiga e, apesar de já ter conseguido fazer o creme de leite fresco aqui em casa a partir da simples nata do leite cru, não faço ideia de como chegar a essa tal “manteiga azeda”, que acredito ser especialmente saborosa e benéfica. Achei legal compartilhar essa “novidade” com você, já que ainda não a vi falar sobre isso por aqui. Vou começar minhas experiências aqui em casa, mas como minha tradução via “google” não ficou muito inteligível, então… se você pouder ajudar e postar algo sobre isso… meu obrigadãoooo.
Acessei essa informação através do site “http://pratofundo.com/986/sobrou-creme-de-leite-fresco-faca-manteiga-caseira/”
Mas nos comentários alguém indicou outro endereço que ensina a fazer a tal “manteiga azeda”, dá uma olhadinha:
http://www.travelerslunchbox.com/journal/2007/6/21/getting-some-culture.html
Aguardo seu comentário.
Ah!! parabéns pelo curso em Brasília. Espero em breve convidá-la para estar na minha cidade, São Luís Maranhão. Bjs.

Reply

Pat Feldman November 6, 2011 at 17:26

Adriana, tentei fazer manteiga em casa uma única vez, mas como tenho um excelente fornecedor de manteiga super artesanal, deu preguiça de levar o “projeto manteiga” adiante – dá trabalho, né… Um dos meus fornecedores faz manteiga com cultura de lactobacilos, e isso se sente claramente no gosto, principalmente quando se aquece essa manteiga. Tem um site norte americano do qual gosto muito, onde eles explicam todo o processo: http://www.nourishingdays.com/2011/10/making-a-big-batch-of-cultured-butter/

Ah, e quando quiser, juntamos um grupo e eu vou fazer aula aí em São Luis, com certeza! Sou louca pra conhecer essa parte do Brasil!

Reply

Erika Alves November 20, 2011 at 19:25

Boa noite Pat!
Terminei de ler o livro Enxaqueca só tem quem quer, e fiquei com uma duvida em relação a manteiga, na composição da manteiga aviação esta escrito: Creme de leite, Cloreto de sódio (sal) e Corante natural de urucum INS 160 b.
E minha duvida é o corante de urucun é bom, ruim, neutro?
Adoro seu site, afinal conheci o livro por ele^^ e sempre que da fico por aqui!
bjus

Reply

Pat Feldman November 20, 2011 at 20:31

Urucom de verdade é do bem, mas agora vou verificar direitinho esse tal INS160 pra ver do que se trata… Me cobra a resposta!

Reply

Erika Alves November 23, 2011 at 21:07

Opa obrigada por responder tão rápido \o/, teve outras que vi só o urucun sem esse numero, mas como tava cabreira, resolvi ficar com uma que nem o urucun tinha (da marca qualita do extra), gostei muito, mesmo vivendo a vida toda a base de margarina :P agora é ir experimentando e descobrir a que mais gosto!
mil bjusssssssssssss

Reply

Rodrigo March 20, 2013 at 13:36

oi pat,

imagino que vc use manteiga clarificada. vc faz vc mesma ou compra de algum lugar? poderia indicar? abraços

Reply

Pat Feldman March 20, 2013 at 14:29

Rodrigo, uso manteiga orgânica, mas não clarificada. Posso confessar?? Tenho preguiça de fazer…. Kkkkkkk

Reply

Ana September 25, 2013 at 18:45

Pat, posso usar a manteiga normal para cozinhar? Onde moro não acho nem tomate orgânico direito…. imagina uma lindeza dessas de manteiga…. qual é a melhor? aquelas em barra ou as amolecidas em pote/alumínio?

Reply

Pat Feldman September 25, 2013 at 19:29

Pode usar Ana. Normalmente as manteigas sem sal têm sabor mais suave.

Reply

Ana September 25, 2013 at 19:44

obrigada pela resposta!

Reply

Maria February 1, 2014 at 21:32

Pat, aqui em Portugal nos rótulos da manteiga, todos dizem que é pasteurizada..a minha questão é a seguinte, uma vez que durante a pasteurização se perdem propriedades benéficas na manteiga, ainda assim ela é mais saudavel que a margarina?
A manteiga sendo pasteurizada faz mal ao coração e ao aparelho cardiovascular?

Obrigada,
Maria

Reply

Pat Feldman February 3, 2014 at 18:21

Mesmo pasteurizada, a manteiga é infinitamente melhor que a margarina.

Reply

Janete March 19, 2014 at 17:24

Pat, por favor, me ajuda. Eu acabei de ganhar um pote de nata fresca e não sei como utilizá-la. Queria fazer manteiga, mas não sei se a nata está crua ou se é proveniente de leite fervido. Posso ferver a nata para eliminar alguma impureza? Muito obrigada.

Reply

Pat Feldman March 20, 2014 at 5:30

Janele, não precisa ferver a nata não!! Lá no sul do Brasil o pessoal come a nata assim purinha no pão de milho, com mel por cima. Só de lembrar, minha boca se enche de água!! Fora isso, você pode usá-la normalmente em lugar do creme de leite fresco.

Reply

Janete March 19, 2014 at 17:53

PAT, eu usei durante muitos anos a margarina Becel por recomendação médica.
O que você acha dela?

Reply

Pat Feldman March 19, 2014 at 18:42

Detesto, e é pior que todas, porque além de tudo é caríssima!

Reply

Natália June 18, 2014 at 23:16

Oi Pat, vou comprar a manteiga e comprei a banha de porco no Fricco. Como devo utilizar? Vou marcar uma aula, mas só pra ter uma idéia. Gostaria de saber aonde encontro óleo de coco por um preço acessível. Encontrei no korin muito caro! Obrigada!

Reply

Pat Feldman June 19, 2014 at 8:14

Só usar no lugar de qualquer óleo ou gordura.

Reply

Leave a Comment

* IMPORTANTE: LEIA ANTES DE CLICAR EM "ENVIAR" * Ao enviar seu comentário, você fornece à Pat Feldman e ao Site CriancasNaCozinha.com.br 100% dos direitos autorais do seu texto, e fornece também uma licença PERPÉTUA (para toda a vida) e IRRETRATÁVEL (sem a possibilidade de voltar atrás) para a reprodução de suas palavras associadas ao seu nome, seja neste site, seja em outro site, seja em algum livro que venha a ser publicado, ou em qualquer mídia atual ou futura.

{ 20 trackbacks }

Previous post:

Next post: