Alimentação e amamentação

by Pat Feldman on 03/10/2010 · 23 comments

in Alimentação, Amamentação, ARTIGOS

Eu já escrevi AQUI algumas dicas para uma alimentação saudável para a mamãe que está amamentando. Estou voltando a este assunto porque outro dia desses eu afirmei uma coisa que causou bastante polêmica e confusão. Escrevi que não acreditava que o leite de uma mãe que se alimentava mal pudesse ser tão bom quanto o leite de uma mãe que se alimenta corretamente.

Pronto! Dei a largada para as piores ofensas virtuais!!!!! Fiquei de orelha vermelha, porque o pessoal não perdoou!! Mas em meio a essa tempestade toda, muita gente legal comentou, palpitou e fez a interpretação correta do que eu pretendia dizer.

Algumas mamães, leitoras vorazes no assunto como eu sou quando se trata de alimentação, me contaram que a composição do leite materno propriamente dito não se altera, mesmo que a mãe esteja próxima da desnutrição. Bem, elas estudaram mais do que eu, além do mais sei que a natureza é sábia e literalmente tira leite de pedra quando necessário.

Eu continuo mantendo a minha afirmação polêmica: mães que se alimentam mal fornecem aos seus bebês um leite e qualidade inferior. Mas vejam bem, eu falei fornecem, e não produzem. Segundo as estudiosas conhecidas (e essas sim foram educadíssimas) a composição do leite não varia. O problema é o que contamina esse leite – tudo aquilo que comemos passa para o leite, não é?

Quando estamos amamentando sabemos que tomar remédio tem que ser uma coisa muito bem pensada e controlada por um médico, sabemos que feijão, chocolates ou doces que a mãe come podem causar cólica no bebê, vinho e café são praticamente proibidos, bebês que possuem algum tipo de alergia ou intolerância ao leite de vaca exigem que suas mães não consumam tais alimentos durante a amamentação, etc.

Por que seriam necessários esses cuidados todos, se o leite fornecido não se altera?

O leite continua nutritivo, como eu falei acima, a natureza é sábia e busca nos “confins” do nosso organismo todo o nutriente necessário para alimentar o bebê. Mas mesmo um alimento nutritivo pode sofrer contaminações indesejadas e com isso acabar fazendo mal, algumas vezes mais mal do que bem.

Será que agora a minha afirmação polêmica ficou mais fácil de entender e menos polêmica?

Essa semana a Universidade da Georgia publicou no European Journal of Clinical Nutrition um estudo mostrando que bebês amamentados por mães que consomem mais de 4,5g de gorduras trans por dia apresentam um risco dobrado de possuir taxas elevadas de gordura corporal em excesso. Esse foi apenas um estudo, pequeno na minha opinão, mas que demonstra o quanto é importante que as mães que amamentam devem ser cuidadosas com aquilo que comem. Se não fizerem pensando em si, que ao menos pensem na saúde de seus bebês.

Aí na mesma discussão, de forma bem menos educada que algumas, uma moça disse que falando assim eu estaria desestimulando as mães a amamentar. Pois a minha intenção era exatamente o contrário!!! Falando tudo isso eu não pretendo desestimular ninguém a amamentar, até porque isso seria um tremendo contrassenso da minha parte, logo eu, que sou tão a favor de tudo o mais natural possível! Falando isso eu pretendo sim ajudar a concientizar as mães de que amamentar, além de um ato de muito amor, é um ato de extrema responsabilidade: você está alimentando uma outra vida, uma vidinha que está apenas começando e que só precisa do bom e do melhor para crescer forte, bonito e inteligente.

E ainda para quem falou que uma afirmação como a que eu fiz desestimula a amamentação eu digo: quem está decidida a não amamentar, seja pela razão que for, não irá fazê-lo, não importam os argumentos à sua volta. Ela sempre vai arrumar uma deculpa para não amamentar. Pode ser a minha afirmação, pode ser a artista de TV que fala que o peito cai, ou o marido que não entende ou a tia que dá palpite,  latido do cachorro ou qualquer outra desculpa muito esfarrapada.

Eu jamais diria que uma mãe não deva amamentar, mesmo que ela só coma sanduíche com refrigerante dia e noite. Mesmo comendo muito mal, O PIOR LEITE MATERNO É MIL VEZES MELHOR DO QUE QUALQUER FÓRMULA ARTIFICIAL.

Aí o paralelo que eu fiz: caldo de carne caseiro é um alimento extremamente saudável. Um caldo de carne caseiro contaminado com veneno entretanto, mesmo ainda sendo um caldo de carne caseiro muito nutritivo, vai fazer mal e pode até matar! (eu não conheço nada que a mãe coma e torne seu leite letal – foi só um paralelo radical para me fazer entender!)

Troque doces por frutas, bolachas industrializadas por bolachas e biscoitinhos caseiros, ovos de granja por ovos caipiras, leite de caixinha por iogurte natural integral, margarina por manteiga, embutidos por carne fresca e coma muitas verduras. Sua saúde e a saúde do seu bebê agradecem!

Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 17 comments }

Mariana October 3, 2010 at 11:35

É isso mesmo, uma mãe desnutrida continua oferecendo um leite nutritivo ao bebê, mas isso não significa que mães nutridas não estejam oferecendo porcarias no leite devido ao consumo de certos produtos. Já na gravidez, é necessário tomar cuidado com o que come e na verdade seria importante tomar essa providência antes mesmo de engravidar. A amamentação é apenas uma nova etapa de uma dieta consciente que promova a saúde da mãe e do bebê. É sabido que agrotóxicos, por exemplo, vão direto pro leite humano. Tudo depende do peso molecular pra que passe para o leite e consequentemente acometa um bebê recém-nascido. Infelizmente, hoje em dia, o leite materno não é tão seguro, a não ser que a mãe tenha a chance e o bom-senso de mudar sua alimentação.

maria October 3, 2010 at 13:19

concordo com algumas coisas, até acho, e olha que não sou nenhuma entendida, só entendo que para mim amamentar é super natural daí ter amamementado durante 6 anos, 3 com a minha 1ªfilha e mais 3 com a segunda, só parei qd elas não quiseram mais, e aos 3 anos entraram na escolinha daí achar que sentiram que quebrar essa ligação. Agora aquilo que eu acho é que produzir leite requer muito do organismo da mulher, se ela se alimentar mal está prejudicar-se e muito pois para produzir leite se por ex estiver a consumir pouco calcio este vai ser retirado aos ossos e dentes da mulher,daí muitas vezes amamentar enfraquecer dentes, cabelo, unhas etc. Outra situação é o facto de amulher estar exposta a produtos que façam mal, existem estudos, por ex, de mulheres que vivem em cidades o seu leite tem mais concentração de chumbo, mto prejudicial, devido em parte aos escapes dos veiculos motorizados.

Boa informação a sua, mesmo que haja polémica há que saber respeitar outras opiniões.

Mariana Hart October 3, 2010 at 13:59

O pior é essas mães acharem que se trata de simples opinião pessoal, sem se ligar que se trata de pesquisas seríssimas e centros de estudos internacionais! Deve ser uma defesa psicológica para elas se sentirem melhor em relacão a sua péssima alimentação,não é possível! Te apoio 100%!!!!

Pérola October 3, 2010 at 16:26

Excelente! Concordo!
Beijos!

Gmamy October 4, 2010 at 4:36

Parabéns Pat!!! E obrigada por sua dedicação, devoção ao tema tão rico e nutritivo às nossas vidas e doação de sua sabedoria, fruto de horas de estudo e prática, à nós leitoras internautas que nos ‘aproveitamos’ de graça e com algum tipo de admiração… por seu LINDO trabalho!

Cecilia October 4, 2010 at 7:15

Eu concordo em gênero, número e grau. Quando eu tive minha filha, aos 17 anos, eu tive muito leite, tanto que ela não conseguia mamar tudo. Eu já sabia, por exemplo, que se eu comesse banana e pouco tempo depois amamentasse minha filha, ela sentiria o gosto da fruta. E eu já me preocupava com isso desde a barriga, exatamente para evitar cólicas e, principalmente, para que ela tivesse uma saúde de ferro. Tanto que hoje ela é forte, grande e muito inteligente. Se eu como mãe não tivesse me preocupado com a minha alimentação, com certeza algo seria diferente hoje. É que na maioria das vezes as pessoas não pensam que um pequeno gesto hoje pode fazer uma diferença enorme no futuro, mais ainda dos nossos pimpolhos.

Fabiana October 4, 2010 at 12:54

Olá, Pat! Tenho acompanhado seu site há algum tempo e confesso que também fiquei com um pé atrás quando você disse num artigo anterior que existe leite materno de péssima qualidade… Também acredito que isso poderia desestimular algumas mães, ou ao menos ajudar aquelas que já não queriam amamentar a arrumar mais uma desculpa…
De todo modo, agora entendi o que você quis dizer.
Um dos maiores especialistas em amamentação do mundo, o Dr Carlos González (pra quem não conhece, vale a pena: o cara é ótimo!), no livro “Un Regalo para toda la vida”, dá uma verdadeira aula sobre tudo o que se precisa saber sobre a amamentação, e inclusive fala sobre isso: a mãe deve comer de forma saudável porque quer, porque é recomendável que todo mundo coma de forma saudável; mas se ela não quiser, não deve deixar de amamentar por causa disso, de forma nenhuma!
Pat, adoro seu trabalho, parabéns! Abraços!

Igor Leal October 4, 2010 at 13:59

Pat,

Lá vai um pai se enfiar num assunto tão feminino… Mas não pude me conter quando você escreveu dizendo que alguns leitores tiveram más reações com seu post anterior…

Não sou da área, mas posso afirmar com a experiência que tivemos com nossa filha Beatriz: ela teve/tem dificuldades com derivados de leite de vaca. Mesmo tendo sido prematura e ter ficado 22 dias na UTI, minha esposa foi guerreira, ordenhava todos os dias e ainda conseguiu amamentá-la até seus 10 meses! E isso ajudou muito durante os primeiros meses com esse problema…

Mesmo com uma alimentação bem correta, Beatriz teve dificuldade de digerir a proteína do leite, o que foi associado à reação da vacina contra o rotavírus. Quando apareceram as dificuldades com gases, cólicas, dores abdominais e inclusive sangue nas fezes, tudo simplesmente desapareceu depois que minha esposa parou de consumir todo e qualquer derivado de leite de vaca. E agora estão te questionando da relação entre a alimentação da mãe e o leite materno???

Abraços e MUITOS parabéns pelo trabalho! Seu blog é fonte de inspiração para melhorar ainda mais nossa alimentação e, principalmente, a dos nossos pequenos!

cristina zaago April 5, 2016 at 11:35

Muito legal um pai participar tão ativamente da vida um filho(a)… O meu marido também se preocupa muito com a minha alimentação, na gestação ele fiscalizava até se eu tinha comido as frutas, mas sempre com muito jeito pra falar… Parabéns a esses homens modernos…

Marisa October 5, 2010 at 11:10

Parabéns Pat, é isso mesmo, eu tinha entendido desde o primeiro artigo, e devemos lhe agradecer, por estar dando tantas informações com esse seu blog. É uma fonte muito forte de informações inesgotaveis, pois sempre está trazendo novidades, informações, para nós mamães e para nossos filhos, já aprendi muita coisa lendo sempre suas informações.
Obrigada por tudo!!!

Andréia Mortensen October 6, 2010 at 14:27

Pat,
Me permite corrigir um trecho? Aqui você disse-

“Segundo as estudiosas conhecidas (e essas sim foram educadíssimas) a composição do leite não varia.”

Essa afirmação é incorreta, a composição varia e muito! Varia inclusive de mamada para mamada, o leite materno é um perfeito mutante.
Aqui nesse topico do orkut com um texto do Dr. Gonzalez (Amamentação a la carte)tem boas explicações sobre isso-
http://www.orkut.com/Main#CommMsgs?cmm=52101&tid=2596768232534701381&kw=carte

Então concordo totalmente com a sugestão da leitura de seu livro se você quiser se aprofundar no assunto.

Agora, casos de bebês alérgicos a proteína do leite de vaca são casos a parte que merecem destaque toda vez que se fala em alimentação materno e composição do leite materno. Bebês alérgicos não podem ingerir nenhum LV e derivados e nem traços que passam via LM. Apesar da melhor solução é a mãe fazer uma dieta cuidadosa e amamentar, muita gente (incluíndo profissionais da saúde, infelizmente), recomendam o desmame e alimentação com leites artificiais industrializados caríssimos.

Stephanita April 24, 2011 at 23:23

Oi Pat,Boa Noite!
Por favor me tire uma duvida, porque algumas maes na fase da amamentacao se privam durante 3 meses de qualquer produto que contenha lactose? Uma vez queum bom leite de vaca (digo sem contaminacao) é fonte de proteinas,que o bebe precisa.

Obrigada pela atencao :)
Uma boa semana

Pat Feldman April 25, 2011 at 10:51

Stephanita, o problema é que o leite hoje em dia, ultra processado, é tão alterado, que pode causar alergias e cólicas na mãe e no bebê…

Adna Souza November 26, 2011 at 19:48

Como conseguir visualizar o texto do link: http://pat.feldman.com.br/2007/01/24/a-mamadeira-bombada-do-arthur/?

Está pedindo um senha.

Obrigada.

Adna

Pat Feldman November 26, 2011 at 21:38

Tenta o link novamente!

Adna Souza November 27, 2011 at 11:42

Obrigada!! Consegui visualizar o link!

Ana Paula Schutz June 25, 2016 at 16:32

Eu estou com uma vontade absurda de comer cachorro quente e meu bebê têm apenas 20 dias de vida eu entendo que a natureza busca recurso de onde for necessário para o organismo do meu bebê , mais concordo com você que se eu me alimentar de algo tão industrializado e cheio de gordura trans vai de alguma forma contaminar meu leite e meu bebê que têm 20 dias de vida não chora , come e dorme porque até aqui eu procuro me alimentar da melhor forma possível por ele … Se eu comer de forma desordenada sem pensar nos malefícios e pensar na minha vontade meu bebê vai sofrer com cólicas eu consequentemente também!

Comments on this entry are closed.

{ 6 trackbacks }

Previous post:

Next post: