Amamentação – Nem sempre é como sonhamos…

by Pat Feldman on 20/08/2010 · 84 comments

in Amamentação, ARTIGOS

Faz quase um mês que o meu bebê nasceu, estamos bem adaptados à nova rotina e curtindo muito a novidade. Ele é um anjinho, que já dorme muito bem, chora só quando está incomodado com fraldas sujas ou fome e mama bem, muito bem, mas não no peito…

Hoje é dia 20 de agosto e eu finalmente sentei para escrever sobre como andam as coisas com a amamentação. A amamentação na verdade não anda, novamente eu não estou amamentando… Estou bem triste com isso, não posso negar. Mas não estou triste a ponto de me deixar derrubar. Não posso me dar esse luxo: tenho marido, filho mais velho e bebezinho para cuidar, tenho uma vida para viver e ficar derrubada, deprimida, infelizmente não resolve problema algum.

Eu sempre falei que no meu primeiro filho eu não amamentei porque não tive leite. Nunca acreditava muito quando ouvia mulheres falando que não tinham leite, e confesso que cheguei a duvidar até de mim – nunca tinha tido a experiência da amamentação e até bem puco tempo me perguntava se será que não tinha realmente tido leite ou será que eu simplesmente não tinha insistido o sufiente, se tinha feito algo de errado ou se simplesmente não soube sentir.

Agora, depois da segunda experiência, eu posso afirmar sem medo que na minha primeira vez, com meu primeiro filho, eu realmente não tinha leite nenhum, não importa o que queiram argumentar. Dessa vez eu senti tudo o que se tem direito: seios cheios e doloridos, pequenos jatinhos saindo pelos mamilos, muita sede, cólicas, etc… Gente, é uma loucura de sensações!!!

E aí vem uma dessas ironias da vida… Meu primeiro filho eu não amamentei porque não tinha leite. O segundo filho, prestes a completar um mês de vida, eu não estou amamentando exatamente pelo motivo oposto: leite demais… E antes que vocês me julguem mal, vou explicar tudo desde o começo.

Eu relutei em escrever simplesmente porque estava triste demais. Eu falo tanto em alimentação saudável e natural, procuro sempre frisar a enorme importância da amamentação, e logo eu não vou amamentar meus dois filhos??? Poxa, qie espécie de exemplo eu sou afinal? Amigas próximas me deram uma super força, e até me falaram que não devo nada a ninguém. Não devo nada mesmo, não preciso provar nada a ninguém mesmo, mas me sinto na obrigação de falar sobre o assunto aqui, expor o lado acima da minha vontade, e acima da vontade de muitas mulheres que como eu também não conseguiram genuinamente amamentar.

Como eu contei no artigo “Não se sinta culpada”, há muitos anos atrás, logo que completei 18 anos, passei por uma mamoplastia redutora. A cirurgia por si só não impede a amamentação, se bem que na maioria dos casos de que tenho notícia, pode dificultar um pouco. O que eu não contei é que a minha recuperação da cirurgia não foi das melhores…

Não foi nenhum susto grane ou risco iminente, mas foi bem desagraável. No meu seio esquerdo, sem razão aparente, vários pontos infeccionaram. O plástico que me operou foi atensioso, fez o que podia, mas mesmo assim os pontos infeccionaram bastante, o que resultou num mamilo totalmente necrosado (acho que é esse o termo para aquela pele meio plástica, de cicatriz). Esteticamente não ficou nada demais. Não ficou bonito, mas não é nada assustador, nem nada que me deixasse traumatizada, mas ficou claro na hora que aquele seio dificilmente me permitiria amamentar algum dia. Não tinha mamilo, não tinha bico, não tinha furo, não tinha nem pele…

Como contei anteriormente, na primeira gravidez não tive leite. Me preparei toda naquela ocasião: sutiãs especiais, pomada, nada de mamadeiras em casa e alguma leitura sobre o assunto. Talvez eu não tenha dado a devida importância. Não por achar que amamentar não é importante (porque é, e muito), mas por achar que amamentar era algo simples e natural, tipo colocar a boca da criança no seio e pronto: sai mamando. Em novelas, filmes e revistas de fofoca amamentar é sempre fácil, mágico e lindo. Ninguém te conta que dá cólicas, que o seio racha e mesmo quando não racha fica super dolorido, que o bebê pode pegar errado, que o bebê pode não saber/querer pegar e mil outras coisas. Contar tudo isso não devia nos desanimar, mas com certeza seria útil para que nos preparássemos melhor para essa etapa tão importante da vida dos nossos bebês.

Pois bem, na primeira vez eu coloquei meu filho para mamar e ele não mamoou. Não mamou e não chorou. Quase morreu de fome.

Dessa vez o bebê foi para o seio. Eu incomodei as enfermeiras da maternidade até dizer chega. Fiquei internada (desnecessariamente) por 2 noites extras, só para me aproveitar do excelente aconselhamento das enfeirmeiras da ProMatre. Elas me ajudaram muitíssimo, íam no meu quarto sempre que eu chamava, me ajudaram muito memso, porque dessa vez eu já estava prevenida de que amamentar não é tão simples assim. Deu certo. O bebê demorou um pouco, eu m atrapalhei, mas ele finalmente pegou certo e como nunca, comecei a sentir o seio cheio, quente, pulsando. Uma sensação indescritível!!!!!! Não uma sensação das mais agradáveis fisicamente, mas um sentimento de amor incondicional, cuidado absoluto, inexplicável. Tem o desagradável: a cada mamada, cólicas bem fortes, a sugada dolorida do bebê e uma “quase cãimbra” debaixo dos braços.

Por conta da necrose no seio esquerdo, só o direito foi oferecido. Isso não me causou grande preocupação, já que tinha lido muitos casos de mães que amamentavam num seio só. Eu seria apenas mais uma. Me alertaram que durante o período de amamentação, como ofereceria só um, o “seio útil” ficaria significativamente maior que o seio não usado. Isso não me preocupou. As dores e incômodos todos estavam lá, mas eu estava teimosa, totalmente decidida a amamentar dessa vez.

Vim para casa feliz da vida, e ainda contei com o apoio da minha querida amiga Flávia Gontijo, fera quando o assunto é amamentação. Na saída da maternidade, seio direito funcionando a todo vapor, e o esquerdo bem quietinho ali do lado dele…

Dois dias depois uma surpresa desagradável: o estímulo no seio direito, o seio bom, fez com que, por reflexo, o seio esquerdo começasse a produzir leite. Isso seria muito bom, se o leit tivesse por onde sair. Mas o leite não tinha por onde sair!!! O seio esquerdo só fazia crescer, esquentar e doer, doer MUITO!!!!! Eu sabia que isso poderia acontecer, mas tinha fé de que não aconteceria comigo. Eu não podia ser tão azarada!!! Mas aconteceu…

Eu liguei para a minha médica, a Dra. Márcia Tabacow, que diante da minha tristeza e da minha vontade de amamentar mais do que nunca, me aconselhou bolsas de água gelada no seio esquerdo para “acalmar”. Vou contar uma coisa: só faltou eu guardar o seio no freezer, mas não adiantou!! O seio continuou cada vez maior, mais dolorido e cheio de leite, lotado. Mas o leite não tinha por onde sair…

A Dra. Márcia foi muito clara e objetiva: se eu insistisse mais, poderia desenvolver mastite, febre e ainda mais dor. Poderia ser necessário até fazer uma punção. E aí sim eu não teria disposição nenhuma para cuidar do meu bebê. Ela foi muito delicada comigo, não me obrigou a nada e disse que me ajudaria no que pudesse. Eu podia tentar mais, mas tinha riscos. Eu podia secar o leite e oferecer a minha fórmula caseira, já conhecida dela. Decidi pela segunda opção. Não adiantava eu ter tanto leite e o leite não sair. Não adiantava ter tanto leite e desenvolver uma mastite, cair de cama com febre alta. Eu precisava estar bem para cuidar do bebê e para cuidar do meu filho mais velho.

Não é uma grande ironia da vida? Você pode ter muito letie e também, mesmo assim, não conseguir amamentar….

Aconteceu comigo.

tomei o remédio receitado com lágrimas nos olhos. As dores aliviaram, os seios diminuiram e o leite foi praticamente embora. Praticamente, e isso para mim foi a grande boa notícia em meio a tantas más notícias.

Uns dois dias depois, no banho, notei que ao apertar o seio direito, o seio bom, ainda saía algum leite. Pouquinho, mas saía. Foi apertando com as mãos mesmo, sem boca de bebê e sem bomba de sucção. Primeiro só para ter a alegria de ver gotinhas saindo do meu seio, depois para percber que ordenhando só com as próprias mãos, o sio esquerdo, o ruim, não chegava a produzir nada.

Decidi armazenar o pouco que consigo tirar manualmente num copinho. em dias bons, consigo bem perto de 10mL. Em outros dias, um dia seco como hoje, memso bebendo muita água, no máximo 5mL.

Para aquelas mães que têm leite de sobra e muita facilidade para amamentar isso pode não parecer nada. Para o bebê realmente está bem longe de ser o suficiente. Pelo contrário, é pouco, muito pouco. Mas para mim, para o meu coração de mãe, é muito, é motivo de grande orgulho.

Eu vou com o copinho na mão, tiro um pouquinho de cada vez no decorrer do dia e uma vez por dia, ofereço esse pouquinho ao bebê, que toma do copinho com toda a alegria. O que era para ser o principal, virou complemento e o que seria um complemento, caso necessário, virou o principal.

Eu vivo escrevendo sobre novidades e dando dicas de receitas saudáveis aqui no site, mas dessa vez peço a ajuda de vocês: se alguém tiver uma solução para o meu caso, algum jeito de produzir mais leite sem desenvolver uma mastite ou coisa pior, me avisem! Estou aberta para tentar de novo, pra tentar mais um pouco.

A propósito, isso tudo que escrevi é uma coisa muito íntima minha. Eu não tenho traumas, mas ficar falando num site público sobre o seio ser “assim” ou “assado” não é exatamente preservar a intimidade. Eu decidi escrever porque ainda tenho esperança de encontrar uma solução e porque acho importante as pessoas saberem de um caso como o meu. eu posso não ser a única.

Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 74 comments }

Pérola August 20, 2010 at 23:03

Oi Pat!
Nossa, fiquei emocionada com seu relato!!!
A vida tem dessas ironias…Algumas que nos pegam tão desprevinidas.
Admiro muito tua coragem em vir aqui, se expor e continuar buscando uma solução.
Vc sabe que sou defensora do aleitamento e tb tive que superar dificuldades fisiológicas para amamentar. Fui setenciada a 4 meses de aleitamento por um tumor que tenho na hipófise e busquei muito, assim como vc uma solução e encontrei…
Posso estar chovendo no molhado, mas vc procurou pediatras especializados em aleitamento?
De qq forma, vou torcer muito para que encontre uma solução.
Obrigada por compartilhar conosco sua história!
Abraço forte!

Denise Arcoverde August 20, 2010 at 23:10

Querida, RELAXA. Sim, plástica mamária pode atrapalhar muito a amamentação, até porque antigamente as cirurgias não levavam taneo com consideração a preservação da anatomia mamária que precisa estar intacta, pra produzir e fazer o leite descer. Não se sinta culpada nem um minuto e tenho certeza que você vai criar mais um bebê lindo, saudável e cheio de amor pra dar.

E o9lha que eu tenho 15 anos de trabalho com amamentação, tenho alguma credibilidade ;-)

Beijos e boa sorte!

Mari August 20, 2010 at 23:37

Pat, mandei uma mensagem pelo facebook pois passei dois telefones pra você. Veja se recebeu.
Um abraço

Pat Feldman August 20, 2010 at 23:52

Recebido. Obrigada!

Mariana August 20, 2010 at 23:51

Olá, sigo seu site para quando for alimentar meu baby possa seguir suas dicas. Achei lindo seu depoimento, eu tive mastite e seu o quanto é horrível, graças a Deus minha amamentação é super tranquila, e espero amamentar até quando o meu baby quiser. Aprecio sua coragem de querer processir, mas aprecio mais ainda sua tranquilidade e postura de aceitar que não deu. Bjs e parabéns

Caroline August 21, 2010 at 0:12

Olá Pat,
Fiquei muito comovida com seu relato, lhe envio toda força e pensamento positivo!
Comigo também não foi um mar de rosas amamentar, mas fui muito persistente, por isso me identifiquei com seu relato.
Olha, a dica que eu lhe dou é a seguinte: ofereça para seu bebe o peito sim, mas não em todas as mamadas, para que ele não inche d+, ou ofereça em todas as mamadas mas por somente 10min, para que o peito não seja estimulado d+ e assim não inche d+, e complemente o restante com sua formula. Somente a sucçao do bebe fara vc produzir mais que 10ml de leite, se não só vai secando, secando.
Teste a melhor alterantiva. Tenha fé que vc vai conseguir! Torço muito por vc!
Bjos

Laudiane August 21, 2010 at 1:11

Você conseguirá com certeza….
Não é fácil meeeeessssmo….
Lindo final de semana flor
Bjo

Andrea mae de dois August 21, 2010 at 1:19

Pat, querida. Isso acontece mesmo nas melhores familias. Se fosse assim, filho de medico e de enfermeira nao nasceria e ficaria na UTI , como o meu Nicholas ficou 12 dias.

Enfim, conselho carinhoso de mãe , de enfermeira de pediatria? Agora que vc tomou o remedio pra secra seu leite, e diminuiu o volume e o seu desconforto melhorou. Estimule com a bomba de 3/3hs somente o seio BOM. Nao tome nada, para nao produzir nos dois. Nem remedios nem o cha da weleda. Apenas puxe com a bombinha eletrica, aquelas importadas, na opçao mais fraquinha que tiver, de 3/3hs por 10 min. Em alguns dias, vc vera leite saindo…Tenho certeza que vc conseguira 10 a 20 ml por mamada, em 1 semana, se vc fizer isso o dia todo. Nao precisa fazer dirante a noite.
Tente, querida. E se por acaso nao der? Paciencia. Vc tentou ! Não é verdade? E força…

Seu filho tem saude, nasceu bem, seria otimo amamentar? Seria. Mas se nao deu, nao se culpe. Vc tentou.

Beijos, Andrea mae da Nathalie e do Nicholas.

carol August 21, 2010 at 1:29

ô pat, nao sei o que te dizer pra ajudar, mas te deixo muito carinho e força. que seu bebe cresça forte e saudavel! beijos

soraia August 21, 2010 at 7:59

Pat,

Na verdade gostaria de te dar sugestões certeiras para solucionar o seu problema mas infelizmente não tenho essas sugestões. Você é uma pessoa maravilhosa e que tem uma missão muito especial nessa vida de ajudar as pessoas. Sei que no momento vc está sofrendo e precisa de ajuda mas acima de tudo já deve estar ou vai ajudar milhões de pessoas com seu depoimento sincero e emocionante!

Torço de coração que tudo se resolva. Mais uma vez, parabéns!!!Soraia.

Thais Melo August 21, 2010 at 8:40

Pat.
Li seu relato, tenho 4 filhos, nenhum planejado e engravidava tomando anticoncepcional, um susto! Porq? meu unico ovário(nasci sem o esquerdo) faz um ciclo a cada 14 dias do mês para compensar a ausência do outro. Sofri muito com críticas a mim por falta de responsabilidade em ter muito filho, mas eu me prevenia!!! quanto a amamentação, infelizmente quase não amamentei, simplesmente não tinha leite quase nenhum! quando meu bb completava 4 meses meus seios estavam completamente secos. mas antes disso a mamadeira já se fazia presente porque meus bbs estavam com fome. Muita força! Mas viva seu momento com amor, do jeitinho que der! Um abraço apertado e um cheirinho nesse seu bb fofo!!!

Thais August 21, 2010 at 9:36

Pat, com certeza existe, mas sinceramente, no seu lugar eu deixaria como está. Você tinha um poroblema e resolveu. Pra que consertar o que não está quebrado?

Dani August 21, 2010 at 10:03

Pati, quem fez mamoplastia corre este risco infelizmente, mas o principal vc fez, amamentar enquanto pode… amor seu bebê vai ter de sobra e com uma mãe cozinheira como esta rsrs não vai faltar vitaminas e alimentos saudáveis.
Fica em paz…esquece este momento difícil e vai curtir seu bebezinho com seu marido e com seu filhinho.

Mariana Hart August 21, 2010 at 10:39

Own querida,vc não será menos mãe por isso,antes de ser mãe vc é um ser humano comum cos seus problemas que qualquer um pode ter!Tenho certeza que ele tomará a fórmula dele com o mesmo amor que teria se estivesse no peito. vc é um exemplo de mãe principalmente por fazer outras mães melhores.

Da minha 1ª filha tive um PN ótimo tb,e muuuuito leite a ponto de empedrar,tive febre alta com alucinações,meu peito quase explodiu!Depois tive gêmeos prematuros que ficaram na uti e amamentei por míseros 3 meses por conta de todo estresse e um diagnóstico não esperado de um dos baby(teve paralisia cerebral)l,fiquei arrasada,meu leite secou,mas seguimos em frente!

Beijo grande pra vc e obrigada por compartilhar suas experiências!

Angela August 21, 2010 at 12:58

Pat, você fez tudo o que pôde. Isso, por si só, já é maravilhoso. Força e muitos beijos!

Pat Feldman August 21, 2010 at 18:52

Sempre fica a sensação de não ter feito o suficiente… Acho que se não fosse tão medrosa, tinha até arriscado furar o mamilo “estragado” com uma agulha…

vanessa August 21, 2010 at 14:18

Querida, tô escrevendo só pra mandar um abraço bem forte! Seu filho vai crescer estonteante, relaxa! Quando ele tiver 20 anos, formado, lindo e saudável, vc vai se sentir sempre muito orgulhosa e o fato da amamentaçao não ter sido como vc gostaria não vai parecer algo tão relevante…mas ainda sim torço pra q

vanessa August 21, 2010 at 14:18

pra que vc consiga evoluir nessa questão, que soluçoes apareçam…tudo de bom, fiquem com Deus! Bjs

Luciana August 21, 2010 at 16:24

Pat, parabéns pela coragem de expor seu relato, e princialmente pela persistência na amamentação. Eu acho que no seu lugar, colocaria o bb para mamar agora, observando como o outo seio se comporta. Caso começasse a encher, pararia tudo novamente, mas cada gotinha de LM que o bb tomar vai fazer um bem enorme para ele e para vc. Bj, boa sorte, e muita felicidade para sua famíia.

Pat Feldman August 21, 2010 at 18:50

Luciana, eu cheguei a colocá-lo no peito duas vezes nos últimos 10 dias. Ficou uns 5 minutos e logo em seguida o outro seio começou a “dar sinal de vida”. Boa produção de leite: o que era para ser a solução, se tornou meu maior problema…..

Dora August 21, 2010 at 16:36

Pelo seu relato emocionante, de verdade! Acredito que ainda é cedo para desistir. Por já ter amamentado, lembrei de que o seio que a gente oferece mais vezes produz mais leite. Acontece quando encontramos posição mais confortável para por a criança no seio e esquecemos de oferecer o outro! Simples! Beijos e felicidades!!

Mariane August 21, 2010 at 17:20

Pat, é óbvio que a nossa auto-cobrança é forte … não adianta todos falarem que td bem, nem sem dá certo, etc e tal … nós, mães, no fundo queremos sempre dar o melhor aos nossos filhos, e a amamentação é um momento de bênção sim, que esperamos tanto… Mas, pense que, se o seu filhote realmente não puder usufruir disso, no mínimo, ele terá pela frente muita papinha gourmet, alimentos super saudáveis e tantas outras coisas boas, que a amamentação será um episódio que ficará lá para trás, como uma leve lembrança … Não se culpe, não se cobre tanto !!! OK, existem tantas mães que conseguem amamentar tão bem seus filhos, por 1 ou 2 anos e depois enchem as crianças de “porcarias” para comer, refrigerantes, frituras, industrializados … aí lhe pergunto: de que adianta ter começado bem se depois, em pouco tempo a alimentação das crianças vira, praticamente um lixo ???!?
Pense nisso, querida !!! Eu, como habitué do seu site e cliente tb, sempre te acompanho e não poderia de deixar de escrever esta mensagem prá vc … um beijo e parabéns pelo Alec e pela família querida que tens ! Mariane, mãe da Ornella.

Aline August 21, 2010 at 17:20

Fiquei muito emocionada com sua coragem e determinacao!
Moro na Islandia e acompanho seu site. Obrigado pelas dicas.
Tenho uma filhinha de 9 meses e foi difícil iniciar a amamentacao, pois também tive e tenho muito leite. Tivemos problemas na introducao de alimentos e estamos lutando com suas constipacoes. A vida é uma luta e como mae descobri uma forca interior que nao sabia existir..
Desejo a vc e ao seu bebe muita forca e alegrias!Aproveite cada momento ao lado de seu bebe!!! TUDO de bom!
Forte abracos!

Cris Guimarães August 21, 2010 at 18:12

Pat, agora lendo o relato é que entendi direito o que ocorreu. Eu sei que dizer relaxa é fácil para quem está de longe… Mas, mesmo que ache que não é a solução ideal, foi feito o melhor possível (como comentei que achava que seria feito por você, lá no Facebook) e resolvido o problema. Agora você vai ficar mais tranquila e sem o risco de cair doente, que é o pricipal. Seu filho vai ser saudável como o outro é, isso é o mais importante.
Beijos!!!

luciana pires August 21, 2010 at 19:48

Oi Pat:
Lágrimas escorreram ao ler o seu relato.
Você não tem idéia do quanto tem me ajudado a mudar alguns hábito de vida. Ao ler o seu depoimento não me contive para te escrever…acho que na tentativa de retribuir um pouquinho, sabe?
Não fiz plástica, mas também não consegui amamentar e não posso negar que sinto sim uma tristeza por isto e também por não ter conseguido ter o tão sonhado parto normal. Não adianta, por mais que as crianças (tenho dois filhos que estão com 9 e 5 anos)sejam felizes e sadias, sempre fico com a sensação de ter faltado algo. Acho que um pouco do que sinto pode ser também influência desta pressão que hoje se faz para que tenhamos que amamentar para sermos mães completas, mas este sentimento está aí, convivo com ele, mas não deixo que ele paralise todas as outras atitudes que tenho que ter como mãe e mulher. Vamos seguindo a vida e felizes por ver que nossos filhos são felizes e saudáveis. Tenha força e tente sim de tudo o que puder, porque só assim você terá a mente tranquila de saber que tentou o que foi possível. Mil beijos no coração e toda a sorte do mundo para você e sua família.

Fernanda August 21, 2010 at 21:12

Ai PAt, nao sei o que falar pra vc se sentir melhor, eu acho que cada encara esse “problema” de sua maneira.
Eu, na verdade, acho que nos mulheres colocamos uma pressao muito grande em sermos maes perfeitas, principalmente porque hoje em dia a maternidade virou meio que uma competicao entre nos. Se eu tenho filho sem anestesia, sou “melhor” que voce que teve cesaria, se amamento sou “mais mae” do que quem da formula. Ja percebeu isso? Como se voce pudesse medir alguma coisa por essas coisas……
Eu acho que cada um sabe da propria vida, mas acaba que nos ficamos nos sentindo INADEQUADAS, principalmente pq a grama do outro lado SEMPRE eh mais verde….mas por que sera? Sera que eh mais verde pq eh, ou serah que eh mais verde pq o vizinho pinta desse jeito? Eu sei que muitas maes conseguem amamamentar muito, ateh dois, quatro anos, eu ja vi…..mas outras falam uma coisa e na verdade eh outra. Voce mesmo ja comentou isso, que td mundo so fala do lado romantico da amamentacao e ninguem fala dos problemas…..eu mesma, nao consegui amamentar quase nada, a minha filha nao pegava o seio de JEITO NENHUM……eu tentei durante um mes e depois ainda consegui tirar com a bomba por mais um mes e meio, mas so com a bomba o leite secou…..muita gente que chegava pra mim e me recriminava, eu fui descobrir depois que amamentaram por tres, quatro meses….
Por sorte, o pediatra da minha filha (a quem eu respeito enormemente, pois ele tb da mts dicas de alimentacao que condizem com a sua filosofia) me deu uma grande bronca, falando que a formula hj em dia eh de extrema qualidade, pra eu deixar de querer ser perfeita, e que eu nao ia ser mais ou menos mae, nem minha filha ia morrer antes de completar um ano se nao mamasse. Esse estoria de que crianca se nao mamar no peito tem mais doenca, pode ate ser, mas a minha filha so foi ao pediatra doente (que nao fosse check up), com um ano e dois meses, e, ate hj, raramente fica doente. A minha melhor amiga amamentou e a filha teve mil problemas, diarreia cronica e ateh hj eh extremamente alergica….coincidenci? Pode ate ser, ou nao, mas nada eh oito ou oitenta como a gente imagina. A vida nao eh uma equacao matematica, onde se voce fizer isso o resultado vai ser sempre aquilo. Eu ja escutei de gente que ate deixa o filho com fome pra nao deixar de amamentar, pelo amor de Deus, neh?
Eu nao estou, de maneira nenhuma, querendo julgar ou minimizar o seu problema, eu sei que isso pra voce eh de grande importancia, mas gostaria que voce soubesse que voce eh sim uma grande mae, independentemente de amamentar, ou nao! Mil beijos e muita forca nesse hora!!!bjkss

elizabeth August 22, 2010 at 0:12

Pat, uma das coisa que impedem que o peito encha de leite é a compressão, que pode ser feita enfaixando bem firme a mama. Não sei se você conseguiria manter a mama esquerda enfaixada por um período na tentativa de quando interromper o enfaixamento ela continuar sem produzir leite. De qualquer modo pense que nós sempre idealizamos demais a maternidade e nos culpamos muito se alguma coisa sai do “figurino”. Mas os nossos filhos precisam mesmo é de uma mãe que lhes dê afeto, segurança e tranquilidade e tenho a certeza que isso você pode dar. O ser humano é muito adaptável e pode se desenvolver muito bem com outros alimentos. Bom senso e conhecimento nessa area eu sei que você tem. Um amigo psicanalista diz: “Deus nos livre de mães “perfeitas”, são fontes de neuroses e um peso para carregar por toda a vida”.Precisamos apenas ser “boas o suficiente” Relaxe e seja feliz. Este é o melhor presente que uma mãe pode dar ao seu filho.
Muito carinho para essa família. Beijos. Beth

Vanessa August 22, 2010 at 0:58

Pat,

Parabéns pelo parto e nascimento do seu bebê!

Com relação a amamentação vc já conversou com o Cacá (pediatra e consultor em aleitamento materno)?
Creio que em SP ele seja o médico mais indicado para te ajudar. Dá uma olhadinha no blog dele:
http://neonatologiakk.blogspot.com/

Bjs,

Van

Luciana August 22, 2010 at 12:47

Pat, tb recomendo muito uma consulta/conversa com o Cacá. Se existir alguma possibilidade de vc amamentar sem risco para sua saúde, ele vai poder te orientar. É especializadíssimo e tem muita experiência em aleitamento e trabalho com mães que superam as mais difíceis adversidades para amamentar. bjs

Ale August 22, 2010 at 14:44

Oi, Pat.
Felicidades para vc e o novo bebê, ele é lindo. Seu relato me fez recordar minha experiência como mãe de primeira viagem. Não fiz plástica, porém meu peito enchia e não saia quase nada. Com isso, só amamentei por 2meses e meio, sendo esse meio mes retirado na bomba. Acabei desenvolvendo uma depressão por não poder amamentar. Hoje minha filha está com 7 anos, linda, saudável,esperta. E foi alimentada com leite industrializado. Um grande beijo. Adoro seus artigos, como são importantes para nós.

Marina August 22, 2010 at 14:53

Pat, minha querida!

Você é tão especial e merece toda a minha admiração!
Sua certeza sua história ajudará muitas mamães!

Beijinhos!

Vanessa August 22, 2010 at 21:12

Olá Pat, sou paciente do dr. Alexandre (na verdade já faz dois anos que volto no consultório pelo fato de hoje saber exatamente oq fazer para evitar crises de enxaqueca) tive a sorte de encontrar vc lá no dia da consulta e vc me deu várias dicas de como variar o cardápio já que sou vegetariana. Mas não é por isso que estou aqui hoje. Eu tb tenho dois filhos, em idades próximas a dos seus e infelizmente não pude amamentar nenhum dos dois. Se vc puder me passar seu email podemos conversar melhor e posso te passar a conduta do meu médico na época (meu pequeno está com 5 meses hoje). Uma outra coisa que gostaria de te perguntar é se vc gostaria de ganhar alguns pacotes de Pampers P, vc já está encontrando com mais facilidade? mesmo assim, se vc quiser eu te dou alguns pacotes, eu tinha um estoque grandinho, ganhei bastante, mas meu pequeno cresceu tão rápido que perdeu alguns, passou para a M. Eu te darei com o maior prazer, fica como agradecimento por tanta ajuda do dr. Alexandre e sua que encontro diariamente no site. Aguardo seu retormo. Fica tranquila, muita força. Beijos.

Pat Feldman August 23, 2010 at 18:13

Vanessa, pode me mandar email aqui pelo site mesmo, eu recebo direto.

Quanto às fraldas, aceito com alegria, já que estou tendo dificuldades em encontrar!! Super obrigada, desde já!

daniela August 22, 2010 at 23:02

Te admiro Pat.
Entendo e reconheço o teu esforço, teu amor, tua sinceridade e coerencia.
Amamentar nao eh nada facil nos primeiros 2 meses mas memoria de mae eh fraca, a gente se esquece de todo o sofrimento. As colicas de amamentar acontecem no segundo filho.
Ja tentou ajuda no grupo virtual de amamentacao no orkut? Tem tambem um grupo de amamentacao no GAMA (http://www.maternidadeativa.com.br/), elas se reunem toda sexta a tarde, se nao me engano. Recomendo muito o grupo do GAMA.
Boa sorte!

Lívia August 22, 2010 at 23:19

Pat, seu caso é IDÊTICO ao meu. Resolvi a culpa oferecendo uma alimenta~ção muito saudável e minha bichinha tem muita saúde! Abração

Lívia

Camille August 23, 2010 at 9:46

Oi Pat, sei exatamente o que vc está passando, pois tive o mesmo problema com meu bebê, meu primeiro filho que hj está com 8 meses. Infelizmente tive 3 mastites, a produção de leite foi maior que a demanda e após insistir muito, tive que desistir, fiquei arrasada, me senti uma péssima mãe e além da frustração pessoal, veio a frustração profissional, pois sou Fonoaudióloga e sei exatamente a importancia da amamentação, e qual mãe não quer amamentar seu pequeno? Bom, me recuperei, o trauma passou, meu filho é forte, lindo e saudável, nunca ficou doente. Força Pat, e não sinta-se culpada, muitas mulheres passam por isso e tenho certeza que vc irá ajudar muitas delas.
Um grande abraço

Regina August 23, 2010 at 10:57

Olá Pat.
Sempre que posso, leio suas materias e gosto muito de suas dicas.
Desta vez resolvi escrever, porque seu artigo me lembrou tudo que passei para amamentar meus dois filhos (4 e 11m). No primeiro meus seios sangraram e tive mastite, foi horrível, tive que fazer punção e mesmo assim depois continuei tentando amamentar, é uma dor horrorosa, mas a alegria de poder amamentar é maior ainda. Nao desista, se você que, procure ajuda sim, porque vale a pena.
Bjs

tatiana freitas August 23, 2010 at 12:41

Pat, realmente é uma situação impactante.
a princípio.
sabe, eu li seu post, e fiquei pensando: estou com um bebe de seis meses, tenho uma filha de 5a, fiz todo esforço para tantas coisas!Amamentar é uma coisa tão fantástica e complexa, e vc veio aqui, deu seu relato e pediu ajuda.
Tanta gente já comentou…
Eu vou te dizer o que EU faria, pq de verdade, eu entendo a sua situação.seu desejo.
Vc já conhece seu corpo amamentando então poderá regular seu funcionamento.
Se vc ainda quer tentar, siga em frente!começe beeem devagar, sem estimular muito,mantenha o outro peito bem apertado qndo vc sentir que o leite está chegando nele tbm, vc vai perceber que isso interrompe.Entendeu?(eu faço isso(prá não vazar), e dá certo, o peito “aprendeu” com o tempo, é como se vc usasse a força do seu pensamento para regular seu corpo numa ação)
Vá sentindo seu corpo, e se a situação ficar crítica de novo, tome o remédio outra vez!!!
vcs não tem nada a perder!!!!!!
Pat, nos primeiros dois meses, a produção de leite ainda está tentando encontrar um ritmo, há uma série de adaptações acontecendo no seu organismo,essa produção excessiva no começo é muito natural,e o corpo demora mesmo a se regular!Amamentar é fácil,mas tbm é dificil pracaramba!!!
Pat, se seu coração sente que pode continuar, continue!mas como vc diz muuuuito aqui no site: devagar e sempre.intercalando com o complemento, sem expectativas, uma hora de cada vez!
O máximo que pode acontecer querida,será precisar do remédio de novo!
AH,permita-se chorar, permita-se ficar quietinha, Pat, respeite a sua quarentena, ela é necessária para a sua energia se reestabelecer (por mais que vc esteja se sentindo ótima!)ela é importante para o bebe tbm.VC NÃO PRECISA DAR CONTA DE TUDO AGORA.

Um abraço BEEEM APERTADO!
E PENSE NO MANTRA DAS MÃES: “VAI PASSAR”,VAI PASSAR,VAI PASSAR…

Cacau August 23, 2010 at 14:35

Pat,
Obrigada por dividir ;)É muito importante ouvir um relato tão verdadeiro e honesto, sem firulas.
Estou torcendo pra ficar tudo bem com vcs!
Um beijo enorme!

Flávia Campos August 23, 2010 at 17:34

Só pra me unir a tantas mensagens lindas de encorajamento e admiração (que você merece!). E também para dizer que estou grávida e estou contando firmemente com a sua receita de fórmula caseira para o caso de não conseguir amamentar também. A natureza nunca nos deixa na mão! Quando não funciona de um jeito, ela oferece outras soluções, não é?
Muita luz pra você e sua família!

Maria August 23, 2010 at 18:22

Pat não posso dizer que sei o que é passar por isso. No entanto, receba um forte abraço do outro lado do oceano. Melhores dias virão.
Muita força e luz para você e sua família. Tudo de bom para os seus príncipes.

hamerlin August 23, 2010 at 20:22

Pat,
Parabéns pelo artigo. Faz tempo que queria lhe falar algumas coisas e creio que agora seja um momento apropriado. Talvez você não tenha a noção de quanto o seu trabalho ajuda as pessoas. Mesmo não lhe conhecedo pessoalmente, tenho você como uma amiga muito querida, uma mãe dedicada, enfim, um ser humano maravilhoso. Tenha a certeza de que, com sua coragem e com seu trabalho, você está influenciando para o bem muitas pessoas. E penso que esse é um dos nossos grandes objetivos na vida. Temos que deixar nossa contribuição para um mundo melhor e você, com certeza, faz isso da melhor maneira possível. Afinal, a vida só tem realmente sentido quando temos saúde, quando estamos bem. Nunca se culpe, pois você fez e faz o máximo que pode! Mais uma vez, parabéns!

Roberta August 24, 2010 at 11:17

já que eu não posso ajudar serve abraço apertado?
sinta-se MUITO orgulhosa de si mesma, promete?
beijo grande!

claudia August 24, 2010 at 11:21

Bom dia!
Parabéns pelo bebê! Que o caminho dele seja sempre colorido, perfumado e cheio de calor.
Quanto a amamentação, acho todas as campanhas muito importantes, o estímulo necessário, mas na verdade a amamentação não é tão simples e fácil como nos fazem crer.
Quando estava grávida, morria de medo de não ter leite. Quando minha filha nasceu, eu tinha muito leite e ela não mamava. Tentei de tudo: dicas das avós, acompanhamento profissional. Ela simplesmente não queria saber do seio da mamãe. Não preciso dizer que fiquei imensamente triste e frustrada.
A cobrança (minha e dos outros), tornou o momento ainda mais cruel.
Não deu, não teve jeito. O pediatra disse que por maior que fosse a minha vontade de amamentar, minha filhinha, que hoje está prestes a completar 11 anos, precisava ser alimentada para alcançar o desenvolvimento.
Ainda assim resisti, ordenhei e ofereci o leite na mamadeira enquanto pude, quase 30 dias. Depois, mesmo que a contragosto, iniciei a alimentação com fórmula infantil.
Não acho que tenha sido o ideal, mas foi o necessário.
Na verdade, hoje, depois de todos esses anos, com muito mais experiência, vejo que não deveria ter sido tão rigorosa comigo, principalmente porque tenho certeza de que eu fiz o meu melhor e sei que amamentar é somente uma pequena parte de tanta coisa importante que podemos e devemos fazer pelos nossos filhos.
Ela é uma menina forte, saudável, cheia de energia. Ela tem projetos, objetivos, erra, acerta e acima de tudo, é persistente e correta.
Eu sou feliz por estar ajudando a construir tudo isso, mesmo sem ter amamentado minha pequena.
Não conheço nenhuma alternativa para o seu caso, mas acho que está correta em seguir adiante, curtindo a sua familía e envolvendo seus filhos com muito amor.
Boa sorte!
Cláudia

Adriana August 24, 2010 at 15:59

Pat,

Tantos relatos…

Nao pelos mesmos motivos, mas eu durante 6 meses amamentei com o seio esquerdo e somente com ele, o outro embora saudavel parou de produzir leite por nao ter sido estimulado, é que eu simplesmente achava ( depois de 6 meses) que nao tinha mais leite e somado a isso a posicao mais confortavel para mim era amamentar com o seio esquerdo. Para dimimuir mais ainda a producao de leite bebia pouca agua,entao somente a succao do bebê era sufuciente para a saida do leite. Amamentava pouco, porem a cada 2 horas, entao eram 12 vezes por dia amamentando. Era uma tarefa muito cansativa, o seio direito ficou visivelmente menor, mas sabemos que nada disso é tao importante quando queremos amamentar, nao é mesmo?

Todas nós, leitoras do seu site, queremos contibuir de alguma forma, mas sabemos que você conduzirá tudo com muita sabedoria.

Boa sorte

Vanessa August 24, 2010 at 19:49

Olá Pat, eu aqui de novo. Acho que não adianta mto contar minha experiência, mas de repente serve de consolo já que uma das partes mais maravilhosas e sonhadas para mim da maternidade seria a amamentação, que tb não tive sorte nenhuma das 2 vezes. Mei 1o filho rejeito o seio, não quis ser amamentado, até hoje não entendo isso direito, nem sabia que existia e até hoje quase 4 anos depois sinto vontade de chorar em pensar no que aconteceu, tive depressão na época, mas acabei superando tdo sozinha, sem remédios e erguendo a cabeça. Com o 2o filho foi diferente desde a 1a tentativa, eu já bem mais estudada, li, pesquisei, conversei com as enfermeiras da Pro Matre, meu ginecologista desde o início da gravidez, já querendo evitar o fracasso da 1a vez, enfim… o bbzinho já abocanhou o seio de início e mamou direitinho, foi uma sensação indescritível, mil coisas passaram pela minha cabeça em menos de 1 segundo, foi uma coisa inexplicável, talvez a melhor já sentida, parecia que dali em diante tdo ficaria bem. Mas, em casa fui notando que ele queria mamar a cada meia hora em média e já esvaziava o peito em 5 minutos, apesar do peito parecer estar bem cheio, parecia que era pouca quantidade de leite, um pouquinho que ele mamava e já se esgotava e dali a pouco ele chorava de fome novamente, eu passava o dia e a noite com ele em meu peito sempre achando que fosse o início mais difícil e depois tudo ficaria mais normalizado. Eu tinha a impressão de que ele estava sempre faminto, sempre chorão e sem dormir dia e noite, não era um bb tranquilo. Foram dias bem difíceis, mas permaneci firme e forte, toda dolorida, os seios totalmente rachados, mas sempre com a esperança que no fim de tdo isso teria um bb bem alimentado pelo meu leite especial para ele. Qdo ele completou 40 dias levei o ao pronto socorro, já era tarde da noite pqe já há uns 3 dias eu notava que ele estava com o nariz congestionado e naquele dia havia começado a tossir, lá soubemos que era uma bronquiolite, estav em alto nível, ficamos internados uma semana, a saturação dele estava bem baixa e foi diminuindo cada vez mais, ficou na uti, eu lá com ele, meu marido em casa com o de 3 anos, eu com o coração dilacerado com o pequeno e ainda pensando no grande sem mim, pior do que isso só podia ser o fim do meu leite de que ele tanto precisaria nessa fase tão delicada da vida, pois foi exatamente oque aconteceu, meu leite secou lá no hospital, de tanto nervoso que passei de uma hora para a outra o leite simplesmente sumiu. Falei com meu médico, ele me receitou plasil, eu tomei, passei muito mal, eu tenho problemas com essa medicação e ainda não voltou o leite. Foram os piores dias de nossas vidas sem dúvida alguma, um bbzinho recém nascido correndo risco de vida e sem ser alimentado adequadamente? tivemos que dar leite industrializado no hospital e assim continuamos até hoje. Mas juro que apesar da minha enorme tristeza, depois de tdo que aconteceu, isso ficou em segundo plano, a minha única preocupação era ver meu filhinho se recuperando daquilo tdo e sair daquele hospital e voltármos para nossa casa, com nossa família unida de novo, como devia ter sido desde o início, essa semana que passamos no hospital foi uma lição de vida para todos nós, hpje vemos tdo diferente, claro que queria ter amamentado, claro que continuei tentando de tdo que me diziam, mas não deu, eu ainda fico triste por isso, mas desde que ele começou a melhorar, saiu da uti, no 6o dia começou a respirar melhor e saímos de lá, nossas vidas mudaram e eu passei a enxergar as coisas de outra maneira, sabendo que tentei de tdo, mas não deu, porém ainda assim ainda todo meu amor, meu carinho, minha dedicação para dar à ele, tdo que puder eu vou fazer para vê-lo saudável da melhor maneira possível, inclusive com suas dicas aqui no site. Hoje pelo fato de não ser amamentado no seio ele já come papinhas e frutas no almoço, está lindo e forte, come muitíssimo bem, cada colherada é uma alegria imensa para mim em ver a olhos nus seu corpinho sendo nutrido e se enchendo de saúde a cada dia. Bem, só para finalizar, tente o que puder, mas se não for como imaginar, não se sinta fracassada pqe com certeza vc vai conseguir criá-lo de forma saudável como fez com o 1o. Fica tranquila, deixa seu coraçãozinho mais relaxado e curta seu bb da forma que for possível hoje. Com certeza vc fará o melhor que puder, sempre.
Será que vc pode buscar as fraldas, eu estou com os meus dois pequenos em casa sem ajudante, trabalho em casa e não estou conseguindo sair daqui por nada, eu moro no Ipiranga, se vc puder vir até aqui te mostro meu filhotinho como está forte e lindão. Beijos.

veronica August 24, 2010 at 21:30

poxa pat!! imagino sua dor, mas ao mesmo tempo sei que eh consciente que vc faz o seu melhor.
minha irma teve mais ou menos o mesmo problema so que o medico retirou os dutos que passam o leite e o peito dela encheu e nao saiu uma so gota de leite.
Normalmente quando se amamenta na mesma hora enche o outro, acho melhor realmente vc relaxar quanto a isso pra poder ter saude e disposicao para estar bem com os seus filhos.
tudo de bom!!! parabens pelo filhote lindo e saudavel.

Carol Flor August 24, 2010 at 22:34

Pat,

Não desista, converse com o Cacá(pediatra), existem soluções, sei que seu caso parece difícil, mas os primeiros dias e as vezes meses são sempre difíceis para maioria das mulheres! Lembre-se disso e sinta-se abraçada por todas nós!

Alessandra August 25, 2010 at 2:15

Pat,

Não sei o que houve com o seu seio esquerdo, mas gostaria de deixar uma dica. O que salvou a amamentação aqui em casa foram as conchas. Eu as usei por bastante tempo e não sei se teria conseguido sem elas.

Boa sorte e parabéns pelo bebê! ;)

Iana Leão August 25, 2010 at 15:57

Oi, Pat, solidarizo-me a você.
Minha frustração é não ter conseguido partos normais dos meus 2 primeiros filhos.
Agora, para o terceiro que vem vindo, espero encontrar um médico que realmente entenda a importância de um parto normal pra mim e não me empurre, amedrontando desnecessariamente, mais uma cesária.
Sei de gente que só amamentou o filho em um único seio, alegando que o neném só aceitava determinado lado.
Não sei se o leite parou de produzir naturalmente no seio que não amamentava ou se a mãe tirava o leite, para não empedrar o peito.
Infelizmente, não tenho contato com essas mães pra saber como era.
Um beijo, sucesso, felicidades
E parabéns por tudo!

Leticia August 25, 2010 at 19:32

Pat, eu tentaria mais uma vez, fazendo duas coisas:
1- No mesmo tempo que oferece o peito para ele, coloque compressas frias no seio que não quer a produção. Reserve uma boa quantidade e vá trocando sempre que esquentar.

2- Enquanto amamenta, faça a visualização da energia da vida, percorrendo seu corpo e saindo pelo seio que quer que tenha produção.

Talvez nas primeiras vezes o seu seio ainda dê sinal de vida, mas se “condiciona-lo” a não produzir (atraves das compressas e da sua mente), ele vai parar. Acredite!

tania braga da costa lustosa August 25, 2010 at 23:17

Olá! Meu nome é Tania, quando tive meu filho à 12 anos, não sabia nada de amamentação mas fui bem orientada. Tomei muito Mate (o Leão) e quando meu peito enchia muito, as Tias bem velhinhas me mandavam passar um pente no seio embaixo do chuveiro.\também achei uma bobagem assim como vc! Mas deu certo e amamentei meu filho até os 3 anos (três) de idade , e foi a coisa mais linda da minha vida! até hoje sinto falta de ficar olhando o rostinho dele enquanto amamentava. Durante esse período vc vai ouvir muitas opiniões, como eu não tinha experiência alguma! Resolvi ouvir a turma que já tinha passado por isso . Puxa eu adoro Mate desde de pequena e agora mais ainda!! bjs boa sorte

Eliane Jacinto August 31, 2010 at 23:44

Olá Pat,
Primeiramente parabéns pelos seus filhos, nós mães sabemos que eles são presentes de Deus.
Infelizmente não passei pelo mesmo problema que você e nem sei nada que possa ajudar, ainda assim gostaria de compartilhar
algo com você, tenho duas filhas, me preparei para ter parto normal, sem anestesia e uma das razões era para poder
amamentar sem nada de anestesia no meu corpo para que o meu bebê tivesse meu leite mais limpo e puro possível, minha mãe teve
muito leite e me amamentou por quase três anos, então eu achava que não teria problema nenhum, foi um engano que me causou
também muita tristeza e frustação, da minha primeira filha tive pouco leite, fiz de tudo o que me diziam e os seios produziam
juntos no máximo uns 60mls a cada mamada, minha filha chorava de fome, perdeu bastante peso até eu me convencer que eu não conseguia
alimentá-la adequadamente, tive que complementar a alimentação com mamadeira e chorei muito por isso, me sentia incapaz, incompetente,
só quem passa por isso sabe a dor, ainda mais quando todos ao redor te dizem que se você oferecer o peito várias vezes você terá mais leite
fiz de tudo e o corpo não correspondeu….ainda assim me sinto orgulhosa de mim, tive muito trabalho por isso mas nunca desisti de amamentar,
eu chegava a demorar mais de uma hora, oferecia os dois seios e depois mamadeira, minha filha mamou assim até os cinco meses e meio e
depois ela cansou, fiquei triste mas pelo menos ela teve o leitinho da mãe por um tempinho, por isso te entendo, entendo o seu esforço;
quando tive minha segunda filha fiquei cheia de esperança e já muito mais preparada achei que não teria o mesmo tipo de problema, mas que nada…
dessa vez assim que minha filha nasceu, saiu de dentro de mim e já veio para o peito, ela logo aprendeu a mamar e tudo foi as mil maravilhas,
mesmo assim novamente o leite não vinha na quantidade que ela precisava; outra vez a mesma coisa, amamentei até os 4 meses no peito
e complementei com mamadeira.
De uma certa maneira ainda restou um pouquinho de dor, frustação e tristeza por ter passado por isso, meu sonho era ter amamentado exclusivamente pelo menos até o sexto mês, não foi possível,
a vida segue, o mais importante é saber que minhas filhas estão cheias de saúde. Boa sorte e um abraço.

Nara September 1, 2010 at 1:59

Olá Pat,
Acho que você já fez o bastante, está sofrendo com isso e talvez deixando de estar plena e tranquila ao lado do seu baby. Sei que a cobrança é grande, principalmente a nossa própria. Aquiete seu coração.
Aceite, relaxe, vire a página e siga em frente com tanto amor e quitutes maravilhosos que seu baby terá o privilégio de provar por toda a vida. Veja seu primeiro filho!
Força mulher!
beijos e parabéns pelo lindo e saudável bebê!

Carla September 1, 2010 at 8:34

Oi Pat… eu estou aqui em prantos de ler o seu relato de amamentação!!! (Na verdade um choro emocionado de ver tanta dedicação em oferecer seu leite ao bebê).
Eu, quando li que vc estava amamentando com um seio só e o outro não teria por onde o leite sair, mesmo antes de chegar na parte onde o seio encheu, já imaginei que isso aconteceria.
Gostaria muito de poder ajudar… mas realmente não conheço uma forma de vc estimular um seio sem que o outro se encha de leite, pois a estimulação vai direto do seio p/ o cérebro e o cérebro devolve a resposta sem direito ou esquerdo… apenas: encha-se de leite!:-(
Estou emocionada de ver que vc ordenha os 5 ou 10 ml e oferece ao seu bebê…vc é demais!
Parabéns!
Esta vai, a partir de agora, se tornar uma de minhas sugestões para mães que não conseguem, ou acham que não conseguem, amamentar suas crias!
Para mim, vc amamenta sim e muito bem! Este é o seu limite e cada ser humano tem o seu.
Posso usar o seu relato para ajudar outras mães?
Digo isso porque participo de um grupo de mães e futuras maes e sempre surge o tema amamentação e poder mostrar um caso com o seu que para mim é vitorioso, seria muito bom para todas nós!
Vc não tem culpa carrega a culpa em vc, porque tem certeza de que está fazendo o seu melhor… isso é o mais importante!
PARABÉNS OUTRA VEZ!
E obrigada por me proporcionar tamanho conhecimento e emoção!
Beijos e sucesso!

Pat Feldman September 1, 2010 at 10:56

Carla, obrigada por tanto carinho!! Pode usar meu relato, é claro!!

Leticia September 1, 2010 at 13:50

Pat, conversando com uma amiga minha de caminhada, a Rebeca, que inclusive está comigo, montando um grupo de apoio a amamentação em BH, tivemos uma idéia. Talvez se você colocasse uma faixa no seio que não quer a produção, e desse o outro, através da relactação, pode dar certo. A relactação vai ajudar a alimentar seu bebe, sem pedir muita produção para o seu corpo. Com a compressão da faixa, o seio que não quer a produção vai ficar desistimulado a produzir.

Você já tentou algo assim?

Estou muito sensibilizada com seu caso. Me dê noticias (letdaw@hotmail.com).

Entendo o quanto é importante para voce amamentar e sei que você terá serenidade para aceitar caso não seja possível mesmo. Mas buscar soluções faz parte do ser persistente, do não desistir, do vencer. Estou com você, mesmo de longe!

Beijos.

Letícia

Dani September 1, 2010 at 14:46

Pat, minha flor, para mim também é super importante a amamentação, uma vez minha terapeuta disse uma frase que adotei e sempre repito àquelas que tem problema na amamentação: Mais vale uma mamadeira bem dada do que um seio aflito!
Boa sorte com seu bebezinho lindo!!!
Beijinhos,
Dani

Pat Feldman September 1, 2010 at 18:33

Dani, que prazer ter a sua visita aqui, principalmente com palavras tão carinhosas!! Sou fã do teu blog e morro de saudades quando você demora a postar novidades!

SADHIA September 1, 2010 at 20:36

AMIGA QUERIDA FAÇO DAS PALAVRAS DA AMIGA DANI AS MINHAS OK
MEU PRIMEWIRO FILHO AMAMENTEI 14 MESES O E MEU SEGUNDO SÓ TRES MESES E NA MARRA POIS POR ELE TER NASCIDO DE SETE MESES E MEIO ELE NÃO GOSTAVA DO PEITO ..ATÉ QUANDO TIRAVAMOS DA MAMA E COLOCAVA NA MAMADEIRA ELE NÃO GOSTAVA DO SABOR ..POIS O LEITE MATERNO TEM UM DOCINHO BEM SUAVE …ATÉ HOJE LEITE E SUCO DELE OU EU ADOÇO COM MEL E NADA DE NADA …NÃO FIQUE TRSITE MAIS VALE UMA MAMADEIRA BEM DADA DO QUE UM PEITO DOLODRIDO FAZENDO NÃO SÓ A CRIANÇA SOFRER COMO A GENTE TAMBÉM ;;NÃO MESMO..VEJA NO MEU BLOG O TAMNANHO DO MEU PREMATURO ..ENOMRME..GRANDE SAUDAVEL ..QUANDO A PEDIATRA ME RECOMENDOU DAR PAPINHAS PARA ELE COM TRES MESES TODOS CHAMARAM ELA DE LOUCA E EU DE MALUCA .DEI SIM EU MESMA FAZIA A PAPINHA DELE E HOJE É FORTE E SAUDAVEL…EU ME SENTI MAL PORQUE MEU FILHO NÃO GOSTAVA DO SEIO ,,MAS FAZER O QUE NÉ…ELE TAMBÉM TEM GOSTO…NÃO É A GENTE QUE ESCOLHE O QUE ELES VÃO COMER ..MAS ELES QUE FAZEM O SGOTO DELES NÃO É MESMO QUERIDA ;;NÃO SE PREIOCUPE HOJE EXISTEM FORMULAS INFANTIS ÓTIMAS CHEIAS DE VITAMINAS E QUE MUITAS VEZES SUBSTITUEM O LEITE MATERNO ISSO MESMO FOI UM MÉDICO QUE ME FALOU …BOLA PRA FRENTE QUE ATRAS VEM GENTE AMIGA ..SEJA FELIZ COM SEU NOVO BABY E SUA LINDA FAMILIA BJS

Tania September 3, 2010 at 12:24

Pat, minha irmã encontrou seu site procurando receita de geléia e encaminhou-o para mim.
Tenho uma filha de 3 anos que amamentei até os 7 meses, tinha bastante leite, sentia o leite chegando durante o dia inteiro.
Meu segundo filho nasceu em 20/05/2010.
Desde o primeiro dia mama 5 minutos e pára por conta da cólica que chega junto com a sucção.
As cólicas estão no final porém ele continua mamando pouco, parece que se acostumou com pouco.
Por conta disso, “fabrico” pouco leite, quase nada.
Ele não está engordando e o pediatra recomentou complementar com mamadeira.
Eu sabia disso desde o segundo mês porém, a gente sente muita culpa de introduzir mamadeira, sente vergonha do que os outros vão falar, do que o pediatra vai pensar, enfim, somos a culpa em pessoa.
Meu filho não está engordando e eu começei ontem na labuta de fazê-lo aceitar a mamadeira que ele não quer nem com reza “braba”.
Estou muito preocupada porém ontem à noite assimilei que ninguém tem nada a ver com a vida da minha família. Opiniões surgirão aos borbotões, de pessoas que não têm filhos e de pessoas que esqueceram como é, sim porque as pessoas esquecem não é mesmo?
Estou emocionada com o seu relato porque só mãe, e mãe carinhosa, para entender o que vc escreveu.
Fique bem com seu filho que está aceitando mamadeira.
Mentalize o que sua amiga te falou “mais vale uma mamadeira bem dada…”
Eu ficarei por aqui, na minha luta em fazer meu filho se alimentar bem e logo, caso contrário…não sei o que acontecerá…
Beijos, fica com Deus, Tania/Indaiatuba.

paula mello September 4, 2010 at 9:03

Pati, tb passei por isso, acho que é mais comum do que a gente pensa. Eu chorava, por que para todo mundo parecia que era eu que não queria… No hospital, quando meu terceiro filho nasceu, as enfermeiras me apertaram de tudo o que foi lado, nada! Nem no terceiro dia, nada… Tiveram que dar fórmula para ele já de cara… Depois em casa, com calma, o leite veio, mas tb não muito.

Acho que existe muita cobrança e muito mito em cima disso. O meu pediatra, que é um santo, diz que se não dá, não tem que sofrer, pra isso é que tem fórmula pronta. Seu bebê precisa de você inteira, não só do seu leite. Desencana… Seu filho vai crescer forte e sadio, por que vc sabe como.

Beijos!

VIVIANE FREITAS September 7, 2010 at 7:33

olá Pat,acabei de ler seu comentário,fiquei mto sensibilizada com tudo que vc esta passando.Poxa ser mãe é maravilhoso,mas realmente ñ é fácil!Amamentei minha filha por 14 meses,ja meu filho só conseguiu mamar 6 meses e com um dos meus seios sangrando,qdo sarava um eu trocava até o outro cicatrizar,me esforcei o qto pude,depois com os dois machucados não deu mais.Hoje ele é lindo e forte nunca fica doente…Acho que além de tudo o nosso amor e carinho conta mais alto!!!Muita força e que Deus continue abençoando sua familia linda.Bjos

karine smith September 12, 2010 at 19:24

Nem tem porque de voc~e se sentir culpada.
Eu moro na Irlanda e aqui a mulher tem o livre arbitrio de decidir , sem ser julgada, se vai amamentar ou não.
Eu optei por não amamentar e isso não diminuiu em nada meu amor pela minha filha mais nova, nem nosso vínculo.
Acho ótimo quem opta , só não acho legal “me matar” tendo casa grande, filho mais velho, obrigações a cumprir e rotina pra seguir, não pude me dar ao luxo de não ter hora e nem lugar para alimentar meu bebe e acho que é um direito da mulher decidir se quer ou não faze-lo.

Fabricia September 15, 2010 at 22:35

Pat fiquei muito emocionada com seu post pois também nao mamamentei minha pititica … foi minha maior frustaçao … mas infelizmente nao foi possivel por inumeras razoes … Hoje vejo minha pititica forte e linda com 9 meses e fico muito feliz …. consegui tirar meu leite durante 6 semanas e isso me reconfortou. Grande beijo para seu lindo bebe .. Bjs, Fabricia.

Aureni September 18, 2010 at 23:58

Olá,Pat!Fiquei maravilhada com sua história.A sua persistencia revela sua dedicação e amor ao seu bebê.O fato de vc não poder mais amamentar não te deprecia como mãe nem como mulher.Com o conhecimento que vc tem sobre alimentação correta o seu bebê será bem cuidado e amado.
Esta semana eu e minhas colegas,agentes comunitários de saude,apresentaremos um estudo sobre aleitamento materno e complementar.Saiba que aprendi muito com esse artigo.
Muito obrigado!
Abraços!!

Roberta February 10, 2011 at 13:04

Pat,

eu li o seu relato emocionada. Nos primeiros meses de vida do meu bebê, eu dei leite Nan para ele pois eu fui totalmente desinformada no que diz respeito à amamentação…
Eu chorava a cada mamada, pois tenho certeza de que o Nan não é nem de longe a melhor opção para alimentar meu pacotinho.
Vou continuar me deliciando pelo seu site.
Sucesso para você e os seus baixinhos!

Roberta.
http://www.baixomamae.blogspot.com

Maria May 5, 2011 at 19:05

Oi Pat!

Estou tentando ler o seu artigo acerca da receita de leite criada pelo seu marido mas pede uma palavra passe… lembro que já li a receita e fiquei maravilhada mas antes não tinha de colocar nada, bastava aceder e ler. O que tenho de fazer para ler de novo essa maravilha?

Obrigada!

Bruna Giselli Silva Vanjura September 23, 2011 at 10:02

Parabéns por se abrir e compartrilhar suas experiências conosco, também me emocionei com sua história, sou louca por amamentar, e por uma situação de extresse repentino e extremo meu leite secou dentro de duas horas, me desesperei pois meu filho de 4 meses não bebia nem água e ficou cerca de 48 horas sem se alimentar direito. Então descobri a importância de 10 ml de leite materno. Somente o socorro de Deus através de um voto foi capaz de acalmar meu coração e devolver ao meu filho o leitinho tão precioso dele, que ele ama tanto. Esta semana ele faz 6 meses e fico muito feliz por ter consiguido amamentá-lo. Por favor Patrícia, não deixe de dar suas dicas muitas mães precisam delas e Deus compensará vc dando a seus filhos muita saúde!!! Deus te abençõe.

Luciana December 25, 2011 at 18:11

Olha, pra mim amamentar foi muito dificil, acho que a coisa mais dificil que já fiz, sentia muita dor, muita mesmo, mesmo assim consegui amamentar até meu filho completar 8 meses, mas a correria do trabalho acabou dificultando ainda mais a amamentação de meu filho que chegou um momento que vi que meu leite estava secando e que não dava mais. Quase chorei lendo seu blog, imagino o que vc sofreu. Admiro sua coragem de falar sobre as dificuldades da amamentação, porque ninguém fala, quando falo o quanto foi dificil amamentar percebo os olhares com precoceito dos outros. Parabéns!!!

Roberta August 21, 2013 at 19:14

Não estou aguentando mais este sentimento de culpa, tenho uma linda filha de 4 meses e só consegui amamenta-la durante uns 29 dias mesmo assim com complemento, quando ela nasceu no hospital tivemos que dar leite para ela no copinho pois ela não pegava meu peito, chegamos em casa e meu leite só foi descer no 5° dia após o seu nascimento, fiz de tudo tomei remédio para aumentar a produção de leite fiz drenagem para retirar o excesso de leite, até que ela ficou chorando o dia inteiro pois meu leite não vinha, levei ela no hospital e o pediatra disse que ela estava com fome e me pediu para dar uma mamadeira para ela até meu leite descer, então eu fiz. quando meu leite desceu ela ficou mais de 4 horas no meu peito e só saia pouquinho e ela chorava, minha mãe e minha sogra insistiam que eu parasse de dar o peito pois a menina estava com fome, mas eu insistia em dar o peito e foi assim até que por fim a minha pequena chorava e balançava a cabeça de nervosa na frente do meu peito, hoje eu estou aqui com um grande sentimento de culpa que esta me consumindo a cada dia, não posso ver uma mulher amamentando que quando chego em casa choro e me sinto a pior das mulheres, eu não aguento isso mais, não tenho vontade de sai pois sei que terei que dar mamadeira para ela e não o peito, sinto muita vergonha e isso está cada dia pior, por favor alguém me ajude.

Pat Feldman August 21, 2013 at 19:51

Roberta, leia esse texto. Pode te ajudar: http://pat.feldman.com.br/2008/02/04/nao-se-sinta-culpada/ Dê o melhor de si, mas não ultrapasse seus limites!! Quanto a amamentação, depois de 2 filhos descobri que somos muito mal preparadas para essa tarefa, mas ainda dá tempo de você procurar ajuda especializada e tentar voltar a amamentar, se for esse o teu desejo.

Débora De Bonis October 4, 2013 at 10:08

Pat, lembrei muito desse seu texto enquanto assistia chocada a este vídeo: http://www.cientistaqueviroumae.com.br/2012/11/violencia-obstetrica-voz-das_25.html
Você já conhecia este assunto?

magda August 29, 2014 at 20:56

Oi Paty me emocionei muito com seu relato não se culpe por nada sei q nós mães sempre fazendo o melhor para nossos filhos. Parabéns pela perseverança e pela coragem de relatar sua vida. Vc esta de parabéns pela mãe q é felicidades e fique com Deus e q ele abençoe sua familia …..beijosssss

Comments on this entry are closed.

{ 10 trackbacks }

Previous post:

Next post: