Liquidificar ou não a papinha do bebê?

by Pat Feldman on 18/09/2011 · 30 comments

in Alimentação, ARTIGOS, Bebês

Essa é a dúvida cruel da grande maioria das mães no início da alimentação sólida dos seus bebês, por volta dos 6 meses de vida.

A opinião de pediatras, nutricionistas, fonoaudiólogos e outros profissionais relacionados é praticamente unânime: liquidificar papinhas é proibido. O meu bom senso e o respeito à fase de transição dos bebês dizem que sim, temporariamente é permitido liquidificar papinhas de bebês. E o período que vai durar o ‘temporariamente’ vai variar muito em cada casa, cada filho, cada família.

O fato é que nenhuma criança saudável e com desenvolvimento normal, passa a vida tomando sopinhas cremosas.

O fato também é que bebês saem da barriga das mães e aprendem a mamar, seja no peito ( de preferência) ou na mamadeira. Os bebês passam os primeiros meses de sua vida alimentando-se de um líquido – o leite – não muito grosso, através de um bico e com um sabor que é sempre mais ou menos o mesmo. Eis que de repente a mamãe aparece com um colher – formato e textura completamente diferente de tudo o que ele já viu ou sentiu – e para completar com uma ‘coisa’ – a papinha – com um gosto totalmente novo, uma consistencia muito diferente. Muitas vezes na época das primeiras papinhas alguns bebês nem dente tem ainda. Com tanta novidade você ainda por cima quer que ele administre a mastigação?

O bebê acha tudo isso muito estranho, fica desconfiado, não sabe muito bem o que fazer com aquela ‘gororoba’ na boca, engasga, se assusta, fecha a boca e não come de jeito nenhum. Desespero!

Com meu filho mais velho eu simplesmente não aceitava a história de partir direto para os pedaços, por mais molinhos que eles fossem. Eu tinha pavor que ele pudesse engasgar, ficar sem ar ou qualquer coisa trágica do tipo, e apesar das críticas, liquidifiquei as papinhas até quando achei que ele estava mais acostumado com a novidade.

No início a papinha vinha para a mesa completamente liquidificada, um creme grosso. Ele se habituou relativamente rápido e em menos de um mês, gradativamente, eu fui deixando uma parte maior da papinha amassada – liquidificava uma parte e amassava outra parte e a parte amassada, meio pedaçuda, foi aumentando aos poucos. Não me lembro exatamente quanto tempo durou essa fase de transição e nem acho que isso seja importante, porque como em tudo, cada bebê tem seu ritmo particular.

O meu bebezinho mais novo, com um aninho recém completado já tem se mostrado bastante mais preguiçoso, principalmente nos dias que antecedem a chegada de um novo dentinho (ele fica bem irritado e sem apetite). Ele não aceita papinha com pedaços de jeito nenhum e nos últimos dias nem papinha liquidificada tem aceitado direito. Mas vocês acham que ele não morde nada com seus quatro dentinhos? Malandragem pura! Além de morder muito o meu dedo, morde pedacinhos de banana, morango e queijo, muito queijo. O pequeno puxou a mamãe aqui e é fanático por bons queijos. Mas na papinha… ai de mim se deixar pedaços…

A minha mensagem aqui é muito clara e muito simples: ofereça as papinhas do seu bebê na consistência que ele aceitar melhor. De que adianta deixar de cara os pedacinhos na papinha, e seu filho se recusar a comer? Ele vai aprender a mastigar dia menos dia, a não ser que tenha algum tipo de deficiência que está além do seu controle. Dê ao seu bebê tempo e oportunidade para se habituar com a nova forma de se alimentar. Não tenha pressa e nem compare o ritmo do seu bebê com o ritmo de outros bebês. Cada um tem seu tempo!

Faça o período de transição durar o tempo necessário para cada um dos seus bebês.

Eu fiz assim aqui em casa, com meus filhos, e deu muito certo. Ache o seu jeito certo também!

A propósito, quando eu falo em papinha liquidificada, não estou falando em “suco de papinha”, mas sim de uma papinha bem grossa, na consistencia de um purê de batatas, daquelas que dá o maior trabalhão para qualquer liquidificador!

Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 23 comments }

Fabiana September 19, 2011 at 8:33

Olá Pat!

Que ótima matéria,precisava mesmo lê-la,estou passando por esta fase com meu filho e você disse tudo “cada criança tem o seu tempo”e temos que respeitá-lo.
Parabéns e agradeço por dividir sua experiência conosco.
Muito obrigada :)

Silvia September 19, 2011 at 11:39

Concordo com você! Beijos!

roberta September 19, 2011 at 13:28

Convem ressaltar que os fonoaudiólogos não indicam a passagem brusca de líquidos para solidos amassados. A recomendação é de que a sopa seja passada na peneira, propiciando ao bebê a oportunidade de começar a experenciar pequenos grãos e justamente aprender a lidar com eles, ou seja, a sopa fica com consistência mista. No entanto, se a sopa for liquidificada, o próprio nome já diz, ela será liquida e exigirá pouco controle motor da musculatura oral que precisa exercitar uma de suas funções. Após algum tempo com sopa passada na peneira, indica-se a sopa amassada com garfo e em seguida sopa em pequenos pedaços, concomitante a apresentação dos primeiros alimentos sólidos como uma bolacha, chupar um pedaço de carne, grão de arroz aumentando gradativamente a oferta de alimentos sólidos. Dessa forma, por volta de 1 ano a alimentação da criança (em termos de consistência) deverá ser igual a de um adulto.
É importante lembrar que alimentação liquidificada prejudica a passagem para as outras etapas; a própria mastigação e musculatura perioral resultando em problemas de fala, mastigação, deglutição e ortodonticos.

Pat Feldman September 19, 2011 at 15:04

roberta, a minha experiencia usando o liquidificador para obter cremes bem grossos, porém sem pedaços, foi muito bem sucedida, mas como eu falo no texto, e repito aqui, foi a minha experiencia, e cada bebe é diferente. meus filho mais velho, hje aos 6 anos, há muito que topa qualquer coisa na comida, e encara até carnes nao muito macias. o bebe já tem seus progressos e morde suas coisinhas. respeito as recomendaçoes profissionais, mas acho interessante contar a experiencia na prática.

cristina September 19, 2011 at 13:59

como fonoaudióloga sugiro a leitura do texto deste blog, bem explicativo…

http://fonoinfantil.blogspot.com/2009/04/crianca-tem-que-mastigar.html

Pat Feldman September 19, 2011 at 18:30

Obrigada pela colaboração, Cristina, acho que vai bem de encontro ao que falo no texto.

claudioneti September 20, 2011 at 23:25

ja estava com saudades obrigada por essa informação

Pat Feldman September 21, 2011 at 7:30

Ah, e eu com saudades de escrever! Mas com o teclado defeituoso, estava difícil demais!

PatriciaUk September 22, 2011 at 17:04

O meu filhos mais novo nunca comeu papinha!!! Como o meu mais velho so tia 2 anos na epoca e nao tenho empregada/baba, eu decidi ir para o metodo ‘ Baby Led Weaning’ nunca deu comida na boca dele e ele comia o que a gente comia com as maos e uma colher so para acostumar. http://www.babyledweaning.com/

E hj com 5 anos? O menino come de tudo!! Um paladar de dar inveja… outro dia peguei ele na geladeira comendo salmao defumado! Eu nunca vi uma crianca assim, juro. Nao posso dizer o mesmo sobre o meu mais velho – hj ele eh bem melhor, mas ja foi muito chato para comer.

Leio um blog em que a leitora tbem segue esse sistema – http://www.marcinha.co.uk/

xx

silvia September 22, 2011 at 18:32

Sugiro que não seja usado o termo liquidificar, pois ele lembra “tornar líquido” o que não é recomendado pelos profissionais da saúde.
Vc mesma explica que sua sopa possui consistência pastosa (o indicado para bebês), mas o uso da palavra liquidificar confunde.

Pat Feldman September 22, 2011 at 18:41

Tem razão, não fui feliz no termo! Quando escrevi liquidificar pensei simplesmente no uso do liquidificador. Talvez processar?

Bruna November 8, 2011 at 17:28

Oi Pat,

conheci seu site através do baby dicas. sei que vc estará em bsb, mas estarei em viagem! que pena meeeesmo! tomara que vc volte logo por aqui!
preciso de socorro! ontem tomei uma bronca da pediatra de meu filho de 1 ano e 3 meses, por ele está perdendo peso pq não aceita papinha amassada ou em pedaços e ela disse que ela já deveria comer normalmente. reconheço que todos os bebês que conheço já comem normalmente, mas tentei esperar o tempo dele, mas desde ontem estou me culpando demais e achando que fui uma péssima mãe! Tô sendo bem sincera e reconheço todos os meus erros. meu filho teve um refluxo enlouquecedor e azia até 10 meses. ele só comia triturado e eu morria de medo de ele engasgar. com 1 ano e 1 mês surgiram os primeiros dentinhos e eu fui mudando a consistência para mais grossa e ele não come mais quase nada!!! ele tosse,cospe, engasga, chora e até vomita! comer está sendo um estresse inacreditável (e olha que continuo fazendo brincadeiras lúdicas). já tentei oferecer várias coisas e comida ele não leva a boca… biscoitos? ele amassa com a mãe e joga no chão… mas os brinquedos e tudo o que não pode vai para a boca.
me ajuda?! como eu posso oferecer alimentos em pedaços sem que sejam um tortura????
muito obrigada!

Pat Feldman November 8, 2011 at 17:34

Bruna, posso te contar um segredo?? Meu bebê tem a mesma idade do teu e ainda come papinhas processadas, cremosas!!!! Ele ODEIA comida pedaçuda!!! Eu nem ligo para as tabelas e padrões impostos, já que assim ele come, se nutre e se alimenta!

Mas deixo sempre ao alcance da mão dele cubos grandes de queijos (os mais macios, principalmente), bananas e outras frutas. Ele mais brinca com elas do que mordisca, mas se interessa. No começo nem queria saber de colocar na boca, ficava só na curiosidade de pegar, sentir cheiro e textura, mas com o tempo foi colocando na boca, naturalmente, sem forçar. Ele come meia banana mordendo, se está realmente com fome!

Manda teu pediatra dar brinca em mim também! Mas eu diria – como mãe – que você está fazendo certo!

Bruna November 8, 2011 at 17:56

nossa paty! muito obrigada pela força e apoio! obrigada por contar sobre seu filhote! fiquei mais aliviada… vou tentar ficar mais relaxada!!! queria tanto ir ao seu workshop… espero que possa te conhecer em breve!!!

muito obrigada

bjos

Renata April 3, 2013 at 1:08

Adorei Pat. Eu fiz e estou fazendo a mesma coisa. O Pediatra da minha filha mandou comecar com as papinhas passadas na peneira aos 4 meses, capaz que eu ia deixar pedacinhos… os legumes foram todos para o liquidificador, felizes da vida hahaha. Hoje ela come de tudo, super bem.

Nádya May 14, 2013 at 14:20

Obrigada pela dica!!! Com os meus filhos mais velhos tinha este problema de engasgar, vomitar etc…e agora que chegou a hora de introduzir comidinha para a minha caçula fiquei com pavor novamente…eu já tinha me informado que não é bom usar o liquidificador mas a criança não quer comer, comida amassada com garfo fica com pedaçinhos e pobre da criança não sabe o que fazer com eles e cuspe ou se engasga, mesmo que já temos dois dentinhos…. mas assim que li o seu artigo estou me sentindo mais encorajada para ferver os legumes, a carninha e tudo no liquidificador…

ale September 24, 2013 at 15:07

Ola, o texto me ajudou mt, pois tenho passado dificuldade com meu pequeno, pois ele faz vômito com qualquer pedaço que seja colocado em sua boca… estou tentando fazer como sua orientação… obrigada pela luz..

Gissele April 30, 2014 at 10:23

Oi….Fico mto preocupada com minha filha, ela tem 1 ano e 10 meses, ele nasceu prematura,e o pediatra dela me orientou no inicio dar papinha liquidificada, quando comecei dar esmagada ele recusou…vomitava e não queria mais comer..então a babá acabava liquidificando….e assim foi…..agora tem q ser todo esmagado e não gosta de nada novo ….faz carinha de nojo…gospe….e não quer comer…me preocupo demais…coloquei na escolinha, achei que ia aprender comer….mas em casa continua pior, só quer caldo de feijão….antes de ir para escolinha já estava comendo feijão esmagado com massinha, com arroz…comia mamão com abacate…agora não quer mais nada….mas as profs dizem que ela come…..fico até meio assim…em casa só come mingau de maisena, sopa de bolacha maria, iogurte e mamá…..ela está com quase 2 anos…fico preocupada com a saúde dela…ela é gordinha..mas…..acho que se alimenta mal….o médico já pediu um exame de raio x do esôfago com contraste, mas quem disse que consegui fazer…ela não deixou e nem tomou o contraste…está tomando combiron, para abrir o apetite…..

Estela September 21, 2014 at 20:42

Achei o que queria escutar de qq pediatra…meu bb aceita banana.amassada co. Pedacos mas n a papjnha…Toda vez q ofereco ele n quer…fazer o que? Deixar a criança com fome?e sua forma . de pensar e igual a minha, um dia.ele vai ter q.apeender a.mastigar!obrigado…adorei o texto

Hildman July 14, 2015 at 6:45

Meu filho tem um ano.
Insiste em não comer comida aos pedaços.
Água só toma se for morninha.
E como toma água!!
Termina de comer sua papinha amassada com feijão, fígado de galinha e as vezes carne de boi liquada.
Não sei o que fazer, quando tem que comer algo em pedaços, ele vomita tudo o que tem no estômago.
Oh céus!
As vezes tenho que passar um pouco no liquidificador ou simplesmente amassar até sumir todos os pedacinhos.
Que Deus me ajude.
Já sou uma senhora de 38 anos e este é meu primeiro e creio que único filho.
Bjos para todas as mamães que passam pelo mesmo que eu..

ivangeli October 13, 2015 at 15:59

Muito obrigada por essas palavras. Me ajudou muito.
Deus te abençoe e muita saúde para seus filhos.

Tatiana December 2, 2015 at 16:03

Era o que eu precisava ler. A pediatra da minha filha disse pra eu amassar os legumes, que ela comeria. Olha, foi um desastre. Fiz um purê com abóbora, batata e chuchu. Minha filha não só engasgou como puxou vômito. E olha que amassei bem. Me senti a pior mãe do mundo: “Como assim? Minha filha não gosta da minha comida? Vou matar minha filha engasgada…”… rsrsrs. Desespero e culpa, os sentimentos companheiros das mães. Papinha Nestlé ela comia bem. E olha que dei primeiro a minha papinha, pra não dizer que ela se acostumou com a comida pronta.
Um dia experimentei cozinhar os legumes e bater no liquidificador, só no pulsar, pra fazer uma papa grossa e mais uniforme. Ela comeu tudo. Mas aí continuei me sentindo culpada, pois eu não estava dando a papinha na consistência certa, minha filha poderia vir a ter problemas de mastigação, a pediatra ia me esculhambar etc., etc., etc. Troquei de pediatra, e encontrei uma mais compreensiva, mas continuei me sentindo mal por estar fazendo a coisa errada. E me sentia ainda pior ao ver filhos de amigas comendo frutas inteiras aos 6, 7 meses (aquele método BLW, de dar a comida inteira pra criança explorar, que anda muito na moda, mas me assusta completamente).
Depois que li sua matéria, fiquei mais tranquila. Só algumas frutas ela come amassada (mamão, banana e aquela manga sem fiapo). Com calma e paciência, vou fazendo a transição. Mas, como toda mãe de primeira viagem, fico apavorada de meter os pés pelas mãos.
Obrigada pela matéria!!!

Rose March 16, 2016 at 14:41

Amei o texto.Sou mae de primeira viagem de gemeos de 7 meses.Meu Davi tem 2 dentinhos,mas minha Julia nao tem ainda nenhum.Fico sem saber o que fazer.Valeu .Deus abencoe a Todos.??

Comments on this entry are closed.

{ 7 trackbacks }

Previous post:

Next post: