O apetite do bebê

by Pat Feldman on 14/04/2011 · 12 comments

in ARTIGOS, Bebês

Você já passou apuros porque não sabia ao certo se o seu bebê estava ou não satisfeito com a porção que comeu na última refeição? Bebês não sabem falar, e quando choram nunca sabemos ao certo se é fome ou barriga cheia, sono, tédio, cólica ou qualquer outra razão.

Até começarmos a entender a “língua dos bebês”, o que quer dizer cada chorinho (sim, as mães acabam sempre aprendendo, ou pelo menos dá pra ter uma ideia do que significa cada choro), são muitas dúvidas.

Desconfio que uma das maiores fontes de dúvidas das mamães é sobre o apetite dos bebês. Não faltam tabelas de pediatras e nutricionistas, livros e revistas falando sobre o quanto bebês devem comer a cada refeição, e até dizendo o que comer em cada uma delas.

É claro que para dar uma idéia, uma noção para quem nunca vivenciou ser mãe e alimentar uma criança, essas informações e tabelas podem ser de grande ajuda, mas não devem, de jeito nenhum, se tornar uma fonte de preocupação. O que conta no fim não é uma refeição em particular, não é um único dia da vida do bebê e da criança. O que conta é o todo, a rotina alimentar.

Resolvi falar sobre isso hoje, justo o dia em que meu bebê praticamente fez greve de fome. Ele em geral se alimenta muito bem, em quantidade, mas principalmente em qualidade – procuro sempre oferecer opções bem ricas em nutrientes.

Hoje no café da manhã e entre as refeições ele tomou no máximo uma mamadeirinha pequena de leite, e nas refeições principais, almoço e jantar, um verdadeiro fiasco: não passou das 3 colheradinhas de papinha, e olha que eu estou falando colherzinha mesmo, aquele tamanho pequenininho que cabe na boca do bebê!!

Não vou dizer que um dia como hoje me agrade tremendamente. É meio frustrante preparar uma papinha gostosa, oferecer ao bebê e ele simplesmente não comer quase nada! Mas como isso não acontece todos os dias, eu não me preocupo, porque em geral ele come mais, come o suficiente.

Bebês não são maquininhas que comem sempre exatamente a mesma quantidade daquilo que a gente oferece a cada dia, a cada refeição. Tanto quanto nós, adultos, os bebês têm seus dias de menos apetite, de querem mais dessa ou daquela comida, de estar cansado demais para comer ou coisa do tipo.

Minha mensagem de hoje é exatamente essa: alimente seu bebê com alimentos o mais rio em nutrientes possível, assim a quantidade que seu bebê comer será menos importante. Pouca comida que seja muito nutritiva suprirá suas necessidades básicas. O resto é lucro!

Hoje em particular eu imagino que a falta de apetite do bebê tenha sido causada pelo enorme calor que fez aqui em São Paulo. O clima já andava definitivamente com cara de outono, mas hoje tivemos um dia de verão, dos mais quentes, e com esse calorão, não há apetite que resista!

Vez por outra, quando temos um dia muito agitado, o bebê simplesmente não consegue jantar. O sono é muito mais forte. Ele mama quase dormindo e vai até o dia seguinte só com leite!

E você, já notou em quais situações seu bebê perde o apetite?

Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 12 comments }

Paloma April 14, 2011 at 20:33

Concordo com tudo, Pat, mas só aprendi esta lição com a segunda filha. Com a primeira, eu era obcecada por quantidade. E sofria horrores com isso, queria alcançar o meio da tabela, enfim, tudo errado! Agora, não vou negar que me frustro se ela come só três colheradinhas (e ela cansa de fazer isso), mas sei que ela está comendo o suficiente para ela e que a papinha é de qualidade. Já notei que ela come bem pelo menos uma refeição por dia, então não me preocupo.
O que faz ela perder o apetite é dente rompendo e muito agito em volta.
Beijos

Cecilia Neves Silveira April 15, 2011 at 8:02

Sobre isso eu concordo, mas não só com relação aos bebês. Eu crio dois idosos! E eu garanto que no quesito alimentação é muito, mas muito, mais difícil que dar papinha para bebê. Meu avô já não tem praticamente dente nenhum e os que tem doem. Então estou pegando as receitas das papinhas e dando para ele, o que tem sido ótimo, mas, assim como o bebê, tem dia que não come absolutamente nada, o que é mais complicado porque tem o problema da glicose que se não comer pelo menos as 3 colheradiinhas vamos ter outra preocupação. Por isso é que a alimentação de qualidade é mais importante que a quantidade, isso não importa quantos anos tenha.

Ana Paula April 16, 2011 at 10:57

Oi, Pat…amooooo o teu site! Acho muito instrutivo…ainda mais para mim, que lido com crianças! Olha…TEM SORTEIO DE PÁSCOA lá no meu blog…queres participar? Aliás, pelo perfil do teu site, eu creio que vais amar a proposta do sorteio! Um abração,Ana Paula.

Anne April 16, 2011 at 18:46

Pat, vc adivinhou minhas aflições, né? Minha pequena tem 10 meses e come aproximadamente o volume que um vidrinho daqueles de potinho industrializado comporta (faço pra cerca de 1 mês e congelo nos vidrinhos). E a textura tem que ser bem pouco consistente, atualmente estou processando uma parte e a outra é agregada bem cozida e em pedaços minúsculos. Ela as vezes faz careta antes de provar, aceita um pouco e vai virando o rosto. Depois que comecei a agregar pedaços ela fica fazendo ânsia algumas vezes. Tem dias que ela come surpreendentemente bem, aceita a refeição toda e ainda come uma frutinha de sobremesa. Mas no geral ela já termina a refeição de um jeito parecido com o da imagem que vc agregou a essa postagem… quando ela está com sono, então… não tento! Tanto que tenho ajustado os horários de comer dela pra depois do cochilo. Porém o sono dela é outro aspecto que me preocupa. Ai, ai, rsrsrs.

Pat Feldman April 16, 2011 at 18:58

Anne, igualzinho aqui em casa. A única diferença é que meu bebê dorme hiper bem, a noite toda desde os 2 meses!

Anne April 16, 2011 at 20:14

Bem, pelo menos a situação do sono do seu baby tá melhor do que por aqui, hehe. Aqui já foi melhor, mas enfim… peço a Deus paciência, rs.

Mas voltando ao assunto alimentação (que afinal é seu foco, hehe), minha filhotinha ama, AMA mandioquinha! Hoje ela comeu quase 2 (!!!) potinhos dos que faço, olha só (coloquei um pra descongelar e o marido colocou outro, não dava pra voltar ao congelador e como não estava sob refrigeração tive medo de colocar de volta; como ela gosta, arrisquei dar mais um pouco pra ver)! Parei pq percebi que ela estava comendo só por causa do sabor, incrível!

Esses bebês…

Lilian February 25, 2012 at 9:08

Minha filha come bastante, mas essa semana resolveu não tomar a última mamadeira da noite. Fiquei preocupada achando que podia estar doente, o leite ruim por algum motivo, dentinho nascendo, etc. A minha imaginação vai longe… Mas cheguei a conclusão que ela estava com muito sono e preferiu dormir. Assim que coloquei na cama apagou. E só acordou no outro dia. Concordo com você, o que conta é o todo. Mas o coração sempre aperta quando eles rejeitam a comida. :)

Daniela February 25, 2012 at 21:23

Pati, vc escreveu uma situação que estou passando em casa há 4 dias… sério, quatro dias. É muito tempo para uma mãe que se preocupa com o bebê, né? Minha filha tem 1 ano e 2 meses, desde segunda não come NADA, só toma mamadeira. É um horror, eu fico chateada, mas como vc bem explicou, estou um pouco tranquila por que sei que ela sempre foi mto bem alimentada, com nutrientes e vitaminas. Mas, é um saco. Não estou gostando disso. Aparentemente, não tem nada, mas ela chora e não come, chora o dia inteiro, está amuada, quietinha… e não come. Desespero total. Acredite: comprei até uma papinha nestlé para ver se ela comeria… DESPERATE!!!!

Beijos!

Pat Feldman February 26, 2012 at 7:48

Daniela, você está preocupada com 4 dias?? O meu já fez greve de fome de 2 semanas!!! Ficou só na mamadeira e iogurte integral!! Mas eu não sou nem doida de apelar pra papinha industrializada, prefiro que passe fome!

Patricia Silveira May 4, 2013 at 14:17

Pat, morei uns tempos na França e durante esse período fui babá de uma linda garotinha de 2,5 anos. Uma fofa. Mas a mãe tinha problemas para dar comida pra ela, era bem complicado. Acompanhei o sofrimento por algum tempo e pude perceber algumas coisas, que depois me foram confirmadas por outras leituras: a comida pode ser um meio de manipulaçao da mãe pela criança. As crianças (mesmo os bebês, nao podemos subestimá-los!) sao espertas e percebem as reações da mãe, percebem que podem ganhar mais atençao fazendo manha. Isso às vezes é um fator que pode levar à dificuldade em dar a papinha. Outra coisa que percebi é que o péssimo hábito de manter a TV ligada enquanto come é muito prejudicial. A criança perde o foco, se distrai e acaba perdendo a fome. Nos dias em que a mãe da garotinha que eu cuidava me deixava com a tarefa de alimentá-la, eu procurava nao ligar a tv um bom tempo antes de oferecer a comida e nunca deixava ligada durante tb. Além disso, procurava fazer a coisa de um jeito natural, sem repassar à criança a ansiedade em fazê-la comer tudo. Normalmente eu tinha mais êxito, ela comia num tempo bom e era um momento de prazer. Gerenciar a nossa ansiedade pra nao repassar à criança acho q é uma boa coisa a se fazer. Comer bem passa por mais coisas do que apenas ingerir alimentos e é um hábito que a gente leva pra vida. Associar ansiedade à comida é uma coisa muito ruim…

Naide March 2, 2015 at 2:45

Tenho uma netinha que desde o 1 mes perdeu totalmente o apetite,só se alimentava quando dormia, as vezes tinha que fazer ela dormir para tomar a mamadeira porque o peito nem dormindo aceitava, foi feito todos os tipos de exames particular e nada foi encontrado, atualmente esta com 1ano e 3 meses e continua assim, leva quase 1 hora para comer nada praticamente, não aceita danoninho, bolachas, bala, chocolate, sorvete, carne enfim é complicado, sempre c com acompanhamento da pediatra que diz que a menina não tem nada.. Gostaria de saber se alguém passou por isto ou se sou a unica vó aflita.. Àh minha filha desencadeou depressão de tanto ver a filhinha tirar sangue aqui e alí para fazer exames, sofreu muito, mas hoje vendo a filha já caminhando teve graças a Deus, uma acentuada melhora, pode – se dizer curada da depressão.. Se alguém passou por isto por favor…gostaria de trocar idéias… PARABENS pelo site…

Vanessa April 20, 2015 at 13:51

Oi Naide, estou passando pela mesma situação, mas minha filha tem apenas 6 meses. Desde os 3 meses só mama dormindo, e agora com a introdução alimentar tem rejeitado também a alimentação. Já levei em vários médicos e todos dizem que ela não tem nada…não sei mais o que fazer!!!!
Se alguma mãe já passou por isso ou sabe de alguém que já passou, compartilhe conosco a experiência, por favor!!!!

Comments on this entry are closed.

Previous post:

Next post: