O dia das crianças e a comida

by Pat Feldman on 10/10/2017 · 30 comments

in Alimentação, ARTIGOS, Datas Comemorativas, Dia das Crianças

(texto de 2011, mas ainda super atual!)

Culinária, gastronomia, comida, estão na moda, não importa o termo que se use. E nesse dia das crianças tenho visto pipocar na mídia milhões de oficinas culinárias dedicadas ao dia das crianças. Tem super chef oferecendo (a preços nada convidativos) aulas de culinária, tem shopping presenteando seus frequentadores mirins com oficinas, sites e mais sites sugerindo inúmeras receitas para as crianças prepararem sozinhas ou com a ajuda dos pais, tios, avós, gato, cachorro, papagaio… Restaurantes com cardápios “especiais” para o dia das crianças também tem aos montes, para todos os gostos e bolsos.

As propostas culinárias para a criançada, especialmente na semana do dia das crianças, são inúmeras e variadas, mas o que praticamente todas elas têm em comum é o uso excessivo de açúcar e industrializados. As aulas em geral giram em torno de “cupcakes” (é o grito da moda agora – mini bolinhos decorados, muito fofos e açucarados), biscoitos (normalmente doces), sanduíches nada naturais. Nos cardápios dos restaurantes, mesmo aqueles considerados melhores, e em geral bem caros, o que mais se vê é hamburguer, batata frita “de carinha” (aquela industrializada, congelada e cheia de aditivos, pode conferir no supermercado mais próximo), cachorro quente, frituras variadas, muito macarrão, sorvetões e bolos cheios de confeitos, pirulitos, balas de goma, etc…

Aí você vai me dizer que sou uma chata, e que nem no dia das crianças eu acho que elas têm o direito de comer todas essas gostosuras incríveis? Se você acha que estou sendo exagerada e acha que crianças que nunca comem besteiras são umas coitadas, não perca seu tempo e pare de ler o texto agora mesmo – nada que eu diga vai te convencer do contrário! Mas se esse monte de industrializados, açúcar e frituras fez você ficar pensativa, acompanhe meu raciocínio a seguir.

O dia das crianças, provavelmente junto com aniversário e Natal, é uma das datas mais esperadas pelos pequenos. É quando as crianças ganham presentes, passeiam com seus pais normalmente tão ocupados, são homenageadas por todos os lados e um monte de outras coisas tão boas. Aí você justamente associa tantas coisas boas a doces, balas, frituras e um monte de outras porcarias. E o que é então que a criança vai associar com coisas boas? Exatamente o tipo de comida que não faz nada bem à saúde!!

As frutas, verduras, legumes, carnes, ovos, queijos e iogurtes, tão importantes numa alimentação variada e saudável, ficam todos relegados ao dia-a-dia chato, apressado, sem brincadeiras e presentes, sem os papais e mamães que estão ocupadíssimos e cansados com seus trabalhos.

O que você acha então que seu filho vai gostar de comer?? Com certeza aquilo que ele associa com os melhores momentos da vida: os tais doces, frituras e porcarias em geral!

Eu vivo me perguntando porque é tão difícil para as pessoas, acreditar que é possível SIM uma criança se deliciar e se lambuzar de alegria ao comer frutas madurinhas, carnes bem preparadas, um ovo cozido morninho ou um potão de iogurte. É justamente porque as pessoas não acreditam nisso, que acham que para alegrar os seus filhos (e muitas vezes compensar a ausência) devem enchê-los de quitutes nada saudáveis.

Eu vejo pais e mães que passam madrugadas em claro se o filho está doente e manhoso. Reclamam, ficam cansados (é claro!), mas ficam. Mas esses mesmos pais e mães pouco ou nunca têm disponibilidade para se cansar durante o dia com seus filhos, passeando no parque, brincando na praia ou ao menos brincando no quarto, dentro de casa, com aqueles brinquedos que o filho adora. Aí de novo vem a criança associar a doença, uma coisa tão desagradável, com a melhor coisa da vida, o aconchego dos pais. E aí quando você falar solenemente para ela não comer “isso ou aquilo” porque faz mal pra saúde, a criança, consciente ou inconscientemente, nem vai ligar tanto, já que doente ela ganha tanto carinho e atenção…

Mas vamos voltar ao que interessa aqui, as aulas de culinária na semana das crianças…

Os pais não são mega vilões culpados pela má alimentação das crianças. Os pais de hoje em dia são grandes vítimas do marketing agressivo e convincente da indústria alimentícia, que tenta a todo custo convencer que seu filho só será feliz se comer o chocolate desse personagem, a bala daquele outro, o biscoito extra colorido de uma cor que nunca se viu de verdade na natureza, o formato mais do que engraçado. Os pais desinformados, são tão vítimas quanto as crianças, cada vez mais obesas e desnutridas!!!!!! Segundo a mídia, criança que come frutas, verduras e legumes, carnes, ovos e iogurte é uma criança exótica, um sonho impossível das mães ou qualquer outra esquisitice que se invente.

E por que não aproveitar justamente esse dia das crianças para mudar um pouco esse quadro?

Pode ser descontraída ou sóbria, colorida ou não, mas a mesa TEM de ser bem arrumada!

Nesse ano de 2011 em especial, o dia das crianças cai exatamente no meio da semana, o que provavelmente impedirá a muitos de emendar o feriado com o fim de semana e viajar. Que tal você economizar o seu dinheiro com oficinas de culinária e restaurantes que não oferecem nenhuma novidade e nada de saudável, e gastar o seu tempo dedicando-se apenas e tão somente ao seu filho? Acordem cedo (ou tarde, se todo mundo preferir) e façam um passeio pela feira livre mais próxima – é diversão garantida! Na feira comprem flores para enfeitar a casa, muitas frutas bem coloridas, mini tomatinhos, ervas bem perfumadas, peixe fresco ou carne. Tente passar reto pela barraca de pastel, que é gostoso, mas não é o que mais queremos associar com momentos felizes, já que não é nada saudável.

Chegando em casa arrumem as flores – reserve um vaso para enfeitar a mesa onde será servida a refeição. Ensine seu filho a arrumar bem a mesa. Uma mesa bem arrumada é atraente em qualquer idade e acima de tudo faz parte de uma boa educação.

Todos juntos na cozinha e vamos fazer alguma coisa divertida e saudável!

Queijo e tomate. Simples assim!

Eu descobri que espetinhos variados são fáceis de fazer, coloridos, atraentes para a criançada e podem alimentar de uma forma bastante satisfatória! Aliás, sabendo escolher bem e fazendo em casa, lanchinhos em geral podem ser ótimas refeições!

Para esse dia das crianças preparado por pais e filhos juntos, em casa, você pode começar com aperitivos – espetinhos caprese, com tomatinhos cereja, queijo (use aquele que for da preferência geral) e manjericão, com uma pitada de sal e azeite de oliva extra virgem por cima. Ficam lindos, coloridos e podem ensinar seu filho enjoado a gostar de tomate. Se quiser que a brincadeira fique mais divertida, use cortadores de biscoitos para dar formas divertidas ao queijo.

Formatos divertidos para o queijo!

Como prato principal, que tal…. Espetinhos também!!!! Cubos de peixe com uma fatia de pão (caseiro e de fermentação natural, de preferência) e uva rapidamente grelhados no óleo de coco, cream cheese caseiro temperado com ervas para acompanhar. A parte do fogão fica com os pais ou os filhos mais velhos – há que ter cuidado e supervisão, mas pode e deve ser feito! Os pequenos se encarregam de montar o espetinho e temperar o cream cheese (ok, se você não quiser fazer o cream cheese em casa, compre uma ricota fresquinha no supermercado mais próximo). Bolinhos de carne com ketchup caseiro, maionese caseira, molho tártaro e qualquer outro molho inventado na hora também são uma delícia. O bolinho de carne pode ser assado no forno, como sugiro na receita, ou pode ser frito no óleo de coco ou na gordura de palma – que são gorduras muito estáveis e aguentam o calor da fritura (mas mesmo assim, por causa da alta temperatura envolvida no preparo, não precisa ser rotina, tá?). Tem bolinho de peixe e bolinho de arroz também, para quem quiser montar um cardápio variado!

Para a sobremesa? Mais espetinhos!!! É na sobremesa que eu vejo os espetinhos mais coloridos e divertidos, cheios de frutas, todas que você encontrar na feira. Vale cortar frutas em cubinhos ou usar novamente os cortadores de biscoitos para dar formas divertidas a elas.

Já provou frutas com queijos? É uma combinação e tanto, pode testar!

Para acompanhar os espetinhos de frutas um bom chantilly caseiro é a melhor pedida, mas se quiser pode também derreter em banho maria uma barra de chocolate meio amargo com um pouquinho de leite e rapidinho ter uma calda de chocolate bem cremosa, porque como acompanhamento de tantas coisas boas, pode!

Um dia como esses, onde pais, mães e filhos interagem tão intimamente, de uma forma tão construtiva e saudável, é com certeza um dos melhores presentes que você pode dar ao seu filho nesse dia das crianças e para o resto da vida. Mas é claro que uma bonita caixinha com um laço de fita bem caprichado com um mimo dentro também é uma delícia. Compre o que tiver dentro das suas possibilidades, não exagere, nem valorize demais o material, que é gostoso de ganhar, mas não deve ser o centro da vida de ninguém.

Feliz dia das crianças!!

Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 15 comments… read them below or add one }

Suzy dos Santos October 10, 2011 at 21:05

Jóia, Pat! Acho imprescindível fugir da bobajada química frita e colorida artificialmente…espetinhos são deliciosos e sempre fazem sucesso. Aqui em casa adoramos usar pau de canela e galho de alecrim pra fazer os espetinhos, fica lindo e gostoso.
beijo,

Reply

Paloma October 10, 2011 at 21:45

Muito bom, Pat, disse tudo – e muito bem dito – o que penso sobre comida para crianças.
Beijos e feliz dia com seus meninos lindos!

Reply

Nut. Infantil Karine N. C. Durães October 10, 2011 at 22:08

Simplesmente amei o post!
Como é bom encontrar pessoas como você!
Parabéns pelo incrível trabalho. O espetinho de peixe está lindíssimo.
Tudo o que escreveu, defendo com unhas e dentes. Quando tiver um tempinho, dê uma olhada no meu cantinho (www.nutricionistainfantil.blogspot.com) e verá. Vou acompanhar sempre o seu blog!
Beijos

Reply

Heliana October 11, 2011 at 0:08

Parabéns , excelente texto!

Reply

marina October 11, 2011 at 9:14

Querida Pat,
parabéns pelo email. Aprendo e uso sempre suas dicas.
Fiz o iogurte e ficou ótimo. Posso usar o soro no suco que faço após a ginástica. Pode ser a vontade ou tem uma quantidade que pode ser tomada
por dia?
Adoro seu blog, assino e fico esperando novas postagens ansiosas.
Agora vou fazer a farinha de côco.
Muito muito obrigada.
Abraços
Marina

Reply

Pat Feldman October 11, 2011 at 15:13

Marina, eu acho o soro muito azedo para ser otmado em grande quantidade e/ou puro. Uma colher de sopa diluida em água é suficiente, ou prepare as bebidas lactofermentadas!

Reply

Denise Rocha October 11, 2011 at 11:06

Lindo texto, e muito pertinente.

Vejo muitas amigas e amigos, primas e outras pessoas da família que, quando se tornam pais e mães instintivamente se preocupam com a questão alimentar dos seus pequenos: tentam criá-los e nutri-los da forma mais saudável possível, o que é ótimo, mas que – fato curioso – geralmente significa elaborar para os pequenos um cardápio muito diferente daquele que os próprios papais e mamães consomem. Temos então um primeiro problema, porque a criança se vê “obrigada” a se alimentar de uma forma que “nem os próprios pais” querem fazer. O exemplo conta muito.

Junto a isso, há também o apelo midiático e de marketing, que faz com que guloseimas e porcarias sejam vistas e assimiladas por todos como “comida de criança”. É senso comum que “doce faz parte da infância”, então, aos poucos os pais acabam inserindo ou permitindo com cada vez mais frequência esses alimentos na dieta dos filhos e muitas vezes não se dão exatamente conta de como tais alimentos, excessivamente carregados de calorias vazias, aditivos e outras coisas que tais, são inadequados *principalmente* para as crianças. Muitos outros produtos igualmente inadequados passam-se até por saudáveis, e assim, já temos um bocado de confusão, as intenções de estabelecer uma alimentação saudável acabam ficando mesmo na intenção, tudo isto com muita ajuda da ‘indústria da desinformação’, tão poderosa e tão presente em nossa realidade.

Reply

José Muniz October 11, 2011 at 13:56

Olá Pat! Este teu cantinho é de suma importância para a educação alimentar de todos os seus leitores. É difícil mudar hábito alimentar arraigado. E mais difícil ainda é quando as redes de fast food agem no sentido contrário. Veja o dia do McDia Feliz. Que de feliz nada tem, pois o objetivo deles não é doar o dinheiro arrecadado com a venda de lanches para fins sociais, MAS APENAS VICIAR (este é o termo correto) AS CRIANÇAS de que consumindo os produtos da rede, estão praticando uma boa ação e sendo felizes com esta prática. O empresário visa apenas o lucro, através de falsas campanhas utilitárias, fidelizando/ viciando o cliente, dentre outras estratégias. Há uns 30 anos atrás, a NESTLÉ induzia as mães num país africano de que o leite em pó era o alimento ideal na alimentação infantil. A NESTLÉ doava o leite nos 6 primeiros meses. Passado esse período eles paravam com a doação e a saída para a mãe era comprar o leite em pó da nestlé, pois já não tinha mais leite a oferecer ao filho.

Reply

Ana October 11, 2011 at 14:49

Parabens Pat. Concordo com tudo, exatamente tudo q vc falou nesse post.
Eh triste de ver o q o comercio gera nas criancas, nos pais, e o quanto essas criancas de hoje associam doces e porcarias a momentos alegres. Vc falou tudo muitissimo bem.
Eu tenho um menino de 9 anos q tbem come muito saudavel, adora frutas, come legumes, e sim: adora espetinhos, rs!!
Muitos pais dos amiguinhos dele acham q ele eh uma excecao, mas eu gostaria muito q os amiguinhos dele fossem assim. Principalmente pq cada dia q passa eu percebo mais e mais q o q os amigos dizem/pensam tem muita influencia sobre meu filho, e hoje em dia (ele tem 9 anos) ele acaba por dar preferencia a bobagens e porcarias quando esta junto aos amigos, somente p/ poder “fit in”.
Enfim, esse assunto eh algo q eh “close to my heart”, eu tbem sou nutricionista e completamente a favor a alimentacao saudavel e parar com essa palhacada de associar infancia com doce/acucar/fritura.
Queria muito q tivessem mais maes como nos mundo afora, e q nos nao fossemos vistas como as maes chatas q “nao deixam os filhos serem criancas” – q odio eu tenho desse tipo de comentario.
Desculpe o desabafo, mas esse assunto eh algo q mexe muito comigo.
Adorei seu post, muito bom, vc esta realmente de parabens!
Ana

Reply

Priscila Spiandorello October 17, 2011 at 19:50

Perfeito. Você disse tudo associar momento felizes com comidas ricas em açúcar, guloseimas coloridas com corantes químicos e depois os pais não sabem pq. suas crianças não dormem, não param quieta um minuto e ficam irritadas…

Reply

Fabiana October 29, 2011 at 10:02

Oi Pat, simplesmente amei este post… Realmente é exatamente isso que acontece, as crianças são levadas desde bem pequenas a associar os momentos bons da vida com comidinhas nada saudáveis! Eu tenho oferecido sempre uma alimentação bem saudável ao meu filho (que fará 2 anos em breve), ele come de tudo, está começando a experimentar até folhas e com muito prazer… Até do óleo de fígado de bacalhau ele gosta, iogurte natural, peixe, canja de galinha caipira, bolo de cacau etc…. nunca dei açúcar para ele. Mas a família nos vê como uma aberração!! Nas festinhas de aniversário eu fico tentando distraí-lo da mesa de doces, dos salgadinhos etc, e acham que sou uma maluca malvada…. O mais difícil, Pat, não é oferecer uma alimentação que faça bem a ele, e sim enfrentar as outras pessoas, que além de não apoiarem ainda tentam estimulá-lo a comer aquilo que a gente não quer… É muito difícil, estou morrendo de medo de quando ele for para a escolinha todo o meu esforço ir por água abaixo. Mas enfim, fico sempre muito feliz em passar aqui no seu blog! Bjos e parabéns mais uma vez.

Reply

Pat Feldman October 29, 2011 at 16:18

Fabiana, é quase uma tática de guerra mesmo!!!! Quanto à escolinha, uma dica: coloque o mais tarde possível e dê preferência às escolas que permitam que a criança leve lancheira de casa.

Reply

Vera Falcão December 2, 2011 at 8:40

Pat, com algumas restrições devido ao vegetarianismo que pratico (queijos, por exemplo), concordo plenamente com o término dessas orgias açucaradas e industrializadas que envenenam nossas crianças! Festa não deveria ser uma desculpa pra intoxicar os convidados…

Reply

Maria Cristina December 2, 2011 at 9:53

Pois é, não só no dia das crianças , mais em qualquer festa o aniversário o que se ve nas mesas e só um monte de brigadeiros e coxinhas (pior quando a fritura já está fria, um horror!)

Mais dá para fazer uma festa bem simples é gostosa.
Domingo foi o aniversário da minha filha, convidei alguns amigos, preparei pão em casa e servi com o patê frutado, um outro patê de gorgonzola, castanhas e nozes crocantes, fiz empanadas de carne, salada de rucula com manga e queijo, azeitonas temperadas e para finalizar o bolo de chocolate.
A maioria receitas da Pat, e todo mundo adorou, comeram muitisimo bem e ainda pediram para levar o que sobrou para casa, achei ótimo!

Não precisa sempre oferecer as mesmas coisinhas, as pessoas se acomodam demais e acabam sempre comprando e servindo os mesmos pratos.

Festa e ocasião de se reunir com amigos e pessoas que a gente gosta, não precisa se entupir de comida ruim, não.

Acho que é uma questão de educação, a minha filha estava feliz enchendo os balões, ela nem sabe o que é brigadeiro, e nem precisa!

Reply

Ana Luiza Uchoas Arantes September 1, 2012 at 22:01

Excelente!!!!!!! Em que tipo de loja eu posso encontrar os cortadores de biscoitos? obrigada!!!

Reply

Leave a Comment

* IMPORTANTE: LEIA ANTES DE CLICAR EM "ENVIAR" * Ao enviar seu comentário, você fornece à Pat Feldman e ao Site CriancasNaCozinha.com.br 100% dos direitos autorais do seu texto, e fornece também uma licença PERPÉTUA (para toda a vida) e IRRETRATÁVEL (sem a possibilidade de voltar atrás) para a reprodução de suas palavras associadas ao seu nome, seja neste site, seja em outro site, seja em algum livro que venha a ser publicado, ou em qualquer mídia atual ou futura.

{ 15 trackbacks }

Previous post:

Next post: