O que você espera da escola do seu filho?

by Pat Feldman on 19/08/2015

in ARTIGOS, MAIS..., Projeto Comida de Verdade na Escola, Projeto Crianças na Cozinha

Screen Shot 2015-08-19 at 5.58.30 AMEu espero que a escola dos meus filhos seja capaz de instrui-los adequadamente, de modo que sejam capazes de se sucederem na vida na profissão que escolherem.

Apesar de achar que a função da escola seja instrução, eu também espero que a escola dos meus filhos seja capaz de colaborar com a educação deles. Educar é primordialmente função dos pais, porém nos dias de hoje sabemos que as crianças ficam cada vez mais tempo na escola, o que me leva a esperar que as escolas também estejam preparadas para colaborar com os pais na educação das crianças.

CLIQUE AQUI para se cadastrar e receber novidades da minha cozinha em primeira mão!!!!

Educação é um termo amplo, muito amplo, mas que podemos resumir um pouco falando em bons modos à mesa, bons modos no trato com as pessoas, cuidados com higiene e alimentação – temas que eu considero de fundamental importância na formação de uma criança.

As refeições e/ou lanches que as crianças fazem na escola constituem uma parte enorme da sua alimentação. Dos sete dias da semana, cinco são da escola. Pouco mais de 70% dos dias do mês a criança faz uma ou mais refeições na escola, portanto o cuidado com o que ela come – desde a procedência dos ingredientes, modo de preparo, forma de apresentação e modos à mesa -, deveria ser um assunto de grande atenção de pais e profissionais da escola.

Uma alimentação nutritiva, gostosa, atraente e a um custo viável dentro da escola não é tarefa das mais fáceis. Estamos falando aqui de um universo super heterogêneo, crianças e adultos de diversas idades, hábitos alimentares diversos, gostos diversos e com apetites diferentes, entre outros muitos fatores que tornam o hábito alimentar de cada pessoa em qualquer idade algo único. Mas existem dois pontos que podem ser incrivelmente melhorados e que independem do cardápio: escolha dos ingredientes e modo de preparo adequado. E não estou aqui falando em regras e leis da vigilância sanitária – esse tipo de cuidado é uma exigência óbvia!

Você, pai ou mãe de alunos, precisa exigir da escola que escolheu para seu filho um cuidado maior com o que será oferecido diariamente a ele e deve conversar sobre a possibilidade de certos produtos alimentícios serem proibidos nas dependências da escola.

Você, dono ou diretor de escola, precisa urgentemente pensar melhor se o cardápio que vem sendo oferecido na escola está realmente adequado às necessidades dos seus alunos. A comida que os alunos comem todos os dias na escola tem que ser muito mais que gostosa e tem que ser muito mais que adequada. A comida da escola, aquilo que muitas crianças comem na maioria de suas refeições tem que ser realmente boa, tem que ser de verdade.

O cardápio não importa tanto quanto a forma de preparo, e o primeiro ponto é justamente esse: tem que preparar! Ingredientes industrializados, pratos prontos, deveriam ser totalmente banidos das cantinas escolares. Desde os salgadinhos e docinhos da cantina até os óleos refinados de baixo custo que a maioria usa. Nada disso oferece qualquer benefício às crianças, pelo contrário. Já existem estudos sérios mostrando a relação entre má alimentação e distúrbios de comportamento. Obesidade cada vez mais precoce nem se fala!

O mesmo arroz com feijão preparado com óleos refinados (totalmente oxidados) e temperos artificiais lotados de química poderia ser preparado com um caldo caseiro extremamente nutritivo (e barato), ervas frescas ou desidratadas. O resultado na hora que vai para o prato é muito parecido – você continua oferecendo arroz com feijão – esse é só um exemplo – mas um arroz com feijão com muito mais coisas boas agregadas.

No lugar de uma cesta de porcarias, exibir uma cesta de frutas na cantina da escola pode não ser a coisa mais atraente do mundo num primeiro momento, especialmente para as crianças já acostumadas a só consumir industrializados lotados de açúcar, mas a médio e longo prazo, criam-se novos hábitos. O coleguinha que não come até acaba experimentando (e na maioria das vezes gostando) porque vê o outro comer. É uma bola de neve do bem. Começa pequena, mas com o tempo vai crescendo e contagiando todos em volta!

Para beber o que menos se vê nas escolas é o óbvio, ÁGUA. Parece que hoje em dia as crianças estão proibidas de beber água, que é de longe a melhor opção e ainda por cima é baratíssima. Eu criei a campanha #águanalancheira, só para mostrar o quanto é gostoso e possível essa opção.

Uma boa alimentação é simples, muito simples, tão simples, que parece difícil!

Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

Comments on this entry are closed.

Previous post:

Next post: