Pão de Cerveja Improvisado

by Pat Feldman on 04/04/2011 · 18 comments

in Pães, RECEITAS

Estou de mal com o processo de fermentação natural de pães! É isso mesmo… Não sei se estou fazendo alguma coisa errada (apesar de ensinar todo mundo a fazer o certo), não sei se minha mão é “amaldicioda” para pães ou se o clima não anda muito propício para fermentar minhas massas, mas o fato é que as 3 ou 4 últimas tentativas aqui em casa de pães de fermentação natural foram um verdadeiro fracasso!

Eu tentei com farinha moída na hora, farinha integral industrializada pura ou misturada com farinha branca. Fermentei mais tempo, menos tempo. Usei soro de iogurte ou iogurte. Descansei a massa em local super abrigado, e também em cima da pia. A massa ficou coberta por pano seco ou pano úmido… Enfim, foram muitas tentativas e muitos desastres. Nunca me achei talentosa no preparo dos pães, e pelo jeito não sou mesmo!

Aqui em São Paulo temos a sorte de ter alguns excelentes locais que fazem e vendem pães super artesanais, de fermentação natural. Quando a vontade fica gande, eu vou lá, compro e me delicio, sem medo de ser feliz!

Mas hoje eu decidi que queria fazer meu pão em casa, ainda que não utilizasse todo o cuidadoso processo de fermentação natural. Fui ao supermercado e comprei um pacotinho de fermento biológico, que descobri ser um organismo vivo e nada mais, sem nenhum tipo de aditivo químico. Para pães brancos me pareceu uma opção bastante boa – farinha branca é farinha do trigo sem casca, não tem fitatos para neutralizar, a fermentação natural nesse caso é apenas um sabor super especial, mas não uma necessidade importante.

Ontem esperei meu marido com uma garrafa de cerveja bem gelada em casa. Ele, cansado, deu uns goles e deixou o resto da garrafa de lado. Cerveja boa, não ía jogar fora. Guardei na geladeira e decidi que viraria pão. Achei que poderia resultar em algo bem gostoso e olha que eu estava certa!

CLIQUE AQUI e leia mais sobre os malefícios dos pães industrializados.

A receita:

As medidas foram super sem medida, eu fui acrescentando os ingredintes até achar o ponto d massa – coisa que não dá pra explicar escrevendo, a gente só aprende o ponto ideal da massa de pão, fazendo pão! (mas é mais ou menos assim: a massa ainda está meio pegajosa, esponjosa, mas já não gruda nas mãos ou no recipiente)

Eu tinha pouco menos de 2 xícaras (400mL) de cerveja.

Peguei um cubinho do fermento biológico e desmanchei em meia xícara de água morna e umas 2 colheres de farinha de trigo branca e outras duas de farinha de trigo integral. Usei o recipiente da minha batedeira planetária, porque sovar pão com a MINHA mão é pedir para o pão não dar certo!!!

Deixei a mistura de água, fermento e farinhas repousar em cima da pia por cerca de 15 minutos – a mistura fica levemente borbulhante.

Levei o recipiente para a batedeira e acrescentei cerca de uma xícara de cada uma das farinhas de trigo, branca e integral. Juntei a cerveja – estava gelada, eu esqueci de tirar antes da geladeira.

Liguei a batedeira e fui adicionando mais farinha branca e integral (tentei usar mais ou menos a mesma proporção de cada uma) até dar o ponto. Ops, faltou o sal e nessa hora eu me lebrei de colocar uma pitada generosa. Mas juro que não sei quanta farinha coloquei no total… (desculpem a falta de precisão!!!).

Cobri a massa com um pano úmido e fui colocar o bebê para dormir. Com isso a massa deve ter ficado descansando por cerca de  40 minutos (pensem: tem que trocar fralda, dar leite, colocar pijama quentinho, etc…).

Pedi gentilmente à minha batedeira que sovasse um pouco mais a massa por mim – ficou lá uns 5 minutos, mas acho que se fizer na mõ tem que sovar mais… (só acho, não confiem muito nas minhas opiniões sobre o preparo de pães, nem eu confio!).

Dividi a massa em dois, formei os pães, deixei descansar por outros 15 minutos e coloquei no forno pré-aquecido.

Os pães assaram por cerca de 45-50 minutos e cresceram lindamente. Ficaram muito saborosos!!!

Mas aí você me pergunta: e a tal fermentação natural?

Eu respondo: importantíssima! E até recomendo que você leia ESTE ARTIGO sobre pães. Esse pão não está perfeito no quesito modo de preparo, mas ele com certeza é infinitamente meljhor do que qualquer pão industrializado e veja bem, dá muito pouco trabalho para ser preparado. Não é a melhor opção, mas é uma opção muito melhor que industrializados, cheios de aditivos químicos, prazo de validade infinito.

Sacaram como funciona o equilíbrio na minha cozinha?

Numa póxima ocasião vou tentar fazer a mistura de farinhas com cerveja pela manhã ou no dia anterior e dexar repousar/fermentar. Na hora de assar, se a massa parecer meio “caída”, peço ajuda ao fermento biológico!

Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 18 comments }

Joyce Ramos April 5, 2011 at 9:40

Eu jurava que tinha lido..Pão de Cereja…..kkkkk….depois que fui lendo e abrindo a mente e vi Pão de Cerveja, aff!!!!
Mas que tal criar um Pão de Cereja para nós?
Beijinhos e Sucesso sempre!

Pat Feldman April 5, 2011 at 10:01

Hummm, pão de cereja parece tentador!!!!!!!

Ana April 5, 2011 at 15:58

Oi Pat! Sou leitora do seu site a poucas semanas, virei super fã de vc!!! Muitos assuntos são novidades para mim, coisas que nem imaginava… Gosto de pesquisar sobre alimentação saudável e eu me preocupo em ter uma alimentação natural, tanto que evito, na medida do possivel, diversos alimentos que encontramos facilmente nos supermercados. Passei a ter essa visão depois de adquirir uma gastrite aos 17 anos… devido alimentação ruim + estresse. Já passaram 10 anos e aprendi que nós realmente “somos o que comemos”! Abraços e obrigada pelas suas matérias!

glauber pina de oliveira May 2, 2011 at 15:33

Sou padeiro confeiteiro a 13 anos, posso estar passando a receita de fermentacao natural p vcs. Precisa de muita dedicacao para fazer o pe, tem que ter muito interesse, depois de pronto e so guarda lo e alimenta lo por anos a fio.
Um abraco,

Att:Glauber Pina de Oliveira

maria jose July 7, 2011 at 17:29

Olá,
Gostaria de ter a receita da fermentação natural mencionada por Glauber, como fazer para contatá-lo?

glauber pina de oliveira May 25, 2015 at 18:37

Ola Maria, posso passar a fermentacao sim, meu telefone e 11 46665439
email glauber.po@hotmail.com

Viviane Freitas August 12, 2011 at 19:14

Olá Pat!
Olha a unica maneira que consegui fazer seu pão foi assim:Faço a massa basica normal amasso e deixo no iorgute fermentando naturalmente.No dia seguinte ou depois de umas 8 horas coloco o fermento de saquinho(fermento em pó para pão)misturado com 1 colher de farinha,amasso novamente deixo mais 2 horas crescendo e asso.Não acertava fazer seu pão,então comecei a fazer assim,mas não sabia se estava certa,e fica maravilhoso.Concordo com vc acho que ainda assim é bem melhor que comprar pães industrializados.Bjosssss

Pat Feldman August 12, 2011 at 20:12

viviane, ótima saída. esse fermento pronto nao é do mal, o problema dele é só que a massa fermenta rápido demais e nao neutraliza eventuais antinutrientes. vou testar essa tua tática aqui em casa também.

Priscila January 15, 2012 at 7:58

Pat, tentei fazer o pão da massa multiuso em casa e também acho que não tenho mão para isso. Comprei uma máquina de pão para que ela fizesse o serviço por mim, mas na primeira tentativa foi um fracasso. Eu não sei se tem que seguir somente as receitas que vem junto com ela, mas os ingredientes nada me agradam, como açúcar, etc. Você sabe como usar essas máquinas? Será que eu consigo fazer as receitas de pães aqui do seu site nela? Beijos.

Pat Feldman January 15, 2012 at 8:45

Priscila, nunca usei uma dessas máquinas de pão…

cláudia February 29, 2012 at 14:57

Olá Pat, achei interessante o fato de colocar as farinhas de trigo integral e a branca de molho. Gostaria de saber qual a quantidade de agua para este processo? É até cobrir as farinhas?

No aguardo,

Cláudia

Pat Feldman February 29, 2012 at 17:33

Claudia, no caso dos grãos, é água suficiente para cobrir completamente os grãos. No caso de farinhas, o suficiente para formar uma massa não muito úmida. Eu cito proporções em várias receitas de pães que publiquei aqui.

cláudia February 29, 2012 at 17:54

Grata pela atenção Pat. Mas vou abusar mais um pouco. Eu faço meu pão com o fermento seco instâtaneo. No caso deixo as farinhas de molho por uma noite só com a água? Como não passo bem com iogurte, terei que continuar usando o fermento seco instântaneo. Ah, não consigo encontrar sua receita de massa multiuso!?!

Katia Moscon May 15, 2012 at 18:49

Pat, eu fiz seus pães por um tempo, comecei a fazê-los depois da dieta dos 3 meses, e adorava…
Mas aconteceu isso que vc falou, começou a não dar certo, troquei farinha, troquei tudo e nada funcionava.
Aí desisti e voltei a comprar pães integrais no mercado, e me desculpe a palavra, mas sentia nojo do pão, comia vendo o monte de conservantes e anti mofos que colocam…
Até que em abril quando fui para os EUA decidida a comprar minha Kitchen Aid, eu comprei, apesar do peso, uns 12 kgs eu acho… rsrs, nas outras vezes não tive coragem, sempre achava mega pesada.
E hoje vou fazer meu primeiro pão com ela.
Já deixei farinha misturada com iogurte desde ontem, e quando chegar em casa vou recomeçar minha rotina de pães caseiros!
Fico feliz em saber que vc também cede as vezes, e assim vou tentar variar os pães, como vc falou, mesmo usando um fermento industrializado ou até farinha branca, ainda é muito melhor que qualquer coisa industrializada…
Tomara que eu nunca mais precise comprar pães!
Bjos
O proximo vai ser esse de cerveja.

Carollinne April 4, 2014 at 11:23

Oi Pat, tenho um livro bem antigo…(da minha bisa rsrs adoro isso…kkk) e lá menciona o pão integral com levedura de cerveja para fermentar. No frio sugere tais 12/ 24 horas o processo, no calor algumas horas…vc já ouviu a respeito? Ainda não tentei pois não sei se isso é válido para neutralizar e tal… Ah! Faço o pão com iogurte (multiuso)e gosto , cresce pouco mas tá bom, porém gostinho azedo? é assim mesmo? Bjs e obrigada.

Pat Feldman April 5, 2014 at 7:53

Pão de fermentação natural sempre é meio azedinho. Normal!

Andre August 14, 2014 at 9:19

Não entendo este site. Sinceramente, não.
Condena leite pasteurizado, leite de caixinha, suco de caixinha e até suco feito na hora, mas aprova cerveja, uma bebida que contém álcool, traz diversos malefícios orgânicos e sociais.

“Esperei meu marido com uma garrafa de cerveja e ele tomou uns goles”.

Estou surpreso!

Pat Feldman August 14, 2014 at 9:38

Andre, eu condeno, e MUITO o uso rotineiro e exagerado dessas coisas que você citou no seu comentário, inclusive a cerveja! Mas eu sei que não podemos viver numa bolha e sei que algumas coisas que fazem mal ao corpo, fazem bem à mente, então o negócio é achar o equilíbrio e aproveitar a vida!!!

Isso vale para doces, pães, sucos – que podem ser feitos em casa de maneira mais saudável – e até para bebidas alcoólicas e cigarros. O cigarro eu dispenso porque não gosto, mas tenho certeza de que na medida (e nesse caso é beeeeeeeem de vez em nunca), faz mais bem do que mal.

Eu como besteira de vez em quando, bebo besteira de vez em quando, durmo tarde de vez em quando e sou muito feliz sempre!

Comments on this entry are closed.

Previous post:

Next post: