Relactação, uma experiência

by Pat Feldman on 21/07/2010 · 13 comments

in Amamentação, AMIGOS, ARTIGOS, Leitores do Crianças na Cozinha

Eu estava esperando o meu bebê nascer (ó céus, como demora a passar esse final de gravidez!!) e passar pela experiência pessoal da relactação com auxílio de sonda para falar sobre esse assunto tão importante, que com certeza ajudará tantas mamães, mas a Marina, uma amiga querida, passou pela experiência há alguns anos e escreveu um artigo muito completo e instrutivo, que vale a pena ser lido.

A Marina gentilmente permitiu que eu reproduzisse o artigo dela sobre relactação aqui no site Crianças na Cozinha. Depois que eu também passar pela experiência, dando ela certo ou não, venho dar o meu parecer aqui , contando o que foi fácil ou difícil, bom ou ruim.

Já contei minha história de amamentação aqui
Agora vou contar com detalhes sobre a técnica de Relactação, já que tantas pessoas me procuram para saber como fiz e como podem fazer…
Você sabe o que é a técnica da Relactação?
A Relactação é uma técnica que, ao mesmo tempo em que supre a alimentação, incentiva a sucção no peito, levando o bebê a reaprender esse mecanismo, que induz a produção do leite pela estimulação dos hormônios prolactina e ocitocina.
O objetivo maior desta técnica é resgatar a amamentação e a produção de leite diminuida ou perdida.
A Relactação é indicada para bebês que:

• Deixaram o peito para usar a mamadeira, querendo sua mãe voltar a amamentá-lo;

• Com sucção pouco eficiente, ordenhando pouco leite e com baixo peso;

• Que rejeitaram o peito;
• Prematuros que não conseguem ordenhar todo o leitenecessário;

• Doentes – cardíaco e outros – que não podem fazer esforço;
• Portadores de síndromes, caso haja dificuldade;
• Recém nascidos cujo colostro da mãe não desceu, por motivos de saúde.
A Relactação é indicada para mamães que:

Cujo leite não desceu ou parece ser pouco;

• Que tomou medicamento para secar o leite e quer retomar a amamentação;

• Que adotou um bebê e quer também oferecer o leite dela;

• Com hipogalactia.
Primeiros passos para a Relactação:

• Ter em mente que é trabalhosa, exige dedicação e persistência;

• Não oferecer durante o processo todo, mamadeira, pois todo esforço pode ser perdido;

• Se houver necessidade de complementaçãodeve-se usar copinho;

• Ajuda de famíliares ou empregados com os demais trabalhos, pois é um momento de total dedicação da mãe.
Materiais utilizados para a técnica de Relactação:
•Sonda Levine nº 4 (cateter estomacal, gástrico ou uretral) – encontrado em lojas de produtos hospitlares;
•Seringa descartável ou recipiente de leite (pode ser um copinho ou mamadeira);
•Fita crepe ou micropore para prender o cateter ao seio.
ou
Produtos de Nutrição Suplementar como:
Mama Tutti – Método Suplementar de Alimentação
Como fazer a Relactação:

• Introduzir a ponta do cateter de 2 a 3 cm ao lado ou por cima do mamilo, cuidando para não ultrapassar a ponta do

mamilo e colar o micropore para segurar a sonda no seio;

• Colocar o bebê no peito, verificar pega (o bebê deve abocanhar toda a auréola, não deve fazer covinhas ou barulhos);
• Colocar a extremidade mais larga do cateter na vasilha com leite;

• O recipiente do leite deve ficar abaixo do nível da boca;

• Se o bebê tiver ordenhando muito rápido o leite do

recipiente, pode-se diminuir o calibre do cateter, com

auxílio de um clipe, ou apertando com dedo.

Minhas dificuldades:

• Achar a sonda cateter flexível nº 4. Acabei achando em uma loja de artigos hopitalares;
• O Lipe não aceitava o peito por estar acostumado a mamadeira, não o reconhecia, rejeitava-o;
• O Lipe chorava e empurrava o peito e a minha vontade realmente foi grande para

não desistir!!!

DÁ VONTADE DE CHORAR! MAS VOCÊ TEM QUE SER FIRME, É POR POUCO TEMPO!

As dificuldades foram superadas assim:

•Não dava outro líquido a ele;
• Acalmava-o, colocando-o nu, junto de mim, para que sentisse minha pele (aconchegando, cantando…);
• Tentava ficar calma e relaxada;
• Não esperava que tivesse muita fome;
• Usava o leite que tirava com a bombinha e só depois incluía o leite artificial, porque sempre fiz assim, pois fui orientada a dar o leite que ele estivesse acostumado e só usar o leite ordenhado somente quando estivesse habituado;
• Pingava o leite com seringa ou conta gotas nos lábios do bebê e mamilo e aréola (estimulando o cheiro e sabor, para que começasse a sugar);

• Quando ele iniciava a sucção, introduzia sonda e ia pingando leite a cada sugada;

• Assim que melhorava a sucção, introduzia a outra ponta da sonda no copinho com leite;
• Realizava ordenha de 2 em 2 horas com uma bomba de extração de leite, para estimular a produção e guardava o leite retirado para a próxima mamada;
• Aproveitava os outros momentos para dormir;

Oferecia o peito sempre que podia!!!

Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 10 comments }

Julia Aidar July 21, 2010 at 21:40

Pat, desejo muito boa sorte a vocês, e aliás, desejo que a relactação não seja nem mesmo necessária!

Um feliz nascimento e babymoon!

Luciana O'Gara July 21, 2010 at 22:24

Nossa Pat, seu filho nem nasceu e vc ja esta pensando em re-lactacao? Pensa positivo que nao vai ser necessario…vai ser lactacao, lactacao, lactacao! Cada filho e diferente…tenho certeza de que vc nao vai precisar passar por isto.
Muita paz e luz no parto!

Pat Feldman July 21, 2010 at 22:32

Luciana, eu estou pensando em tudo isso, mas sineramente torço para não precisar. É que realmente não tive nadinha de leite da outra vez, e dessa vez não quero ser pega de surpresa!! De qualquer forma, não deixa de ser um assunto de interesse de muitas mamães!

Simone Santos July 22, 2010 at 11:14

Olá Pat, tudo bem? Que bom esse artigo que vc publicou. Tenho dois filhos e quando este último nasceu, eu não tive muito leite e fiquei muito chateada de não poder amamentá-lo o mesmo tempo que a minha primeira filha… Vai ajudar muito as mamães que querem amamentar os seus filhos e que por algum motivo não podem…

Bjs.

Erika July 22, 2010 at 11:23

Muito interessante a experiência e gostaria de deixar a minha tbm (da forma mais resumida possível):
Meu bebe aspirou mecônio no parto e passou 8 dias na UTI, onde foi alimentado com sonda e mamadeira (além do peito, quando possível). Quando viemos pra casa, abandonamos a mamadeira e apenas ofereci o peito (que tinha leite pra chuchu!). Ele passava mais de uma hora no peito (aparentemente sugando) e saía chorando de fome. Depois de alguns dias de sufoco (e meu peito em frangalhos), fizemos um teste com uma mamadeira pra confirmar se o choro era fome mesmo. Chorei quando ele mamou quase 100ml! A partir daí, quando ele chorava muito depois do peito, dávamos a mamadeira como complemento
Quando ele estava com 1 mês procuramos uma especialista em lactação que disse que estávamos condicionando nosso bebe a aguardar pela mamadeira após o peito. Ela percebeu que ele sugava o peito, mas de forma ineficiente e lá fomos nós para a relactação com sonda.
MINHA EXPERIÊNCIA: Precisa mesmo ter muita força de vontade. É bom saber disso antes de começar. Eu tentei alguns dias, mas acabei desistindo por conta da rejeição agressiva dele (toda hora de mamar era um stress muuito grande por 2 horas), por meu peito estar muito machucado e pelo fato dele ter ganho apenas 100gm em 1 mês de vida.
No final, consegui dar meu leite na mamadeira até o 3o mês.
Confesso que sinto uma frustação, mas tenho certeza de que no próximo bebe, essa experiência me ajudará bastante.
Um conselho: Amamentação é algo natural, mas pra algumas pode ser complexo, por isso, se puder, ao primeiro sinal de problema, procure uma boa especialista em lactação, que poderá ajudá-la na busca da melhor solução.

Catherine July 22, 2010 at 12:31

Mas dessa vez vai dar certo, vc tem mais informação e conhece grupos de apoio especializados e muitas pessoas que vão te apoiar!!!! Vc vai conseguir!
Leia tb o relato da Barbrinha, publicado aqui:
http://www.barbarasaleh.com/2010/06/11/relactacao-ou-translactacao-a-solucao-para-a-baixa-producao-de-leite-materno/

Beijo!
Mta ocitocina e leite materno pra vcs!

Marina July 22, 2010 at 22:19

Pat, tbém acredito que desta vez tudo será diferente. Você está mais informada, será bem apoiada e já tem toda a experiência anterior…
Tudo isso dá muita segurança, por isso acredito que a ocitocina e a prolactina virão com tuuuuudo!
Pode contar comigo, viu?

Beijocas,
Marina

Claudia Regina F S Sanchez July 22, 2010 at 22:40

Pat, meu bb tem 3 meses… e não tive quase leite… tentei de tudo, inclusive a sonda… mas é mto cansativo e frustante ver seu bb gritando de fome e vc lá insistindo numa coisa que não está sendo eficiente.
Tirei meu leite com bomba eletrica até os 50 dias, era tão pouco leite que acabou parando de vir, ainda que usasse todos os métodos…
Eu acredito que o LM é mto bom, mas é bom qdo se tem e não causa stress a mãe ou ao bb… eu quase entrei na DPP, e por sorte, falando com amigas, vi que estava dando murro em ponto de faca.. . Eu não tinha leite, não importava se meu bb sugasse, se usasse a bomba, nada serviu pq eu simplesmente não tinha leite…
Hj meu bb mama mto bem o LA, esta forte e saudável, ganhando peso e crescendo…
Há um apelo mto gde sobre o LM na mídia, mas se esquece que nem todo mundo produz LM, e há mães sofrendo por não ter… ainda m,ais qdo te olham e dizem: QUE PENA!!!!
Sim , é uma pena, porém mais pena é sofrer esta pressão horrível…
Ouvi de tudo, até que meu bb teria assaduras pq não tomava LM.
Que meu relato sirva tb p/ aquelas mães que passam 9 meses sonhando em amamentar e não podem… Eu sempre disse que usaria LA numa boa, mas bastou começar a pressão das pessoas p/ eu sofrer MUITOOOOOOOO.
Aff, fali demais…

Bjs
CLau

Pat Feldman July 22, 2010 at 22:54

Clau, passei por isso na 1a. gravidez. Agora vou tentar de novo, mas não devemos e não podemos nos sentir culpadas caso não dê certo. Veja o que já screvi sobre o assunto: http://pat.feldman.com.br/?p=893

dadiana July 26, 2010 at 15:13

Olá meninas, acho super importante todo esforço no sentido da amamentação sem mamadeiras ou afins, mas temos que ter em mente que a prioridade é o bebe, devemos saber o limite entre o nosso desejo, nossa realização pessoal e o que é mais importante para o bebe no momento.Será que é melhor ter um bebe,completamente estressado, chorando, berrando de fome, por insistirmos no que desejamos?O que será mais prejudicial, o stress ou a alimentação “artificial”?
Quero deixar claro, que eu apoio todo esse esforço, meu filho vai fazer 6 meses com aleitamento materno exclusivo,e eu sempre acho que as mulheres desitem rápido demais de amamentar seus filhos, mas realmente, considero importante termos flexibilidade suficiente (todas concordam que ficamos radicais demais no pos parto,rsrsrs)para respeitarmos os limites dos nossos filhotes.
Ah, uma dica, lí no blog da Sonia Hirsch, que GERGELIM estimula a produção de leite!Eu tenho consumido na salada e realmente a produção aumenta!
Pat, tudo de bom, no seu parto, muita luz e serenidade!

Comments on this entry are closed.

{ 3 trackbacks }

Previous post:

Next post: