Strogonoff de carne sem industrializados (2 receitas!)

by Pat Feldman on 05/11/2014 · 30 comments

in Carnes, DIETA FELDMAN ANTIENXAQUECA, RECEITAS

Screen Shot 2014-11-05 at 1.31.51 PM

Strogonoff de carne é quase uma unanimidade, praticamente todo mundo gosta. Preparado do jeito certo, com ingredientes naturais – de preferência orgânicos – um strogonoff de carne pode ser também um prato muito saudável, que só faz bem para a nossa saúde!! Hoje em dia você já consegue encontrar até carnes orgânicas, se bem que a minha preferência é pelas carnes de animais criados soltos.

Os meus filhos amam essa receita de paixão, marido nem se fala e eu também adoro!!

Eu cresci comendo strogonoff “abrasileirado”, que meus pais faziam basicamente com ketchup e creme de leite de latinha. Era gostoso, mas sabendo tudo o que sei hoje em dia, não faço mais assim de jeito nenhum!! Até criei uma receita inspirada nela, que aparece em primeiro lugar logo abaixo.

Fui pesquisar a receita de verdade, de origem russa e acabei me deparando com a receita da Nela Rubinstein, esposa do grande pianista Arthur Rubinstein e tida como uma das melhores anfitriãs de sua época na Europa. A família na verdade é de origem polonesa, mas a receita se aproxima muito do que pesquisei como russo.

À época da publicação do seu livro, pós 2a. guerra, explosão no consumo de industrializados, a Nela fala muito em caldos industrializados. Nem preciso dizer que eu imediatamente substitui pelo meu caldo de carne caseiro, que além de mais saboroso, é infinitamente mais saudável!

Querem testar as minhas receitas totalmente caseiras e livres de industrializados de strogonoff de carne? Escolha a sua versão favorita, a primeira “abrasileirada”, com molho de tomates temperado no lugar do ketchup (na época dessa receita eu ainda não fazia ketchup em casa) e a segunda, uma versão adaptada da Nela Rubinstein, que é simplesmente DELICIOSA e muito mais fácil de fazer!!

Versão “abrasileirada”

Ingredientes:

1 colher de sopa (cheia) de manteiga de boa qualidade

1 cebola grande finamente picada

1kg de filé mignon cortado em tiras finas e temperado com sal e pimenta do reino (eu prefiro a moída na hora) (se a grana estiver curta, a alcatra custa menos e também dá um ótimo efeito!)

2 a 3 xícaras de champignons frescos finamente fatiados (dá também para usar o tradicional e prático em conserva, mas tendo a oportunidade, o fresco dá um gosto e textura ainda melhores!)

1/2 xícara de conhaque

500 mL de creme de leite fresco

Molho (bater os ingredientes seguintes no liquidificador e reservar):

6 tomates orgânicos bem maduros

2 dentes de alho

1/4 de xícara de água filtrada

1 colher de sopa de sementes de urucum

1/2 colher de chá de páprika picante

sal e pimenta do reino a gosto

Modo de Preparo:

Refogar a cebola picada na manteiga até que ela comece a dourar;

Acrescentar a carne temperada cortada em tiras, mexendo sempre;

Passados cerca de 3 minutos acrescentar os cogumelos, SE ESTIVER USANDO FRESCO;

Mexer bem e deixar no fogo alto até que o fundo da panela comece a secar e a carne comece a dourar;

Acrescentar o conhaque, mexendo sempre e se estiver usando cogumelos em conserva, acrescentá-los agora.

Mexer sempre até que o fundo da panela comece a secar novamente;

Acrescentar então o molho batido no liquidificador, mexendo sempre;

Quando ferver, baixar o fogo e cozinhar por cerca de 10 a 15 minutos em panela semi tampada;

Quando o molho estiver bem vermelho e mais espesso, é só acrecentar o creme de leite, aquecer mais um pouco e servir.

Eu gosto de servir esse strogonoff de carne acompanhado do meu arroz integral básico – já me acostumei tanto, que nem sinto falta do arroz branco, porém se meu pai almoça conosco, temos arroz branco além do arroz integral.

Screen Shot 2014-11-05 at 1.20.45 PMVersão Russo-Polonesa da Nela Rubinstein (adaptada por mim)

Ingredientes:

1 colher de sopa de manteiga

1 cebola grande finamente picada

4 xícaras de champignons frescos sem cabinho e finamente fatiados

1 kg de filé mignon cortado em tiras finas (diferente do picadinho, onde a carne é cortada bem quadradinha, no strogonoff o usual é que a carne seja cortada em tiras longas e bem finas)

pimenta do reino moída na hora (eu uso pouco mais de 1/2 colher de chá, mas o ideal é ajustar a quantidade ao seu gosto, lembrando que pimenta só faz bem)

1 colher de sopa de páprica picante (você pode usar um pouco mais se gostar bem picante, e olha que fica bom, viu!)

3/4 de xícara de conhaque (adaptando ao que tinha em casa, já usei vodka, whisky ou cachaça e todas as variações ficaram ótimas, o importante é usar uma bebida forte, de sabor marcante, que faz toda a diferença no resultado final. O álcool evapora durante o cozimento!)

2 xícaras de caldo de carne caseiro

500mL de creme de leite fresco (latinha e caixinha não pode!!!)

sal à gosto

Modo de Preparo:

Refogue a cebola picadinha na manteiga em fogo médio/baixo até que a cebola comece a dourar.

Junte os cogumelos, mexendo ocasionalmente. Os cogumelos soltam água, então você deve refogar até esse líquido secar e os cogumelos começarem a dourar – em fogo médio isso leva pouco mais de 5 ou 6 minutos, mas claro que o tempo de verdade vai depender da potência do seu fogão e até do tipo de panela que você estiver usando.

Quando o fundo começar a escurecer, junte a carne, mexendo vigorosamente. Junte também a pimenta do reino e a páprica.

Quando a carne estiver dourada e o fundo da panela seco novamente, junte o conhaque (ou a outra bebida alcoólica escolhida) e mexa muito bem. É nessa hora que os profissionais entendidos do assunto flambam – colocam fogo – no prato, aproveitando o álcool da bebida e isso deixa o prato ainda mais incrível. Eu não flambo, só deixo secar, porque morro de medo dessa técnica que não domino. Brincar com fogo não é brincadeira, então só flambe se tiver certeza de que domina totalmente a técnica.

Quando a bebida começar a secar, junte o caldo de carne, leve à fervura e deixe o líquido reduzir um pouco, mas não secar completamente.

Junte o creme de leite fresco, mexa bem e deixe o creme engrossar um pouco (engrossa sem a necessidade de farinha ou amido, graças à gelatina presente no caldo de carne caseiro).

Sirva imediatamente, fumegando, acompanhado de arroz ou batatas cozidas ou batatas palha (algumas marcas no mercado já são preparadas com gordura de palma, bem mais saudável, então olho vivo na hora de comprar!)

Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 28 comments }

Lígia July 25, 2007 at 21:08

Olá Pat
O creme de leite fresco que encontramos no supermercado pode ser usado? Adoro estrogonof e esse seu é super prático de fazer.

patblog July 25, 2007 at 21:53

Lígia, modéstia a parte, esse strogonoff além de prático é absolutamente delicioso!!!!

Eu procuro sempre usar o creme de leite fresco cru, orgânico, que eu compro na feira do Parque da Água Branca todos os sábados, mas como não é nada fácil ter acesso a esse creme em qualquer lugar do Brasil (nos EUA você encontra cru m alguns estados), use sem medo o creme fresco do supermercado.

Outra opção é usar leite de castanhas, que você pode fazer em casa e é super saboroso. Se não me engano, a receita está no meu livro. De qualquer forma logo vou colocá-la aqui no site!!

ISABEL JIMENEZ September 17, 2007 at 16:25

Oizinho Pat.
Amei a receita, apenas não entendi como é usado o urucum. Qual o efeito dele no prato. Onde encontro?
Um grande beijo,
Beoa semana!
Isabel
=]

Priscila Almeida September 18, 2007 at 11:49

Oi Pat.
O coloral encontrado no mercado não tem o mesmo efeito do urucum, se não onde posso encontrar.

Pat Feldman September 18, 2007 at 16:32

Meninas, coloral e urucum são a mesma coisa! Acho que eles apenas preferem chamar de coloral o urucum que já está moído, em pó.

Eu gosto de colocar um punhado de urucum no molho de tomate do strogonoff prá ele ficar bem vermelhinho. Confesso que acho o tomate puro meio sem graça, fica uma corzinha meio morta… E comida tem que ser bonita, além de gostosa e nutritiva!!

Olha o que eu encontrei AQUI sobre urucum.

Marcio Chris September 20, 2007 at 1:45

Olá Pat!

Recentemente deixei de ser exclusivamente vegetariano mas gostaria de me certificar que a carne vermelha seja realmente isenta de químicas malucas. Como vc compra a carne para sua família? Existe carne bovina “orgânica”?

Adoro seu blog!

Pat Feldman September 27, 2007 at 18:24

Marcio, ter certeza eu acho que a gente nunca consegue totalmente e eu tento não ficar muito neurótica com mutos detalhes…

Pelo que pesquisei, a carne brasileira não é das piores. Aqu temos espaço para muito pasto, a maioria do gado é criada solta, pastando, na maior parte do ano. Carne de gado que pasta, que é criado solto, é muito mais nutritiva. Sabia?

No mercado brasileiro – com certeza em SP – já se encontra carne certificada orgânica e carne de bo criado solto 100% do tempo. A orgânica é da Friboi e eu costumo encontrá-la na rede Carrefour, Casa Santa Luzia e em algumas lojas do Pão de Açúcar. O criado solto é da marca Nelore – Boi Verde, que costumo encontrar no Wall Mart e Sam’s Club.

Vacinas todos os bichos tomam, ou pelo menos deveriam segundo as leis brasileiras. Eu compro carne em açóugues de confiança e nunca em graaaandes promoções. Ouvi algumas histórias esqusitas sobre carnes a preços promocinais, então evito. Minha saúde vale mais!!

A carne argentina, essa sim, passa beeeeeem longe da minha casa!!!! Naquele país se pode dar hormônios para os animais, dentro da lei!!! Só isso já me faz ficar longe, nem quero saber do resto…

Ariel January 14, 2008 at 21:11

Fiz. Ficou mto bom! Acredito que cometi algum erro, pois o molho em nenhum momento ficou espesso. Talvez seja pelo fato de eu ter colocado os tomates em um triturador.

Isa May 29, 2008 at 14:18

Delícia amiga..
Hoje almocei strogo tbm.. mas não foi este!
Vou testar findi e depois te conto!!!
Beijocas
TE ADOROOOOO

Janaina Nascimento February 26, 2009 at 12:33

Ameii o geito de explicar e tmb gostei muiito da receita estao de párabens BjOss

Janaina Nascimento February 26, 2009 at 12:33

Ameii

claudia godinho March 17, 2009 at 8:58

gostaria de saber qual a quantidade de porcoes vou fazer uma festa para minha filha 04.04.2009 e vou fazer
esse estrogonoff qual a quantidade
para 120 pessoas

obrigada
beijos
claudia godinho

Pat Feldman March 17, 2009 at 12:12

Claudia, essa receita, com essas quantidades, eu normalmente preparo para 4 a 5 pessoas. Para 120 pessoas (uau, que corajosa!!), eu sugiro multiplicar as quantidades por 30.

Flavia February 9, 2010 at 13:12

Adorei, ficou uma delícia! Fiz também arroz integral e batata palito (Faço no forno, espalhadas em uma assadeira, com azeite e sal). Chama a atenção como o mesmo prato, dependendo da forma como é preparado, pode ser saudável ou não. Obrigada por mais uma receita!

Jovânia Baltazar April 28, 2010 at 19:22

Pat, Isabel e Priscila, eu já vi coloral misturado com outras porcarias nada naturais. Fiquem de olho nos ingredientes!

Pat Feldman April 28, 2010 at 20:12

Pois é, Jovânia, eu fiz essa descoberta outro dia desses. No melhor dos casos o urucum em pó vem misturado só com fubá, mas já via misturado até com gordura vegetal hidrogenada (em pó???!?!?!?!?!!?).

Agora só compro as sementes de urucum e bato no liquidificador com o molho.

Nina June 2, 2010 at 13:56

Fiz hoje essa receita delìcia! Marido e filho gostaram muito!!! E eu tb, of course!

Maria Luiza Brilhante October 4, 2010 at 13:27

Os tomates são batidos com casca e sementes no liguidificador? Ou devo tirar as sementes antes?

Pat Feldman October 4, 2010 at 18:19

Bato com tudo!

Rosanah November 23, 2011 at 18:29

OI Pat, adorei conhecer seu trabalho e de seu marido, mas só fiquei com uma duvida…
Eu e minha filha de 10 anos temos colesterol enzimático ou seja o nosso colesterol é alto mesmo se alimentando de forma saudável ele só abaixa com remédio. Meu cardiologista diz pra ficar longe de gorduras , então não comemos carne vermelha, não uso queijos, creme de leite, manteiga etc.
Mas lendo seu blog vi que voces tem uma outra opinião sobre alimentação e achei interessante. Será que eu posso consumir esse creme de leite fresco ,carne, manteiga destas receitas deliciosas que voce ensina ?
E gostaria também de fazer seu curso me passe end e valor
1000 beijos

Pat Feldman November 23, 2011 at 19:31

Rosanah, quem sou eu para ir contra o seu médico?? O que eu posso te indicar no entando são algumas leituras para que você reflita, discuta com seu médico e eventualmente uma segunda opinião, e tome suas próprias decisões.

Eis os textos:

http://pat.feldman.com.br/2009/07/03/medo-de-gordura-sai-dessa/

http://pat.feldman.com.br/2009/07/19/de-onde-surgiu-o-mito-de-que-gordura-faz-mal/

Amelia November 6, 2014 at 8:45

Oi Pat, voce já experimentou usar mostarda de Dijon em vez da páprica no strogonoff? Fica uma delícia! Parabéns pelo seu trabalho! Beijos

Pat Feldman November 6, 2014 at 14:29

Nunca fiz, Amélia! Mas deve ficar bom demais!!

Caroline November 28, 2014 at 17:35

Ola Pat, Gostaria de saber com que idade posso comecar a dar comida feita com vinho ou outro tipo de alcool para a crianca. Tenho uma filhinha de 14 meses.
Muito obrigada :)

Pat Feldman December 1, 2014 at 12:37

Caroline, o álcool na comida evapora, especialmente nas minhas receitas de cozimento longo e lento. Meus filhos comem desde que passaram a comer 100% só as comidas da casa, quando aceitaram pratos mais elaborados, por volta dos 3 anos de idade.

Ana March 16, 2016 at 15:24

Oi Pat, os tomates sao batidos com pele e semente?

Pat Feldman March 16, 2016 at 18:13

Sim

Anna Francao July 29, 2016 at 11:31

Obrigada! Obrigada! Mil vezes obrigada!

Meu filho adora Strogonoff e eu reluto em fazer porque minha consciência dói só de pensar na quantidade de creme de leite (eu sempre usava caixinhas) e condimentos que ele vai ingerir em uma só refeição.
Agora, já posso fazer essa receita sem culpa.

Adoro suas dicas. Estou me preparando para aventurar no fogão a lenha pela primeira vez e preparar caldos caseiros.
Sucesso e muita saúde para você e sua família.
Beijo

Comments on this entry are closed.

{ 2 trackbacks }

Previous post:

Next post: