RECEITAS

Mamãe, eu quero quiabo!!!!

Screen Shot 2015-04-24 at 8.13.33 AMMeu pequeno descobriu o quiabo!

Num dos nossos “passeios” ao sacolão perto de casa ou à feirinha de orgânicos mostramos a ele o quiabo, assim como mostramos todas as outras frutas, verduras e legumes com respectivos nomes. Ele quase morreu de tanto gargalhar quando ouviu quiabo, parecia a piada mais engraçada do mundo!!!

Agora toda ida ao sacolão é quiabo, toda feira à quiabo. E ele já sabe direitinho o que é quiabo, e ele já sabe direitinho onde fica o quiabo, e eu ao lado vou morrendo de rir da cara de espanto do pessoal em volta. Ele chega gritando quiabo (na lí­ngua dele sai algo como “queaboooooo”) como se fosse a maior gostosura, a maior iguaria do mundo!!

Mas tenho uma confissão: nem imagino se é ou não gostosura, nunca provei! Nem imagino como se prepara…

Ontem, numa das nossas tantas idas ao sacolão (eu tenho achado muito instrutivo, todo dia ele aprende um nome de comida novo, comida de verdade!) lá foi ele gritando pelo quiabo de novo, gritando tanto que resolvi comprar um pouquinho e ver no que dava.

Comentei o fato com uma amiga, que logo ligou para sua cozinheira (ai que chique!) pedindo instruções de preparo. Ela refoga no óleo, com um pouquinho de tempero e pinga umas gotas de limão no final. Diz que tira a tal “gosma” que se forma (e eu nem da gosma sabia…).

Lá fui eu preparar o tal quiabo…

E o pequeno todo feliz ao meu lado, abrindo o armário para pegar o “patinho do vovô” (tradução: o prato de comida dele, que é o mesmo prato que meu pai usava nessa idade – minha avó guardou esse tempo todo e me deu).

Quiabo pronto. Eu, muito desconfiada não provei, ainda não foi dessa vez!

Para acompanhar, o lombinho assado do almoço e ovinhos de codorna a vinagrete, que ele provou outro dia e amou.

Afe!!!!!!! Na 1a. colherada ele fez uma caretinha. A 2a. colherada foi pior, uma caretona!!! Na 3a. ele mandou tudo de volta, fechou a boca para a comida e começou a chorar pedindo melão (?!?!?!). Tentei mais um pouquinho e nada… Ainda assim, não me veio vontade de provar. Mas acho que tenho duas opções: ou ele não gosta mesmo de quiabo e só achou o nome engraçado ou eu é que não soube preparar. Tem uma grande chance de ser a 2a. opção!!!

Então fica para hoje a minha aventura: descobrir um novo jeito pro quiabo. Não vou forçar nada, mas agora cismei que quero aprender a preparar o negócio direito, até me aventurar a provar. Oferecer do jeito certo, preparado bem gostoso, para só então ter certeza de que ele nào gostou mesmo.

Vou ficar esperando as dicas!!!!!

Quem é a Pat FeldmanPat Feldman

Pat Feldman é culinarista, criadora do Projeto Crianças na Cozinha (www.criancasnacozinha.com.br), que visa difundir para o grande público receitas infantis saudáveis, saborosas e livre de industrializados. É também autora do livro de receitas A Dor de Cabeça Morre Pela Boca, escrito em parceria com seu marido, o renomado médico Alexandre Feldman.

24 comentários

  1. Rsss
    Pat primeiro fiquei admirada de vc nunca ter comido quiabo, eu infelizmente não sei como se prepara, mas adoro! na casa da minha mãe se come muito, eles fazem de 2 jeitos, ou cortadinho em pqs rodelinhas e refogado com alho, cebola e temperos, ou um tipo vinagrete com abobora, muito bom tambem, ai´sei que a abobora é cortada em cubos, tamanho de um cubo normal de gelo, e o quiabo no mesmo comprimento da abobora, eles são cozinhos, mas num tempo que fiquem firmes, depois colocados em uma travessa com o tal molho que vai limão, pimenta, etc etc….desculpe, sei que não ajudei em nada e nem tenho a receita pra contar, mas foi só pra dizer que o quiabo eh bem gostoso e tenho certeza que vc vai encontrar uma receita muito gostosa e saudavel para fazê-lo.

  2. Oi Pat, muito engraçada a caretona..kkkk
    Bom, eu gosto de quiabo e qdo preparo sempre dou uma aferventada antes (já picados) com umas gotas de limão ou vinagre. O limão/vinagre ajuda a “baba” não se desprender tanto (mas assim mesmo a água fica uma baba só!). Dai eu escorro ( e sei lá se lá se vão os nutrientes, creio que sim) e adiciono à carne moida já refogada. Ai então é só mexer um pouquinho e se preciso deixar cozinhar um pouco mais.
    Com frango tb fica bom. Frito tb, mas além de não render enche o saco..rs.
    Bom, é isso, boa sorte na próxima vez!

  3. Pat,
    Por acaso minha mãe descobriu que cozinhando o quiabo na mesma água onde as batatas foram cozidas a baba acaba. Eu escolho sempre os menores e escuros pois são macios. O ideal seria que você provasse o quiabo junto com ele e se não gostar não tem problema, ninquém é obrigado a gostar de tudo. Eu, por exemplo, não gosto de cenoura cozida, muito mais comum que quiabo.

  4. Pat, eu amo quiabo e kinha filha (3 anos) tbem gosta, ela come desde que 1 ano, eu faço assim: lavo bem o quiabo, corto as pontas, pico não muito pequeno e deixe por uns 15/20 m de molho numa mistura de água e vinagre, seco bem, coloco um pouco de óleo ou azeite numa panela, frito cebola, alho e depois acrescento o quiabo, jogo um pouco de sal e não ponho mais a colher (dizem que esse é o segredo), só vou mexendo a panela até ficar macio, ele fica sem baba e al dente, é tudo de bom, bjos

  5. Oi Pat muito legal a sua crônica..Achei muito boa e vou indicar aos amigos e colegas (sou professora de ensino fundamental).
    Moro em Salvador e quiabo aqui é uma constante já que se transforma no carurú.Já que vc nunca comeu quiiabo, não iria gostar do carurú.
    Já pesou em publicar um livro??? Se não amadureça a idéia…

  6. Olá Pat. !º o quiabo deve ser bem escolhido. Eu quebro a pontinha(se quebrar tá bom, senão ele está muito fibroso). Lavo, seco. Corto no tamanho que desejar e espremo um pouco de limão para cortar a baba.
    Ai vai depender do seu gosto. Faço no vapor e depois acrescento sal e azeite ou refogo com frango ou carne moída. Mas eu coloco o quiabo quase no final, para ficar al dente. Só comecei a gosta de quiabo depois que casei.

  7. ALGUNS ESCLARECIMENTOS “PÓS-POST”…

    dESCOBRI HOJE PORQUE NUNCA ME DERAM QUIABO: MINHA MÃE DETESTA PORQUE A VIDA INTEIRA FOI OBRIGADA A COMER SEM GOSTAR. pEGOU TRAUMA E NÃO SE INTERESSOU JAMAISEM NOS OFERECER.

    ONTEM O ARTHUR FOI DORMIR NA CASA DELA E A RECUSA AO QUIABO FOI PURA MANHA, VONTADE DE PASSEAR!!!

    MINHA MÃE CHEGOU AQUI PARA BUSCÁ-LO NO EXATO MINUTO EM QUE COLOQUEI O PRATO NA MESA. PRÁ PIORAR AINDA MAIS, CHEGOU FALANDOQUE ÍA LEVÁ-LO PRÁ PASSEAR. nEM PRECISO DIZER QUE COM TANTA NOVIDADE MELHOR, ELE NÃO QUIS SABER DE JANTAR ALGUM, FOSSE A GOSTOSURA QUE FOSSE!!!!

    mAS MINHA MÃE LEVOU A COMIDA TODA COM ELA: O TAL QUIABO, LOMBINHO ASSADO E OVINHOS DE CODORNA A VINAGRETE. CHEGANDO LÁ, MEMSO DEPOIS DE UMA BELA MAMADEIRA DE IOGURTE, O DANADINHO COMEU PRATICAMENTE TUDO. O QUIABO FOI TODO EMBORA!!!!

    AI, ESSA VONTADE DE PASSEAR ULTRAPASSA QUALQUER FOME… OU, FALANDO EM LÍNGUA DE ARTHUR: “PAISSÁÁÁÁÁ”!!!!

    OLHA ELE LÁ DO QUARTO PEDINDO MAIS QUIABO!!!

    VOU TESTAR AS DICAS NOVAS, MAS NÃO VOU ESQUECER DA MINHA RECEITINHA NÃO…

  8. Oi Pat, duas dicas sobre o quiabo, que eu amo e não entendo a má fama, é delícia, com baba ou sem baba… mas já testei essas receitinhas de pingar limão, antes, durante, depois enão adianta, o único jeito de fazer quiabo sem baba é cozinhá-lo INTEIRO, para isso escolha o menores. E outra forma que ousei experimentei amei e recomendo é o quiabo CRU, na salada, picado em rodelinhas, deliciosamente crocante… experimenta! Vou fazer coro com seu filho QUEAAAAAAAAABO…

  9. Depois de ler seu relato Pat, me dei conta de que tb nunca dera quiabo ao meu filho de 11 meses. Resolvi então partir para o teste. Fiz como sempre: refogo com um pouco mais de óleo que de costume e mexo de vez em quando. Depois de sequinho acrescento um pouquinho de água de deixo até ficar macio.(Não sei explicar o fenômeno, mas meu quiabo nunca dá baba)
    Pois bem, refoguei carne moída e, depois de pronta, acrescentei o quiabo e misturei. Ficou ótimo.
    Como boa mineira que sou, claro que não podia faltar o angú.
    Meu filho simplesmente adorou!!! Vou fazer sempre.
    Agora me empolguei. Vou fazer o teste com o jiló, depois conto como foi.

  10. Pat, eu amo quiabo! Principalmente com um franguinho ensopado. Para que ele não fique babando , coloco pedacinhos de tomate no meio. Experimente assim.
    bJ

  11. Pat, meu pequeno, hoje já com 5 anos, ama, assim como eu, comer quiabo. Posso garantir, depois de fazer mais de cem vezes, que tirar a baba do quiabo é muito fácil: Corte o quiabo em rodelas de +/- 1 cm, aqueça bem um pouco de óleo numa panela (+/- 1 colher de sopa), jogue todo o quiabo já cortado e vá mexendo cuidadosamente, deixando ele fritar e vc vai reparar que a baba vai soltando e depois de um tempo fica todo sequinho e sem baba, não se preocupe se o fundo da panela (principalmente se não for de teflon) ficar meio marronzinho, na hora do cozimento este marronzinho dá mais sabor ao prato. Depois de “frito” o quiabo, eu acrescento a carne, picadinha e já refogada e cozida num tempero bem gostoso (na pressa até na panela de pressão, mesmo), (com cebola, tomate, alho, caldo de carne, molho de tomate, etc) e deixo cozinhar o quiabo nesta carne com molho, o próprio molho da carne vai cozinhando e deixando uma delícia…todos comem e pedem mais, até aqueles que dizem que não gostam de quiabo, rs rs…Apesar de seu filhote já ter aceitado e gostado do quiabo, fica mais uma sugestão na próxima vez que ele pedir “qeabooooo”, rs. Beijos e bom domingo!!

  12. Esses dias provei pickled feito de quiabo. Nao eh que eh gostoso? Eh com o quiabo pequeno e inteiro. Diferente!

  13. Oi Pat, muito engraçado mesmo o fato de vc nunca ter comido quiabo! Olha só, tb frito o quiabo para acabar com a baba dele. Afinal, aquela gosma é água, e fritando, ela seca. Mas confesso que gosto com a baba mesmo.
    Experimente fazer o quiabo com milho, fica bom demais e dá um colorido legal no prato. Pra começar, coloque mais milho do que quiabo, assim nem vc, nem seu filho se assustam!!! rsrsrsrsrssss

    Beijo / Boa sorte!

  14. Quiabo é nativo da África
    Folha Equilíbrio – 15/03/2007

    RACHEL BOTELHO
    COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

    A mado por alguns, odiado por outros, o quiabo não é utilizado somente no cozido com frango, clássico da culinária mineira. É indispensável também ao caruru baiano, um cozido com azeite-de-dendê, camarão, peixe e outros ingredientes, e ao “gumbo”, espécie de sopa típica da cozinha creole, praticada na Louisiana (EUA). Até em mesas indianas, como as do restaurante Delhi Palace, o quiabo brilha: aparece ali em pratos vegetarianos como o “alu bhindi” (batatas cozidas com quiabos e molho curry) ou misturado com açafrão ou amendoim.
    Planta de regiões tropicais e subtropicais, é o único membro da família das malváceas usado como alimento. Suas vagens, que têm entre 5 cm e 20 cm de comprimento, são geralmente sulcadas e afiladas em uma das extremidades, mas podem ser quase cilíndricas, dependendo da espécie. Sua cor vai do preto ao verde claro, passando pelas raras vermelhas. O quiabo contém muitas sementes pequenas e uma substância viscosa característica, conhecida popularmente como baba.
    Até mesmo a quantidade de baba é variável. Nos Estados Unidos, o tipo mais apreciado é aquele farto dessa substância. No Brasil, ao contrário, ela costuma causar repulsa aos comensais e é freqüentemente eliminada com adição de gotas de limão ou vinagre à água de cozimento.
    Rico em vitaminas A e C, folato e potássio, o quiabo também possui muita pectina e fibras solúveis, que ajudam a controlar o colesterol e evitam prisão de ventre, respectivamente. “Mas quem quer aproveitar realmente essas vitaminas deve comê-lo cru, em saladas, aperitivos ou sucos, já que a vitamina C e a maior parte da A se perdem na água do cozimento”, afirma Gabriella Guerrero, nutricionista da Nutriessencial Consultoria.
    De acordo com a enciclopédia “The Penguin Companion to Food”, de Alan Davidson, acredita-se que o quiabo seja nativo da África e que possa ter sido cultivado primeiramente na região da Etiópia ou na porção ocidental do continente. Não se sabe quando teria chegado ao Mediterrâneo, Oriente Médio e Índia, mas foram encontrados registros de cultivo no Egito do século 13.
    Sua migração para o Novo Mundo parece ter relação direta com o tráfico negreiro. Chegou ao Brasil em 1658, mesma época em que aportou na Guiana e no sul dos Estados Unidos. Já sua expansão rumo ao leste foi lenta. Apareceu no sudeste asiático no século 19 e na China logo depois.
    Segundo Davidson, seu nome em inglês, “okra”, é uma palavra de origem indígena, assim como o sinônimo “gumbo”. O nome original em Angola era “ki ngombo”, convertido por negociantes portugueses de escravos para “quingombo” e depois abreviado pelos negros para “gombo” ou “gumbo” -sendo que o último nome ainda é usado no sul dos EUA.

    Quibe de forno com salada de manga e quiabo

    INGREDIENTES
    (para duas pessoas)

    100 g de quiabo
    1 manga
    1 xícara (chá) de trigo para quibe
    2 xícaras (chá) de salsinha picada
    2 xícaras (chá) de cebolinha picada
    3 xícaras (chá) de parmesão ralado
    1 xícara (chá) de hortelã picada
    4 colheres (sopa) de manteiga
    2 xícaras (chá) de queijo meia-cura
    2 tomates-cerejas
    2 colheres (sopa) de pimenta-rosa
    1 colher (sopa) de zimbro
    1 colher (sopa) de urucum
    2 colheres (sopa) de alho picado e frito
    50 g de castanha-de-caju quebrada e levemente tostada
    2 unidades de mussarela de búfala
    4 copos de água
    pimenta-do-reino e sal a gosto

    PASSO A PASSO
    1/ Para fazer o quibe, coloque dentro de uma gaze, formando um buquê, a pimenta-rosa, o zimbro, o urucum e a pimenta-do-reino. Ferva em água.

    2/ Lave o trigo e coloque-o no caldo em que ferveu o buquê por 15 minutos para hidratar. Escorra o excesso de água.

    3/ Acrescente a salsinha, a cebolinha, o queijo parmesão, a hortelã e a manteiga e misture tudo com as mãos.

    4/ Enforme o quibe, recheando-o com o queijo meia-cura.

    5/ Coloque a mussarela de búfala sobre o quibe e os tomates-cerejas por cima. Leve ao forno alto por sete minutos.

    6/ Para a salada, corte o quiabo em cubos e frite-o até ficar al dente.

    7/ Corte a manga em cubos e misture-a ao alho frito e ao sal. Junte o quiabo com a manga e sirva-os frios junto ao quibe quente.

    8/ Coloque a castanha-de-caju ao lado do quiabo.

    Receita do chef Eduardo Duó, do restaurante Vira-Lata (tel. 0/xx/11/ 3258-6093)
    * Valor nutricional calculado pela RG Nutri (www.rgnutri.com.br)

    [1516 kcal por porção]

  15. Oi Patty
    esta fucando a comu e achei seu blog e dai aja fucar rsrs…
    sobre o quiabo meuss 3 filhos adoram faco com carne,batata,cenoura,abobora,frango,camarao,peixe..aff
    Aqui em salvador existe tambem o tal caruru que e feito com quiabo camarao seco e azeite de dende.
    Depois te mando umas receitas ta
    kiss

  16. O quiabo já foi incorporado no cardápio de todos na casa!!!

    Eu adorei ele refogado junto da carne moída, mas ando curiosa prá testar o tal caruru!

    Obrigada a todos!!!

  17. Querida Pat,
    tivemos umas aulas com quiabos: descobri que se vc os lava (ainda inteiros) deve secá-los completamente antes de cortá-los. Diz meu professor que se vc os corta com alguma água ele produz a baba. Conosco deu certo.
    E então tivemos uma receita que adorei o sabor (principalmente do molho):
    Nome do Prato: Frango com quiabo
    Rendimento: 3 porções
    Quantidade Ingredientes
    250 g coxa/sobrecoxa de frango
    25 ml óleo vegetal ou banha de porco
    01 un cebola picada
    01 un tomate sem sementes, picado grosseiramente
    15 g açúcar refinado (esse é um vilão… mas dá um gosto bão…)
    q/b salsa e cebolinha picadas
    50 ml suco de limão ou vinagre
    150 g quiabos picados em pedaços de 2 ou 3 cm
    q/b pimenta do reino moída
    q/b tempero mineiro (sal alho, cheiro verde, temperos verdes )

    Modo de Preparo:
    1 – limpe a carne de frango e lave com água e limão ou vinagre.
    2 – tempere com o tempero mineiro e pimenta-do-reino.
    3 – aqueça o óleo ou banha em uma panela, e caramelize o açúcar.
    4 – junte a cebola e o tomate, mexa e junte os pedaços de frango.
    5 – vá pingando água aos poucos até o frango estar cozido
    6 – acrescente então os quiabos cortados, as ervas e cozinhe até amaciar os quiabos.
    7- ajuste o tempero e sirva com angu e arroz branco.

    Experimente qualquer hora!
    beijão

  18. Frango ensopado com quiabo! Delícia! Moro fora e quando minha mãe vem me visitar sempre faz questão de preparar pra gente, comidinha de mãe…. :)

  19. hahahaha, quero melão foi óóóótimo!
    Pat, como sou baiana, desde que me entendo por gente, como quiabo! Lá nós fazemos uma quiabada (não sei como se preparara, mas sei que é como um refogado de quiabo onde tbm vão abóboras e carne) e caruru! O caruru foi mencionado acima, e eu AMO!As receitas devem estar disponiveis na internet!
    PS: algumas baianas de acarajé inclusive acrescentam o caruru ao acarajé, de tanto que baiano gosta de quiabo! rsrsrsrsrs
    Bjs!

  20. Amo quiabo, meu prato prediletro, faço quiabo muito bem, no arroz no frango no feijão e todos me parabeniza pela esta arte de fazer quiabo.
    Outro dia passo a receita para você, amos suas receitas e beijos de:
    Flôr

  21. É muito fácil fazer o quiabo sem deixá-lo babando. Lave-o inteiro e seque-o com um pano. Depois corta em rodelas não muito finas. Refogue com alho e vá misturando de vez em quando; não é para corar… voce vai ver que a baba some. Então coloque mais temperos à gosto, (cebolinha, pimentinha). Agora ponha um pouquinho de agua para não queimar. Deixe cozinhar rapidinho vai estar bom… pois o quiabo cozinha rápido. Eu faço assim… não baba. Bjs… MariaHelena

Comentários estão encerrado.

%d blogueiros gostam disto: