O poder do óleo de coco

by Pat Feldman on 10/05/2007 · 107 comments

in Alimentação, ARTIGOS

Eu já postei aqui no site um texto resumido sobre as maravilhosas propriedades do óleo de coco, mas recebi hoje da Cris um texto enorme sobre o assunto e que me deixou absolutamente fascinada sobre o “poder ainda mais poderoso” do óleo de coco!!

Vou reproduzí­-lo na í­ntegra para vocês, vale a pena!!!

 Em negrito, os trechos que me deixaram mais impressionada!!!

Estudos mostram que o óleo de coco é um forte inimigo do HIV

Cientistas filipinos e canadenses em estudos isolados descobriram que princí­pios quí­micos encontrados no óleo de coco não só podem destruir o HIV (AIDS), como também inibir o desenvolvimento do ví­rus e sua carga viral.

Por Frank Cimatu
Inquirer News Service
PDI Northern Luzon Bureau
Cidade de Baguio

A Fundação Filipina para Pesquisa e Desenvolvimento do Coco juntamente com o Hospital São Lázaro e os Laboratórios United, conduziram em 1999 os primeiros testes de HIV / AIDS efetuados nas Filipinas. Os testes envolveram 15 pacientes do Hospital São Lázaro portadores de HIV, nos primeiros estágios de desenvolvimento do ví­rus.

Os testes basicamente procuravam determinar se a monolaurina, um derivado do ácido láurico seria responsável pelo aumento de células CD4 e a redução da carga viral nos pacientes num estágio ainda não detectável. As células CD4 são a primeira linha de defesa do corpo contra doenças e infecções, mas também são as primeiras a serem atacadas pelo HIV.

A carga viral é a quantidade de ví­rus no sangue.

O Dr. Conrado Dayrit, Presidente da Academia Nacional de Ciências e Tecnologia e membro do Conselho do PCRDF, num pronunciamento anterior, afirmou que o HIV, o ví­rus que causa a AIDS, está envolvido por uma membrana gordurosa que a monolaurina pode penetrar e mutilar rapidamente após ingerido. A monolaurina destrói a membrana que envolve o ví­rus por um processo de amaciamento. “Se isso acontece, o ví­rus morre”, disse o Dr Dayrit.

Romulo Conde, Supervisor Técnico do PCRDF, disse que os resultados foram promissores, mas a fim de satisfazer a comunidade científica, precisam de conclusões mais concretas. Não é bom tirar conclusões pela metade, acrescentou. Disse ainda que os testes continuarão no próximo ano.

De acordo com a edição de Novembro da “Discover Magazine”, um grupo de cientistas canadenses desenvolveram o que eles chamaram de “camisinha invisí­vel”, que nada mais é do que uma gelatina anti-microbiana atuando na prevenção do HIV. A equipe liderada pelo Dr Michael Bergeron disse que o gel, incolor e inodoro, não é um preventivo para gravidez, mas pode bloquear o ví­rus da AIDS e de outras doenças sexualmente transmissí­veis.

“O preparado do Dr Bergeron, que ele chama de “camisinha invisí­vel” consiste de dois componentes. O primeiro é um polí­mero gelatinoso, que é líquido na temperatura ambiente, mas torna-se um gel quando na temperatura do corpo.

Quando introduzido, o liquido se dissemina por toda a parede vaginal, tornando-se em seguida uma gelatina e criando uma barreira semi-sólida contra agentes infecciosos”, reportou a Discover Magazine. O segundo ingrediente é um anti-germe como o lauril sulfato de sódio, uma substância saponácea que dissolve as membranas dos ví­rus, eliminando-os. O lauril sulfato de sódio é um elemento quí­mico derivado do ácido laurico e do leite materno, conhecido como um eliminador de micróbios. A gelatina, quando testada em ratos, foi 90 a 100 por cento eficaz na eliminação do ví­rus da herpes genital.

Em outro artigo publicado no “Indian Coconut Journal” em Setembro de 1995, a Dra. Enig afirmou :

“O reconhecimento da atividade anti-microbiana da monolaurina tem sido registrada desde 1966. O trabalho embrionário pode ser creditado a Jon Kabara. Essa pesquisa anterior foi direcionada para os efeitos virucidais por causa dos possí­veis problemas relacionados com a preservação de alimentos. Alguns dos antigos trabalhos de Hierholzer e Kabara (1982), que mostravam os efeitos virucidais da monolaurina sobre ví­rus envolvidos em RNA e DNA, foram elaborados em conjunto com o Centro de Controle de Doenças do Serviço Público de Saúde Americano, com protótipos selecionados ou reconhecidos como envolvidos em membranas de lipí­dios de grande rigidez.”

A Dra. Enig afirmou em seu artigo, que a monolaurina, cujo precursor é o ácido láurico, destrói a membrana de lipí­dios que envolve o ví­rus bem como torna inativas bactérias, leveduras e fungos.

Ela escreveu: “Dos ácidos graxos saturados, o ácido láurico tem uma atividade antiviral maior do que os ácidos caprílico(C10) e miristico (C14). A ação atribuí­da ao monolauril é a de que ele solubiliza os lipí­dios contidos no envoltório do ví­rus, causando a destruição desse envoltório. “Na Índia, o óleo de coco é ministrado a bezerros no tratamento de Cryptosporidium conforme reportado por Lark Lands Ph.D no seu livro a ser lançado, “Positivamente Bem”.

Apesar de não ter sido mencionado por Enig, o HHV-6A é um ví­rus que tem uma capa envolvente cuja expectativa é que se desintegre na presença de ácido láurico e/ou Manolaurina.

Segundo Dra. Enig, HIV, sarampo, Ví­rus da estomatite vesicular (VSV), Herpes Simplex Virus (HSV-1), Visna, Cytomegalovirus (CMV), Influenza ví­rus, Pneumonovirus, Syncytial ví­rus e Rubeola, são algumas das doenças que têm suas atividades inibidas pela Monolaurina. Algumas bactérias, que incluem Listeria, Staphylococus aureus, Streptococus agalactiae, Streptococci dos Grupos A, B, F e G, Organismos Gran-positivos e Gran-negativos tornaram-se inativas pelo ação da monolaurina.


O ÓLEO DE COCO NATURAL NA AIDS E EM OUTRAS INFECÇÕES VIRAIS

Em 19 de Julho de 1995 a Dra. Enig falava para um artigo publicado no jornal “THE HINDU”, O Jornal Nacional da Índia, quando afirmava que o óleo de coco é convertido pelo organismo em “monolaurina”, um ácido graxo com propriedades anti-virais, que pode ser útil no tratamento da AIDS. Um repórter do “THE HINDU” escreveu o seguinte a respeito da apresentação Dra. Enig durante uma conferência em Kochi :

Houve um momento nos Estados Unidos em que uma criança comprovadamente diagnosticada positiva, tornou-se HIV Negativa. Essa criança havia sido alimentada com uma fórmula com alto teor de óleo de coco. A experiência foi significativa e os esforços estão voltados para se encontrar as causas da redução da carga viral da criança com HIV quando alimentada com uma dieta que ajuda na geração de monolaurina no organismo”.

O repórter comenta também a observação feita pela Dra. Enig de que a monolaurina ajuda também na inibição de outros ví­rus como o sarampo, herpes, estomatite vesicular e Citomegalovirus e que pelo avançado das pesquisas, há também uma indicação de que o óleo de coco oferece certas medidas de proteção contra substâncias cancerí­genas.

Estudos divulgados pelo Dr. Conrado S. Dayrit, MD em 25 de julho de 2000 em Chennai na Índia, no 37º Encontro Cocotécnico, mostraram um grande potencial terapêutico para os óleos láuricos (com alto teor de ácido láurico, como o babaçu, tucumã e coco da bahia). A experiência da administração de 50ml de óleo de coco diária em 15 pacientes (10 mulheres e 5 homens) portadores do HIV (o ví­rus da AIDS) e que nunca haviam recebido nenhum tipo de tratamento anti-HIV, no Hospital de São Lázaro, nas Filipinas, sob a responsabilidade do Dr. Eric Tayan, M.D, mostraram um aumento do linfócitos de defesa do corpo, CD4 e CD8 de 248 para 1.065 e 570 para 1671 respectivamente.

Um homem que possuí­a uma carga viral muito baixa (<0.4X103) e que não sofreu mudanças, não foi incluí­do no resultado final da pesquisa. As estatí­sticas finais incluí­ram resultados para 4 homens e 10 mulheres e mostram que 7 (2h, 5m) de 14 pacientes tiveram uma redução em 3 meses de uso diário do óleo, enquanto 8 (3h, 5m) sofreram redução em 6 meses. Os ní­veis de CD4 e CD8 aumentaram em 5 pacientes, mas não mantiveram relação com a diminuição da contagem viral.

A adição de óleos láuricos na alimentação de pacientes portadores do HIV pode trazer como benefí­cio a diminuição do ní­vel da carga viral em indiví­duos HIV positivos, diminuição do antó­geno P24 e o aumento do CD4 e/ou CD4/CD8. Com bases nas pesquisas acima, o uso de óleos láuricos na alimentação de pessoas com baixa imunológica, que possuem grande facilidade em gripar, pessoas com doenças bacterianas e viróticas como tuberculose, pneumonia, herpes, doenças venéreas, auto-imunes como o lúpus e a psorí­ase, câncer, Crohn entre outras, seria de extrema valia. Da mesma maneira, o emprego deste óleos na massagem se mostra eficaz para o tratamento dos mesmos problemas, dada sua penetração pela pele ser muito fácil. Óleos láuricos são os óleos mais finos e de melhor penetração pelos poros, sendo também os melhores veí­culos carreadores para óleos essenciais. Na alimentação podem ser utilizados para cozinhar e fritar alimentos, substituindo os óleos de soja, girassol e milho.

O refino não interfere nas suas propriedades terapêuticas, apesar de ser melhor o óleo in natura, porém a hidrogenação da parte insaturada do óleo pode levar à formação de gordura trans capaz de causar câncer, aumento do colesterol, entre outros desequilí­brios. O uso local destes óleos ainda pode ser uma fonte interessante para tratamento de escaras, feridas infeccionadas e inflamações.

A DOSE TERAPÊUTICA

Baseada nos seus cálculos, e na quantidade de acido Láurico encontrado no leite materno humano, a Dra. Enig sugere para adultos, uma dieta rica de 24 gramas de acido láurico diariamente. Essa quantidade corresponde a aproximadamente 3,5 colheres de sopa de óleo de coco ou 10 onças de Puro Leite de Coco.

Aproximadamente 7 onças de coco bruto devem conter 24 gramas de acido láurico. Essa é a dose terapêutica diária sugerida pela Dra. Enig, baseada nas suas pesquisas de acido láurico contidos no leite humano materno.

ÓLEO DE COCO E CÂNCER

Em um estudo de Reddy e al (1984) com animais, puro óleo de coco exerceu efeito inibitório mais forte que o óleo MCT quando empregado em tumores do cólon induzidos pelo uso de azoximetano. Outras pesquisas de Cohen e al (1986) mostraram que os efeitos não promotores do câncer do óleo de coco foram também observados no câncer dos seios induzido quimicamente. Neste modelo, a pequena elevação do colesterol nos animais comendo óleo de coco funcionou como protetora enquanto os animais comendo mais óleo poliinsaturado (milho, girassol, etc) tiveram redução do colesterol, mas contudo mais tumores. Os autores notaram que “…uma tendência inversa geral tem sido observada entre os tipos de lipí­deos no organismo e a incidência de tumores para os 4 maiores grupos de gorduras.”

OS EFEITOS DO ÓLEO DE COCO NOS NIVEIS DE COLESTEROL E HDL

A Dra. Mary Enig MS (Cientista Nutricional) desenvolveu uma pesquisa original onde mostra a correlação positiva entre o óleo vegetal e o câncer e a negativa entre este e a gordura animal. Ela elaborou uma análise clara dos componentes das gorduras “trans” em 200 alimentos.

As gorduras “trans” são formadas quando os óleos vegetais são hidrogenados ou aquecidos a altas temperaturas. Com altas temperaturas, fica alterada a sua forma original “cis” transformando a gordura em gordura “trans”.

Ela estudou o efeito dessas gorduras trans, originárias de alimentos, sobre a função mista do sistema oxidativo do fí­gado que metaboliza no organismo drogas e poluentes ambientais. Um importante achado desses estudos foi que animais de laboratórios submetidos a uma dieta especial contendo gorduras trans, sofreram alterações nas atividades desse sistema de enzimas. Esses resultados foram em parte responsáveis pela revisão no “Health Aspects of Dietary Trans Fatty Acids”, mantidas pela Federação das Sociedades de Biologia Experimental, Life Sciences Research Office por solicitação do FDA (Food and Drug Administration).

Dra. Mary Enig tem 17 artigos publicados em jornais cientí­ficos desde 1976. Em 1986 foi nomeada pelo Governador de Maryland para o Conselho Estadual de Aconselhamento Nutricional. Foi editora colaboradora da revista “Clinical Nutrition” e consultora editorial do jornal do Colégio Americano de Nutrição. Desde 1979 já proferiu mais de 50 palestras em seminários sobre alimentos e nutrição.

Num artigo publicado no “Indian Coconut Journal”, em 1995, a Dra. Enig afirmou que Ancel Keys tem uma grande responsabilidade pelo início da campanha contra a gordura saturada nos Estados Unidos. Ela questionou Keys afirmando que “toda gordura aumenta o colesterol; gorduras saturadas aumentam e as polinsaturadas reduzem o colesterol ; as gorduras hidrogenadas são problemas; as gorduras animal são problemas. E a Dra Enig conclui: “Como pode ser visto, seus achados não têm consistência”.

A Dra. Enig também declarou : “Os problemas com o óleo de coco começaram há quatro décadas quando pesquisadores alimentaram animais com óleo de coco hidrogenado propositadamente alterado, para torná-lo completamente destituí­do de qualquer ácido graxo essencial. Os animais alimentados com óleo de coco hidrogenado (sendo a única fonte de gordura) apresentaram naturalmente uma deficiência em ácidos graxos essenciais. Houve um aumento do colesterol no sangue. Dietas que causam uma deficiência dos ácidos graxos essenciais provocam um aumento nos ní­veis de colesterol assim como nos í­ndices arteroscleróticos. Os mesmos efeitos foram verificados com outros óleos hidrogenados como e de semente de algodão, soja e milho. Fica portanto claro que trata-se de uma função dos produtos hidrogenados, tanto por causa de uma deficiência dos ácidos graxos essenciais, como por causa das gorduras trans.

Uma questão que se coloca é: O que acontece quando animais são alimentados com óleo de coco não processado? A Dra. Enig escreveu : “Hostmark at al…” (1980) comparou os efeitos das dietas contendo 10% de óleo de coco e 10% de óleo de girassol em proteí­nas distribuí­das em ratos fêmeas da raça Wistar. Em relação ao óleo de girassol, o óleo de coco produziu ní­veis significativamente mais baixos (p=0,05) de beta-pre lipoproteinas (VLDL) e significativamente mais altos (p=0,01) de alfa-lipoproteinas (HDL). “(Nota do Editor : HDL é considerado o bom colesterol prevenindo os depósitos do colesterol LDL nas paredes arteriais.)”.

Enig cita também um estudo elaborado por Awad (1981) onde ratos da raça Wistar foram alimentados com 14% de óleo de coco natural e 14% de óleo de girassol. Ela afirmou: “O óleo de girassol provocou nos tecidos dos animais um acúmulo de colesterol seis vezes maior do que os animais alimentados com óleo de coco (não hidrogenados)”. A conclusão que se pode tirar é que alimentar animais com óleo de coco hidrogenado destrói a formação de ácidos graxos essenciais potencializando a formação de arteriosclerose. É importante frisar que animais alimentados com óleo de coco regular tiveram um í­ndice mais baixo de colesterol no fí­gado e em outros órgãos do corpo.

Enig também se referiu a um estudo epidemiológico elaborado por Kaunitz e Davrit (1992) em sociedades que se utilizavam do coco como alimento, onde se confirmou por um estudo da população, que uma dieta rica em óleo de coco não leva a um aumento dos índices de colesterol, nem das doenças coronarianas. Vale ressaltar que nessa sociedade não houve qualquer consumo de óleos hidrogenados. Apenas óleo de coco natural.

Em 1989, Kaunitz e Davrit chamaram atenção para um relatório de Mendis et al onde mostrava que mulheres do Sri Lanka que tiveram suas dietas alteradas de óleo de coco natural para óleo de milho, apresentaram uma redução no Colesterol LDL de 23.8%, o que é uma boa notícia, porém o colesterol HDL também apresentou uma redução de 41,4% o que é uma má notícia. Isso criou uma relação LDL/HDL desfavorável, significando que numa dieta de óleo de milho haverá um maior depósito de colesterol nas artérias em relação ao óleo de coco natural. Em suma, a dieta com óleo de milho lí­quido acelera o depósito de colesterol, em comparação com aquela de óleo de coco natural.

O óleo de coco natural, ao provocar um aumento no HDL (bom colesterol), ajuda na prevenção de arteriosclerose e de doenças do coração. Enig cita também a pesquisa de Tholstrup et al (1994) com óleo de palmeira (não hidrogenado) rico em ácido láurico contendo também ácido mirí­stico. Tholstrup encontrou também um aumento significativo nos ní­veis de colesterol HDL.

No seu artigo, Enig registrou que os efeitos do óleo de coco em pessoas com baixo ní­vel de colesterol é justamente o contrário daqueles com um alto ní­vel. As pessoas com uma baixa contagem de colesterol, deverão apresentar um aumento de colesterol sanguí­neo, do colesterol LDL e especialmente do colesterol HDL. Já as pessoas com alto ní­vel de colesterol apresentarão uma redução dos ní­veis de colesterol total e colesterol LDL.

Os estudos que ela menciona mostra que em ambos os grupos a relação HDL/LDL se move numa direção favorável. Para pessoas com AIDS ou com comprometimento da imunidade para outras doenças, as conclusões desse pesquisa são profundas. Isto significa que tudo que tem sido informado ao público pela televisão nos últimos 15 anos a respeito dos óleos vegetais têm sido meias-verdades, levando esse público a conclusões errôneas. O público tem sido levado a acreditar que óleos tropicais provocarão bloqueio nas artérias levando a doenças cardíacas. O que ocorre na verdade é justamente o contrário. Óleos tropicais naturais ajudam na preservação das artérias enquanto que ocorre o oposto com a maioria dos outros óleos vegetais, principalmente as gorduras hidrogenadas tão utilizadas hoje em pastelarias, biscoitos, pães, margarinas e produtos industrializados em geral.

Esta política contra o coco, babaçu e o dendê (palma), tem sido mantida por grandes multinacionais americanas que, sendo os maiores produtores mundiais de óleos vegetais poliinsaturados (soja, milho, canola e girassol), não querem sofrer perdas financeiras que estas alternativas trariam a eles, pois óleos extraídos de plantas tropicais como os cocoqueiros custariam muito mais baratos e seriam mais acessíveis às populações de baixa renda.

A Dr, Enig também informa que o óleo de canola é o pior para ser utilizado em qualquer circunstância. Quando utilizado na cozinha ele produz um elevado nível de gorduras trans.

ÓLEO DE COCO E MASSAGEM

Óleos láuricos como o de coco da Bahia e babaçu, são extremamente finos, de baixa viscosidade, sendo por isso excelentes veículos carreadores para óleos essenciais, dada à sua fácil e rápida penetraçã pelos poros da pele. São excelentes fontes alternativas para substituição do óleo mineral, hoje considerado dentro de alguns estudos científicos como cancerígeno. A vantagem é que são baratos e competitivos como produtos naturais.

São emolientes naturais, que podem ser empregados refinados ou não, possuindo normalmente uma longa durabilidade. Agem na pele hidratando suavemente, refrescando e devido ao seu teor em ácido láurico, como moderados anti-sépticos, além de terem efeito imunoestimulantes.

Como coco, são compreendidas várias alternativas da família das palmeiras, que contém óleos vegetais extraídos por prensagem, fervura ou artesanalmente por exposição ao sol de seus frutos e com alto teor de ácido láurico (acima de 40%) e que podem ser utilizadas para tudo o que foi descrito anteriormente por gerarem monolaurina no corpo. Entre estas alternativas disponíveis atualmente no mercado para uso tanto alimentar quanto para massagens temos:

  • Coco da Bahia
  • Babaçu
  • Murumuru
  • Tucumã (tucum)
  • Palmiste
  • Coquinho

Textos organizados, selecionados e complementados pelo Prof. Fabian Laszlo (prof_fabian_laszlo@hotmail.com)

Referências:

http://www.enig.com

http://www.lauric.org

http://www.coconutoil.com

http://www.pubmed.com

Report 14, Keep Hope Alive Magazine

Mary Enig cita 24 referências científicas na página 7 de seu artigo “Lauric Acid for HIV-infected Individuals,”:

1. Issacs, C.E. et al. Inactivation of enveloped viruses in human bodily fluids by purified lipids. Annals of the New York Academy of Sciences 1994;724:457-464.
2. Kabara, J.J. Antimicrobial agents derived from fatty acids. Journal of the American Oil Chemists Society 1984;61:397-403.
3. Hierholzer, J.C. and Kabara J.J. In vitro effects on Monolaurin compounds on enveloped RNA and DNA viruses. Journal of Food Safety 1982;4:1-12.
4. Wang, L.L. And Johnson, E.A. Inhibition of Listeria monocytogenes by fatty acids and monoglycerides. Appli Environ Microbiol 1992; 58:624-629.
5. Issacs, CE et al. Membrane-disruptive effect of human milk: inactivation of enveloped viruses. Journal of Infectious Diseases 1986;154:966-971.
6. Anti-viral effects of monolaruin. JAQA 1987;2:4-6 7. Issacs CE et al. Antiviral and antibacterial lipids in human milk and infant formula feeds. Archives of Disease in Childhood 1990;65:861-864.

Material ilustrativo:

copyright 2001 lauric.org. All rights reserved

Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 99 comments… read them below or add one }

thais May 13, 2007 at 10:44

oi patricia, sou a menina q posta na comu “alimentação saudavel”. QUERIA dizer q gostei mto do texto e q to chocada c as informações sobre os oleos vegetais!!ateh onde a ganancia das empresas vai?? chegam a por em risco a vida de todos soh por dinheiro..um absurdo!
bom, parabens pela divulgação do texto..vou ver se mais tarde passo ele p comunidade…
abraços!

Reply

Julio June 18, 2007 at 16:52

Ola Pat,

Sou outro leitor por indicação da comunidade Alimentação Saudável.
Gosto muito do seu blog, sempre trás novidades e coisas interessantes, diferentes.
Continue assim!!

Gostei desse texto, especialmente esta parte que a Thais citou, sobre a indústria.

Fiquei com umas duvidas:

– Qual seria então a medida para o consumo diário, e qual a forma mais adequada para consumir? apenas cozinhando o arroz, por exemplo, já traz as propriedades benéficas desejadas?
e usar cru na salada, também é bom??

– O autor fala bastante em gordura hidrogenada pelo aquecimento.. eu nunca tinha ouvido falar. Leigo, eu sempre achei que a obtenção de TRANS fosse apenas pela hidrogenação industrial, catalizador, etc…
Acontece isso mesmo?

Obrigado pela atenção!

Att, Julio

Reply

Valeria June 25, 2007 at 22:58

Esse artigo foi retirado de um site chamado aromalandia, eles vendem um óleo de coco chamado babaçu. Você já ouviu falar? Será que ele é bom para a saúde, assim como os outros cocos?

Reply

Marcio July 15, 2007 at 22:36

**A saúde é subversiva**

É impressionante como sonegam essas informações em nome da ganância, e tanta gente morre por isso!

Obrigadíssimo Pat por publicar essas coisas importantes que vc encontra.

Reply

josé luiz July 17, 2007 at 16:20

Olá Pat, me desculpe estar insistindo, mas o assunto é bem interessante.
Liguei para a Marilia,porem ela está viajando.
Entendi que o oleo é usado como o normal(foi o que disse para o rapaz que me atendeu)e a resposta foi?????
De que forma ele deve ser utilizado?
Algum local para pesquisar?
Mais uma vez agradeço sua atenção.
Villela.
jvillela81@hotmail.com

Reply

Maria December 6, 2007 at 6:30

Sou de Portugal. Gostei muito de ler sobre o óleo de coco e comprei. Em Portugal só conheço um fornecedor, A Provida que vende a 13 euros um frasco com 340 ml. É muito caro mas comprei. Fiquei surpresa porque não está no estado liquido e é branquinho, no rótulo diz que é para temperos e cozinhar.
Eu tenho vesicula preguiçosa ou seja, não funciona muito bem, se comer gorduras, coco ralado, frituras etc. fico doente, muito enjoada, com vontade de vomitar, enxaqueca… será que o óleo de coco vai fazer mal ? Enquanto não tenho resposta a esta questão, vou aplicando no rosto, para hidratar e evitar envelhecimento permaturo, porque estou em fase de menopausa. Fiz histeroctomia total, tenho 43 anos.
Será que alguém me pode responder ?

Reply

Desiree December 6, 2007 at 21:38

Esclareci todas as minhas duvidas.
Obrigada

Reply

Maria January 27, 2008 at 2:10

Gostaria que vc me esclarecesse sobre o oleo de coco hodrogenado 0 qual é nocivo.Me esclareça: se a gente tomar o óleo de coco puro e cozinhar com óleo de canola, soja ou outros estaria aí uma mistura e estaria ingerindo oleo de coco hodrogenado por estar misturando no meu organismo o oleo de coco puro e o oleo de soja embora em momentos diferentes? Se quiser me ajudar me responda pq senão vou ficar com essa dúvida e terei insegurança em usar o oleo de coco.

Reply

Denize March 1, 2008 at 9:21

Nossa!! realmente você está de parabéns..por ter nos informado de um assunto tão importante…nos dias atuais. Como proceder quando ao uso do óleo de coco…e onde encontrar. Obrigada…

Reply

Eurípedes March 23, 2008 at 17:31

Olá.

Parabéns pela matéria, e gostaria de saber onde encontrar o óleo de côco ou se o côco natural da bahia é a mesma coisa e que quantidade se castanha se extrai o a dose diária.

Reply

suzi March 27, 2008 at 13:06

Gostaria de agradecer e parabenizar por informações tão ricas e atualizadas.Gostaria também de saber quando o oleo de coco pode ser prejudicial,a quantidade adequada p/ uma criança de 2 anos com problemas de imunidade,alergia grave e uma mãe c/ enxaquea crônica e me parece que ela também tem.Será que posso confiar em farmácia de manipulação na compra de oleo de coco e figado de bacalhau?

Reply

marcia June 7, 2008 at 1:20

oi pat,gostaria de saber se na Bahia também tem o óleo de coco extra virgem.

Reply

ILDETE December 22, 2008 at 10:54

Oi bom dia
gostaria de saber como é utilizado ou consumido o óleo de coco?

Reply

Pat Feldman December 22, 2008 at 11:12

Olá Ildete,

O óleo de coco pode ser usado em diversas receitas, é uma delçia. Aqui no site mesmo eu tenho uma lista bem grande de receitas com ele, clique neste link para conferir: http://pat.feldman.com.br/?cat=55

Ele também é usado como coadjuvante em processos de emagrecimento e como fortalecedor dosistema imunológico. Para tal, uma colher de sopa do óleo cerca de 20 minutos antes de cada refeição faz maravilhas!

Reply

Maguinha Garshol January 26, 2009 at 11:55

Oi Patricia, os Estados Unidos parou de comprar o oleo de coco (e a consumi-lo) depois da segunda guerra mundial, e com a prosperidade de da sua propria industria alimenticia e poder de propaganda, o oleo de milho tomou o seu lugar. Deve haver um historico mais bem documentado no site do Dr. Mercola http://www.mercola.com mas, a verdade e’ que realmente os interesses comerciais se sobrepuseram aa importancia da saude. Compro Oleo de Coco Organico aqui nos Estados Unidos e cozinho com ele. Da’ um sabor delicioso a todos os pratos. E’ o unico oleo vegetal cuja estrutura molecular nao altera com o calor. Azeite de Oliva extra-virgem so’ uso cru’, em saladas. Voce’ sabe se ha’ alguem no Brasil que esteja produzindo o Oleo de Coco Extra-Virgem Organico? Se souber, pode me enviar ou postar a informacao? De onde voce posta este site maravilhoso? Muito obrigada e espero que visite o meu website. http://www.discoverthewater.com

Reply

Pat Feldman January 26, 2009 at 13:06

Olá Maguinha, moramos no Brasil, mas sempre que posso acompanho as novas pesquisas do Dr. Mercola (excelentes) e da Fundação Weston A. Price (ainda melhores!).

Aqui no Brasil existe um produtor de óleo de coco extra-virgem, porém não orgânico. Eu consumo e comercializo um óleo de coco extra-virgem orgânico proveniente das ilhas Fiji, com certificação feita por órgãos australianos. Tudo o que você falou sobre os interesses comerciais é a mais pura verdade – produtos naturais, em geral “não-patenteáveis” não dão o lucro que a indústria alimentícia almeja, então eles tratam de inventar produtos novos, tentam nos convencer de que são ideais e com isso lucram milhões às custas da nossa saúde.

De onde você escreve o seu website? Fiquei curiosa de saber mais sobre o produto que você anuncia.

Um abraço, seja bem vinda ao Crianças na Cozinha e apareça sempre!!

Reply

Diva Moraes Falcão February 24, 2009 at 16:49

Pat, estou impressionada com as qualidades terapêuticas do “ÒLEO DE CÔCO”. Parabéns por este artigo. Diva Falcão.

Reply

FRIDOLINO EDVINO ZUSE March 30, 2009 at 16:26

QUERO CONHECER MAIS SOBRE O ÓLEO DE COCO,VIDROS; QUANTOS ML, LIRYTROS OU OUTROS. COMO CONSEGUIR, E PREÇOS.

Reply

Pat Feldman March 30, 2009 at 18:08

Fridolino, já enviei as informações no teu e-mail.

Reply

Giane Brum April 2, 2009 at 13:58

Olá, com tanta informação fiquei confusa, sempre tento manter uma alimentação equilibrada e bem nutritiva, não como frituras, evito carne vermelha, como muita fruta e verduras… É a primeira vez que ouço falar sobre o óleo de coco, por gentileza, você poderia me esclareçer resumidamente para que ele serve, como consumi-lo, em quais quantidades e onde posso comprá-lo?

Agradeço desde já, muito obrigada!

Giane Brum.

Reply

Pat Feldman April 2, 2009 at 15:02

Olá Giane, realmente são tantas informações, que ficamos confusos algumas vezes. O que é importante lembrar, é que muitos estudos e congressos são financiados pela indústria alimentícia e farmacêutica, então produtos naturais, que não precisam da indústria para ficar atraente, são convenientemente deixados de lado.

O óleo de coco é um alimento super nutritivo, super tradicional e diversos estudos independentes mostram que civilizações primitivas que têm o óleo de coco como base da alimentação, são muito mais saudáveis. Use o mecanismo de busca do site, digite “óleo de coco extra-virgem”, e leia com atenção os artigos já publicados. Sobre gorduras especificamente, te sugiro a leitura deste artigo: http://pat.feldman.com.br/?p=41

Os detalhes sobre compra e envio estarão no seu e-mail em alguns segundos.

Reply

selmapedrosa June 13, 2009 at 18:59

nossa,estou empressionada com os efeitos positivos do oleo de coco.nasci no maranhão uma região onde as pessoas se alimenta diariamente com oleo de coco babaçu,meu pai eminha mãe são idosos e saudaveis meu pai tem quase 90 anos e tem uma saude maravilhosa pa a idade dele ,e as pessoa por lá nunca teem cancer será é o resulatodo do babaçu?amei esse blog.

Reply

Gerson July 22, 2009 at 23:35

Excelente artigo. Qual a diferença entre o orgânico e os outros ?
Por favor, me informe detalhes para a compra.

Reply

Patricia Cianelli July 27, 2009 at 22:29

Oi Pat, por favor envie para meu e-mail o preço do óleo de côco, do cacau(para o chocolate quente) e do caldo de carne e como faço para comprar de vc?
Bjs!

Reply

Pat Feldman July 27, 2009 at 22:57

Patricia, mandei os detalhes todos por e-mail!

Reply

maria cristina August 5, 2009 at 15:50

Olá Pat
O meu precioso oleo chegou!!!
Muito obrigada
Abraços

Reply

Pat Feldman August 5, 2009 at 19:37

Que bom!!

Reply

Nanda do Ben September 9, 2009 at 0:04

aqui em Maceió vende, mas é muito caro e eu não sei se é extra-virgem e orgânico. Vale a pena comprar mesmo assim?

Reply

Pat Feldman September 9, 2009 at 6:39

Pesquise certinho a procedência e as características do produto que você encontra por aí. Se realmente for coisa boa, pague o preço. Sua saúde merece!

Reply

Jovânia Baltazar September 25, 2009 at 9:45

Pat, acabei ficando confusa com a relação do óleo de coco e o colesterol. Os médicos e as pessoas em geral estão me enchendo o saco por causa do meu colesterol alto. Mas na verdade o meu colesterol “bom” está ótimo, e não estou me preocupando tanto. De qualquer forma, estou querendo entender melhor sobre o colesterol, suas causas e consequências. Não sei mais qual óleo usar, qual não usar… Qual sua opinião? Beijos!

Reply

Pat Feldman September 25, 2009 at 15:18

Jovânia, o mito sobre as gorduras saturadas e colesterol realmente ainda é muito grande, e as pessoas ganharam tal pavor, que qualquer coisa diferente disso parece absoluta loucura! Mas leia o texto deste link, resultado de uma extensa pesquisa: http://pat.feldman.com.br/?p=41 Acho que o texto responde às tuas dúvidas!

Reply

Suellen October 2, 2009 at 14:58

Oi Pat,
Gostaria de saber se posso submeter esse oleo a altas temperaturas (sem transformar em gordura trans) e se posso acrescentar na papinha da minha bebê, como se fosse um azeite?!
Obrigadaaaaa,
Beijos!

Reply

Pat Feldman October 2, 2009 at 15:13

Suellen, o óleo de coco é um dos mais estáveis e mais resistentes a altas temperaturas. Você pode e deve usar nas papinhas da sua filha.

Reply

Suellen October 2, 2009 at 17:00

Só mais uma pergunta:
Então pode-se dizer que fritura com esse oleo é saudável?!

Reply

Pat Feldman October 2, 2009 at 18:31

É saudável sim, desde que o óleo não queime. E digo mais, o óleo é ótimo para fritura, deixa tudo bem crocante!

Reply

Lucimara de souza November 23, 2009 at 20:35

Olá Pat, comecei a tomar o óleo de coco, só que eu tomo ele puro, coloco na colher e engulo, gostaria de saber se vai fazer algum mal, pois tenho esteatose grau 2 no fígado e estou 25 k acima do peso, tem perigo de eu engordar mais ainda, pois este é o único jeito que achei para consumi-lo.
obrigada.
Lucimara.

Reply

Pat Feldman November 23, 2009 at 23:54

Lucimara, essa é uma das formas mais recomendadas para o consumo do óleo, principalmente para quem quer ou precisa perder peso: uma colher de sopa do óleo puro cerca de 30 minutos antes de cada refeição. Para mim não funcionou, eu achei muito enjoativo tomar o óleo de coco assim purinho, mas se você gostou, aproveite!

Reply

cleo March 18, 2010 at 21:02

eu gostaria de saber se eu posso colocar em uma colher de sopa
e ingerir puro.
ou uma forma mais agradavel
quero emagrecer 6 quilos
me ajudem!

Reply

Celma Pereira May 22, 2010 at 0:06

Ha 2 anos retirei a vesicula. Ja que nao tenho vesicula, posso tomar oleo de coco ou oleo de figado de bacalhau.

Reply

Pat Feldman May 22, 2010 at 7:17

Celam, eu nunca ouvi falarde nenhum tipo de contraindicação, mas no teu caso especificamente, melhor consultar o médico que te operou.

Reply

Ju September 7, 2010 at 10:21

Pat, comprei o óleo de coco com o intuito de me ajudar a emagrecer, e pq tenho o intestino preso, mas percebi que depois que comecei a tomar o óleo, passei a soltar gases, coisa que raramente acontecia, isso é normal?

Reply

Isabel Resende September 7, 2010 at 16:43

Pat, vc está usando o óleo de coco da Finococo? Está gostando?

Obrigada

Reply

Pat Feldman September 7, 2010 at 18:08

Eu useu apenas 1 vidro, que recebi como amostra. Gostei.

Reply

Mary November 6, 2010 at 9:09

Tenho há 20 anos problemas de giardíase e em consequência dela alergias. Vivi anos em São Paulo e como esposa de médico fui aos melhores especialistas e nunca fiquei curada. Voltei a morar na minha cidade na Bahia e um médico clínico cubano que mora aqui se tornou meu médico me explicou que em algumas pessoas a giárdia não cura devido o seu depósito na parte inferior da vesícula (como uma bolsa), pois ao tomarmos o medicamento ele age na superfície eliminando apenas as que estão nela e as que ficam na “bolsa” depois de um tempo prolifera e os sintomas voltam. É horrível e tenho sofrido muito. Preciso me libertar deste problema para viver em paz, com saúde e liberdade. Acredito que o óleo de coco extra virgem possa me ajudar; só preciso saber onde comprar.
Pode me ajudar?
Obrigada Pat!

Reply

Pat Feldman November 6, 2010 at 16:14

Mary, eu não tenho tido óleo de coco há bastante tempo. Sei onde comprar aqui em São Paulo. Ajuda?

Reply

Cristina January 18, 2011 at 16:32

Gostaria de saber mais sobre emagrecimento e o oleo de coco, visto que o mesmo é altament calorico

Reply

tiana March 10, 2011 at 14:25

Pat como vc tah? Vem cá, vc tem oleo de coco ou ainda tah em falta?
Se nào, qual vc usa?

beijo enorme e muuuuuuuuuuuuito obrigada
ps: vc pode me mandar a listinha com o q vc tem disponivel pra venda?bjooo

Reply

Pat Feldman March 10, 2011 at 18:09

Ainda em falta… Tenho comprado o meu na Casa Sta. Luzia.

Reply

tiana March 10, 2011 at 23:11

Pat, miiiiiiiiil desculpas…só dps vi em letras garrafai a tah em falta em outro topico.bjao

Reply

Pat Feldman March 11, 2011 at 6:41

Nem esquenta, Ti!

Reply

Mara Marques April 7, 2011 at 0:02

Olá, Pat! Cheguei ao seu site através de pesquisa sobre óleo de côco e estou encantada! É tudo de bom mesmo! Já sabia do trabalho do Dr. Alexandre Feldman sobre enxaqueca e então agora conheço o seu ótimo trabalho! Pat, você sabe me dizer se há algum estudo sobre o óleo de côco e deficiência hormonal na menopausa? Sabe se ele substitui ou ajuda na TRH?
Obrigada, um abraço!

Reply

Pat Feldman April 7, 2011 at 6:43

Mara, eu não conheço nada em particular, e nem acho que haja um ingrediente mágico. Acredito porém que uma alimentação variada, rica e isenta de industrializados é capaz de regular o organismo todo, não apenas um hormônio ou outro.

Reply

Ana Paula April 28, 2011 at 1:17

Boa noite Pat,

O óleo de coco é benefico para colesterol e no caso do triglicerideos também é benefico?
Onde posso encontrar aqui em São Paulo óleo de coco extra-virgem orgânico e não processado?

Bjos.

Reply

Pat Feldman April 28, 2011 at 7:39

Ana, o óleo de coco por si só não faz milagres, mas ele com certeza é parte importante numa alimentação saudável. Aqui em SP eu tenho comprado óleo de coco na Casa Santa Luzia.

Reply

andrea cristina da silva May 24, 2011 at 22:09

tenho uma menina com idade de 11anos e è obesa gostaria de saber se ela pode tomar capsula de oleo de coco??

Reply

Pat Feldman May 25, 2011 at 8:21

Andrea, o óleo de coco não e milagroso. Você poderia incluir o óleo de coco como parte de uma nova alimentação para ela.

Reply

Sirlene June 13, 2011 at 12:53

Pat, voce ja ouviu algum relato sobre o oleo de coco aumentar a pressao sanguinea em certos individuos?

Reply

Pat Feldman June 13, 2011 at 16:05

nunca ouvi falar…

Reply

Dileia de Lima de Matos October 3, 2011 at 10:13

Minha filha term 14 anos e quer tomar o óleo de coco, é aconselhável
?

Reply

Pat Feldman October 3, 2011 at 12:03

Dileia, ela pode e deve! Óleo de coco é bom em qualquer idade!!

Reply

Cacilda October 11, 2011 at 16:09

Pat, olá!
Eu de novo..
Me ajuda com duas dúvidas:
1a – procurei óleo de coco e me mostraram um que tinha um aspecto de banha ou gordura pastosa na cor branca. Serve?
2a – na falta do orgânico, o óleo de coco que não seja orgânico ainda seria uma melhor alternativa a outros óleos vegetais?
Um abraço,
Cacilda

Reply

Pat Feldman October 11, 2011 at 19:13

Cacilda, o óleo de coco adquire uma conscistencia cremosa e uma cor esbranquiçada ao menos sinal de baixa na temperatura ambiente, normal! Pela tua descrição, você deve estar se referindo ao óleo de coco da Copra, que não é orgânico. Eu usei durante um tempo e gostei, mas é claro que sempre que é possível, opto pelos orgânicos!

Reply

gloria November 2, 2011 at 16:37

ola!
Gostaria de saber valores do oleo de coco de Fiji, e tamanhos.
Quanto tempo demora a entrega , e como entro em contato com vendedor?
Gostaria de saber se teria alguma restricao para mim.
Tenho Colesteral alto ,Diabete, Triglicerideos alto, Acido Urico, Hipotireoidismo, Labirintite, Gastrite cronica e estou com deformacao nos ossos das maos e pes.
A labirintite foi tao violenta que resultou na perda total da audicao dos dois ouvidos.
Obrigada
Gloria

Reply

Pat Feldman November 2, 2011 at 17:16

Gloria, infelizmente não comercializamos o óleo de coco há tempos. A Casa Santa Luzia, aqui em SP, vende em sua loja física e através do site http://www.santaluzia.com.br

Reply

celia December 5, 2011 at 17:08

Olá, gostaria de saber se o oleo de coco tem sal ou valor do sodio. Aprendi a fazer o oleo e a farinha de coco. Utilizo a 4 meses. estou na menopausa e sou pre-hipertensa. Posso usar mesmo esse oleo. ? obrigada celia

Reply

rafaele areosa December 5, 2011 at 22:52

Patricia, eu operei a visicula em 2008. Será que eu posso usar o oleo de coco?

Reply

Pat Feldman December 6, 2011 at 6:52

Rafaele, melhor consultar o médico de sua confiança!

Reply

juliana December 20, 2011 at 13:20

Gostaria de saber se o óleo de coco pode ser usado durante a gravidez.

Reply

Pat Feldman December 20, 2011 at 15:50

Eu usei nas duas vezes em que fiquei grávida, tanto no preparo de diversos pratos, como na pele e cabelos. Uma maravilha!

Reply

Cacilda December 20, 2011 at 15:52

Pat, olá!
Como você usa o óleo nos cabelo e na pele?
Um abraço,
Cacilda

Reply

Pat Feldman December 20, 2011 at 16:31
MONA January 10, 2012 at 14:06

Ola Pat,
minha sogra esta bahia qual o nome do oleo certinho pra que ela compre pra mim
é só oleo de coco..?

Reply

Pat Feldman January 10, 2012 at 14:42

Óleo de coco extra virgem

Reply

Isabel Piolli January 11, 2012 at 18:36

Ola, Pat

Gostaria de saber se o óleo de coco é bom para reduzir quem tem gordura no figado???

Obrigada

Reply

mona January 12, 2012 at 14:24

E esse oléo posso comprar em qualquer lugar ou tem o lugar expecifico?
eu moro em goiania??

Reply

valter porto January 14, 2012 at 21:56

O Oleo de extra virgem deveria ser utilizado na culinária brasileira. O Ministerio da Saude deve avaliar os benefícios que trará uma melhor qualidade de vida. Infelizmente, a nossa medicina não ficará nada satisfeita com uma provável redução de canceres (prostata, mamas, intestino, tireoide, fígado, pancreas, etc.), diminuiçao das cardiopatias e até as doenças sexualmente transmissíveis como: AIDS, HPV, hepatites, herpes; vejam como esse alimento milagroso é muito eficaz, resta-nos aguardar uma melhor avaliação dos poderes competentes na popularização desse elixir da longevidade.

Reply

valter porto January 14, 2012 at 22:03

complementando o oleo de coco extra virgem. ok

Reply

leonardo February 6, 2012 at 20:16

CUIDADO! O oleo da marca SABOR DA TERRA não e´o óleo de coco e sim óleo de DENDE REFINADO. Serve apenas para fritura e não deve ser consumido!!!

Reply

Pat Feldman February 7, 2012 at 4:20

Oras, mas se você usa para fritar, não o está consumido da mesma forma?

Reply

barbara February 24, 2012 at 12:27

gostaria de saber a diferença do óleo de coco que consumimos para aqueles que fazem sabão, pois achei um vendedor mas ele informou que o óleo dele não serve para consumo, mas não entendi o porque.

Reply

Vinicius February 26, 2012 at 13:43

Olá, Pat.
Antes de mais nada, parabéns pelo site. Acompanho-o há muito tempo, devorando todas as informações que você nos dá a honra de passar.

Uma dúvida: pelo que pesquisei, o óleo de coco é excelente para fritura, porém vi que existe o extra-virgem e o virgem(que é bem mais barato). Pergunto: posso usar o virgem para frituras e deixar o extra-virgem para consumir in natura?

Desde já agradeço.

Reply

Pat Feldman February 26, 2012 at 13:50

Pode!

Reply

sabrina March 2, 2012 at 22:03

OI EU GOSTARIA DE SABER SE FAZ BEM PARA O MEU CABELO.
EU FAÇO TODO OS DIA ESCOVA, MEU CABELO ELE É SECO, QUEBRADO.
EU QUERO PARAR DE FAZER MAIS EU TENHO VERGONHA DO MEU CABELO,
ELE FICA MUITO CHEIO,… GUAU É O ÓLEO DE COCO PARA FICA BEM LISO.
EU ESPERO A SUA RESPOSTA MUITO OBRIGADA!!!!!!!!!!!!

Reply

Pat Feldman March 3, 2012 at 9:08

Sabrina, já escrevi sobre o óleo de coco no tratamento dos cabelos: http://pat.feldman.com.br/2011/06/08/oleo-de-coco-comida-tambem-para-o-cabelo/

Reply

clau luz March 5, 2012 at 16:36

Ola,

Moro em Curitiba, Paraná e gostaria de saber onde posso encontrar desse
óleo de coco extra virgem.

Obrigada,
Clau Luz

Reply

Pat Feldman March 5, 2012 at 16:45

Olá Clau,

Não estou familiarizada com o comércio de Curitiba, mas acredito que você encontre óleo de coco em casas de produtos naturais.

Reply

luana March 16, 2012 at 13:48

Clau Luz, compro óleo de coco no mercado municipal, em curitiba. Tem em várias banquinhas, inclusive orgânico naquela nova parte do mercado de orgânicos. Em lojas de produtos naturais ele sempre está em falta, pelo menos em santa felicidade. Mas no municipal é certo que se encontra.

Reply

Lucile Preis March 5, 2012 at 19:12

Olá Pet, acabei de descobrir o teu site e adorei, com certeza vou acompanhá-la. Tenho uma filha de 6 anos e 10 mese, será que posso ministrar o uso para ela, devido a saciedade prometida pelo produto, pois ela fica comendo o tempo todo.

Clau, moro em Curitiba e comprei o Oléo de Cocô no Mercado Municipal

Reply

eunice March 14, 2012 at 22:28

Olá, gostaria de saber se posso fazer uso de oleo de coco, pois sou diabética e tenho colesterol muito alto, como tbm LDL e HDL. Desde já agradeço.

Reply

arier April 19, 2012 at 15:32

Preciso saber se óleo de coco de babaçu, tem as mesma propriedade do óleo de coco da bahia, compro na farmacia óleo de coco, e comprei em uma feira livre no Pará óleo de babaçu, preciso saber se tem o mesmo efeito para dietas.

Reply

grasi January 18, 2013 at 10:10

gostaria de saber se posso tomar o oleo de coco liquido caseiro estando gravida e se vc sabe se posso fazer o mesmo com o oleo de babaçu,pois não queria engordar muito.desde ja te agradeço.vi vc responder que utilizou em preparos de alimentos na sua mas e diferente na quantidade,pois acho que faz mais efeito tomando na colher do que no alimento,sera que faz mal ao bb? bjus

Reply

Cacilda February 4, 2013 at 13:17

Pat, olá!
Você já usou o óleo da Finococo?
Nunca usei esse e é o que estou encontrando com melhor preço.
Obrigada!
Cacilda

Reply

Pat Feldman February 4, 2013 at 13:21

Já usei sim, Cacilda! Só parei de usar porque aqui ficou mais caro que o importado orgânico…

Reply

Cacilda February 4, 2013 at 13:31

Obrigada!

Reply

rodrigo mendonca July 17, 2013 at 21:58

ola pat feldman, sou leitor da sonia hirsch e tava pesquisando um pouco mais sobre o oleo de coco e achei esse artigo. estou usando oleo de coco ja hla dois meses e faco uso do dr. organico das filipinas. super gostoso, otima qualidade. mas nao estou aqui pra fazer nenhuma propaganda, mas os oleos nacionais nao estao passando no controle de qualidade, grifo da sonia. enfim, o que eu gostaria de falar tb eh sobre o oleo de cannabis (canhamo ou maconha, isso mesmo a tal da maconha) que ate onde pesquisei eh tb um santo oleo. adoraria ver um artigo sobre o oleo de canhamo aqui. abraco a todos, seguimos firme. e forte na luta. http://permaculturabr.ning.com/profile/rodrigopereiramendonca?overrideMobileRedirect=1 tem um artigo falando sobre o porque remedios q curam nao sao rentaveis.
lutem

Reply

eliete gomes September 14, 2013 at 21:00

Prezados>
Fiz uma oficina com um pessoal de Carrasco Bonito no Tocantins onde tinha bastante quebradeiras do cocô babaçú. Foi maravilhosa a oficina, elas são uns amores. Bem, foi aí que ganhei um garrafinha do óleo de babaçú. Quero saber se é bom para PSORÍASE, aquela doença de pele que escama e criam machas avermelhadas e se serve como hidratante/rejuvenecedor, pois conheço uma pessoa que tem este problema e gostaria de dar a ela. Obrigada

Reply

Andrea December 28, 2013 at 18:05

Olá Pat,
Encontrei este óleo de côco orgânico de palmiste do Empório Laszlo… vc conhece???
Acho que é uma boa alternativa, pois podemos comprar pela internet e numa boa quantidade…

Reply

Pat Feldman December 28, 2013 at 21:11

Não conheço…

Reply

Erica Martins June 20, 2014 at 8:13

Isto é tão grande am vivo para testemunhar o bom trabalho de óleo de cânhamo e sua cura milagrosa.

Em 10 de abril de 2012, eu fui diagnosticado de câncer de mama e câncer de osso quando o médico me disse que já era tarde demais para mim, que eu tenho apenas dez meses na terra para viver. Eu compartilhei lágrimas e toda a esperança se foi pensar que eu vou apenas dormir e ir assim mesmo.

Minha mãe veio me visitar na Sérvia, dois meses depois e me comprou algum produto óleo de cânhamo dizendo que ele funciona bem sobre o câncer, desde que ela me falou sobre os benefícios e incentivar-me a usar a medicação. Eu estive em tratamento nos últimos 4 meses agora o que era o plano de tratamento necessário para mim.
Na semana passada, fui ao hospital para fazer o meu teste e Deus seja a glória meu câncer não foi encontrado lá. I foram curados com Rick Simpson óleo de cânhamo, que minha mãe tinha comprado para mim.

A minha família em eternamente grato a Rick Simpson Cannabis Oil.

Na semana passada, minha mãe me deu seu número de telefone e e-mail que eu contato com ele pessoalmente e agradecer-lhe a salvar vidas. Abaixo informação.

ricksimpsoncannabisoil_phoenix@outlook.com

ricksimpsoncannabisoil_phoenixtears@outlook.com
+447024078253

Reply

Leave a Comment

* IMPORTANTE: LEIA ANTES DE CLICAR EM "ENVIAR" * Ao enviar seu comentário, você fornece à Pat Feldman e ao Site CriancasNaCozinha.com.br 100% dos direitos autorais do seu texto, e fornece também uma licença PERPÉTUA (para toda a vida) e IRRETRATÁVEL (sem a possibilidade de voltar atrás) para a reprodução de suas palavras associadas ao seu nome, seja neste site, seja em outro site, seja em algum livro que venha a ser publicado, ou em qualquer mídia atual ou futura.

{ 8 trackbacks }

Previous post:

Next post: