Risotinho de Frango com Maçãs – receita do meu filho de 5 anos

by Pat Feldman on 21/02/2011 · 15 comments

in RECEITAS, Risotos

Eu já contei AQUI que meu filho mais velho é absolutamente fanático por arroz. Qualquer arroz: arroz branco, arroz integral, arroz vermelho, arroz negro, arroz selvagem, arroz jasmine  e até aquele arroz grudento da culinária japonesa. Sendo arroz, pra ele está ótimo, e não importa o tempero do arroz ou o acompanhamento. O meu amiguinho aqui em casa é bom de boca e dificilmente recusa o que ofereço.

Meu filho andou meio longe da nossa cozinha nos últimos tempos. Aparece muito lá para roubar uma frutinha no meio do dia ou espiar o que estou preparando e reclamar que a comida ainda não está pronta, quando está com muita fome. Mas ficar na cozinha comigo, ajudando, perguntando, dando palpites… Hummm, isso não acontecia há algum tempo…

Culpa minha e do Papai Noel, que concordamos em dar a ele o tal Wii, joguinho eletrônico que eu abomino, mas que não resisti porque sempre via o sorrisão dele ao falar do assunto. Erro, grande erro!!! Esses joguinhos são altamente viciantes e para colaborar ainda mais, meu marido adorou junto, ganhei dois viciados!

A distância do meu filho da cozinha é culpa também do meu marido, não pelo joguinho, mas porque ele e meu filho sentam juntos muitas vezes, por muitas horas, para ler todo tipo de livros. Os livros, com suas histórias fascinantes, meu marido como um excelente narrador, não são páreo para mim.

Ah, o tal joguinho foi a gota d’água, foi ficando exagerado, foi ficando irritante, e sem dó nem piedade mandei o joguinho sair para uma longa temporada de férias. Escondi láááááá no alto do armário!! Dei umas férias para os filmes e televisão e tratei de estimular toda e qualquer outra atividade que não precisasse de um monitor de TV na frente. O clima ficou tenso, muito tenso nos primeiros dias. As crianças sabem ser terrivelmente irritantes quando acham que podem ganhar alguma coisa com isso. Eu fiquei brava, fiquei triste de pensar que tirei dele algo que o deixava tão alegre, mas me lembrei que a longo prazo essa alegria toda vira vício, vira exagero e tudo isso faz mal, emburrece! tirei e não sei quando devolvo! O clima está melhorando a cada dia. Ele está se conformando e já entendeu que nenhum escândalo vai trazer o joguinho de volta. Pelo contr’rio, bom comportamento ajuda muito mais!

Será que minha atitude está errada? Não sei. Será que serve para todo mundo? Provavelmente não. Na minha casa, com meu filho, no cenário atual foi, com certeza, a melhor opção. Hoje finalmente colhi os primeiros frutos, o primeiro dia de calmaria e o primeiro dia, depois de muito tempo, que meu filho entrou na cozinha e deu sugestões, palpites e se interessou em saber o que tinha na panela.

Meu filho mais velho adora arroz, já disse. Arroz integral é a opção favorita aqui em casa, mas demora um pouco a ficar pronto, então chegar da escola e ainda ter que esperar arroz ficar pronto, nem pensar. Faço um pouco a mais no almoço a fim de ficar uma sobrinha para o jantar dele e quase sempre o cardápio do jantar acaba sendo um “risoto”. Não no sentido super rígido da palavra, com um tipo de arroz adequado (arbóreo ou carnaroli) e nem aquele preparo super cuidadoso, mas risoto no sentido rústico (como gosto de chamar), de um arroz meio cremoso misturado com “coisas”, que podem ser o que sua imaginação mandar ou o que tiver na geladeira.

Hoje tinha frango desfiado na última leva de caldo de frango caipira que preparei. Tinha algumas ervas. Tinha sauerkraut. E tinha meu filho dando palpites do meu lado:

“- Mamãe, que tal guardar o sauerkraut? Acho que hoje não quero.”

“- Mamãe, um dia você me disse que a gente pode misturar frutas na comida. Vamos colocar maçãs no meu arroz?”

“Mamãe, não se esqueça do meu queijo ralado. Eu adoooooro queijo ralado!!” (ah, ele adora mesmo, se eu deixar, coloca até no arroz com feijão!)

Eu fui falando sim para tudo e aí saiu….

Arroz integral básico já cozido, uma maçã pequena picadinha, um punhado de coxa de frango desfiada, salsinha, creme de leite e parmesão ralado na hora. E nõ é que a tal combinação ficou bem gostosinha?? Recomendo!!

Essa foi a primeira receita (de muitas, eu espero) que meu filho criou. Será que ele tem o dom?

Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 12 comments }

Ana February 21, 2011 at 23:08

Pat, gostei muito do seu post! Meu filho tbem adora risotto e queijo ralado! Alias, uma das coisas q mais gostamos de fazer com sobra de arroz (aqui sempre integral tbem) eh “risotto” Nos misturamos o q temos alem do arroz, colocamos queijo ralado e as vezes uma pontinha de manteiga, alem de criar um prato novo com o arroz ainda eh facil, rapido, e fica dos deuses de tao gostoso! (eu tbem sou fa de queijo ralado! haha!)
Quanto ao wii, entendo voce 100%. Aqui tbem a coisa ficou meio viciante, eh uma loucura. O q eu faco eh marcar em um timer o tempo q meu filho (de 8 anos, quase 9) pode jogar. Eu coloco 1 hora no timer e eh isso. Quando acaba o tempo ele sabe q esta na hora de desligar. Outra coisa eh q ele pode jogar de segunda, quarta e sexta durante a semana (e no final de semana tbem quando nao temos outras atividades os tres juntos). Isso tbem limita um pouco e nos dias q ele nao tem video game ele procura por coisas diferentes p/ fazer.
Por mim eu tbem mandava longe o wii… ta, as vezes eh gostoso jogar todo mundo junto, mas eu nao gosto dessa ideia de jogar todos os dias e passar a tarde no video game, ainda mais pq chega um ponto q a crianca nao sabe mais brincar de outra coisa q nao seja wii.
Cada um sabe o q funciona melhor p/ sua familia, vc eh a mae e sabe o q eh melhor p/ seu filho! Eu apoio sua atitude de limitar o jogo, e tenho certeza q vc tbem ira achar a dose certa q nao sera too much p/ ninguem!
Adoro suas receitas!
Ana

Pat Feldman February 22, 2011 at 7:12

Ana, na verdade agora foi uma atitude drástica porque perdeu o controle, sabe? E meu marido, apesar de adorar sair pra passear e tudo, porque também gosta muito de joguinhos eletrônicos, acabava não sendo tão forme com a hora de parar. Duas crianças!!!!! kkkkkkkkkk

Com o tempo vou liberando de novo, mas agora aprendi, só em doses beeeeeem homeopáticas, dias de chuva, etc. Só não vale me pedir para jogar junto, porque eu DETESTO!!!!!!

odete February 22, 2011 at 17:17

Pat costumo dizer que o meu marido é o segundo filho que nunca tive, =) .
O meu filho adora manteiga, para ele tudo o que tenha manteiga é delicioso.

Pat Feldman February 22, 2011 at 18:17

Manteiga é tudo de bom!!!

msns February 22, 2011 at 19:22

Neto saiu aos avós !!! Adoramos arroz !!

Mônica February 23, 2011 at 8:45

Bom dia Pat.,
Gosto muito de ler sobre os seus artigos.Muitas coisas já consegui mudar aqui em casa, principalmente reduzir o uso dos industrializados.
Mas tire uma dúvida, meu marido tem colesterol e triglicerídeos elevados, mesmo assim não há problemas dele consumir produtos como manteiga( que adoramos!)
e os óleos e azeite??? Pois os médicos dele sempre pedem para substituir por margarinas e óleos como girassol ou canola.O que faço???? Mê dê uma orientação.
Grande abraço,
Mônica.

Pat Feldman February 23, 2011 at 16:14

Monica, leia esse texto sobre gorduras e colesterol, tenho certeza de ue vai esclarecer suas dúvidas: http://pat.feldman.com.br/?p=41

Fabiana February 26, 2011 at 22:55

Olá Pat,
Tenho um filho de 1 ano e dois meses, e minha intuição sempre me disse que a televisão não faz bem para os pequenos… Independentemente se é programação infantil, novela, ou videogame, a tela da tv com suas luzes em constante movimento (que chegam a hipnotizar, e daí a gente acha que é porque eles estão gostando…) devem fazer um grande estrago no desenvolvimento cerebral, na capacidade de concentração, de comunicação etc…
Mas quando ele tinha quase um ano, cedi às pressões sociais e passei a deixá-lo assistir a alguma tv durante o dia. Conclusão: atrapalhou a hora de dormir, o deixou agitado, muito mais manhoso que o normal e até mais bravo, sendo que ele nunca foi nada bravo! Ou seja, se desequilibrou.
Acho que é isso: a tela da tv não foi feita para essas mentezinhas em desenvolvimento… Parei de deixar a tv ligada enquanto ele está na sala. Fez efeito em um dia: ele ficou muito mais calmo, tranquilo, e feliz. Na verdade, fez bem até pra mim, que às vezes uso a tv de muleta quando não quero encarar os problemas de frente…
Bjos e parabéns pelo site!

Vera Rocha March 20, 2011 at 18:45

A receita do risoto vamos experimentar aqui em casa. Já os nãos ao Wii e DS (este último a febre dos amigos da escola) foram dados, nao compramos e pronto. Joguinho no computador poucas vezes ao dia (no máximo duas nos sábados e domingos) limitados a 30min.

Pat Feldman March 20, 2011 at 19:24

Vera, o difícil aqui é que meu marido AMA esses joguinhos!!!! Senão ele nem saberia o que é!! hehe

Jacqueline Thompson May 17, 2016 at 22:32

Pat minha mãe cismou de comprar maçã da turma da monica pra minha filha de 5 anos. O que vc acha dessas maçãs? Como pode ser tão doces e redondinhas e pequenas?

Pat Feldman May 20, 2016 at 15:07

Não acho que essas sejam as melhores maçãs, até porque não sou orgânicas, mas acho maravilhoso que sua mãe opte por maçãs ao invés de chocolates, balas, pirulitos e outras porcarias! Nesse caso o personagem pode ser um estímulo a mais para sua filha pegar gosto pelas frutas.

Comments on this entry are closed.

{ 3 trackbacks }

Previous post:

Next post: