Extra Virgem, Extra Saudável

by Pat Feldman on 09/04/2007 · 26 comments

in Alimentação, AMIGOS, ARTIGOS, Dr. Alexandre Feldman

O texto a seguir foi escrito pelo Alexandre pensando em especial nos sofredores de enxaqueca desse mundo, mas as informações servem para qualquer um que queira viver e comer com mais saúde!!

Um bom azeite de oliva extra-virgem finaliza um prato com perfeição, dá um sabor inigualável e provém nutrientes importantes e indispensáveis a uma alimentação saudável, em qualquer idade. Aqui em casa usamos muito, mas no cozimentos, para aquecer, somente manteiga e óleo de coco extra-virgem.

Boa leitura!!!

Quem sofre de enxaqueca deve ficar longe de gorduras em geral. Certo? Em parte: deve ficar longe de algumas gorduras sim, deve ficar longe de frituras sim, mas deve, sem dúvida, consumir outras. Por incrí­vel que pareça, a gordura é muito importante para o funcionamento do organismo.Sempre aconselho meus pacientes a consumirem o azeite de oliva extra virgem, em lugar de outros óleos vegetais industrializados ou margarina.

O azeite extra virgem tem propriedades antinflamatórias, mas por favor, não abuse da quantidade, nem submeta a temperaturas muito altas, como é o caso das frituras. Utilize-o no lugar do óleo comum, para assar, cozinhar e refogar. Possui aroma delicioso de oliva. Procure desenvolver seu paladar com o objetivo de apreciá-lo. Hoje em dia, existem muitas marcas disponí­veis no mercado.

O problema dos outros óleos vegetais comuns é a maneira com que são obtidos. Para extrair o óleo de uma azeitona (oliva), basta espremê-la com as próprias mãos. Faça isso agora mesmo, e veja como suas mãos ficam impregnadas do óleo. O termo extra virgem se dá ao óleo que foi obtido através de uma pressão muito suave, a frio. Após a obtenção deste lí­quido nobre, impõe-se às azeitonas uma segunda prensa, bem mais forte, mediante temperaturas mais elevadas, a fim de extrair todo o óleo possí­vel. Esse óleo já não é mais extra virgem.

Óleos são lí­quidos muito especiais e delicados. Nosso organismo, nossas células, são lubrificadas com óleos provenientes da nossa alimentação, e seu excelente funcionamento depende da qualidade desses óleos. Ao submeter um determinado óleo a uma pressão e/ou temperatura muito alta, este lí­quido sofre alterações quí­micas que resultam na perda das propriedades e poderes benéficos. Pior: ao se incorporarem nas paredes das nossas células, esses óleos alterados resultarão em células alteradas. E hormônios idem, pois os óleos também entram na sua composição.

Com células e hormônios alterados, o mí­nimo que você pode esperar é uma dor de cabeça!

Agora que você viu como é fácil extrair óleo de uma oliva, tente fazer o mesmo com um milho ou uma soja. Aperte bastante, com toda força, e veja se sai algum óleo! Não sai! Para extraí­-lo, é preciso submeter o produto a uma temperatura e pressão muito altas. O resultado são óleos quimicamente alterados, os assim chamados óleos vegetais comuns, que você incorpora dia após dia no seu organismo, conforme utiliza. Esses óleos passam por processos de remoção de clorofila, cálcio, carboidratos complexos, magnésio, além de processos de remoção de ácidos graxos livres, branqueamento (remoção do beta-caroteno e da clorofila), remoção dos odores (perde-se a vitamina E e adicionam-se agentes sintéticos).

A margarina e as gorduras vegetais hidrogenadas também são óleos vegetais alterados. Passam por um processo denominado hidrogenação, no qual um óleo vegetal, lí­quido, se transforma numa massa sólida ou semisólida, totalmente antinatural. Fuja dessas substâncias e ganhará saúde.

Os azeites de oliva extra virgens bons são importados de paí­ses mediterrâneos (Grécia, Itália, Espanha, França etc). São bem mais caros que o óleo de cozinha comum. Mas este faz mal, e aquele faz bem. Se você ainda acha o azeite de oliva extra virgem caro, saiba que remédios e doenças são mais caros ainda. E lembre-se: A primeira coisa que eu falei foi: use-o, sempre, em pequenas quantidades. Cozinhe com o melhor óleo, mas com pouco óleo.

Guarde seu azeite em lugar fresco (geladeira) e ao abrigo da luz (envolto em papel de alumí­nio), caso contrário ele vai oxidando, perdendo a propiedade medicinal, antinflamatória, e adquirindo uma ação pró-inflamatória, igual à dos óleos “proibidos” da dieta. Um óleo oxidado vai adquirindo um cheiro caracterí­stico (rançoso), e cria reações de oxidação no organismo. Pense numa maçã que foi cortada e deixada exposta ao ar por vários minutos. A coloração amarronzada que ela adquire é proveniente da reação de oxidação que ela sofreu. Esse tipo de reação, no ser humano, é um dos desencadeantes e mantenedores de doenças crônicas e do envelhecimento.

Quanto mais novo o azeite, melhor, pois sofreu menos tempo de exposição à luz e ao calor, portanto menos oxidação. Observe atentamente os rótulos, e compre azeites com data de fabricação o quanto mais recente, e prazo de validade o quanto mais distante. Não consuma óleo de canola regularmente, pois ele pode conter substâncias que neutralizam os benefí­cios.

Lembre-se sempre, que ao manipular estas substâncias, no caso estes óleos, tão influentes na saúde como um todo, é preciso também que a quantidade seja modesta. Apesar da sua importância, mais não é sinônimo de melhor!

Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 25 comments }

Bartira April 10, 2007 at 15:55

Pat,

Você recomenda o azeite no dia a dia, mesmo para o cozimento de feijão ou preparo de arroz por exemplo?
Ouvi dizer que quando muito aquecido ele perde certas substancias, isso é fato?
Desde já grata,
Bartira

patblog April 10, 2007 at 16:18

Bartira,

Para temperaturas mais elevadas como cozimento de alimentos e at̩ algumas frituras com certeza ṇo recomendo o azeite extra-virgem Рele ̩ bom memso na finaliza̤̣o dos pratos ou como tempero para saladas.

Para cozinhar aqui em casa eu uso muuuuuuuita manteiga, uso banha de porco fresca ou óleo de coco extra-virgem.

Aqui no blog tem alguns textos falando sobre o assunto, dá uma olhada com calma!!

neide December 21, 2007 at 10:28

quanto de azeite extra virgem devo consumir diariamente

para obter resultados para a saude?

lucia January 25, 2008 at 13:28

o oleo extra virgem do girassol tem as mesma propriedades organoléticas do oleo de canola?

Alcides Paes October 30, 2008 at 21:07

Qual a quantidade, em colheres de sopa, que deve ser consumida diariamente sem prejuizo a saúde?

Roberto Ramos Reis December 26, 2008 at 16:55

Qual a quantida diaria que devemos tomar, e verdade que regula diabete e presao.

Antonio Pereira April 7, 2009 at 15:11

Aprecio muito o azeite de oliva extravirgem. Muito tenho lido a respeito dos benefícios proporcionados, porém, nada
a respeito da quantidade ideal que uma pessoa deva consumir diariamente sem prejuízo da sua saúde. Portanto, por favor, responda-me. Qual a quantidade ideal, em colheres de sopa ou outra medida, que se deve consumir diariamente sem prejuizo da saúde?

rita de cassia May 2, 2010 at 21:17

qual a quantidade ideal que uma pessoa deva consumir diariamente, o azeite de oliva extra virgem? sem prejuizo a saude.

jocelia June 5, 2009 at 23:08

Eu sei que azeite de oliva com alho é ótimo para saúde mas eu gostaria de saber
se fritar o alho no azeite eles não perdem as propriedade?

João de Deus Coutinho July 21, 2009 at 14:06

Consumo diariamente uma pequena quantidade de azeite de oliva extra virgem durante o almoço.Faço o prato e coloco um pouco sobre o mesmo.Existem marcas melhores que outras?.Normalmente uso os de fabricação espanhola ou italiana.Qual a quantidade ideal?.

Pat Feldman July 21, 2009 at 17:11

João, eu procuro ocmprar o azeite sempre extra-virgem de boa procedência. Quando possível, dou preferência aos orgânicos e não filtrados.

Creusa March 14, 2010 at 15:16

até onde eu sei, banha de porco é veneno. Colesterol puro e vc usa? Que me diz?

Pat Feldman March 14, 2010 at 19:29

Creusa, a banha hidrogenada, encontrada nos supermercados, é realmente um veneno! Já a verdadeira banha de porco, extraída artesanalmente e a baixas temperaturas, é uma gordura boa, riquíssima em vitamina D. Quanto ao colesterol, sugiro que você leia este artigo: http://pat.feldman.com.br/?p=41

Andrea April 25, 2010 at 11:43

Oi Pat,essa semana voltei a usar oleo de oliva na minha alimentaçao ,so que agora tomei na hora de dormir,nao sei se foi coincidencia mais percebi um efeito interssante ,eu costumo ter um sono leve,sempre me acordava para ir ao banheiro a noite .Esses dias com oleo de oliva nao me acordei a noite dormi mais pesado e percebi que minha filha de 3 anos que tomou no mesmo horario dormio mais horas tambem ,adorei o efeito …pena que a parte ruim e que ela urinou na cama.rsss e mesmo assim nao acordou ,o sono dela tambem era leve,fazia muito tempo que ela nao molhava a cama.Sera que e coincidencia ou sao propriedades do oleo de oliva?

Pat Feldman April 25, 2010 at 12:12

Andrea, nunca ouvi falar dessa propriedade do óleo. Será?

Andrea April 25, 2010 at 14:13

Tambem achei estranho ,engraçado …Nunca ouvi falar tambem!Pode ser outro fator ,mais nao fizemos nada de diferente.Um abraço!

rita de cassia May 2, 2010 at 21:23

gostaria de saber se fora da geladeira o oleo extra virgem
perde as propriedades beneficas.

Denise June 11, 2010 at 10:39

Pat, sempre leio seus artigos e os acho muito interessantes. Mas, fiquei chocada com seu comentário sobre a gordura de porco, achei um pouco perigoso também. Algumas pessoas seguem de olhos fechados o que leem, principalmente na Internet. Pessoas que têm na família casos de pressão alta, problemas relacionados à circulação, infartos, derrames, ou mesmo varizes, não devem NUNCA ingerir gorduras de porco, e manteiga em pouquíssimas quantidades, o melhor seria eliminá-la tbm. Pelo menos é o que disse à mim e minha família o médico do INCOR. Acho que ele, mesmo tendo teorias diferentes da nossa,as quais são mais “naturais”, sabe o que está falando, não é? Na minha família há casos de morte súbita por infartos, derrames, além de hipertensão e varizes, se eu lesse este artigo e resolvesse comer gordura de porco e muita manteiga não teria um bom resultado, mesmo que a gordura de porco seja PURÌSSIMA como vc diz.
Obrigada, e, pessoal cuidado com que vcs leem na Internet!!!!

Pat Feldman June 14, 2010 at 18:27

Denise, teorias existem muitas, e a prática tem nos mostrado que a troca de gorduras naturais (como manteiga, banha, óleo de coco, etc) por gorduras refinadas (óleo de soja, canola, girassol. etc) não fez melhorar em nada os casos de morte por problmas cardiovasculares. Pelo contrário, arece que cada vez mais gente tem coleserol alto, problemas de coração e outras complicações do tipo!!

Respeito tua posição, mas as minhas opiniões aqui no site, apesar de serem opiniões leigas, são completamente embasadas por pesquisas sérias. Tem um texto especificamente sobre colesterol aqui no site, escrito por um médico, que eu gostaria que você lesse: http://pat.feldman.com.br/?p=41 Ele fala o que ninguém diz, e além disso conheci muitas pessoas com problemas sérios de saúde e que ao retornarem no tempo e passarem a usar novamente gorduras naturais, até mesmo as tão “temidas” como a gordura de porco, melhoraram sua saúde como um todoe voltaram a apresentar níveis saudáveis de colesterol.

sandra April 5, 2012 at 12:47

Realmente Pat a gordura de porco extraida de forma natural é saudavel,prova disso foi o meu avo que sempre preferiu esse tipo de gordura,e quando a minha mae fazia a comida com outro oleo ele n se sentia bem,intestino preso e outras coisas.Sempre fumou tabem mas so o fumo de corda q era plantado em casa,e a gordura de porco qndo era possivel “o porco era criado em casa” so com lavagem resto de horta e comida.Resumindo ele viveu 105 anos,infelismente faleceu em junho do ano passado.O unico problema q passou a ter acredito por causa da idade avançada era pressao surdez.

Cláudia August 26, 2010 at 14:47

Olha Andrea:
“Passei a ingerir uma pequena quantidade de azeite durante o dia, também percebi uma certa sonolência fora do comum e relacionei ao azeite ingerido. Ao ler seu comentário, lembrei-me e acredito não ser coincidência. Como cada organismo é único, acredito que alguns apresentem esta reação”.

Nori May 19, 2014 at 13:05

Oi Pat, e para comida japonesa? Qual óleo seria ideal?
Tenho usado o óleo de gergelim para eliminar os óleos refinados, óleo de gergelim perde as propriedades qdo levado ao fogo?

Pat Feldman May 20, 2014 at 9:01

Nori, o óleo de gergelim é uma boa opção, eu uso aqui em casa!

Marcia Amorim August 18, 2014 at 17:15

Boa tarde,
Pat meu filho de 3 anos sofre muito de intestino preso ja tentei de tudo o magnezia ate ajudou mas é muito dificil de tomar o azeite extra virgem é bom pra resecamento?1 colher ao dia não vai fazer mal não dei ainda me responda por favor alguns ingredientes o iorgute natural é bom tambem?

Obrigada no aguardo.;

Pat Feldman August 18, 2014 at 21:45

Comments on this entry are closed.

{ 1 trackback }

Previous post:

Next post: