ARTIGOS Bebês Papinhas Papinhas doces Papinhas Salgadas

A primeira papinha do bebê

dv2093024Eu já falei algumas vezes sobre papinhas para bebês aqui no Crianças na Cozinha, mas a verdade é que com um filho de quase 4 anos em casa, distante da etapa das papinhas, eu acabo falando menos sobre papinhas do que alguns leitores gostariam.

Eu já escrevi AQUI sobre as primeiras papinhas do meu filho, já falei AQUI sobre a introdução de sólidos na alimentação dos bebês, e tenho certeza de que estes dois artigos já ajudaram a muitas mamães, porém para aquelas mamães que não levam muito jeito na cozinha ou andam meio sem criatividade, isso é muito pouco.

Pensando nisso foi que, nesta nova etapa do site Crianças na Cozinha, eu decidi criar uma categoria com receitas de papinhas salgadas e outra com receitas de papinhas doces (doces, mas sem açúcar, ou qualquer outro tipo de adoçante, natural ou artificial, porque bebês não precisam disso!).       

Hoje então, introduzindo o assunto no site, eu gostaria de fazer algumas colocações e sugerir alguns utensílios culinários que facilitam muito a vida de quem prepara papinhas em casa.

Muitos pediatras e nutricionistas não aconselham o uso de processadores e liquidificadores nos preparo das papinhas dos bebês, e até certo ponto eu concordo com elas, afinal a mastigação deve ser estimulada e o bebê deve aprender a lidar ocm pedaços dentro da sua boca. Porém, na minha opinião e na minha experiência pessoal, mudar de leite (materno ou não), totalmente líquido, para algo de sabor desconhecido e ainda por cima com pedaços, pode ser uma mudança muito radical para um bebê tão novinho. Na minha opinião a mudança deve ser gradativa e cercada de cuidados e muita paciência.

As primeiras papinahs do meu filho foram totalmente batidas no liquidificador SIM, e dentre outros fatores, acho que este cuidado foi fundamental pra que ele aceitasse mais facilmente os novos sabores. A primeira papinha de todas que eu fiz para o meu filho não poderia ter sido mais simples. Eu cozinhei no vapor uma cenoura orgânica, uma colher de sopa de bife de fígado até que os dois ficassem muito macios. Levei ao processador e bati com mais uma colher de sopa de caldo de carne caseiro e uma colher de sopa de manteiga orgânica.

Anote a receita básica:

1 legume/raíz (escolha entre a sua preferência e disponibilidade: cenoura, mandioquinha, beterraba, batata-doce ou abóbora)

1 colher de sopa de bife de fígado

1 colher de sopa de caldo de carne caseiro

1 colher de sopa de manteiga (com ou sem sal, use a que tiver em casa, mas certifique-se de estar usando manteiga PURA)

Modo de Preparo:

Cozinhe no vapor o legume/raíz escolhido e o fígado até que estejam bem macios.

Leve ao processador/liquidificador e junte o caldo de carne e a manteiga.

Bata bem até virar um creme.

Ofereca morninho ao seu bebê, numa temperatura próxima à que ele está acostumado de tomar o leite.

Para oferecer a ele deixei numa temperatura morninha, muito próxima à do leite que ele já estava tão acostumado. Usei uma colher de cafezinho, aquela bem pequena, a menor do faqueiro, e praticamente só “sujei” a pontinha dela com papinha. Não esperava que ele comesse demais logo de cara, mas o danadinho me surpreendeu e comeu quase tudo.

A experiência aconteceu no almoço. Para garantir um bom sono à noite, preferi que antes de dormir ele ficasse apenas com a mamadeira de sempre. Nesta primeira semana, e na seguinte também, as papinhas se limitaram ao almoço.

No almoço do dia seguinte o cardápio foi exatamente o mesmo. Nada de introduzir qualquer outro ingrediente antes de ter certeza de que o pequeno organismo dele havia aceitado bem a novidade.

No terceiro dia eu troquei a cenoura por mandioquinha, mas mantive os demais ingredientes e quantidades: uma colher de sopa de bife de fígado, uma colher de sopa de caldo de carne caseiro e uma colher de sopa de manteiga. Sem sal, sem pimenta ou qualquer tipo de ervas. No 4o. dia repeti a mandioquinha, ainda para ter certeza de que não haveriam reações indesejáveis.

A quantidade nessas primeiras vezes era ínfima. Eu enchia um potinho bem pequeno com 2 ou 3 colheres de sopa de papinha e parava de oferecer ao primeiro sinal de barriga cheia. Nos dias seguintes eu introduzi também a batata doce, beterraba e abóbora, mantendo os dois dias de teste para cada ingrediente.

Algumas pessoas podem não concordar com vários pontos da minha forma de introdução, mas me senti extremamente segura fazendo desta forma e o resultado foi o melhor possível, meu filho aceitou tranquilamente todas as papinhas, sem reclamar e sem fazer cara feia.

Eu batia tudo no liquidificador/processador, no início eu não usei sal ou qualquer outro tempero e ofereci sempre pequenas porções usando uma colher beeeeeem pequena. E assim passaram-se cerda de 2 a 3 semanas só com essas papinhas bem básicas, bem simples. E sem frutas para a sobremesa.

Conforme ía dando tudo certo na adaptação, novos ingredientes começaram a aparecer: nabo, rabanete, chuchú, abobrinhas, etc. Nada de verduras por enquanto, mas algumas frutas começaram a fazer parte de uma pequena sobremesa. Eu as amassava com o garfo e misturava sempre uma ou duas colherinhas de iogurte natural integral. Iogurte puro também era sobremesa eventualmente (CLIQUE AQUI e leia sobre estudo que mostra que não há problemas no consumo de lácteos após as refeições – a leitura atenta vale a pena!). As caretas com o gosto azedo do iogurte puro eram as mais engracadas possíveis, mas passado o “susto”, eu dava de cara com uma boquinha bem aberta esperando mais iogurte! Vai mais uma dica: não tenha medo de caretas!

Nas papinhas salgadas os primeiros temperos a aparecer foram as ervas frescas, as mais variadas possíveis e de preferência sempre orgânicas, como todo o resto (menos o fígado, que eu não achei MESMO…). O gengibre também começou a aparecer timidamente, assim como curry, tandoori e outros condimentos naturais. Um a cada dia, um pouquinho por vez e nisso tudo o sal bruto também começou a fazer parte. Com tantas gostosuras, o apetite do meu peqeuno só aumentava, e me orgulho em dizer que ele nunca deu trabalho para comer.

Com o tempo eu passei a cozinhar os legumes direto no caldo, que então podia ser caldo de carne ou caldo de frango. A colher  de sopa de fígado estava sempre por lá, mesmo quando usava o caldo de frango e mesmo quando juntava um punhado de carne de frango. Querem saber? Fica uma delícia!

Quando meu filho estava plenamente acostumado aos novos sabores e à nova consistência das papinhas, e quando os primeiros dentinhos começaram a aparecer (no caso dele, aos 9 meses de vida), foi que eu parei de bater ocmpletamente a papinha no liquidificador/processador. Mas até aí a mudança foi gradual: primeiro metade batido e metade amassado durante 3 ou 4 dias e com ingredientes diferentes e depois gradativamente mais papinha amassada do que batida, até que ela ficasse totalmente só amassada – isso levou cerca de 10 a 15 dias.

Vejam só, tudo foi feito muito “homeopaticamente”, com calma e paciência, afinal esses bebezinhos são pequenos e sabem se expressar no máximo chorando ou, pior, recusando a comida. Os bebê são peqeunos seres que “funcionam no automático”, e se apesar da fome recusam a comida, deve-se imaginar quealguma coisa pode não estar certa…

Quando meu filho foi chegando perto de um aninho de idade e a boca aparecia cada vez mais cheia de dentinhos, as papinhas foram ganhando pedaços maiores e algumas vezes os legumes ficavam ligeiramente menos cozidos, para estimular MESMO a mastigação. Até então os grão e verduras estavam de fora.

As verduras começaram a aparecer timidamente no cardápio por volta dos 10 meses de vida, sempre bem picadinhas e sempre refogadas em alguma gordura do bem, como a manteiga orgânica, óleo de coco ou banha artesanal. Tinha couve, manteiga alho poró, brócolis, agrião, couve-flor, escarola, etc.

Com um aninho ele ficou conhecendo os grãos, sempre preparados com o cuidado de deixar de molho antes, cozinhar lentamente (jamais na panela de pressão) e sempre cozidos em algum caldo caseiro (eu particularmente prefiro o caldo de carne no cozimento dos grãos, é o que mais gosto e é o que acho que combina mais – gosto pessoal meu).

Bem, e com a entrada do arro, feijão, lentilha, milho, ervilha, grão de bico e outros grãos fomos gradativamente nos despedindo das papinhas e cada vez mais entrando no mundo das “comidas de gente grande”, mas sempre muito nutritivas e com um toque alegre de criancinhas.

A partir de agora, periodicamente, vou recordar aqui algumas das deliciosas receitas de papinhas que preparei para o meu filho e que sempre fizeram o maior sucesso!

Aguardem!!

FALARAM DE NÓS no jornal O Povo, de Fortaleza!! CLIQUE AQUI para conferir a matéria na íntegra!

Já conhecem o BRECHÓ DA PAT? Aparece por lá!




Quem é a Pat FeldmanPat Feldman

Pat Feldman é culinarista, criadora do Projeto Crianças na Cozinha (www.criancasnacozinha.com.br), que visa difundir para o grande público receitas infantis saudáveis, saborosas e livre de industrializados. É também autora do livro de receitas A Dor de Cabeça Morre Pela Boca, escrito em parceria com seu marido, o renomado médico Alexandre Feldman.

71 comentários

  1. Oi Pat, sou visitante assídua do teu blog. Adoro quase tudo o que vc escreve, apesar de não seguir a tua linha de alimentação (infelizmente, por preguiça, por falta de habito..etc). E nunca deixei um comentário, mas este achei que foi o “top de linha”, um dos melhores que já vi na vida (diria o melhor) sobre papinhas de bebê! Eu não segui o que vc falou, porque fui muito mal orientada e por isso, agradeço a Deus pela minha filhota não ter tido nenhum problema com alimentação, mas seguiria hoje o teu texto se tivesse outro bebê (a minha já tem 2 anos e 8 meses!)….muito bom! te apoio em gênero, número e grau! Parabéns…adorei o texto, mas ADOREI MUITO!

    1. Márcia, muitíssimo obrigada pelo carinho!!!!

      Eu tive uma excelente assistência do meu marido médico (clínico geral) na introdução de alimentos do nosso filho, a pediatra também deu toques excelentes e eu usei meu bom senso, meu carinho de mãe e baseado em tudo isso, criei meu próprio método de introdução, que pelo menos aqui em casa se mostrou realmente eficiente.

      Quando vier o próximo bebezinho (virá?), você pode experimentar o meu método!

  2. Oi Pat, nós é que devemos agradecimento a você! Eu não sei se virá não, já fui mais romântica em relação a ter filhos, mas hoje peso tudo, a vida agitada, a terceirização da maternidade que para falar a verdade, é o que mais pesa, pois lamento muito a mãe ter o filho e não poder criar, ter que repassar isso a uma escolinha ou uma babá! A minha Aninha vai para a escola desde dos 8 meses, e acho ótimo porque desenvolve a criança, pq ajuda a educar para a vida, ajuda na alimentação, enfim, eu defendo a escolinha, mas na verdade, queria poder estar mais com ela, principalmente naqueles dias que ela está doentinha, chorona, precisando de mim! Acho que vou deixar de ter o segundo filho por egoísmo, para eu não sofrer pela distância. Eu achei o que vc escreveu mais perto da realidade e do bom senso. Achei que faz muito sentido o teu passo-a-passo! Concordo com o processamento das primeiras papinhas, justamente pelo que vc falou, para não ser a experimentação de uma coisa tão diferente do leite materno(ou LA). E sabe o que é mais importante? Você ter usado isso e não ser só uma teoria médica! Mais uma vez, parabéns…acho que vale a pena a divulgação do teu texto! um grande beijo

  3. Oi Pat, parabéns pelo artigo!
    Se minha mae, na época dela tivesse essas instruções, talvez eu não tivesse nem a metade das crises de enxaqueca que já tive na vida. Alô mamães visitantes deste site, começem uma alimentação saudavel com seus bebes, isso vai evitar muitos problemas no futuro.
    Eu ainda não tenho filhos, mas estamos planejando para o ano que vem, e fico muito feliz, mas muito feliz mesmo, em ter essas receitas maravilhosas e saudáveis para fazer para meu bebê.
    Parabens e muito obrigada pela sua dedicação em repassar tudo que sabe de bom, referente a alimentação.

  4. Pat, como vai?
    Adorei o texto, pena que meus bebês cresceram e não pude aproveitar todas essas informações. Dei muitta papa industrializada, mas agora procuro reparar meu erro fazendo comidinhas mais saudáveis com total inspiração no seu site.
    Grande beijo,
    BEL
    =]

  5. Oi Pat
    Adorei esse artigo. Minha filha de 9 meses nao come muito bem, vou procurar seguir suas receitas, ja que nao tenho muita criatividade p/ fazer as papinhas. Pra piorar ela esta com baixo nivel de ferro no sangue, entao vou precisa me dedicar em dobro!!
    Obrigada pela sua ajuda. Moro na Georgia,eua e tenho dificuldades em encontrar certos alimentos
    Beijos
    Paty

  6. Olá pat. Como é que eu posso ficar a saber se uma manteiga é de boa qualidade ou nao?ou pura?
    eu quando vou ao supermercado(bio) fico sem saber o que escolher:(, eu sei que a manteiga ghee é boa mas nao gosto daquele gosto.
    Ai pat se voce sobesse como errei tanto na alimentacao do meu filhote, felizmente tudo se foi corrigindo.Mas o meu marido acha que tudo é bom, é cabeca dura, para ele tudo o que tiver no supermercado é comestivel, por mais que eu lhe tente dar a volta ele nao se demove.
    bjs

    1. Odete, mostre ao seu marido o artigo do Dr. Braghinni entitulado “Iso é Comida?”: https://pat.feldman.com.br/?p=4391

      Quanto `manteiga, ela deveser composta somente de creme de leite e no máximo sal. Qualquer outra coisa é química para dar mais tempo de prateleira e não presta. Quando preciso de manteiga e não tenho da orgânica artesanal disponível, costumo comprar da marca Aviação, mas existem outras marcas boas também, é questão de ler os rótulos, sempre!

  7. Como fonoaudióloga gostaria de comentar que não é indicado o uso de processador nem do liquidificador. Mesmo as primeiras papinhas devem ser passadas por uma peneira fina para que o bebê sinta os alimentos e exercite sua musculatura.É importante lembrar que inúmeros problemas ortodônticos e também de fala podem ter origem nesse momento da alimentação infantil. Muitos bebês acostumados com a consistência muito mole do liquidificador passam a ter resistência a consistências mais firmes.
    Como pesquisadora que vc é Pat, acho que vc poderia consultar a literatura a respeito desse assunto e passar essa orientação aos leitores.

    um abraço
    Fga silvia cariola CRFA 6982

    1. Silvia, como disse em meu texto, acho importantíssimo que o bebê aprenda a mastigar e tenha a mastigação estimulada desde cedo através de pedacinhos no meio de sua comida. Porém a minha experiência em casa, com meu filho, mostrou que a fase de transição de “só leite, só líquidos” para papinhas, pedacinhos e pedações de comida também é super importante para uma melhor aceitação das novidades!

      Em nenhum momento eu digo que se deve bater as papinhas no liquidificador indefinidamente, até porque não acho que deva ser feito assim, mas insito que a fase de transição deve existir e deveria ser sugerida pelos pediatras ou quem quer que cuide da alimentação inicial dos bebês. Eu tenho certeza que pouquíssimas semanas nessa fase de transição não trarão nenhum tipo de problemas futuros. Eu não só pesquisei, ocmo testei na prática aquilo que escrevi neste artigo!

      Mas de qualquer forma, agradeço muito ao seu comentário, que veio enriquecer ainda mais o conteúdo do nosso site! Seja sempre muito bem vinda!

    2. Pois eu como mãe .. Acho que todas as dicas que a Paty faz a gentileza de compartilhar conosco. É muito mais válida que qualquer literatura profissional sem fundamentação lógica.
      Antes de encontrar este site,eu tinha exatamente esta dúvida,e pensava exatamente
      Como a Paty..Como se não bastasse mudar o gosto,tbm tem que mudar a textura?! Sempre achei a mudança drástica demais, e talvez por isso muitos bebês não se adaptam tão logo.

  8. Amei o texto! Parabéns!
    Porém não posso deixar de questionar (também) o uso do liquidificador. E para mim a questão do liquidificador vai além da questão da mastigação. Quando comecei a introdução de alimentos com meu filho (hoje com 13 meses) consultei um nutricionista. A mesma pediu para que passasse os alimentos na peneira (concordo que ir do liquido direto para comida massada é bastante complicado) pois o liquidificador quebra as fibras e vitaminas acabam se perdendo por conta dele tb. Vc como grande estudiosa do ramo concorda com isso? Ou essa perda é insignificante perto da facilidade?
    Alias, temperos como curry podem ser introduzidos na alimentação de bebes novinhos?
    Bjs

  9. Pedaços de comida precisam ser mastigados. E para mastigá-los, são precisos dentes.

    A função da mastigação é triturar os alimentos a fim de transformá-los em uma massa fluida conhecida como bolo alimentar. A mastigação é uma fase crucial da digestão, pois evita que sejam deglutidos pedaços de alimentos. A deglutição de alimentos em pedaços pode agridir o tubo digestivo, contribuir para uma digestão incompleta e uma absorção inadequada de nutrientes fundamentais nesta fase crítica de crescimento e desenvolvimento dos órgãos, glândulas e cérebro.

    A mastigação não precisa ser aprendida, pois é instintiva. Na época apropriada, basta colocar na boca da criança um alimento não-líquido, e ela dará início automaticamente ao processo de mastigação antes de deglutir esse alimento. Em pouco tempo, a criança aperfeiçoará esse processo, sem precisar de ninguém para ensiná-la ou orientá-la.

    O que se passa, muitas vezes, no imaginário de algumas pessoas (inclusive alguns profissionais de saúde) é a noção que se a mastigação for iniciada o quanto antes, isso contribuirá para o fortalecimento dos dentes e mandíbula, prevenindo cáries e deformidades como dentes encavalados, sobremordida, submordida etc. Só que por mais teorias mirabolantes que existam a esse respeito, uma coisa é certa: a saúde bucal e dentária e a boa formação da cavidade oral depende primordialmente da qualidade da alimentação e de nutrientes como a vitamina D, obtidos a partir do Sol (dêem uma lida no meu artigo intitulado “O Sol Que Cura e o Sol Que Mata“). A preocupação com essa qualidade deve se iniciar antes mesmo da concepção da criança, e estender-se ao longo da gravidez. E essa qualidade, durante a infância, depende de fatores que a Pat discute amplamente aqui mesmo no site CriancasNaCozinha.com.br. Um desses fatores é a trituração adequada dos alimentos antes da deglutição.

    Outra coisa que, infelizmente, se passa no imaginário de alguns profissionais de saúde, é a noção que o liquidificador altera as vitaminas. Muito pelo contrário: o liquidificador ajuda a liberar nutrientes, graças, justamente, à sua ação de “despedaçar” as estruturas moleculares dos alimentos, especialmente as de mais difícil digestão. A propósito, para alguns estudiosos, comer tantas fibras assim pode não ser uma boa idéia em termos de saúde! Mas vou deixar para falar sobre isso numa outra ocasião.

    Sobre passar alimentos na peneira: o efeito final é o mesmo, no sentido de tornar o alimento fluido. Com a diferença de que quem for fazer isso terá muito mais trabalho que simplesmente apertar o botão do liquidificador. O resultado será um grande número de mães recorrendo às papinhas industrializadas, alegando falta de tempo (e paciência) (haja paciência!!!).

    Por favor, leiam com atenção o que a Pat escreveu: em nenhum momento ela disse que a criança deve comer eternamente papinhas no liquidificador. Ela sugere, isso sim, uma introdução gradual, ao longo de várias semanas, da alimentação sólida. Como a fonoaudióloga Silvia comentou acima (e como todo bom profissional de saúde sabe), exageros nesse sentido podem trazer problemas de toda sorte.

    Minha opinião como médico, estudioso do assunto e pai de uma criança com saúde radiante (e como resultado, dentes absolutamente perfeitos) é: se, por algum motivo, for preciso introduzir alimentos efetivamente sólidos antes da criança ganhar alguns dentinhos, é muito melhor que um liquidificador ou processador de alimentos faça o papel dos dentes na digestão destes alimentos.

    Parabéns, Pat, pelo seu artigo. Tenho muito orgulho de você, e do bem que você faz a tanta gente, dedicando seu tempo e carinho para dividir suas deliciosas receitas com o mundo.

  10. Parabens Pat, como fala teu marido, ele deve ter muito orgulho de você mesmo!!
    O pediatra da minha filha me recomendou começar dando caldos a ela, para se acostumar com outros sabores,sem interromper a ingestion de liquidos a que ela estava acostumada, logo depois veio a papinha liquidificada, logo a semi liquidificada, mais tarde pasada na peneira e por ultimo amassada com garfo, cada una das etapas durou uma semana.
    Devo dizer que fiz direitinho como ele explicou e minha bb adorou cada uma das etapas, ela come muitisimo bem, e agora com os dentinhos melhor ainda, eu acho que foi muito importante ele me explicar como fazer a introdução de solidos na dieta dela, ja que não son todos os medicos que fazem e alguns ate não saben direito como fazer.
    No meu caso foi otimo, em quanto aos sabores e temperos, tambem foi gradual, pela minha conta, com a ajuda da nossa grande amiga Pat.
    A minha bb de um ano e 3 meses adora gengibre, e não faz cara feia para nehum alimento que ofereço, mais ela tem sim suas preferencias, ela adora frutas, de cualquer jeito, e iogurte com frutas o sozinho.
    Obrigada Pat, por nos ensinar a fazer a diferença nas nossas vidas, e das nossas crianças!

  11. Uauuuu Dr.Alexandre, vou imprimir esse texto e te-lo sempre comigo. Eu sempore achei complicado dar pedacinhos de comida p/ a minha filha de 9 meses e com apenas 2 dentinhos. Claro que de vez em quando e soh alguns eu ateh concordo, mas essas teorias de que fortalecimento dos dentes e etc definitivamente para mim cairam por terra. Eu estava sendo criticada o tempo todo por leigos por triturar os alimentos da minha filha, mas agora gracas ao seu comentario vou ter a resposta na ponta da lingua.
    Muito obrigada Dr. e tbm a Pat que enriquece o nosso conhecimento de todas as formas, nao soh na culinaria!!

  12. Estou bastante interessada em receitas que possam ser feitas com crianças! E em comentários sobre este assunto.
    Acho genial a forma como vcs. tratam a quertão : muito dinâmico e atraente estas matérias!!!
    Agradeço a atenção. Paula.

  13. Pat, parabéns pelo artigo!

    Muito didático, bem detalhado e bem elucidativo! Com certeza eu o consultarei quando tiver meu segundo(a) filho(a)… não sei quando, mas terei. =)

    Beijos!

  14. Pat,
    depois de feita a papinha quanto tempo ainda continua boa e com vitaminas para dar ao nenem?
    Obrigado

  15. OLá!conheci seu site hoje, e amei!!!!!Tenho um bebê de quatros meses e meio e já comecei a ler sobre a alinetação que ele terá e como é importante saber alimentar bem o bebÊ. Mãe de primeira viagem que mora longe da familia precisa de sites que contenham boas informações. Me senti mais segura em aprender a fazer as papainhas em casa quando ele começar a comer.
    gostaria de saber os preços do oleo de coco e do caldo de carne e galinha, moro em araraquara mas minha mae mora no butantã.
    Parab´nes pelo site!

  16. eu preciso de uma receita p/ 4 dias incluindo 8 refeições q é almoço jantar + suquinho de frutas e sobremesa de frutas tbem… sem repetir os vegetais e hortaliças. se puder me ajudar agradeço desde já.Obrigada!!!

  17. Olá, fiquei mto contente com essa receita,minha filha tem 4 meses e ja estou me preparando pra esse momento q logo chega.
    Mais enfim, quero saber se posso substituir a manteiga pelo azeite extra virgem?
    Eu nao moro no Brasil entao aqui onde eu moro, as pediatras aconcelham as mães usarem o azeite extra virgem.
    obrigada………

    1. Juliana, são gorduras diferentes, com propriedades diferentes. O azeite de oliva extra virgem JAMAIS deve ser aquecido.

  18. Pat, fantásticas suas dicas. Apesar de estar no terceiro filho (nasce em outubro), sempre procuro pesquisar sobre a alimentação para bebês, até porque já tem um tempinho que tive os outros dois, que têm 6 e 8 anos. Apesar de hoje em dia eles terem sucumbido às “porcarias modernas e gostosas”, ainda mantenho uma alimentação saudável para os dois, controlando quantidades e, principalmente, a qualidade. Prova disso é que nunca ficam doentes. E o Luís Felipe seguirá pelo mesmo caminho.
    Beijos, parabéns pelo trabalho!!!

  19. Paty minha Leticia tem 5 meses e tem hidrocefalia e achei legal tudo que li, eu mesma uso o liquidificador e muitas das vezes sou criticada e tenho a mesma opinião que a sua. Parabens adorei todas as dicas continue firme nós mãmães agradecemos.
    beijos Cau

  20. querida pat, sou de brasília e adoro o seu site. admiro muito vc por seguir uma alimentação tão rica… estou tentando melhorar também, mas ainda muito longe do que considero o ideal…
    tenho um filhinho de 5 meses e mês que vem a pediatra deve liberar as papinhas…
    gostaria muito de fazer com que ele tenha uma alimentação balanceada desde pequenininho. vejo que vc dá um curso, mas em SP. Por que vc não dá um curso on-line ou vende as apostilas aqui no site? me ajudaria muito e a outras mães também!
    bjs

  21. Oi Pat,

    meu filho está com 5 meses e como minha licença acabou e preciso retornar ao trabalho ele ficará em um berçário, desta forma o pediatra dele já introduziu as papinhas, estava sofrendo com a idéia de não liquidicar a papinha, já que ele tem apenas 5 meses e não conseguirá comer se não for desta forma, fiquei mais tranquila com o depoimento de um médico dizendo que não perde as fibras e nem os nutrientes, muito obrigada, vc nos ajuda muito. PARABÉNS pelo seu trabalho.

  22. oi paty adorei seu blog estou com duvida sobre a papinha da minha filha ela tem 4 meses n sei direito como preparar uma sopinha para ela queria q me ajudasse com uma receita para ela…..obrigado

  23. Pat, você sabe onde posso achar esses potinhos como os da foto (igual aos potinhos das famigeradas papinhas Nestlé). Não queria comprar a papinha pronta só pra depois usar os potinhos. Obrigada!

    1. Eliane, os primeiros potinhos que usei foram das próprias industrializadas, que ocmprei, desprezei o conteúdo e usei os potes. Nas poucas lojas em que eu encontrava potinhos, eles eram tão caros, que compensou.

      Depois fiquei mais espertinha, menos preguiçosa e me despenquei numa loja de vidrarias na praça da Sé onde encontrava potinhos similares a preço de banana. Foi ótimo! Hoje em dias esses mesmo potinhos eu encontro de vez em quando numa lojinha em Santa Cecília, onde é menos tumultuado para ir. O preço é praticamente o memso da Sé.

    1. Aldenora, em geral se recomenda aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de vida e qualquer coisa diferente deve seguir recomendação médica.

  24. Oi Pat tudo bem?
    Vc não imagina o quanto fiquei aliviada com o depoimento do Dr.Alexandre, pois no começo da introdução de alimentos sólidos do meu bebê, eu batia tudo no liquidificador, muitas pessoas me criticam até hj, pois meu bebê tem 1 ano e 10 meses e ainda fala tudo enrolado, e isso me deixou com um arrependimento muito grande. Espero que isso realmente não tenha prejudicado na fala dele. Gostaria de saber se vc tem algumas dicas para estimulá-lo a falar.
    Bjs obrigada pelo carinho.
    Cida

    1. Cida, meu filho comeu muita papinha batida noliquidificador e além disso aprendeu 3 idiomas ao memso tempo. Não ficou com a língua enrolada. Acho que isso pode acontecer sim, porém por outras razões.

      Estímulo pra a criança falar, e falar certo? Meu marido virou especialista! Tagarelava com nosso filho o dia todo!!! Nada de TV falando o tempo todo, mas sim uma pessoa, falando e interagindo. Ele tem muito mais mérito do que eu nesse quesito. Até hoje fala e canta muito com nosso pequeno e isso sim eu tenho certeza de que fez toda a diferença!

  25. Oi Pat!
    Muito obrigada pelas dicas.
    Estou com um bebe de quase nove meses que não quer comer de maneira nenhuma. Talvez nao esteja procedendo da forma certa. Vou tentar a sua receita da primeira papinha.
    Tomara que funcione!
    As minhas dúvidas são: Quando vc fala uma colher de bife de figado. É figado bovino normal?
    eu posso guardar essas papinhas mesmo no vidro do industrializado com tampa de metal?
    e por quanto tempo?

  26. Oi Pat,sou leitora assídua do seu site,apesar de nem sempre comentar,mais gostaria de uma opinião,minha filhota esta com 9 meses e meio,come super bem tudooo,mais gostaria de introduzir novos sabores na sua alimentação,principalmente no lanchinho…vc aconselha dar iogurte natural? nunca dei,mais morro de vontade sabendo o bem que faz,ou vc tem alguma sugestão pra dar?
    Beijinhos
    kaka

    1. Karine, você não só pode, como DEVE dar iogurte natural integral para a tua pequena!! É super bom!! Procura não adoçar. Ela talvez faça umas caretinhas de vez em quando, mas logo se acostuma ao azedinho!

  27. Olá Pat preciso de umas dicas..tenho um filho de 9 meses q ta dando o maior trabalho para comer as papinhas salgadas,já não sei mais o q faço,antes não era assim,ele papava tudo,mas agora so Deus e eu sabe o trabalhão q dá p ele comer,o que vc sugere..

    1. Tati, os grãos são de difícil digestão para o sistema ainda imaturo do bebê, e sua ingestão pode facilitar problemas como cólicas, constipação, entre outros.

  28. Obrigada Pat!
    Deixei a Luana (8 meses) provar o caldo de feijão e ela gritava que queria mais. Nunca fez isso com nenhum outro alimento. Nunca dei grãos a ela e fiquei pensativa se causaria algum desconforto, mesmo o feijão ter sido deixado de molho e cozido lentamente.

    1. Tati, eu preferi evitar de oferecer até um aninho e com esse bebê que está chegando penso em esperar até um pouco mais.

  29. Adorei Pat! A gente que quer alimentar os filhos com ‘comida de verdade’ fica com um pouco de dúvia na hora dos sólidos. Suas dicas são valiosas, até porque já foram testadas e aprovadas pelo seu pequeno. Luisa já está chegando nos seus dias de provar algo diferente. Um beijo.

  30. Pat, quanto mais eu leio, mais dúvida eu tenho em relação a alimentação da minha bebê de 6 meses. :( Seguindo uma orientação comecei no início do ano oferecendo um alimento por vez, cozido no vapor, amassado na peneira e misturado com leite materno e azeite. Com isso já ofereci: inhame, cenoura, abóbora japonesa, batata doce. De fruta: pêssego (ela atacou um pêssego!), ameixa, mamão, banana e maçã. Ela come aproximadamente 2 colheres de sopa em dias bons. Para as primeiras vezes, eu achei um bom resultado. A consistência é de uma papa mais pastosa. Ela pareceu gostar, geralmente trás a boca a colher ou tenta pegar e colocar na boca.
    Mas você segue uma “linha” diferente, como as “linhas” são oriundas de fontes que admiro, fico na dúvida sobre que “linha” seguir! Percebo que ela não mastiga, mas como se usasse a lingua para dissolver aquele alimento. Ela não bebe a comida como se fosse liquidificada (por favor, não estou criticando, é só para mostrar como é que tenho feito. Fico na dúvida se deveria liquidificar ou só passar na peneira. A batata doce tive que passar na peneira, por conta das longas fibras da batata doce. Ela adorou, só parou de comer, pois me perdi um pouco no horário do almoço (ainda não me acostumei) e estava chegando a hora da soneca dela.
    Agradeço por fazer esse trabalho tão legal!
    Se tivesse em SP, certamente encomendaria caldos e pão de queijo contigo!!! Tem que arrumar um jeito de enviar para o RJ!
    Bjs

    1. Jacqueline, a principal linha a seguir é sempre a da tua observação e bom senso!! O que escrevo aqui é fruto de muita pesquisa, mas principalmente da minha observação com meu primeiro filho e agora com o mais novinho, que está encarando papinhas amassadas no garfo mais cedo que o mais velho!
      Você já deu carne para tua bebê? Eu acho importante você misturar um pedacinho de fígado nas papinhas dela, e o fígado bem cozido, desmancha na papinha super fácil!
      As frutas ricas em pectina, como maçãs, peras, pessegos, damascos, entre outras, eu ainda não ofereci, mas assim que o fizer, daqui uns 2 meses, serão primeiramente cozidas e acompanhadas de creme fresco batido e/ou iogurte natural integral – a gordura de boa qualidade nessa fase é super importante!!!
      Essa semana resolvi oferecer a banana, mas não purinha porque acho o gosto doce demais. Dá uma olhada na papinha que inventei: https://pat.feldman.com.br/?p=10236

      Se a ua filha aceita bem as papinhas não liquidificadas, manda ver! Pra o mais velho eu processava porque era como ele aceitava melhor no início. O mais novo come amassada numa boa, nem na peneira eu passo! A única processada aqui é a de beterraba, pelo menos por enquanto!

  31. Oi Pat, na verdade minha dúvida é em relação a que alimentos oferecer em cada epoca, sabe? Sei que seu filho Alec (?) é um pouco mais novo que a Liv, minha filha e ele já comeu coisas que eu nem pensaria em dar para ela, como gema de ovo com fígado, por exemplo.
    Ontem e hoje ela quase não quis comer. Não forcei, pois é muito no início e ela mama super bem.

    1. Jacque, no início, além das gemas de ovos (que eu julgo ser o mais importante), ofereço as papinhas básicas, à base de algum tubérculo (cenoura, abóbora, batata-doce, beterraba, mandioquinha, etc) cozidas bem molinhas no vapor ou direto no caldo de carne ou frango caseiros junto com igual quantidade de fígado e bastante manteiga e/ou óleo de coco.
      Com o tempo vou acrescentando algumas ervas e temperos, depois verduras picadas miudinho, mais temperos e só depois de um ano e pouco eu começo com arroz, feijão e outros grãos.

  32. Oi pat,lí algums dos comentários e respostas do seu site…bom,vou começar contando a minha história.
    Tenho uma bebe q fez 1 aninho esse mês e sempre dei comida batida no liquidi,mas desde os 10 meses quando nasceu seu 1º dentinho tentei amassar e foi em vão,ela fa ansia de võmito,depois tentei com 11 e tbm não aceitou,e agora com 1 aninho não to tendo sucesso…gostaria q me ajudasse de alguma forma,obrigada!

    1. Paty, meu bebê de 11 meses ainda não é um grande fã das comidas amassadinhas, muito menos daquelas com pedacinhos – ele ganhou o primeiro dente com 10 meses, e o 2o. chegou agora, aos 11 meses. Eu tenho batido ainda as papinhas, mas aos poucos, deixo uma parte batida e outra amassada, para beeeeem aos poucos, ele ir se acostumando com os pedacinhos. Sem pressa!!

  33. Pat, conheci seu blog na semana passada ao procurar alimentos saudáveis para minha bebê que vai começar com er papinhas esse mês. E por uma feliz coincidência, sou de Brasília e vou participar da sua aula. Mas como seu que haverá muita gente e o tempo é curto, gostaria de tirar uma dúvida com você aqui pelo blog. Você deu iogurte para o seus filhos desde muito cedo. E os pediatras não recomendam a ingestão de leite de vaca antes de 1 ano, dentre outros motivos :por causa do leite de vaca possuir 3 vezes mais proteína que o leite humano. Devido a essa característica, o leite integral acidifica o pH sangüíneo. Também sobrecarrega os rins, quando consumido diariamente. Crianças alimentadas com leite de vaca integral apresentam baixa ingestão de nutrientes como ácido linoléico, zinco, ferro e vitaminas C e E. O ácido linoléico é essencial para o desenvolvimento do Sistema Nervoso Central do bebê.
    Qual a sua opinião sobre isso?
    Desde já agradeço a atenção.

    Laura

  34. Pat, meu bebê fará logo 6 meses, tenho uma dúvida, você iniciou gradualmente com suquinhos, papa de frutas e depois papa salgada? bjs e adoro seu site e o do seu marido, pois tenho enxaqueca, sabe como é né??? rsrs

  35. Pat, brigadinha pela atenção. Li os links que falam do suco e na verdade já sabia sobre o perigo do suco pois tenho o livro da enxaqueca, só não liguei uma coisa com a outra. Só uma dúvida,
    vc iniciou com papa salgada e quando e como introduziu as frutas. Grata pela atenção, bjs.

  36. Pat, boa tarde! Mais uma vez agradeço as informações sobre as papinhas… como mãe de primeira viagem tudo é novidade, estou em dúvida em relação ao tipo de panela utilizada para preparar as papinhas, pois sei que as de alumínio podem fazer mal à saúde. Qual você utiliza para fazer as suas papinhas. Beijos e obrigada.

  37. Oi Pat, quero te dizer que o assunto em pauta é muito importante. Muitos médicos não explicam direito e para uma mãe de primeira viagem é um pesadelo.
    Li muito sobre amassar os alimentos e passar na peneira. Mas eu imaginava como poderia introduzir algo tão grosso ao bebe que está acostumado com o liquido.
    Hoje o meu bb tem 6 meses e come papinha desde os 5, todas passadas no liquidificador
    Essa história de que o bb precisa aprender a mastigar é balela. Qdo dou ao meu bb uma fruta raspadinha, automáticamente ele ja faz movimentos de mastigação.
    Concordo plenamente com que o médico escreveu sobre o assunto. O meu bb é prova disso.

  38. Pat! Lindo blog, recheado de informação boa. Descobri ele só agora, meu pequeno está com 7 meses e estamos no segundo mês das papinhas. Fiquei interessadíssima no óleo de coco, que sei que é um alimento riquíssimo e no iogurte natural. Você saberia me responder se já posso usá-los? E se devo usar todos os dias ou em todas as papinhas? Muito obrigada!! Bjos

    1. Pamela, eu usei óleo de coco e iogurte na alimentação dos meus filhos desde sempre e para eles nunca fez mal. Não conheço contraindicações,a não ser alergias, que podem ocorrer com qualquer pessoa, em qualquer idade.

  39. Boa Tarde,
    Pesquisando sobre papinhas para bebês, encontrei esse site e adorei.
    Tenho uma bebê de 5 meses, faz 3 dias que ela está comendo papinha salgada.Ela começa a comer muito bem e de repente começa chorar.Creio que no começo pode ser assim mesmo, até acostumar.Estou com muitas dúvidas e ler isso tudo já me ajudou bastante!
    Parabéns pelo site!

  40. Gostei muito do seu post. Esclarecedor e tranquilizador. Ajudou bastante!

Comentários estão encerrado.

%d blogueiros gostam disto: