SOJA – A História Não É Bem Assim

by Pat Feldman on 23/06/2013 · 111 comments

in AMIGOS, ARTIGOS, Dr. Alexandre Feldman

Imagem: http://www.theajzone.com Imagem: http://www.theajzone.com

Vale a pena ler de novo e sempre, um texto que desmistifica completamente o culto à soja!

Excelente artigo escrito pelo médico Alexandre Feldman, após extensa pesquisa a respeito da soja e seus derivados, ingrediente amado por uns e odiado por outros. Consumido largamente nos dias de hoje nas formas mais variadas e perigosas.

Opinião minha, paladar meu: fazendo mal ou não, detesto o gosto da soja. Uso com muita moderação alguns dos seus derivados naturalmente fermentados (shoyu, misso), como tempero em receitas com inspiração oriental. E sempre tomando o cuidado de cmprar produtos que sejam realmente fermentados naturalmente e que sejam livre da soja trangênica – a praga das pragas!

Leiam o texto, reflitam sobre o assunto e escolham com cuidado o que colocar na mesa da sua casa.

Hoje em dia existe uma verdadeira febre de consumo de soja. Propagada como um alimento rico em proteí­nas, baixo em calorias, carboidratos e gorduras, sem colesterol, rico em vitaminas, de fácil digestão, um ingrediente saboroso e versátil na culinária, a soja, na verdade é mais um “conto do vigário” do qual a maioria é ví­tima.

É bem verdade que a soja vem da Ásia, mais especificamente da China. Porém, os chineses só consumiam produtos FERMENTADOS de soja, como o shoyu e o missô.

Leia mais sobre alimentação e estilo saudável! Leia mais sobre alimentação e estilo saudável!

Por volta do século 2 A.C., os chineses descobriram um modo de cozinhar os grãos de soja, transfomá-los em um purê e precipitá-lo através de sais de magnésio e cálcio, formando o assim chamado “queijo de soja” ou tofu. O uso destes alimentos derivados de soja se espalhou pelo oriente, especialmente no Japão. O uso de “queijo de soja” como fonte de proteí­na data do século 8 da era cristã (Katz, Solomon H: “Food and Biocultural Evolution: A Model for the Investigation of Modern Nutritional Problems”, Nutritional Anthropology, Alan R. Liss Inc., 1987 pág. 50).

Não é à toa que os antigos chineses não se alimentavam do grão de soja. Hoje a ciência sabe que ela contém uma série de substâncias que podem ser prejudiciais à saúde, e que recebem o nome de antinutrientes.

Um destes antinutrientes é um inibidor da enzima tripsina, produzida pelo pâncreas e necessária à boa digestão de proteí­nas. Os inibidores da tripsina não são neutralizados pelo cozimento. Com a redução da digestão das proteí­nas, o caminho fica aberto para uma série de deficiências na captação de aminoácidos pelo organismo. Animais de laboratório desenvolvem aumento no tamanho do pâncreas e até câncer nessa glândula, quando em dietas ricas submetidos a inibidores da enzima tripsina.

Uma pessoa que não absorve corretamente os aminoácidos, tem o seu crescimento e desenvolvimento prejudicado. Você já notou que os japoneses são, normalmente, mais baixinhos? Já os descendentes que vivem em outros paí­ses e adotam as dietas desses paí­ses, costumam ter uma estatura maior que a média no Japão. (Wills MR et al: Phytic Acid and Nutritional Rickets in Immigrants. The Lancet, 8 de abril de 1972, páginas 771-773).

Fontes atualizadas sobre os malefícios da soja:

Weston A. Price Foundation, Soy Alert

Why Soy Can Damage Your Health

Soy Controversy and the Effects of Soy Consumption

Silk Soy Milk is Misleading American Consumers

The Evidence Against Soy

Soy Weakens Your Immune System

O efeito inibitório da absorção de aminoácidos pode comprometer a fabricação de inúmeras substâncias formadas a partir dos mesmos, entre os quais, os neurotransmissores. A enxaqueca, a cefaléia em salvas, a cefaléia do tipo tensional, e outras dores de cabeça, além de depressão, ansiedade, pânico e fibromialgia, são causadas por um desequilí­brio dos neurotransmissores. Qualquer fator que prejudique a sua fabricação, pode aumentar ou perpetuar esse desequilí­brio.

A soja contém também uma substância chamada hemaglutinina, que pode aumentar a viscosidade do sangue e facilitar a sua coagulação. Portadores de enxaqueca já sofrem de um aumento na tendência de coagulação do sangue e uma propensão maior a acidentes vasculares. A pior coisa para esses indiví­duos é ingerir substâncias que agravam essa tendência.

Tanto a tripsina, quanto a hemaglutinina e os fitatos, que mencionaremos a seguir, são neutralizados totalmente pelo processo de fermentação natural da soja na fabricação de shoyu e missô, e parcialmente durante a fabricação de tofu.

Os fitatos, ou ácido fí­tico, são substâncias presentes não apenas na soja, mas em todas as sementes, e que bloqueiam a absorção de uma série de substâncias essenciais ao organismo, como o cálcio (osteoporose), ferro (anemia), magnésio (dor crônica) e zinco (inteligência).

Você não sabia de nada disso?

Mas a ciência já sabe, estuda esse fenômeno extensamente e não tem dúvidas a respeito. Já comprovou este fato em estudos realizados em paí­ses subdesenvolvividos cuja dieta é baseada largamente em grãos. (Van-Rensburg et al: Nutritional status of African populations predisposed to esophageal cancer, Nutr Cancer, volume 4, páginas. 206-216; Moser PB et al: Copper, iron, zinc and selenium dietary intake and status of Nepalese lactating women and their breast-fed infants, Am J Clin Nutr, volume 47, páginas 729-734; Harland BF, et al: Nutritional status and phytate: zinc and phytate X calcium: zinc dietary molar ratios of lacto-ovo-vegetarian Trappist monks: 10 years later. J Am Diet Assoc., volume 88, páginas 1562-1566).

Claro que a divulgação desse conhecimento não é do interesse de toda uma indústria multibilionária da soja. A soja contém mais fitato que qualquer outro grão ou cereal. (El Tiney AH: Proximate Composition and Mineral and Phytate Contents of Legumes Grown in Sudan”, Journal of Food Composition and Analysis, v. 2, 1989, pp. 67-78).

Para os demais cereais e grãos (arroz integral, feijão, trigo, cevada, aveia, centeio etc), é possí­vel reduzir bastante e neutralizar em grande parte o conteúdo de fitatos, através de cuidados simples, como deixá-los de molho por várias horas e, em seguida, submeter a um cozimento lento e prolongado. (Ologhobo AD et al: Distribution of phosphorus and phytate in some Nigerian varieties of legumes and some effects of processing. J Food Sci volume 49 número 1, páginas 199-201).

Já os fitatos da soja não são reduzidos por essas técnicas simples, requerendo para isso um processo bem longo (muitos meses, no mí­nimo) de fermentação. O tofu, que passa por um processo de precipitação, não tem os seus fitatos totalmente neutralizados.

Interessantemente, se produtos como o tofu forem consumidos com carne, ocorre uma redução dos efeitos inibidores dos fitatos. (Sandstrom B et al: Effect of protein level and protein source on zinc absorption in humans. J Nutr volume 119 número 1, páginas 48-53; Tait S et al, The availability of minerals in food, with particular reference to iron J R Soc Health, volume 103 número 2, páginas 74-77).

Mas geralmente, os maiores consumidores de tofu são vegetarianos que pretendem consumi-lo em lugar da carne!

O resultado?

Deficiências nutricionais que podem levar a doenças como dores crônicas, como dor de cabeça e fibromialgia. O zinco e o magnésio são necessários para o bom funcionamento do cérebro e do sistema nervoso. O zinco, em particular, está envolvido na produção de colágeno, na fabricação de proteí­nas e no controle dos ní­veis de açúcar no sangue, além de ser um componente de várias enzimas e ser essencial para o nosso sistema de defesas. Os fitatos da soja prejudicam a abosrção do zinco mais do que qualquer outra substância. (Leviton, Richard: Tofu, Tempeh, Miso and Other Soyfoods: The “Food of the Future” – How to Enjoy Its Spectacular Health Benefits, Keats Publishing Inc, New Canaan, CT, 1982, páginas 14-15).

Por conta da tradição oriental, indústria da soja conseguiu inseri-la num patamar de “alimento saudável”, sem colesterol e vem desenvolvendo um mercado consumidor cada vez mais vegetariano. Infelizmente, ouvimos médicos e nutricionistas desinformados, ou melhor, mal informados por publicações pseudo-cientí­ficas patrocinadas e divulgadas pela indústria da soja, fornecendo conselhos, em programas de TV em rede nacional, no sentido de consumi-la na forma de leite de soja (até para bebês!!), carne de soja, iogurte de soja, farinha de soja, sorvete de soja, queijo de soja, óleo de soja, lecitina de soja, proteí­na texturizada de soja, e a maior sensação do momento, comprimidos de isoflavonas de soja, sobre a qual comentarei mais adiante neste livro. A divulgação, na grande mí­dia, destes produtos de paladar no mí­nimo duvidoso, como sendo saudáveis, tem resultado em uma aceitação cada vez maior dos mesmos por parte da população.

Que prejuí­zo! (Não para a indústria, é claro).

Sabe como se faz leite de soja?

Primeiro, deixa-se de molho os grãos em uma solução alcalina, de modo a tentar neutralizar ao máximo (mas não totalmente) os inibidores da tripsina. Depois, essa pasta passa por um aquecimento a mais de 100 graus, sob pressão. Esse processo neutraliza grande parte (mas não a totalidade) dos antinutrientes, mas em troca, danifica a estrutura das proteí­nas, tornando-as desnaturadas, de difícil digestão. (Wallace GM: Studies on the Processing and Properties of Soymilk. J Sci Fd Agric volume 22, páginas 526-535). Além disso, os fitatos remanescentes são suficientes para impedir a absorção de nutrientes essenciais.

A propósito, aquela tal solução alcalina onde a soja fica de molho é à base de n-hexano, nada mais que um solvente derivado do petróleo, cujos traços ainda podem ser encontrados no produto final, que vai para a sua mesa, e que pode gerar o aparecimento de outras substâncias cancerí­genas. Este n-hexano reduz, também, a concentração de um aminoácido importante, a cistina. (Berk Z: Technology of production of edible flours and protein products from soybeans. FAO Agricultural Services Bulletin 97, Organização de Agricultura e Alimentos das Nações Unidas, página 85, 1992). Felizmente, a cistina se encontra abundante na carne, ovos e iogurte integral – alimentos estes normalmente evitados pelos consumidores de leite de soja.

Mas como? A soja não é saudável? Não é isso que dizem os médicos e nutricionistas?

Infelizmente, a culpa não é deles, e sim do jogo de desinformação que interessa à toda a indústria alimentí­cia. A alimentação, assim como a saúde, é um grande negócio. Dois terços de todos os alimentos processados industrialmente, contém algum derivado da soja em sua composição. É só conferir os rótulos. A lecitina de soja atua como emulsificante. A farinha de soja aumenta a “vida de prateleira” de uma série de produtos. O óleo de soja é usado amplamente pela indústria de alimentos. A indústria da soja é enorme e poderosa.

E como se fabrica a proteí­na de soja?

Em primeiro lugar, retira-se da soja moí­da o seu óleo e o seu carboidrato, através de solventes quí­micos e alta temperatura. Em seguida, mistura-se uma solução alcalina para separar as fibras. Logo após, submete-se a um processo de precipitação e separação utilizando um banho ácido. Por último, vem um processo de neutralização através de uma solução alcalina. Segue-se uma secagem a altas temperaturas e à redução do produto a um pó. Este produto, altamente manipulado, possui seu valor nutricional totalmente comprometido. As vitaminas se vão, mas os inibidores da tripsina permanecem, firmes e fortes! (Rackis JJ et al: The USDA trypsin inhibitor study. I. Background, objectives and procedural details. Qual Plant Foods Hum Nutr, volume 35, pág. 232).

Não existe nenhuma lei no mundo que obrigue os alimentos à base de soja a exibirem, nos rótulos, a quantidade de inibidores da tripsina. Também não existe nenhuma lei padronizando as quantidades máximas deste produto. Que conveniente!

O povo… coitado… só foi “treinado” para ficar de olho na quantidade de coleterol – esta sim, presente em todos os rótulos. Uma substância natural e vital para o crescimento, desenvolvimento e bom funcionamento do cérebro e do organismo como um todo.

O povo nunca ouviu falar nos antinutrientes e inibidores da tripsina dos alimentos de soja.

A proteí­na texturizada de soja (proteí­na texturizada vegetal, carne de soja) possui um agravante: a adição de glutamato monossódico, no intuito de neutralizar o sabor de grão e criar um sabor de carne.

Alguns pesquisadores acreditam que o grande aumento das taxas de câncer de pâncreas e fí­gado, na África, se deve à introdução de produtos de soja naquela região. (Katz SH: Food and Biocultural Evolution: A Model for the Investigation of Modern Nutritional Problems. Nutritional Anthropology, Alan R. Liss Inc., 1987 pág. 50).

A minha dica: Quando consumir soja, utilize apenas os derivados altamente fermentados, como o missô e o shoyu. Mesmo assim, muita atenção para os rótulos. Compre apenas se neles estiver escrito “Fermentação Natural”, e se NÃO contiverem produtos como glutamato monossódico e outros ingredientes artificiais. Quando consumir tofu, certifique-se de lavá-lo com água corrente, pois grande quantidade dos antinutrientes ficam no seu soro.


Leia mais sobre soja no site Crianças na Cozinha:

Clique na imagem para comprar o livro no site da Livraria Cultura Clique na imagem para comprar o livro no site da Livraria Cultura

Mais informações no site www.enxaqueca.com.br

Se você se interessou e quer ler mais sobre o assunto, recomento o livro da Kaayla Daniel (nutricionista), The Whole Soy Story, um verdadeiro tratado, explicando todos os prós e contras das várias formas de se consumir soja. Pode virar o seu livro de cabeceira!

Conheça também o site da nutricionista Kaayla Daniel. CLIQUE AQUI para acessar (em inglês).


Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 73 comments }

Sandra Bueno January 26, 2007 at 18:00

Obrigada Pat…

eu não imaginava nada disso;;;

muito interessante mesmo;;;

valeu;;;

Sandra

Valéria June 22, 2007 at 22:43

Adorei saber disso, tomava leite de soja, aquele addes, todos os dias, digo tomava (rssss)

Beijos.

Erik Nako August 20, 2007 at 17:18

O elogio vale também para o seu site, Pati! Muito legal. E, nossa, esse post eu vou usar como livro-texto! Bem aprofundado e embasado. Já estou encaminhando.
Parabéns!
bjs
Erik Nako

Pat Feldman September 18, 2007 at 16:27

Olá Regina,

Infelizmente a maioria dos médicos ainda não sabem dessas sutilezas a respeito da soja simplesmente porque não interessa a ninguém que saibam…

Atualmente as principais pesquisas, congressos e outras fontes de atualização são patrocinadas pela indústria farmacêutica e/ou alimentícia e eles não têm o menos interesse em divulgar informações que possam diminuir os seus lucros. Soja é um produto barato e é ingrediente de praticamente todos os industrializados.

Poucos médicos e profissionais de qualquer área podem se dar ao luxo de ter um tempo só para pesquisar e se atualizar por conta própria. É fato que as atualizações normalmente se dão em congressos e em publicações que eles recebem em casa – como eu disse anteriormente, a maioria patrocinadas por quem pode, a indústria! Pesquisadores independentes e “do contra” mal têm dinheiro para as pesquisas, o que dirá para divulgá-las…

daniela October 31, 2007 at 13:48

Pat, simplesmente ótimo o seu texto! Já sabia, mas não com todos estes detalhes sobre o lado ruim da soja.
Está de parabéns, encaminhei para amigos com os devidos crédito!

Eloi January 1, 2008 at 17:11

Legal… mas e o que se pode dizer aos alérgicos à derivados de leite?

Tanto a indústria de laticínios quanto a de processos com alimentos de soja utilizam ácidos… hidróxidos… todos perigosos… quem realmente lucra são as indústrias destes produtos químicos.

Alexandre Feldman January 2, 2008 at 20:12

Eloi, é complicado, pois tanto o leite industrializado, quanto a soja, estão na lista dos maiores causadores de alergia. Já o leite cru (não pasteurizado), foi utilizado através dos tempos, sem provocar taxas alarmantes, ou mesmo significativas, de alergia.

Na minha opinião, não há uma solução simplista. A solução existe, mas infelizmente, não pode ser encontrada no supermercado mais próximo, mas sim na compra direta de produtores conhecidos. Aqui em casa, nós fazemos isso.

Ana Maria Vieira March 6, 2008 at 14:03

Pat, fiquei muito preocupada com as informações pasasdas neste artigo, estarei comprando seu livro este mes, quando chegar meu salário…, mas preocupou-me muito pois, seguindo orientação médica, estou consumindo diariamente isoflavona de soja, e tomo suco/leite à base de soja, não somente eu, mas todos aqui em casa. Já estou com 50 anos e foi recomendada a soja para evitar a reposição hormonal. Realmente, terei que conversar com minha médica para uma solução alternativa, tendo em vista a necessidade de evitar a sintomatologia da menopausa.
Com relação à isoflavona, qual a informação que você teria?
Grata,
Ana Maria

ana June 25, 2008 at 23:25

Pat,
Achei muito interessantes estas informações. Onde encontrar mais informações sobre este assunto? O que usar no lugar do leite de soja, já que sou alérgica a leite e seus derivados?
Obrigada
Ana

Maria Gorete Batista July 11, 2008 at 18:51

Adorei o artigo. Ja o recomendei a varios amigos que moram na China e no Japao. Particularmente, gosto de shoyo, tofu, nato, e consumo tambem o leite em pequenas quantidades, em busca de amenizar os sintomas do climaterio. Eh importante acrescentar que os orientais que consomem soja em grande escala tem uma dieta balanceada, milenar, com muitas verduras e algas marinhas nao consumidas regularmente no Brasil, o que, provavelmente inibe a acao danosa da soja no organismo humano. Morei no Japao por 4 anos e o que percebi, entre outras coisas, eh que eles priorizam a variedade de alimentos na mesa, e nao a quantidade, como nos, brasileiros. Achei muito oportuno o seu artigo para abrir os nossos olhos e nao deixarmos que nos enfiem qualquer coisa goela abaixo, literalmente.

Marcos Finotti August 19, 2008 at 23:05

O artigo foi baseado em quais fontes? Tem fontes verificáveis na net? Vcs estão sendo pagos pela indústria do leite?

Marcos Finotti August 19, 2008 at 23:36

A soja é prejudicial a saúde?

O Japão é o país que tem maior longevidade de vida no mundo.

Os países asiáticos que menos consomem soja como a China e a Coréia do Sul tem expectativa de vida bem menor que o Japão. fonte: Wikipewdia

A baixa estatura dos japoneses nao é por causa da soja, e sim por causa da escassez de alimentos nos tempos antigos.

Essa pesquisa que afirma que os nipo-descendentes são mais altos que os japoneses é pouco confiável. Os japoneses do Japão, especialmente os mais jovens são mais altos do que os nipo-brasileiros. (segundo o Japan Statistical Yearbook do Sômuchô (Agência de Administração do Govermo japonês), as estaturas médias dos japoneses atingiram respectivamente 1,72 e 1,60 m para homens e mulheres de 25 anos de idade.)

Os países que mais consomem o leite e derivados tem maiores índices de problemas ósseos!

Fonte: The Truth About Milk

Pat Feldman August 20, 2008 at 6:52

Olá Marcos, muito pertinentes os teus comentários.

Este texto é um trecho do livro A DOR DE CABEÇA MORRE PELA BOCA, escrito por mim e pelo meu marido, o médico Dr. Alexandre Feldman. Ao final do livro você encontra todas as referências bibliográficas utilizadas em nossas pesquisas.

Se você ler nosso livro com atenção, verá que jamais poderíamos ser pagos pela indústria do leite ou qualquer outra indústria (quem me dera, se fosse o caso eu já estaria milionária!!)

Aqui em casa consumimos leite sim, mas um leite de verdade, vivo, cheio de enzimas e de vacas muitíssimo bem tratadas. Leite que não se vende. Se você ler tudo com atenção, vai descobrir que somos absolutamente contra o consumo de leites industrializados (leia-se parteurizados, homogeneizados, esterilizados, em saquinhos, garrafas, caixas tetra pak, em pó, etc)

Te sugiro as seguintes leituras (caso você leia bem em inglês):
http://pat.feldman.com.br/?attachment_id=1715
http://pat.feldman.com.br/?attachment_id=1724

Dr. Alexandre Feldman August 20, 2008 at 14:38

Respondendo às “pérolas” anteriores ao comentário da Pat:

1. “O artigo foi baseado em quais fontes?”

Se você tivesse lido o artigo, veria que as fontes são dezenas de publicações científicas, citadas ao longo do artigo, ao lado das afirmações pertinentes a cada uma delas.

2. “Tem fontes verificáveis na net?”

Para alguém que conta com a Wikipedia como fonte de seus conhecimentos e argumentos (vejam este comentário: http://pat.feldman.com.br/?p=859#comment-15207 e, em seguida, o meu comentário), deve soar estranho a minha menção, no texto, de fontes dos bancos de dados da literatura médico-científica, como o nome da publicação, volume, número da página, título do artigo e autores.

3. “Vcs estão sendo pagos pela indústria do leite?”

Esta pergunta, para nós, é de caráter ofensivo. Mostra como tem gente que cai aqui de pára-quedas e não lê Se lesse um pouco ao menos, não se daria ao desplante de fazer esse tipo de questionamento. O site da Pat Feldman é, todo ele, justamente um alerta contra a industrialização dos alimentos (em especial o leite de vaca), a desvitalização provocada pelo processamento industrial, a maneira pela qual a indústria alimentícia encara e manipula os animais, as plantas, a terra, os cientistas, os formadores de opinião e os consumidores.

Nós não vemos nada errado com a idéia de, algum dia, a Pat vir a ganhar dinheiro anunciando produtos neste site – mas certamente, por uma questão de ética e coerência, esses anúncios jamais poderão ser de produtos alimentícios industrializados de qualquer natureza.

4. “O Japão é o país que tem maior LONGEVIDADE DE VIDA no mundo.”

O comentarista possui tão pouca familiaridade com esse tipo de conceito, mas possui suficiente falta de humildade para utilizá-lo, ainda que em péssimo português, como argumento nessa esfera.

Não, o Japão NÃO É o país que tem maior ‘longevidade de vida’ no mundo. Ou melhor: não é o país que possui maior longevidade. Mas sim, uma das maiores expectativas de vida do mundo. Expectativa de vida é algo muito diferente, e eu falo sobre isso no meu livro e em outras partes deste site e do meu site. Ao contrário do que é propagado pelos proponentes da soja, essa expectativa de vida não é causada pelo consumo desse alimento, e sim pelo bom saneamento básico, assistência pré-natal e minimização da mortalidade infantil através de medidas de saúde pública.

5. “Essa pesquisa que afirma que os nipo-descendentes são mais altos que os japoneses é pouco confiável.”

Mais uma manifestação de arrogância. Se não confia nessa pesquisa e prefere continuar acreditando em pesquisas apontando que os japoneses do Japão se destacam pela sua alta estatura, faça isso – mas sem pré-julgar, arrogamentemente, outras pesquisas como “pouco confiáveis”, com base em apenas uma.

6. “Os países que mais consomem o leite e derivados tem maiores índices de problemas ósseos!”

Leiam este comentário: http://pat.feldman.com.br/?p=859#comment-15212

Marcelo Bernardes Batista September 10, 2008 at 13:28

Dr. Permita-me esclarecer uma dúvida sobre o leite de vaca.
Todo mamífero tem sua fase de lactação. O ser humano após sua fase, substitui o leite humano pelo leite de vaca, isso não é uma aberração? O leite de vaca não é feito somente para o bezerro? O leite cru traz benefícios ao ser humano, considerando que nosso organismo não tem as enzimas necessárias para processá-lo a exemplo da lactase? O ser humano é o único mamífero que continua mamando pelo resto da vida, mas mama leite de outra espécie (vaca) e ainda corrompe outra espécies pois dá leite de vaca pro gatinho de estimação. Adoro tomar leite, mas estou preocupado. Espero respostas no meu e-mail.
Obrigado.

Pat Feldman September 10, 2008 at 15:24

Olá Marcelo,

Por favor leia também o texto “Leite, Verdades e Mentiras” aqui no site: http://pat.feldman.com.br/?p=1941 Deverá esclarecer muitas das suas dúvidas!

Ronaldo September 11, 2008 at 22:06

Muito se tem falado sobre o leite pasteurizado e de caixinha que depois do processo indústrial perde muito seu valor.
E referente ao kefir que são Lactobacillus que fermenta e transforma o leite deixando ele rico em nutrientes importantes para nossa saúde, e também até curam muitos problemas de saúde, isso eu li em varios sites na internet. Achei muito interessante, mas isso será verdade ou mentira? Gostaria que vcs pudessem esclarecer esta dúvida, aguardo resposta no meu email.
Gostei muito do site parabéns.

LUCIENE September 19, 2008 at 9:17

ADOREI O ARTIGO. POIS QUANDO TOMO O LEITE DE SOJA OU COMO ALGUMA COISA DE SOJA (CARNE DE SOJA ) PASSO MUITO MAL. MINHA BARRIGA INCHA E OUTRAS COISAS MAIS, PORÉM O INTERESSANTE É Q TODO MUNDO DIZIA Q ERA MUITO BOM CONSUMIR A SOJA. PRA MIM NÃO.

Pat Feldman September 20, 2008 at 9:40

Ronaldo, tanto o kefir como qualquer outro lactobacillo “do bem” que fermente o leite de vaca é sempre muito bem vindo! Se não me engano já publiquei artigos aqui sobre iogurte e suas vantagens – vou ver se encontro o link e te aviso aqui.

Eu particularmente considero o iogurte um “antibiótico natural”. O kefir mesma coisa, apenas não tenho tanta familiaridade com ele, por isso me sinto menos à vontade em falar.

Luciene, você ainda tem a sorte de se sentir mal no momento em que consome, or isso, para não ter tais reações desagradáveis, já evita. Pior é quem não sente nada na hora e não associa os problemas de saúde com o consumo de soja…

marcia December 17, 2008 at 23:38

Pat,estou assustada,pois meu fiho de 3 anos toma leite de soja todos os dias,porque não quero dar leite em pó pois também não é bom.Que fazer.

Aline February 5, 2009 at 23:23

Sério… onde é que eu vou comprar um leite assim tão especial? Como é que vou deixar de consumir alimentos industrializados? Se eu trabalho fora, só posso contar com um buffet por quilo, de que jeito vou exigir que o que é servido lá deva ser orgânico, especial, grãos sem toxinas, etc. etc. Lendo várias coisas do site de vocês fiquei até deprimida, principalmente se for tudo verdade. A impressão que tenho é que para me “salvar” o único caminho seria eu ter que passar o resto da vida indo na “PQP” comprar alimentos especiais, e daí chegar em casa cozinhá-los de forma especial também. Precisa ser tudo tão radical assim?? Por favor, já tô me sentindo condenada…

Pat Feldman February 6, 2009 at 7:18

Aline, não se sinta assim tão mal!!!!

Na verdade eu procuro aqui passar o resultado das minhas pesquisas e aquilo que considero ideal, aquilo que concluí ser o ideal para uma alimentação saudável. Nem sempre é possível seguirmos tudo à risca – nem na minha casa consigo viver 100% orgânico, mas já posso afirmar que vivo 99,99% sem industrializados e isso é muito mais fácil do que parece.

Você não pode preparar sua comida no restaurante, nem exigir um cardápio especial deles, mas pode optar no buffet por um filé grelhado ao invés de salsichas ou nuggets altamente processados. Pode comer salada, pode sugerir incluírem a opção de arroz integral, além do arroz branco de sempre. Na sobremesa você pode preferir frutas frescas ao invés de bolachas ou chocolates, etc. Se não dá para fazer o ideal, faça um esforço e aos poucos faça mudanças que a aproximem do melhor.

Eu trabalhei fora por muitos anos e ainda assim consumia pouquíssimos industrializados. Não dava para ser ideal, mas uma boa sacolinha térmica ajudou muito a manter uma alimentação próxima do ideal.

Para se “salvar”, como você mesmo diz, não são necessários sacrifícios enormes, até porque não adianta ter uma alimentação ideal e você se estressar tanto assim para consegui-la. Comece aos poucos, comece fazendo aquilo que você acha mais fácil incluir na sua rotina e aos poucos tente mudar sempre um pouquinho mais. Uma idéia interessante, que pode se tornar até divertida se você encarar com bom humor é você se dar o desafio de durante alguns dias (sugiro pelo menos uma semana) consumir somente alimentos que você compraria facilmente numa feira livre. Nada de alimentos processados que só se compra em supermercado. As opções são maiores do que você imagina: carnes, aves e peixes, ovos, frutas, verduras, legumes. Já dá para preparar um belo banquete assim!

Quanto ao leite, é difícil conseguir, não vou negar. Tente por algum tempo substituir o leite por iogurte natural integral, desses que se compra no supermercado. Já faz muita diferença!

Boa sorte!

Aline Walkoff February 6, 2009 at 15:35

Oi Pat, se comer vegetais e frutas mesmo não orgânicos adianta então já me dou por contente, porque isso eu faço. Granola me dá muita disposição também. Obrigada por ter respondido e parabéns pelo site!

Pat Feldman February 6, 2009 at 16:59

Aline, é como eu te falei: ideal é orgânico, mas se não dá para ser, com certeza frutas, verduras e legumes fescos serão infinitamente melhores que bolachas e salgadinhos!!

Obrigada pelo carinho!

Tania Almeida February 11, 2009 at 20:16

Ola Pat,
Tenho cistos nas mamas e me indicaram a soja, pois ela e muito boa para prevenir cancer de mama. Vc acha que devo continuar tomando? Sabe se posso substituir por outro alimento que seja benefico para meu caso.

Desde já agradeço pelos esclarecimentos do artigo acima.

Abraços!!!

Pat Feldman February 11, 2009 at 21:04

Tania, não sei no caso específico de cistos, mas depoi de tudo o que li e reli a respeito da soja e seus derivados industrializados, acho que o melhor que você tem a fazer é ficar longe.

Eu acredito que uma saúde plena pode ser conseguida através de uma alimentação totalmente livre de industrializados e baseada o máximo possível em alimentos orgânicos. O resto, na minha opinião, é puro marketing!

nilva teixeira February 13, 2009 at 0:38

Depois que li os artigos a respeito do soja,quero ficar longe dele,mas realmente nao sei qual leite devo usar para meu bebe de 8 meses,minha filha de 4 anos e nos adultos que tambem tomamos leite de soja.Por favor me ajude,e me mande sugestoes.OBS…nao tomamos leite de vaca.

Pat Feldman February 13, 2009 at 6:20

Nilva, leite de vaca, pelo menos aquele vendido nos supermercados, não seria mesmo uma sugestão.

Beber leite é uma delícia, mas é uma coisa mais cultural do que realmente necessária – mas eu não abro mão. Adoro! Posso de sugerir o leite de coco caseiro (http://pat.feldman.com.br/?p=98) ou o leite de castanhas/amêndoas caseiro (http://pat.feldman.com.br/?p=98). Não sei exatamente quais são as suas restrições ao leite de vaca, mas o iogurte, forma fermentada do leite, também é uma opção muito saudável.

Espero que ajude!

Helkis February 13, 2009 at 11:05

Informações importantes!

Primeiramente, quero parabenizá-la pela ótima matéria sobre a SOJA, este é o primeiro contato que tenho com o seu Blog,e que é muito interessante por sinal.
Acessarei com maior frequência à partir de agora, e enviarei o link para vários amigos/as que seguem a nova onda hype de consumir soja e seus derivados e se auto classificam como pessoas “super saudáveis” por esta prática.
Creio que mudarão de idéia assim que lerem o seu artigo sobre a “BENDITA SOJA” .
e como sempre ocorreu as grandes corporações manipulado as verdadeiras informações do grande público…carente de informações verdadeiras e honestas.

PS.: Você saberia me indicar onde encontrar, na internet videos de crianças cozinhando com a supervisão de um adulto é claro;desde já agradeço.

abraços

Pat Feldman February 13, 2009 at 11:09

Helkis, seja muito bem vinda ao “mundo” Crianças na Cozinha!!

Eu infelizmente desconheço vídeos como o que você pede. Na verdade morro de vontade de produzir alguns, mas nem sei por onde começar!!

Lilia Matos February 15, 2009 at 18:48

O leite é tudo isso mesmo?
Agradeço a pessoas como vc que se importam com o bem estar das pessoas. VALEU

Gisely Ribeiro February 16, 2009 at 19:35

Nossa fiquei com medo do leite de soja, meu filho tem 09 anos e toma desde os 6 meses de idade, por causa da intolerancia a lactose, so que aos 5 anos de idade passou , mas ele acostumou e so gosta do leite de soja, há 1 ano e sete meses atras ele teve uma crise de enxaqueca com aura e convulsao e foi parar na uti, agora fiquei pensando sera que foi por causa da soja? Ele mesmo leu essa materia e disse que nao vai mais beber leite de soja, nem eu vou deixar…Ah eu sempre leio sobre o Dr Alexandre Feldman, gosto muito do site dele…

borboleta africana March 6, 2009 at 13:43

Olá
Sou ovo lacto vegetariana e ocasionalmente consumo soja, tofu e tempeh.
Fique completamente siderada com o vosso artigo sobre os efeitos prejudiciais da soja sobre a saúde. Bebo leite de vaca (sempre magro)porque é o único que tolero misturar com café (bebida que adoro e “necessito” de tomar ao pequeno almoço)
Não consigo gostar do sabor do leite de soja natural e muito menos do adocicado (porque odeio todo o tipo de bebidas doces)por isso o que faço em casa uso só em algumas receitas que o requerem.
Por vezes como ovos (de galinhas do campo)quando não tenho outra alternativa com proteínas.
Como frequentemente pratos com feijão, grão, lentilhas e em geral todo o tipo de leguminosas, bem como arroz e massa integrais, sementes se sésamo (gergelim), linhaça, girassol nozes e amêndoas.
Fujo das farinhas refinadas e faço pão em casa.
Infelizmente não sou nem nunca foi apreciadora de iogurtes.
Como seitan, comprado e também feito em casa.
Costuma-me acreditar que a soja seja esse “bicho-papão” pior que a carne…
Costumo fazer check ups médicos regularmente (já vou fazer 47 anos) e os exames estão sempre bons.
Não tomo vitaminas.Mas faço terapêutiaca de subsituição.
Sempre sofri de enxaquecas ( a minha mãe também) e o facto de ainda beber leite com café de manhã e beber pelo menos 1,5 l de água por dia evita a propensão para elas aparecerem (mas pode ser só sugestão).Penso que devem estar ligadas a oscilações hormonais.

É uma pena viver tão longe de si e do se marido porque certamente iria ter oportunidade de esclarecer muito mais questões relacionadas com os efeitos da alimentação na saúde.

De qualquer forma, ainda assim, entre escolher um hamburguer duvidoso do Macdonald’s e soja ou tofu confesso que continuarei a optar por estes últimos até porque a alimentação sem carne abre-nos as portas a uma imensidão de alimentos que , de outra forma, nem sequer sonharíamos existirem.
Um grande abraço

Silvana March 14, 2009 at 21:27

Pat! Ótima matéria sobre a soja. Meu Deus, como somos enganados!!!! E eu que até cheguei a tomar leite de soja durante minha gravidez….humpf!!!! Vou jogar fora os últimos grãos que em casa…Valeu pela ótima informação!!!!

Mi March 24, 2009 at 14:46

Oi!
Estou gostando mt do seu site, parabéns!
Qt ao consumo de soja, eu sou uma filha de soja, fui criado com esse leite, como sou descendente de japoneses sou um pouco intolerante a lactose e por complicações qd nasci, minha mãe não pode me amamentar, pois tinha alergia do leite dela, apesar de sua alimentação saldável (ela amamentou outra criança)…
Agora eu entendo pq minha mãe não comprava o leite de soja pronto, ou em pó… Ela preparava em casa, num processo bem complicado de desintoxicação dos grãos, deixando de molho, depois tirando a casca e cozinhando lentamente, sendo q só usava o leite preparado durante um dia, o q sobrava era desprezado… é realmente necessario td o trabalho. Graças a Deus um dia, qd já estava maior, o tal leite azedou e no desespero minha mãe tentou leite de vaca puro (da roça msm, como vc fala q é bom) dnovo e deu certo, eu amei e não voltei mais pra soja!!! Até hj não me acostumei com esse leite de vaca do mercado, o loga vida então, eca!
Tb não acho q a soja seja toda essa maravilha q pregam por ai, e realmente os orientais só consomem produtos de soja fermentada, justamente por causa das toxinas presentes em gds quantidades na soja…

Rodei seu site td só pra ver esse artigo da soja, enfim encontrei!

Foi ótimo encontrar uma coisa tão legal nesse emaranhado da Internet, já fiz maio propaganda pra minha mãe…

Mi March 24, 2009 at 14:48

ops, saudavel é com U…

Vilma Prins April 16, 2009 at 8:42

Olá, Pat!

Eu tenho 51 anos e consumo cerca de 300 ml de leite de soja Addes diariamente faz aproximadamente 2 anos e meio. Como entrei na menopausa, minha médica me receitou Isoflavine 150mg (1 comprimido ao dia, porém não tenho os sintomas do climatério, como os calores, etc.

Minha pergunta é se devo deixar de consumir o leite de soja e a Isoflavine, ou continuo com o medicamento como prevenção? A médica me orientou a tomá-lo por 1 ano.

Aguardo seu retorno, pois estou extremamente preocupada.

Muito Obrigada desde já.

Grande abraço,

Vilma Prins

Cris July 18, 2009 at 2:39

Sem contar que praticamente tudo que contém soja nas prateleiras dos supermercados hoje, no Brasil, é feito com SOJA TRANSGÊNICA…eu não sabia que soja fazia mal, mas já não consumo há um bom tempo, desde que soube que a soja brasileira é geneticamente modificada. Viva os orgânicos e biodinâmicos!

Cris July 18, 2009 at 2:47

Pat, que maravilha de blog. Cheguei até aqui procurando informações sobre rações “caseiras” para minha Yorkie,e lá tinha um link para este post, adorei! Gostaria de saber onde você consegue leite aqui em SP que seja confiável. Já vi à venda nas barraquinhas da feira do Pq da Água Branca, Demeter, mas não sei se é confiável…já comprei a manteiga deles e achei mega gordurosa! Outra coisa…nunca sei que óleo usar pra fazer fritura, deep frying
mesmo…pras demais eu ando usando o óleo de côco. Você recomenda algum? Obrigada por dividir todo esse conhecimento! Que você e sua família recebam em dobro por toda esta contribuição!Bj

marlene August 4, 2009 at 11:54

Oi Pat! Gostei de saber dos malefícios da soja, pois diante da propagando de que a soja faz bem à saúde eu o consumia eventualmente como proteina texturizada e leite em pó ou líquido, mas, me sentia mal, com o estômago inchado e às vezes com enjôo, mas achava que tinha que tomá-lo, já que eu estava substituindo-o por leite de vaga de caixinha. O que vc sugere com alternativa ao leite de vaga e de soja para tomar pela manhã?
Obrigada por responder-me. Parabéns pelo blog.

Edson August 20, 2009 at 13:04

Não é fácil separar o joio do trigo no labirinto de informações da internet. Estava procurando algo sobre nutrição de animais, pois sou Médico Veterinário, e encontrei seu site. Me encho de esperanças ao ver gente idealista e bem intencionada achando tempo para dividir informações bem embasadas como as suas. É como semear ao vento, você não sabe onde vai cair. Vamos torcer para que germinem sempre em solo fértil. Parabéns!

Pat Feldman August 20, 2009 at 14:05

Edson, obrigada pelo carinho! Com certeza seus bichinhos agradecem!!

izabel September 5, 2009 at 17:37

fiquei assustada com tudo oque li sobre a soja ja que eu uso soja em vez de feijão.Então ta tudo errado?.tenho 56 anos e ja entrei na menopausa, as lojas de prudutos naturais dizem que consumo de soja e derivados faz reposição de hormonios, ja que perdemos com a menopausa. gostaria de saber oque devo fazer então os medicos não fazem reposição hormonal porque da cancer de mama por favor me respoda eu agradeço

Pat Feldman September 5, 2009 at 19:29

Pois é Izabel… Quando eu comecei a pesquisar e descobrir que estava tudo errado, fiquei indignada, preocupada e perdida!!! Os benefícios ditos da soja até existem – no caso de derivados da soja altamente fermentados de forma natural, como shoyu, misso, tempe, nato – mas não qualquer um, como eu disse, apenas os naturalmente fermentados. E ainda assim, não é toda essa maravilha que dizem.

Evitar alimentos industrializados, dormir no escuro total, dar preferência a alimentos frescos orgânicos e praticar alguma atividade física é muito mais eficiente, pode acreditar!

João Marques Carvalho October 8, 2009 at 3:27

Bom dia Pat,

Parabéns pelo excelente artigo.
Fico com uma dúvida, a proteína ISOLADA de soja, faz-nos bem ou também cai dentro do conteúdo deste vosso texto?

Abraços saudáveis

Pat Feldman October 8, 2009 at 6:30

A proteína isolada de soja é um produto altamente processado, e péssimo para a saúde. Se puder, evite!

Fátima Moreira October 8, 2009 at 9:27

Ótimo comentário sobre a soja, esse só veio fundamentar mais aquilo que sempre acreditei, que soja não era o “bicho”. Teve uma época que eu comia tofu, missô e shoyo, mas faz algum tempo que parei, pois ficava com dor de cabeça logo após comer, fui ler o rótulo e vi que era acrescentado ciclamato monossódico, e eu nunca puder com tal produto e evito ao máximo, e muitas vezes debocham de mim por ser sensível a esse produto e a vários outros.

Pat Feldman October 8, 2009 at 9:31

Pois é Fátima, ainda tem esse agravante: produtos derivados da soja que teoricamente poderiam ser bons, deixaram de ser preparados da forma tradicional e passaram a ser altamente processados e adicionados de aditivos químcos terríveis…

Será que a nossa saúde é o preço do progresso?

MARCIA VALERIA DUARTE DE SÁ October 8, 2009 at 9:42

Olá Pat.Fiquei muito surpresa com o artigo.Infelizmente já não sabemos mais oque comer.Aqui em casa era sagrada a compra de derivados da soja.Mas graças ao seu fabuloso site,onde você passa para nós,leitores incondicionais dos seus artigos,todas essas informações raríssimas que,somente pesquisando muito para se obtê-las.Mais uma vez te parabenizo,por esse site,e principalmente pela sua preocupação de nos manter bem informados,e oque é melhor,longe de toda essa farça que são essas propagandas enganosas que entram em nossos lares.Beijos,e fica com DEUS.

Silvia October 8, 2009 at 11:58

Pat, eu deixei um comentário no post “Medo de gordura? Sai dessa!”, e acabei te encaminhando por email também, mas como o post é antigo, talvez você não tenha visto, e tua caixa postal deve viver lotada… Mas dá uma olhada para mim, please? :-)

Pat Feldman October 8, 2009 at 13:32

Silvia, eu vi sim, só não tive tempo ainda de responder com o cuidado que merece! Espera mais um pouquinho, please!!

PatriciaUk October 8, 2009 at 19:18

As maes que conheco aqui dao para seus filhos com intolerancia a lactose, o leite de cabra.

Luciane Figueira October 9, 2009 at 11:41

Olá Pat,
Como sempre meus parabéns! Pat Querida, aqui em casa tomamos o leite de soja Ades e usamos uma pasta de soja de azeitona chamada Puro Sabor, não sei se você conhece?
Depois desse artigo fiquei apavorada!
Aqui o povo vai tentar parar, mas você conhece essa pasta? pode me dizer algo sobre ela.
Um Beijo,
Luciane

Viviane October 11, 2009 at 2:07

Pat,o que vou fazer agora……… minha filha de 1 e 10 meses esta tomando o leite supra soy (sem lactose) a três meses, descobrir porque ela não almoçava nem jantava , eu dava o ninho 1+ e ela ficava cheia não conseguia comer bem dai comecei a dar o leite de soja e ela virou outra criança para almoçar e jantar, começou a comer super bem, o médico dela disse que devia ser uma intolerância ou má digestão da lactose. Fiquei super confusa não sei o que fazer….me ajude. bj Viviane

Pat Feldman October 11, 2009 at 7:25

Viviane, sua filha não precisa de nenhum desses dois leites, simples assim! Ofereça caldo de carne caseiro, que é super saboroso e supre totalmente as necessidaes de cálcio!

Luciellen October 15, 2009 at 18:08

Olá Pat, muito interessante tudo o que vc escreveu sobre soja. Mas, com tantos livros e informações divergentes eu comecei a pensar da seguinte forma… se Deus é perfeito, tudo o que Ele nos deu na natureza, sempre passar por processos industriais, deve ser bom… legumes, verduras, frutas, cereais integrais, oleaginosas… Por isso, fico totalmente em dúvida. Vc poderia me responder, por favor, se somente a soja é uma exceção às maravilhas vegetais que Deus “ofereceu” aos homens?

Luciellen October 15, 2009 at 18:18

Desculpe o erro de digitação. Correção:
se Deus é perfeito, tudo o que Ele nos deu na natureza, SEM passar por processos industriais, deve ser bom… legumes, verduras, frutas, cereais integrais, oleaginosas…

rosana November 28, 2009 at 0:01

Venho tomando leite de soja, suco e outros derivados a cerca de um ano e meio, desde essa epoca nao venho me sentindo muito bem, tenho tido muitas dores de cabeca, estomago, e muita flatulencia. Resolvi tirar a soja pra ver se melhorava, apenas por intuicao, tenho me sentido bem melhor e as flatulencias acabaram. Realmente somos levados pela midia,comecei a utilizar a soja por conselho de amigos sem nenhum esclarecimento. Aguardo esclarecimento sobre os alimentos transgenicos, imagino que deve ser assustador!.

Mírian, 62 anos November 29, 2009 at 14:19

Estou perdida! Desde agosto deste ano resolvi não comer mais carne devido ao que li sobre os hormônios e as drogas usadas na criação de animais para que cresçam rapidamente. Fiquei feliz quando li que a carne de soja poderia substituir a proteína animal. Além de perdida fiquei triste: Será que não dá mesmo para deixar de fazer parte dessa mantança indiscriminada? Será que não dá para vivermos de uma forma mais amorosa? Será que para vivermos de forma saudável é necessário que tantos seres sejam criados e sacrificados exclusivamente para nos beneficiar? Que alimentos eu poderia usar? Um abraço.

Pat Feldman November 29, 2009 at 17:34

Mirian, a carne faz parte da alimentação humana desde que o mundo é mundo, e isso com certeza não pode fazer mal ao ambiente ou ao nosso organismo. O que faz mal com certeza é a criação industrializada do gado e outros animais, o abate sofrido, a alimentação baseada e mração monótona e não saudável e a criação em confinamento. Isso tudo é completamente anti-natural.

Na minha opinião não se deve cortar a carne do cardápio, mas se deve sim procurar produtores cuidadosos com a criação, com o bem estar do animal, com cada detalhe para o seu bem estar. A carne também não precisa ser consumida em exagero. Para quem gosta, uma porção diminuta todos os dias, mata a vontade sem exagerar. Para quem não gosta tanto, poucas vezes por semana.

Decidir simplesmente entre comer ou não a carne é uma questão muito superficial…

Selma December 24, 2009 at 1:30

Oi Pat, tenho 2 filhos 04 e 08 anos, desde pequenos tiveram alergias com crises agudas de laringites, que os leva a tomar corticóides com certa frequencia, o pe recomenou tomar leite de soja eles tomam direto suco de soja, as alergias não desapareceram, um deles tem alergia de pele e ambos tem renite, que agrava qualquer resfriadinho, tenho contado com ajuda de Deus para viver melhor, gostei sobre do artigo sobre leite e soja, vou eliminar a soja daqui de casa tem alguma dicas sobre as laringites agudas(tosse super rouca com crises de falta de ar), favor me responda por e.mail se possível. deus continue te abençoando e te dando sabedoria.

Pat Feldman December 24, 2009 at 8:31

Selma, com certeza um bom medico alergista podera te ajudar melhor que eu, mas pelo que ja li e pesquisei, talvez essas infeccões repetidas sejam consequencia de uma alergia disfarcada a soja ou a outros componentes dos sucos artificiais. Parar de consumi-los pode fazer uma grande diferenca.

Mauricio February 22, 2010 at 11:54

Caros leitores.

Em primeiro lugar, o ser humano é o ÚNICO MAMÍFERO que continua a beber leite após o período da amamentação.
Os bebidas a base de soja não são chamadas de leite de soja, como vocês insistem em mencionar, e sim, bebida a base de soja e,
se não fosse ela, meu filho não estaria aqui hoje, pois tem grave intolerância ao leite em pó, preparado, também artificialmente,
como a bebida a base de soja. O que me assusta é a agressividade com que esta matéria trata a soja. O que eu poderia dar ao
meu filho se não fosse a bebida a base de soja? Nenhum médico soube me orientar, a não ser sugerir a soja como alternativa.
É preciso ter cuidado com as informações que se disponibilizam na internet, pois muitas delas não são absolutas e precisam ser
avaliadas!

Pat Feldman February 22, 2010 at 16:52

Maurício, não seja você também tão radical ao defender a soja, que aliás é o segundo “leite” mais alérgico, depois do leite de vaca PASTEURIZADO. Existem inúmeras outras opções ao leite de vaca que, sim, tomamos muito mais por hábito cultural do que por necessidade. Eu jamais trocaria leite de vaca FRESCO por leite de soja (que fresco nem existe!!).

Existem sim excelentes opções ao leite de vaca e de soja, e eu sinto muitíssimo que você não tenha encontrado um médico bem informado o suficiente para podr lhe orientar da melhor forma possível. Espero que seu filho esteja muito bem de saúde!

Daniel jordy March 18, 2010 at 10:46

No caso do convencional leite comercial utilizado no café da manhã ou da tarde em grandes centros urbanos, leites de alguma forma processados, entendo que devem ser substituido por exemplo por sucos naturais. Suco de laranja expremido e consumido na hora é campeão na minha escolha, laranja com cenoura é também muito delicioso, entre muitos outros sucos, sem açucar é claro. Valeu Pat, seus comentários, pra mim, são extremamente coerentes. Lembro-me bem que vivi, quando criança próximo de produtores rurais, e por isso me alimentei de leite de origem conhecida, e por muitas veze quase mamei nas tetas das amigas e vizinha vacas, pois sempre que pudia, participava da “tirada” matinal de leite.

Robson March 19, 2010 at 12:35

Otima matéria sobre a soja , é obvio que a indústria jamais mostraria o lado ruim da soja , tanto o leite quanto bebida de soja não são necessários para o ser humano , um dose naturalista , com sucos seria a opção adequada para uma alimentação saudavel.

Andreia April 27, 2010 at 22:27

Pat.
Por gentileza, estou diante de um dilema. Leite de vaca oude soja? Quais são as demais alternativas?Tenho uma bebê de um ano e dois meses. Avcabei de desmamá-la e não sei por qual leite substituir.Obrigada

Pat Feldman April 28, 2010 at 7:05

Leite de soja, nem pensar! E com a situação atual do leite de vaca (altamente processado), não daria também… Difícil, né?

Nenhum dos dois é realmente necessário, tomamos leite muito mais por hábito cultural do que por necessidade. O cálcio você pode obter de outras fontes, uma das principais é o caldo de carne caseiro.

tati May 17, 2010 at 23:38

pat, vc disse aí em cima — Evitar alimentos industrializados, dormir no escuro total, dar preferência a alimentos frescos orgânicos e praticar alguma atividade física é muito mais eficiente, pode acreditar!

Dormir totalmente no escuro… não entendi?? Me explica?

Pat Feldman May 18, 2010 at 6:47

Tati, pra resumir um capítulo inteirinho do livro Enxaqueca Só Tem Quem Quer, qualquer luz, por mínima ue seja, interfere na qualidade do nosso sono.

CLÁUDIA LENARA LUDWIG May 20, 2010 at 19:00

Olá! Pat, eu acabei de descobrir o livro do Dr. Alexandre – Enxaqueca só tem quem quer – e esse site, além da comunidade do orkut. Estou horrorizada pois troquei leite de vaca de caixinha por de soja, pensando estar melhorando minha saúde, e vejo hoje que posso estar minando de vez meu cérebro, e pode ser por isso que intensifiquei muito minhas enxaquecas, pois bebo muito leite de soja hoje em dia!
Eu queria saber como posso fazer para adquirir o livro “A dor de cabeça morre pela boca”, pois ña Livraria Cultura me informaram que está esgotado, sendo que, felizmente, ainda consegui o último exemplar do livro do Dr. Alexandre, que estou adquirindo esse final de semana e passarei a ler avidamente. Estou farta de tanta enxaqueca incapacitante, essa é mais uma semana que não posso ir trabalhar, porque a neuro receitou TOPAMAX e fiquei totalmente grogue…tem que haver uma saída, e talvez seja essa!
Um abraço! Aguardo retorno!

Helen July 22, 2010 at 13:45

Oi Pat
Parabéns pelo site, também compartilho da mesma opinião sobre a soja, gostei muito do texto do Dr. Alexandre Feldmam, é muito esclarecedor, infelizmente muitos profissionais da saúde acham que a soja é um alimento saudável, mas é de se esperar tão opinião frente a pressão que a indústria alimentícia exerce nas pessoas. Mas felizmente existem também muitos profissionais que não se curvam a tão manipulação e lutam contra toda essas informações errôneas em prol da saúde da população.
Abç

suellen October 1, 2010 at 19:30

OLA PAT MEU FILHO TOMA LEITE DE SOJA JA FAZ TEMPO ,,, E SEMPRE TEVE TOSSE SEM PARAR E ESTES DIAS ELE COMEÇOU A VOMITAR …. AI ACHEI ESTA PAGINA NA INTERNET E GOSTEI MUITO…. ANTES DE LER ESTA PAGINA EU TINHA TROCADO O LEITE DELE ,,, ESPERO Q AS PESSOAS ANTES DE DAR LEITE DE SOJA PARA O SEU FILHO PROCURE UM PROFISSIONAL Q ENTENDA SOBRE SOJA ….. OBRIGADA

Comments on this entry are closed.

{ 37 trackbacks }

Previous post:

Next post: