Risoto Integral de Tomates e Sálvia

by Pat Feldman on 03/08/2008 · 2 comments

in RECEITAS, Risotos

Hoje tive um final de tarde bem divertido, o chá de bebê de uma querida amiga e vizinha, que está nos trimestre final da sua primeira gravidez. Como foi tudo aqui no prédio, meu filho desceu comigo para dar um alô para todas, mas claro que não sendo uma festa para crianças, ele logo cansou e, com sono, pediu para voltar para casa.

Deixei o pequeno aos cuidados do meu marido, que a cada dia se revela um pai mais do que coruja e muito mais do que perdidamente apaixonado pelo filho. O pequeno com certeza estaria em boas mãos, muito bem cuidado e se divertindo muito. Eu como sempre, fico tão tranqüila quando os dois estão juntos, que nem vi o tempo passar. Subi para minha casa quase 9 horas da noite, na esperança de que o paizão coruja já tivesse colocado o baixinho super cansado na cama, com direito a jantar e tudo. 

Que nada! Cheguei e dei de cara com os dois sentados na cama ao lado de uma pilha de livros super coloridos, que eles liam e discutiam com a maior atenção. Nem deu pra ficar chateada com o adiantado da hora, porque a cena estava realmente bonita.

Para completar, nem jantar tinha acontecido ainda. E o que fazer com um garotão com sono e fome? Improvisar uma comidinha gostosa e rápida nessa hora é importantíssimo! E tem que ser nutritiva, porque criança com sono normalmente não come muito bem, então o pouco que aceitar, tem que fazer diferença!

Se eu não tivesse uma porção de arroz integral já pronta na geladeira, teria apelado para ovos mexidos ou omelete, mas como o arroz estava ali, tão prático, nutritivo e prontinho, a questão era só dar um toque especial. Eu tinha sálvia fresca e tomates maduros por perto também.

Derreti uma colher cheia de manteiga na frigideira e juntei um punhado grande das folhas de sálvia frescas bem picadinhas – eu gosto muito da sálvia meio frita na manteiga, ela chega a ficar quase crocante e solta um sabor único. Isso foi com o fogo alto, até as folhas começarem a escurecer, cerca de 3 ou 4 minutos.

Juntei então o arroz já pronto até esquentar bem. Depois, antes de desligar o fogo, 3 tomates orgânicos picados sem sementes. Adicionei os tomates, mexi e apaguei o fogo.

Para deixar o prato mais nutritivo, na hora de servir juntei uma gema de ovo caipira crua. O gosto não se altera, mas o risoto fica ligeiramente mais cremoso. As crianças com certeza vão adorar!

Hoje eu contei deste risoto, simplesmente porque achei a combinação interessante e para o meu gosto deliciosa, mas se seu filho adora arroz como o meu, não tenha medo de inventar as mais inusitadas combinações para ele usando o tal do arroz.

Aqui em casa não passa praticamente nenhuma refeição sem que tenha arroz para o meu filho. Ele adora, puxou do meu marido que é outro fanático por arroz! Mas como ninguém vive só de arroz, pensei no jeito de deixá-lo mais nutritivo e com sabor variado – é importante apresentar sabores variados aos pequenos, e só com o que a natureza oferece dá pra variar muuuuuito!

  • Para ter a certeza de que a refeição será nutritiva, o primeiro passo é optar pelo arroz integral, se for orgânico melhor ainda.
  • Eu gosto muito do arroz integral do tipo cateto, que é mais “achatadinho”, meio arredondado.
  • Eu sempre deixo o arroz de molho por pelo menos 8 horas antes de prepará-lo.
  • O arroz integral aqui em casa é sempre preparado com algum caldo caseiro, que além de dar um sabor incrível, torna o simples arroz uma verdadeira refeição, das mais nutritivas. O caldo que eu mais uso é o de carne – minha preferência particular.
  • Meu filho pode comer um prato onde tenha aparentemente arroz puro, mas nunca é só isso. Além do fato dele ter sido deixado de molho e cozido em caldo caseiro, esse arroz pode levar manteiga ou oleo de coco extra-virgem ao final do cozimento – de 1 a 2 colheres de sopa para cada xícara de arroz. Este arroz também pode ganhar, como foi o caso hoje, uma gema ao final do cozimento.
  • Outros ingredientes são sempre adicionados. Eles variam o sabor e cor do prato e variando sabor e cor com certeza aumentamos a variedade de nutrientes ingerida.
  • Na enorme maioria das vezes o arros é acompanhado de alguma carne. Qualquer uma. No meu freezer tenho sempre porções individuais de arne moída, que eu posso tirar do freezer direto para a panela, fica pronto em no máximo 10 minutos. Para essas porções individuais eu vou ao açougue e mando moer pouco mais de 1kg de patinho ou coxão mole. Junto com esta carne eu peço ao açougueiro que passe pelo moedor uns 2 ou 3 bifes de fígado. Mais do que isso não precisa. Menos do que isso pode fazer falta. Chegando em casa eu me certifico de misturar muito bem as duas carnes moídas e formo pequenas bolinhas (porções entre 80g e 100g) que são congeladas individualmente para serem usadas quando necessário.
  • Se na geladeira faltou erva fresca para o tempero, apelo para as ervas desidratadas e condimentos. São itens que vale a pena ter sempre em casa, já que duram bastante e não contém aditivos artificiais. claro que nenhuma erva desidratadas substitui a erva fresca, que eu particularmente prefiro mil vezes!
  • As carnes e legumes que eu uso no preparo do caldo de carne caseiro também vão para o freezer em porções individuais para quebrar o galho em momentos de emergência ou preguiça, mas eu vou ter que achar um tempero diferente para as proximas vezes, porque descobri que só com sal e pimenta meu filho parece já ter enjoado… Quando este é o cardápio, milagrosamente 2 ou 3 colheradas bastam para aplacar a sua fome, pelo menos até ele lembrar do morando na geladeira ou da banana na fruteira…
  • Será que faltou falar mais alguma coisa sobre minhas invenções de última hora?? Se ficou alguma dúvida, é só falar!

E não se esqueçam da promoção que vai presentear um leitor do site Crianças na Cozinha com o meu livro de receitas saudáveis A DOR DE CABEÇA MORRE PELA BOCA.

Para conhecer os detalhes e participar da promoção, CLIQUE AQUI!!

Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 2 comments }

Fabiana Pellegrini August 4, 2008 at 9:07

Bom-dia Pat!

Dicas mto valiosas!! Adorei a idéia do risoto! Vou colocar em prática. Como estou no início da dieta, estou ainda muito sem imaginação, por isso recorro ao seu site que tem ajudado mto!
Ahh, amei o caldo de carne que levei na sexta-feira!! Fiz carne moída com ela e tbém uma sopa de abóbora com lentilha. Os dois pratos ficaram divinos com o caldo de carne. Já virei fã!!! Uma dúvida sobre o risoto: na falta de sálvia, quais outras opções vc recomenda?

Pat Feldman August 4, 2008 at 11:58

Que obm que você gostou do caldo, Fabiana!!!

Na falta da sálvia, quer melhor combinação do que tomates com manjericão?? Eu sou fã!! E especialmente no teu caso, com a enxaqueca, o manjericão é ótimo!! Uma amiga nossa, sofredora de enxaquecas, sempre que sentia uma crise chegar, corria para cheirar manjericão – ela aproveitava ocasião para preparar uma “baciada” de molho pesto e dizia que na maioria das vezes a crise ía embora só com o aroma do manjericão!

Orégano também é boa opção – poderíamos nesse caso acrescentar um pouco de queijo e chamar de “Risoto de Pizza”!!

Comments on this entry are closed.

Previous post:

Next post: