Você tem idéia de quanto o caldo de carne (caseiro) faz de bom pela sua saúde?

by Pat Feldman on 22/02/2016 · 77 comments

in Alimentação, AMIGOS, ARTIGOS, Caldos Básicos, Dr. Alexandre Feldman

Os caldos caseiros, sejam eles caldo de carne, caldo de frango caipira,  caldo de peixe, caldo de alho, caldo de legumes ou caldo de mocotó deixam qualquer comida MUITO saborosa. O melhor de tudo, é que além da comida preparada com caldos caseiros ficar MUITO SABOROSA, ela vai ficar também MUITO SAUDÁVEL!

E por que não unir o útil ao agradável? O sabor à saúde?

Este artigo foi escrito pelo médico Dr. Alexandre Feldman e sobre o qual já falei algumas vezes aqui no site Crianças na Cozinha. O artigo é realmente bom, recheado de informações muito valiosas e pouco divulgadas, por isso eu decidi transcrevê-lo aqui para vocês. Informações importantes devem ser divulgadas, devem se tornar de conhecimento do máximo de pessoas possível!

A nossa saúde depende em grande parte daquilo que comemos. A melhor farmácia do mundo está ao nosso alcance, na cozinha da nossa casa!

Quero ter certeza que todos você lerão o artigo!!

A receita do caldo de carne está AQUI, e as receitas dos demais caldos que eu sugiro para a sua cozinha estão AQUI e você pode prepará-los em casa. É muito mais fácil do que parece! Mas se você mora em São Paulo e prefere encomendar seu caldo pronto e congelado, me envie um e-mail agora mesmo: PAT@FELDMAN.COM.BR

Para encomendar seus caldos caseiros em São Paulo, escreva um e-mail para  pat@feldman.com.br

Quero incentivá-los a preparar seus próprios caldos em casa, com todo o cuidado e atenção que este superalimento merece! Eles devem fazer parte do preparo de todos os alimentos na sua casa: arroz, feijão, sopas, risotos, carnes ensopadas, etc. Na papinha do bebê é o complemento perfeito – adiciona muito sabor e muitos nutrientes para seu bebê se desenvolver forte e bonito!

Nas tradições culinárias de diversos países latinoamericanos, todo bom caldo, seja ele de carne, frango ou peixe, desde que rico e substancioso (veja detalhes mais adiante), recebe o o apelido de levanta muertos – em português: “levanta defuntos”!

E não é à toa que o caldo de carne tradicional ganhou essa reputação de “ressucitar os mortos”. As avós já sabiam que um bom caldo possui a capacidade de aliviar doenças, fortalecer o corpo, aquecer a alma, iluminar uma refeição, encher o lar com o delicioso aroma do amor e afeição.

O caldo de carne está presente em todas as culturas culinárias tradicionais, da italiana à chinesa. Todas as carnes mais duras, assim como os ossos e pés (mocotó) sempre foram os ingredientes principais dentro do velho caldeirão, no preparo de um excelente e substancioso caldo de carne.

A sabedoria das nossas avós foi comprovada e legitimada pela ciência: um artigo publicado em outubro de 2000, na prestigiosa revista médica Chest, demonstrou que o caldo (neste caso, o caldo de frango) preparado de acordo com os métodos tradicionais, possui um efeito antiinflamatório!

Além disso, o caldo de carne caseiro é rico em uma série de minerais importantes, facilmente absorvíveis pelo nosso organismo – principalmente o cálcio, mas também o fósforo, o magnésio e vários outros. Também contém substâncias como a glicosamina e condroitina, que muitos portadores de artrite e dor nas articulações costumam comprar em farmácias na forma de comprimidos, a preços bem elevados – e que não possuem, nem de longe, o mesmo potencial de absorção pelo organismo que o caldo de carne.

Quando o caldo esfria, ele se tranforma numa espécie de gelatina. Isso se deve à presença de um aminoácido chamado glicina. O uso terapêutico dessa gelatina data dos antigos chineses, de modo que essa gelatina é, provavelmente, o mais antigo alimento funcional que existe. Hoje, sabe-se que ela possui grande importância na saúde da pele, do coração, do sistema digestivo, das cartilagens e ossos.

O caldo de carne ou o caldo de frango feito com ossos é rico em prolina, hidroxiprolina e glicina. Essas substâncias possuem papel vital na formação das fibras colágenas de nosso corpo.

O caldo de carne ou caldo de frango – essa riqueza praticamente extinta das mesas brasileiras – é a principal matéria-prima para uma infinidade de sopas, molhos e caldos altamente nutritivos. Deveria ser parte integrante da nossa alimentação quotidiana.

Para encomendar seus caldos caseiros em São Paulo, escreva um e-mail para  pat@feldman.com.br

A gelatina presente no caldo de carne – derivada do cozimento lento dos ossos com ‘tutano’ – facilita e aumenta a digestibilidade (e portanto a biodisponibilidade) das proteínas do trigo, aveia, cevada e uma série de outros grãos, como o feijão, e também da própria carne. Pessoas para as quais a carne ‘cai pesada’, descobrem que isso deixa de acontecer quando a carne é cozida em seu caldo, ou servida com um molho à base de seu caldo. Não é à toa que esses molhos, ricos em gelatina, estejam no centro das tradições culinárias de muitos povos.

A digestão dos laticínios é facilitada pela gelatina do caldo de carne, que ajuda a emulsificar as gorduras. Além disso, ela estabiliza a caseína (proteína do leite), prevenindo a formação de ‘coágulos’ (’coalhos’) grandes no tubo digestivo, coágulos estes que, uma vez formados são de digestão muito difícil ou impossível. Conseqüentemente, crianças que se alimentam com esses caldos ricos em gelatina tendem a ter melhor digestão, menos cólicas, diarréias, vômitos, intolerâncias alimentares, em comparação àquelas crianças alimentadas apenas à base de leite de vaca.

Indivíduos em estado de convalescença e em processo de recuperação de cirurgias também se beneficiam enormemente com a adição desses caldos aos seus alimentos. Uma das razões para esse benefício é que a gelatina do caldo de carne reduz a quantidade necessária de proteínas completas da dieta. Graças a esse efeito ‘poupador’ de proteínas, a ‘canibalização’ das próprias proteínas dos músculos, tão comum em pessoas muito doentes que estão perdendo peso, tende a ser atenuada.

A gelatina do caldo de carne ajuda a normalizar desequilíbrios de ácido clorídrico no estômago (para mais e para menos), além de estimular a secreção de sucos gástricos, promovendo a digestão.

O termo ‘disbiose’ está na moda: refere-se a desequilíbrios entre as bactérias ‘boas’ e ‘más’ que habitam nosso intestino. O consumo excessivo de carboidratos (farináceos e açúcar) facilita esse desequilíbrio. E a disbiose está por trás de uma série de doenças, alergias e intolerâncias cada vez mais comuns, e que atrapalham a nossa capacidade de recuperação de outras doenças, inclusive a enxaqueca.

Na dieta desintoxicante com duração de 3 meses, que recomendo no meu livro, peço, entre outros itens, uma restrição especial aos carboidratos refinados (ex: pães, massas e doces). O caldo de carne rico em gelatina, preparado à moda tradicional, fornece um excelente suprimento de energia para compensar essa restrição, sem causar desequilíbrio nas populações de bactérias do intestino.

A prolina e glicina, aminoácidos presentes na gelatina do caldo de carne, são parte integrante da nossa cartilagem, e de particular importância na recuperação da cartilagem dos indivíduos portadores de artrite e outras doenças degenerativas das articulações.

Um estudo publicado na revista Pathophysiology em abril de 2000, demonstrou que a gelatina do caldo de carne protege a integridade do estômago após a ingestão de álcool (etanol), em ratos.

Algumas pessoas que buscam a melhora da saúde através da alimentação, procuram evitar a ingestão simultânea de proteínas e amido, com a justificativa que ambos possuem ‘tempos’ diferentes de digestão. Isso não seria necessário com a adição do caldo de carne rico em gelatina, que distribui a ação digestiva para toda a massa de alimentos, tornando homogêneo o processo.

Outras pessoas, inspiradas em um livro que fez bastante sucesso sobre a alimentação de acordo com o tipo sangüíneo, procuram evitar os grãos, cuja digestão lhes seria muito difícil caso sejam do tipo O. Porém, esses mesmos grãos (ex: feijão, arroz integral) seriam facilmente digeridos por esses mesmos indivíduos, caso deixassem esses grãos de molho em água com um pouco de soro de iogurte por 1 dia, e em seguida cozinhássem-nos lentamente em caldo de carne rico em gelatina.

Muitos de nós já ouvimos falar em movimentos pelo consumo de alimentos crus. Acontece que muitos alimentos, quando cozidos, se tornam hidrofóbicos (repelem água), precipitando estruturas químicas denominadas colóides hidrofóbicos, diminuindo, assim, a capacidade de hidratação do bolo alimentar, e conseqüentemente interferem com a capacidade desses alimentos de absorver os sucos digestivos. Felizmente para aqueles de nós que, na maioria das vezes, preferimos nossos alimentos cozidos e não crus, é possível reverter esse problema em grande parte, com a adição de colóides hidrofílicos (que possuem afinidade com a água), os quais se encontram… adivinhe… no caldo de carne caseiro rico em gelatina.

O aminoácido glicina, presente no caldo, é utilizado pelo fígado na função de desintoxicação de outras substâncias químicas – portanto, contribui com o bom funcionamento do fígado.

O caldo de carne caseiro rico em gelatina é importante para a saúde dos nossos ossos. Um artigo publicado no Journal of Nutrition em 1999, demonstrou que é grande a absorção dos componentes da gelatina pela cartilagem de ratos.

Para a maioria de nós, o riquíssimo caldo de carne se encontra na obscuridade. Para quem interessa isso? Certamente, não para você!

Espero que este artigo lhe inspire a provar pratos com caldo de carne ou caldo de frango, desde que os animais tenham sido criados soltos à base de alimentação natural para eles, e não em cativeiro, à base de ração.

Para a receita de como fazer um caldo de carne autêntico, preparado do modo tradicional, a partir de ingredientes como ossos, cartilagens e pedaços de carne próximos aos ossos, que são cozidos lentamente (por um período mínimo de 12 horas) em água com verduras e deliciosos temperos, clique aqui. 

Para encomendar seus caldos caseiros em São Paulo, escreva um e-mail para  pat@feldman.com.br

Jamais aqueça seu caldo de carne/frango no microondas. Um estudo publicado no Lancet explica que o microondas é capaz de criar isômeros (configurações químicas) diferentes do aminoácido prolina, presente na gelatina do caldo de carne, podendo resultar em componentes tóxicos para o organismo.

Jamais utilize ‘caldos’ comerciais, em cubinhos ou não, repletos de glutamato monossódico.

A receita do caldo de carne está AQUI, e as receitas dos demais caldos que eu sugiro para a sua cozinha estão AQUI e você pode prepará-los em casa. É muito mais fácil do que parece! Mas se você mora em São Paulo e prefere encomendar seu caldo pronto e congelado, CLIQUE AQUI para entrar em contato comigo!

Para encomendar seus caldos caseiros em São Paulo, escreva um e-mail para  pat@feldman.com.br

Envie para um amigo Envie para um amigo Versão para impressão Versão para impressão

{ 59 comments… read them below or add one }

Carolina G. November 14, 2009 at 20:39

Oi Pat!
Eu já tinha lido esse artigo do seu “por acaso” marido, hehe, e aqui em casa já faço caldo de frango, não falta no meu congelador! Maaaaas, ainda não fiz o de carne, porque quero comprar uma panela de inox maior, a minha tem apenas 5 L!!!! Então, estou juntando as economias, hehe para comprar uma de 11 L ou de 13 L!
Eu gostaria muito que você explicasse porque usa alho poró, cebola e cenoura no caldo de frango, é para temperar?? Ou tem outros motivos? Será que eu posso usar outros “temperos”, ou não usar nada, apenas o frango?
Explico: é que meu marido é um “crítico culinário” muito exigente e não gosta do gosto que fica no caldo de frango!!!!
Será que eu devo passar para o caldo de carne de vez, na minha panelinha mesmo? Você sempre fala que ele é muito saboroso!

Agradeço muito por todas as dicas!!!

Reply

Pat Feldman November 14, 2009 at 21:41

Carol, eu sou suspeita, adoro os dois caldos – mas cada um para sua função, é claro! Um feijão, por exemplo, fica horroroso quando preparado com caldo de frango, ja com caldo de carne… Nem te conto, uma delícia!!

Quanto aos temperos, os legumes, verduras e ervas emprestam algum sabor sim, mas tem que tomar cuidado porque alguns podem deixar o gosto meio amarguinho. O alho poró você pode tentar substituir por salsão. As ervas você pode usar só salsinha, tomilho, alecrim, orégano, tomilho limão. Hortelã e manjericão amargam, eu não gosto.

Espera mais um pouco, até chegar tua panela maior, e faz logo um mooooonte de caldo de carne. Vae mais a pena, e além do mais, os ossos ocupam muito espaço na panela.

Reply

tatiana October 19, 2010 at 12:34

Pat, to fazendo o caldo pela primeira vez aqui no Brasil. Por incrivel q pareca nos EUA nao tive dificuldades em encontrar os ingredientes mas aqui em Goias eles nao sabem o que eh a canela. Eles juram que canela e mocoto sao a mesma coisa… e ai, o que fazer? rsrs Tem problema fazer so com o mocoto???

Reply

Pat Feldman October 19, 2010 at 13:55

Sem problema algum! Pode fazer só com mocotó! Mas aí compra logo 2 se você for usar um panelão, para o caldo ficar bem denso!

Reply

Bete January 16, 2011 at 20:39

Queridas amigas, aqui em SP a canela é o osso buco, eu perguntei para o açougueiro. Então é só pedir mocoto e osso buco. bjs

Reply

Pat Feldman January 16, 2011 at 20:58

Bete, tem o ossobuco com o osso no meio e tem só a canela, que é só o osso memso e que normalmente os açougueiros jogam fora. A canela o meu açougueiro me dá de presente! Eu uso ossobuco, com a carne e gordura pra dar o gostinho e só o osso pra tirar o máximo de mocotó!

Reply

Bete January 17, 2011 at 9:55

Querida pat, para solucionar o problema do plástico em contato direto com o caldo, eu forrei com papel manteiga, pois depois que o caldo fica tipo gelatina ele não espalha, então eu cortei em quadrados e coloquei no pote forrado e outro pedaço por cima para não entrar em contato com a tampa… ps ficou maravilhossso super gostoso e perfumado. Mais uma vez receba nossa gratidão.

Reply

eduardo granato matta August 26, 2011 at 14:23

gostaria de uma opinião mais detalhada quanto a inoportunidade de se utilizar os caldos em “cubinhos”, que conforme o seu texto estão repletos de glutamato monossódico.
O meu netinho precisa ser protegido, devido a falta de conhecimento de uma cozinheira que parece não querer entender que até mesmo a diarréia do “baixinho” pode estar sendo provocada pelo caldo em cubinho.

Obrigado

Eduardo G Matta – Rio de janeiro

Reply

JC October 15, 2011 at 17:44

BOA NOITE PAT,
GOSTEI MUITO SEUS COMENTARIOS E RECEITAS.
VOCE DISSE QUE FAZ O CALDO DE CARNE SEMPRE, GOSTARIA SABER ONDE ADQUIRE OS PRODUTOS, OSSOS E MOCOTÓ, MORO EM BAURU E DESCONHEÇO QUEM CRIE OS ANIMAIS NATURALMENTE.
PODERIA AJUDAR-ME?
ABRAÇOS
JOSE CARLOS DOTTA- BAURU

Reply

Pat Feldman October 15, 2011 at 18:37

José, a maioria do gado brasileiro é criada a pasto, solta, portanto nos fornece uma carne de boa qualidade. Eu ocmpro toda minha carne em açougue do baieeo, no qual tenho total confiança quanto a procedência e condições de higiene.

Reply

rosana rodrigues janotta February 5, 2012 at 12:21

0i Pat gostaria que voce me indicasse onde e o beneficio do oleo de côco beijussssssRosana Rodrigues Janotta

Reply

Heike February 10, 2012 at 15:06

Pat, não tenho panela grande de inox, mas tenho uma de alumínio. Você acha que é melhor fazer o caldo na panela de alumínio mesmo ou se for para fazer nessa panela é melhor nem fazer???

Reply

Pat Feldman February 10, 2012 at 15:44

Heike, eu definitivamente não gosto de panelas de alumínio, e acho que pelo bem da sua saúde, vale a pena investir num panelão de inox!

Reply

sandra borges April 11, 2012 at 13:06

Pat, Boa Tarde!
Não sei se vc pode me ajudar, eu sempre faço o meu caldo de carne e frango , inspirada por vc , mas agora descobrimos que meu marido esta com cirrose avançada será que posso continuar usando os caldos.
Ele esta fazendo deieta alimentar , tirou todo o sal e carne vermelha.
Como ele gosta muito de sopa eu utilizava muito.
Obrigada
Sandra

Reply

Pat Feldman April 11, 2012 at 13:34

Puxa Sandra, que chato esse diagnóstico! Eu sinceramente não sei te dizer se ele pode ou nõ continuar com os caldos, mas imagino que como são cuidadosamente preparados, sem nenhum tio de aditivo artificial, talvez não tenha problemas. Você chegou a conversar com o médico que deu o diagnóstico sobre isso? Acho que é o melhor a fazer!

Reply

Sillmelo Akita March 4, 2013 at 20:15

Oi Pat tudo bem?
Depois de um bom tempo sem fazer o caldo, essa semana resolvi ir a luta.
Cozinhou lentamente num fogareiro a lenha e como no final estava sem saco, acabei levando pro fogão pra finalizar.
Fiz igualzinho como você ensina, deixei um bom tempo na geladeira para separar a gordura, e qual foi minha surpresa na hora de retirar?
Meu caldo estava totalmente gelatina, pura gelatina de carne. (soltei até gritinhos de felicidade), ficou lindo e saboroso.
Acho que foi por conta das carnes selecionadas né?
Usei 1 mocotó, 1kg de um tal de suan (carne com osso da parte das costelas)
músculo e 2 pedaços de osso de patinho.
Congelei tudo em saquinho de picolé pq achei mais prático.
Obrigada Pat, obrigada por ensinar algo tão bom pra nossa saúde.
Abraços.

Reply

Lola May 21, 2013 at 20:47

Oi, Pat,

Adorei a receita, mas, não tenho como fazer, devido ao tempo gasto.
Desejo saber quanto você cobra pelo caldo de carne e se você trás quando vier ao Rio? :)

Abs,

Reply

Pat Feldman May 21, 2013 at 21:54

Lola, estou programando uma ida ao Rio no 2o. semestre, justamente para levar caldos!! Aguarde!!

Reply

Lola May 21, 2013 at 22:00

Ok! Não deixe de me avisar!

Reply

sonia regina June 22, 2013 at 21:20

Oi Pat: Tudo bem? Gostei muito do seu site, tem informações bem bacanas. Quando vier ao Rio, gostaria de ser avisada, pois estou interessada em seus caldos (legumes). Muito Obrigada. Sonia Regina

Reply

Pat Feldman June 23, 2013 at 8:42

Eu vou avisar pelo site, Sonia! Há possibilidade de eu ir em julho!

Reply

Júlia July 12, 2013 at 13:02

Olá! Alguma possibilidade de tu (e os caldinhos!!) virem para Porto Alegre???
bjs
Júlia

Reply

Pat Feldman July 12, 2013 at 15:03

Julia, ando doida para ir passar um dias em POA!!! Vou tentar programar!!

Reply

Mariana August 16, 2013 at 14:14

Oi Pat,
Tudo bem? Costumo fazer caldos aqui em casa, pois jamais usei caldos industrializados, e já comprei de você algumas vezes. É claro que os meus não chegam nem aos pés dos seus, até porque, quando faço é mesmo para guardar o caldo de alguma carne que cozinhei pra fazer carne louca, ou cozidos. Mas faço bastante o de ossobuco, que adoramos aqui.
Porém, há um tempo atrás minha filha mais nova teve uma gripe, e ficou fraquinha, enfim, dei MUITOS caldos (de músculo, ossobuco, tutano), pois era fácil de engolir, e super nutritivo. Fazia aqui mesmo, pois era uma quantidade grande todos os dias, já que a mais velha, gostou da idéia e queria também… Eu fiquei nas núvens e o pediatra
Mas como tomava puro, eu fazia com mais temperos pra dar
E sabe que a moda pegou aqui

Reply

Rute March 14, 2014 at 13:20

Boa tarde,
Gostaria de mais informações sobre a aquisição de caldos caseiros que você produz.
Sabores, preço, quantidade.
Moro em Osasco/SP.

No aguardo

Reply

Pat Feldman March 14, 2014 at 16:21

Te mandei e-mail Rute!

Reply

Fernanda March 16, 2014 at 11:43

Oi Pat, gostaria de receber informações sobre a aquisição dos caldos caseiros. Obrigada!

Reply

Pat Feldman March 16, 2014 at 19:56

Te mandei e-mail, Fernanda!

Reply

Paula Catulo March 21, 2014 at 11:08

Oi Pat, tudo bem? Estou conhecendo teu site agora e estou adorando a ideia de preparar os caldos em casa. Queria te perguntar quanto rende aproximadamente cada receita? Eu queria colocar em forminhas de gelo para usar pequenas porções. Você recomenda esta prática? Desculpe caso já tenha explicado estas dúvidas antes, ainda não li tudo.

Obrigada!
abços

Reply

Pat Feldman March 21, 2014 at 11:42

Paula, depende um pouco do tamanho da tua panela, mas a receita em geral rende de 3 a 4 litros. Você pode sim congelar em forminhas de gelo, mas para essa quantidade de caldo, haja forminhas!!! hehehehe Te recomendo congelar em potes de 150 a 250mL, que é mais ou menos a quantidade que você deverá usar por vez.

Reply

Eva Maria April 12, 2014 at 1:36

Achei bárbaro você e o seu site com estes ensinamentos tão saudáveis, e um pouco esquecidos das pessoas hoje que querem tudo feito em indústrias e artificiais. Já fazia um caldo razoável mas agora vou fazer excelentes caldos com suas sugestões. Este caldo de carne natural é uma riqueza pura! Muito Obrigado por compartilhar conosco estas receitas e esclarecimentos sobre a importância dos caldos para a saúde. Nemastê!

Reply

Priscila July 9, 2014 at 16:01

Boa tarde! Pena que só vi agora q vc viria ao RJ…com certeza iria encomendar os caldos…mas com suas dicas acredito que consiga fazer. Conheci suas dicas ontem a noite, fazendo pesquisas sobre uma alimentação mais saudável. Obrigada!

Reply

Pat Feldman July 11, 2014 at 17:29

Priscila, não se preocupe, eu volto ao Rio periodicamente!

Reply

Priscila July 23, 2014 at 13:56

Boa notícia! Obrigada!

Reply

Priscila July 23, 2014 at 14:11

Pat não sei se você tem ideia da importância da sua colaboração para que nossas famílias tenham uma alimentação mais saudável possível. Sua disponibilidade em dividir conosco seu tempo, seu conhecimento, num mundo que pessoas, só querem olhar para si mesmo. Devido a tantas leituras, descobri a importância da comida feita com bastante tempo de cozimento, conforme você explica em diversas receitas aqui. Por isso encomendei um fogão a lenha, que eles chamam de ecológico, por não fazer aquela fumaceira e ainda gastar pouquíssimas lenhas, o que causa menos impacto ambiental. Achei barato e prático, pois eles já entregam pronto. Vale ressaltar que não tenho nada a ver com a empresa…nas minhas pesquisas achei interessante, comprei e resolvi compartilhar com pessoas, que gostariam de preparar comidas que duram horas e no fogão à gás seria complicado. Se quiser posso colocar o link aqui. Tchau Tchau e fiquem com Deus!

Reply

Silvia July 26, 2014 at 18:51

Descobri seu site procurando informações sobre enxaqueca… A propósito estou aguardando ansiosa a chegada do livro do Dr. Alexandre … estou adorando as receitas e quero informações sobre os caldos, vou tentar fazer . Mas quero experimentar o seu… Moro em Osasco SP. Estou adorando tudo!, Sou sua fã !

Reply

Pat Feldman July 26, 2014 at 19:02

Silvia, te mandei e-mail!!

Reply

Marcela August 29, 2014 at 12:34

Pat, tudo bem? Onde vc me indica para comprar frango e carne aqui em
Sp?? Consigo frango melhor que o da Korin?? Não gosto muito da Korin, apesar de falarem tão bem!!! Bjs

Reply

Pat Feldman August 29, 2014 at 16:50

Marcela, eu já vi um frango caipira no Pão de Açúcar. Comprei e gostei bastante. Ele vem em embalagem prórpia do mercado, bandeja de izopor com um adesivo verde escrito “frango caipira”.

Reply

Gislene November 21, 2014 at 17:10

Ola,
Interesse em adquirir seus caldos. Estou indo ao Brasil em dezembro/14 mas minha passagem por SP no inicio da viagem sera rapido, pois de SP viajo para MG…tem alguma sugestao como viajar com estes caldos congelados por um periodo de 12hrs sem que eles descongelem ??
Qual os valores a pagar pelos caldos ?
Contacte-me por favor por e-mail !

Grata,
Gislene

Reply

Pat Feldman December 1, 2014 at 12:55

Te mandei e-mail!

Reply

vicente January 9, 2015 at 15:53

Pat. Estou utilizando a gelatina oriunda da receita do OSSOBUCO que a minha mulher preparou no fogão a lenha em ” baita panelaço ” a cerca de 20 dias. Após utiliza-lo por cerca de 10 dias seguidos no almoço e no jantar, passei a sentir após as refeições uma sensação de fastio, estomago pesado como se eu tivesse comido um boi. Minha mulher que é uma experiente técnica de enfermagem, sugeriu que eu tomasse PLASIL, que resolveu o problema, mas que não poderia fica tomando sempre. Passei a usar o capim cidreira após as refeições. Voçe poderia me dar alguma sugestão ou recomendações a respeito da utilização? Obrigado

Reply

Pat Feldman January 16, 2015 at 16:28

Vicente, a não ser que você tenha uma sensibilidade específica, eu duvido que o problema esteja no ossobuco – se bem que ele sacia com pouca quantidade, então se você abusar, ele pode ser o culpado. Para ser fácil de digerir, você deve consumir pouca quantidade e ele deve ser cozido muito lentamente, por várias horas.

Reply

Glaucia Cutini January 18, 2015 at 17:40

Olá Pat, teria como me mandar estes caldos para o ES?
Fico aguardando….Obrigada!

Reply

Pat Feldman January 19, 2015 at 5:46

Infelizmente não tem como, Glaucia… MAs se um dia for aí conhecer tua terra, certamente aviso e pego encomendas!

Reply

Therezinha Eduarda Lemos Barroso February 7, 2015 at 1:28

Os senhores falam em shoyu sem glutamato mas não dizem onde comprar. Quero comprar shoyu de qualidade saudavel e não encontro aqui no Rio de Janeiro. Se os srs. souberem, mesmo em S.Paulo, por favor me avisem ou me vendam se for o caso. Atenciosamente Therezinha

Reply

Pat Feldman February 7, 2015 at 17:59

Therezinha, eu costumo comprar atualmente o shoyu Daimaru, que encontro aqui em SP na Casa Santa Luzia ou no bairro da Liberdade. No Rio eu não sei onde tem…

Reply

Andrea March 22, 2015 at 23:42

Pat, se você permitir, esta resposta é para a Therezinha do Rio de JAneiro que perguntou sobre o shoyu.

Oi Therezinha,

Eu compro o Shoyu da Família Hattori. No site eles dizem onde vende. É orgânico e com fermentação natural 100%. Lá você encontra os produtos que eles produzem, tudo orgânico. O site deles é familiahattori.com.br. Eu compro na loja Grão Integral, no Largo do Machado.

Abç
Andréa

Reply

Pat Feldman March 23, 2015 at 8:36

Obrigada Andréa!

Reply

Gabriela May 19, 2015 at 0:49

Pat, na falta de um forno a lenha, poderia usar a churrasqueira para fazer o caldo ou o carvão interferiria no sabor?? O cozimento por mais de 12 horas no fogao nao me deixa segura. Abraço!

Reply

Pat Feldman May 19, 2015 at 7:34

Gabriela, creio que se você conseguir uma temperatura bem amena, deve dar certo. Depois venha nos contar!

Reply

Juliana Contezini February 16, 2016 at 16:52

Obrigada por dividir tanto conhecimento!
Dúvida: aquela água com lim?o, será levada ao cozimento? Ou troco a água?

Reply

Pat Feldman February 16, 2016 at 17:30

Sim, o cozimento é na água com limão

Reply

Thaisa April 27, 2016 at 11:09

Ola Pat !
Mostrei esta receita de caldo ( que aliás já fiz uma vez) ao pediatra e ela disse ser desaconselhável para crianças em razão do alto nível de colesterol. Você pesquisou sobre isso ? Obrigada

Reply

Pat Feldman April 27, 2016 at 14:02

Thaisa, leia aqui a minha opinião sobre o colesterol: http://pat.feldman.com.br/medo-de-gordura-sai-dessa/ A propósito, meus filhos consomem esse caldo desde o início da alimentação sólida!

Reply

viviane May 8, 2016 at 10:32

Parabéns Pati mas uma dúvida porque as carnes devem ser assadas? Se forem refogadas nãos tem o mesmo efeito. Gostaria de mais informações e seus valores de caldos. Obrigada. Vipurkote@yahoo.com.br

Reply

Pat Feldman May 8, 2016 at 18:48

Assar as carnes dá uma cor mais bonita ao caldo e um sabor bem mais especial!

Reply

Pedro de Alcantara August 13, 2016 at 1:53

Boa noite !
Eu moro em Brasília e gostaria de saber como proceder para comprar os caldo.
Grato, Pedro

Reply

Pat Feldman August 13, 2016 at 21:09

Olá Pedro, infelizmente não tenho como enviar os caldos para Brasília….

Reply

Leave a Comment

* IMPORTANTE: LEIA ANTES DE CLICAR EM "ENVIAR" * Ao enviar seu comentário, você fornece à Pat Feldman e ao Site CriancasNaCozinha.com.br 100% dos direitos autorais do seu texto, e fornece também uma licença PERPÉTUA (para toda a vida) e IRRETRATÁVEL (sem a possibilidade de voltar atrás) para a reprodução de suas palavras associadas ao seu nome, seja neste site, seja em outro site, seja em algum livro que venha a ser publicado, ou em qualquer mídia atual ou futura.

{ 18 trackbacks }

Previous post:

Next post: